Lower Manhattan
Lower Manhattan, New York, foto Barão
Lower Manhattan, New York, foto Barão

Lower Manhattan: o extremo sul da ilha de Manhattan

Corresponde ao Sul de Manhattan. É onde ficavam as torres gêmeas destruídas pelo atentado terrorista de 11 de setembro.

Mapa de Lower Manhattan

Uma das primeiras áreas ocupadas pelos colonizadores

A “Baixa Manhattan”, ou Lower Manhattan, se estende da Chambers Street, ao norte, até o Battery Park, englobando o triângulo correspondente ao extremo sul de Manhattan, uma das primeiras áreas ocupadas pelos holandeses.

O povoado colonial

Esse pprimeiro povoado do período colonial tinha por limite, ao norte, a Wall Street (“rua do muro”), onde um muro de defesa a isolava do resto da ilha. Hoje, essa é a região do Financial District (Distrito Financeiro), onde se situam bancos e corretoras de valores.

Atrações no bairro

Wall Street

Na esquina da Wall Street com a Broad Street (não confunda com a Broadway) está o coração da economia mundial: a Bolsa de Valores de Nova York. O que acontece ali tem reflexos no resto do planeta. Embora existam apartamentos residenciais no Financial District, o bairro é basicamente ocupado por escritórios, o que o torna movimentado durante os dias úteis, porém calmo à noite e nos finais de semana. Boa parte da região, cujas ruas têm traçado irregular, é salpicada de arranha-céus. Da arquitetura colonial, quase nada restou.

City Hall

Em Lower Manhattan ficam também o City Hall, sede da Prefeitura de Nova York, e o Ground Zero, antigo local das torres gêmeas do World Trade Center, destruídas pelos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001.

Battery Park –  palco de concertos e espetáculos; o Castle Clinton National Monument; o Federal Hall, erguido no local em que funcionou, entre 1789 e 1790, o primeiro Congresso dos Estados Unidos; a Fraunces Tavern, uma taverna histórica frequentada por George Washington e seus patriotas; o o Woolworth Building; e a Trinity Church.

A estátua da Liberdade

Do Battery Park partem os barcos que levam a duas outras atrações da cidade: a Estátua da Liberdade e Ellis Island, o primeiro pedaço de território americano pisado por imigrantes que, no passado, chegavam aos milhares a Nova York. Do mesmo local, saem os ferry boats para Staten Island. Saiba mais sobre a Estátua da Liberdade.

A recuperação do área portuária de South street Seaport

Feios e decadentes, os antigos armazéns do South Street Seaport estavam para ser demolidos na década de 1960 quando a mobilização de um grupo de cidadãos conseguiu que o lugar fosse preservado, restaurado e convertido em área de lazer. e porto para barcos antigos. Saiba mais 

St. Paul’s Chapel

 A igreja episcopal, raro exemplo de arquitetura georgiana em Nova York, concluída em 1766, é a mais antiga construção pública de Manhattan. Seu prédio escapou duas vezes da destruição. Em 21 de setembro de 1776, quando um incêndio arrasou centenas de imóveis, a capela situada no meio da área atingida foi salva pela população, que passou a noite jogando água no edifício para salvá-lo das chamas. Em 2001, por pouco essa bela igreja não foi atingida pelos escombros do Word Trade Center, que ficava pertíssimo dali. São Paulo é santo forte! A igreja serviu como base física e espiritual para o pessoal que trabalhou pesado na remoção dos destroços das torres gêmeas.

Trinity Church

  Essa igreja em estilo neo-gótico, bem graciosa, mas que parece sufocada pelos edifícios à sua volta, foi à época de sua construção, em 1846, o edifício mais alto de Nova York. Costuma haver concertos e apresentações musicais na Trinity Church; consulte a programação.

New York City Police Museum

Exibe milhares de peças utilizadas pela polícia nova-iorquina, que vão de cacetetes e armas a antigas viaturas e motocicletas, como as Indians e a Highway Harley Davidson, que fazem motoqueiros babarem! O acervo fotográfico tem imagens de veículos de 1920 e das décadas seguintes, do tipo que aparece em filmes como Bonnie and Clyde. Podem ser vistos uniformes usados por policiais da cidade desde o começo do século XX, inclusive da era do cinema mudo. Outra curiosidade é a seção sobre a atuação dos primeiros policiais negros, admitidos na instituição no final do século XIX, quando o racismo ainda era feroz mesmo no Norte dos Estados Unidos. New York City Police Museum

National Museum of the American Indian

Um dos principais acervos sobre as cultura pré-colombianas no continente americano. Saiba mais

Fraunces Tavern Museum

Durante as guerras da independência, a elegante construção em estilo georgiano, erguida em 1719, foi uma taverna dirigida pelo negro antilhano Samuel Fraunces e ponto de encontro dos revolucionários americanos Sons of Liberty. Em dezembro de 1783, a taverna foi o local escolhido por George Washington para se despedir de seus oficiais. O edifício, restaurado em 1917 pelos Sons of Revolution (descendentes dos Sons of Liberty…), é sede de um museu sobre a independência dos Estados Unidos. Seu acervo englob armas, bandeiras e telas famosas. Fraunces Tavern Museum

Ground Zero

A enorme cratera do Ground Zero, hoje cercada por uma grade de proteção, corresponde ao sítio onde ficavam as torres gêmeas do World Trade Center, destruídas pelo atentado terrorista de 11 de setembro de 2001. A LMDC (Lower Manhattan Development Corporation), criada para gerenciar a recuperação do local, expõe no Winter Garden Atrium do World Financial Center os planos para a recuperação da área. O elegante Atrium, atingido pelos destroços das torres gêmeas, teve que ser reconstruído e foi reaberto em 2002. Com 110 andares e 410m de altura, as Twin Towers tinham sido erguidas no início da década de 1970. Eram os edifícios mais altos de Nova York. Sua destruição mudou a cara da cidade.

Tribute World Trade Center

Um centro que honra a memória dos que perderam suas vidas no World Trade Center foi inaugurado em 2006 pelas famílias das vítimas do atentado. Tours guiados e exposições com fotos tiradas por ocasião dos atentados retratam a seqüência dos acontecimentos. 120 Liberty St., perto da Church St. M Cortland St. Tribute World Trade Center

Woolworth Building

Esse edifício neo-gótico construído em 1913 foi um dos primeiros arranha-céus de Nova York e o mais alto do mundo até 1930, quando o Chrysler Building o superou. Com 241m de altura e 57 andares, ainda hoje está incluído entre os 50 maiores edifícios norte-americanos, o que não é pouco, já que os Estados Unidos são o país da verticalização. Concebido pelo arquiteto Cass Gilbert, o prédio serviu de sede à Woolworth Company, pertencente a Franklin Winfield Woolworth, um comerciante que começou com um pequeno negócio em 1879, fundou a primeira rede de lojas de produtos baratos e tornou-se multimilionário. Dê uma olhada no hall, decorado com bem-humoradas caricaturas: a de Frank Woolworth como um Tio Patinhas, contando as moedas que amealhou com seu comércio, e a de Cass Gilbert como um King Kong, agarrado a uma maquete do arranha-céu.

Civic Center

O Centro Cívico nova-iorquino compreende a Corte de Justiça e o City Hall, sede da prefeitura de Nova York, inaugurado em 1812. Ali, milhares de americanos foram prestar sua última homenagem ao presidente Abraham Lincoln, assassinado por um sulista após a vitória das forças da União contra os Confederados em abril de 1865. Uma curiosidade: na época da construção do City Hall, a Nova York “civilizada” acabava ali. Ao norte, só havia aldeias miseráveis e favelas. A parte de trás do edifício foi deixada semi-acabada, pois ninguém imaginava que a cidade se expandisse.

Federal Hall National Memorial

Nesse local, funcionou o primeiro Congresso Nacional dos EUA, onde George Washington tomou posse como primeiro presidente, em 1789. O memorial de mármore branco, construído em 1842, em estilo Greek Revival, é sinalizado por uma estátua de Washington. Saiba mais

African Burial Ground

O African Burial Ground é o cemitério que abrigou os restos mortais de mais de 15 mil escravos africanos, desativado em 1790 e redescoberto por acaso em 1991. Saiba mais sobre o  African Burial Ground

Castle Clinton National Monument e Battery Park

Na ponta do Battery Park,á uma construção redonda, sem estilo (e sem muita graça) erguida em 1811, denominada Castle Clinton em homenagem a DeWitt Clinton, ex-governador de Nova York. Esse foi um dos doze fortes erguidos pelos americanos que protegeram a cidade na guerra de 1812 contra os ingleses com uma bateria de canhões (origem do nome Battery Park). Em 1823, sem utilidade, o forte foi doado à cidade de Nova York, teve o nome mudado para Castle Garden e acabou transformado em um teatro.

Ellis Island e Immigration Museum

Entre 1892 e 1954, foi posto de triagem de imigrantes: a primeira terra do Novo Mundo pisada por milhões de europeus. Saiba mais sobre Ellis Island e o Immigration Museum.

Museum of Jewish Heritage

Nesse museu há audiovisuais, textos, fotos, documentos e objetos sobre a história e a cultura judaicas. A exibição permanente é dividida em três áreas, que abordam a vida cotidiana dos judeus há 100 anos; o antisemitismo, com ênfase, é claro, no Holocausto; e a situação atual dos israelistas no mundo. As fotos sobre os campos de extermínio chocam, mas a memória dessa barbaridade não pode ser esquecida. Museum of Jewish Heritage

Brooklyn Bridge

É uma das mais famosas pontes do mundo e liga Manhattan ao Brooklyn. Saiba mais sobre a Brooklyn Bridge

Informações práticas

Como ir a Nova York

Veja passagens aéreas e pacotes

Onde se hospedar em Nova York: reserva pelo Booking.com

O Booking.com é um meio fácil e seguro de reservar seu hotel ou apartamento em cidades no mundo todo. Você não paga nada a mais por isso. Você pode pesquisar ofertas entre uma enorme variedade de estabelecimentos.

Escolha e reserve seu hotel:  seleção por categoria e bairro