História: New York nos anos 1960

Kennedy

New York nos anos 1960

No mundo todo, e, é claro também em New York, a década de 1960 era um prenúncio de uma nova era nos comportamentos nas vestimentas e mesmo na música.

Uma era de mudanças

A primeira visita dos Beatles a New York, em 1964, sinalizou o começo de uma era de mudanças. Os rapazes do grupo musical inglês, que usavam um corte de cabelo considerado bastante comportado hoje em dia e vestiam terno e gravata, eram tidos como extravagantes e rebeldes. Sua apresentação no programa de TV Ed Sullivan Show, em Nova York, fez 74 milhões de pessoas – metade da população do país – grudar os olhos na telinha. Nunca os americanos haviam visto ou ouvido algo semelhante.

Todo mundo às ruas

Jovens, negros, pacifistas, homossexuais, mulheres, enfim, todo mundo escolheu a década de 1960 para por a boca no mundo e Nova York foi cenário de vários dos fatos que marcaram a década.

O assassinato de Malcolm X

Polêmico ativista dos direitos dos negros, convertido ao Islã, socialista e considerado um psicopata paranóide pelo FBI, Malcolm X foi assassinado em Nova York em 1965 enquanto proferia um discurso.

Os protestos contra a Guerra do Vietnã

Em 15 de abril de 1967, uma passeata de protesto contra a guerra do Vietnã levou 400.000 pessoas do Central Park à sede da ONU.

O musical Hair

Nesse mesmo ano, o musical Hair estreiou no Public Theater. A montagem original, com cenas de nudez e de consumo de drogas, pregava amor livre e cabelos compridos, para horror dos conservadores.

Os protestos estudantis

Aos 23 de abril de 1968, os estudantes universitários de Nova York seguiram o exemplo dos colegas da Universidade de Brasília e anteciparam-se ao famoso movimento de maio de seus colegas da Sorbonne, entrando em greve e promovendo protestos no campus. De um lado, havia sido descoberta a existência de colaboração da direção da universidade com o Departamento de Defesa, o que significava apoio à abominada Guerra do Vietnã. De outro, o projeto de criação de uma entrada separada no novo ginásio da instituição para quem vinha do Harlem foi interpretado como segregacionista.

O assassinato de Marthin Luther King

Para completar, Martin Luther King Jr. fora assassinado no dia 4 daquele mês e o sentimento de revolta contra o racismo estava exacerbado. No dia 27 de abril, Coretta Scott King, viúva de Martin Luther, discursou para uma multidão no Central Park, reforçando as idéias pacifistas de seu marido. Com esse clima no ar, estudantes brancos e negros ocuparam em massa os prédios da universidade, que foram por fim violentamente evacuados pela polícia no dia 30. O resultado: quase 1.000 estudantes presos e dezenas de feridos.

A resistência gay no Stonewall

Em 1969, quando a polícia invadiu truculentamente o bar gay Stonewall, em Greenwich Village, o público presente decidiu reagir. O conflito, que durou cinco dias, atraiu centenas de simpatizantes que reforçaram a resistência, dentre eles gays, lésbicas, travestis, estudantes universitários heterossexuais e ativistas de direitos humanos. Conhecido como o “levante de Stonewall”, o evento marcou o início do movimento de defesa dos direitos dos homossexuais, até então desordenado e incipiente.

A beira da guerra nuclear

Também não é possível esquecer a mal fadada tentativa de invasão de Cuba, por mercenários cubanos pagos pela CIA, que só serviu para fortalezar a imagem de Fidel Castro. Pior, em plena Guerra Fria, levou o mundo à beira da guerra nuclear. Ela só não ocorreu porque os navios soviéticos armados com mísseis, tiveram o bom senso de tomar o caminho de volta. Claro que os americanos não queriam saber de misseis nucleares apontados para New York, esquecendo-se, por outro lado que cercaram a União Soviética de armas atômicas em bases na Turquia e outros países aliados.

Dica de filme

A vida de Malcolm X foi tema de um filme de Spike Lee em 1992, com Denzel Washington no papel principal.

Matérias especiais

Os co-op-builidings  • Eventos em New York • Música em New York
Verão em New York  A história do metrô de New York
História da Estátua da Liberdade 

Continue acompanhando a história de New York

Os primeiros tempos  A colonização inglesa em New York
A independência  New York no Século XIX  O fim da escravidão
New York se torna uma metrópole  New York dos anos 1920 e 1930
A queda da Bolsa de New York  A Segunda Guerra  New York nos anos 1960
New York no fundo do poço  New York dos anos 1990 ao Terceiro Milênio

Informações práticas

Como ir a Nova York

Veja passagens aéreas e pacotes

Hotéis em Nova York: reserva pelo Booking.com

O Booking.com é um meio fácil e seguro de reservar seu hotel ou apartamento em cidades no mundo todo. Você não paga nada a mais por isso. Você pode pesquisar ofertas entre uma enorme variedade de estabelecimentos.

Escolha e reserve seu hotel:  seleção por categoria e bairro