De quanto tempo você dispõe para sua viagem à Itália?

De quanto tempo você dispõe para sua viagem à Itália? Organize um roteiro compatível com seu cronograma.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Amalfi à noite, Itália
Amalfi à noite, Itália

De quanto tempo você dispõe?

A Itália não é um país de grandes extensões territoriais (em termos brasileiros, pelo menos…). Por outro lado é uma península alongada que, no sentido norte-sul tem um comprimento de 1300 k. Sua largura, entretanto, é apenas 600 km. Por isso mesmo, é preciso, principalmente se o seu tempo é limitado, estabelecer um roteiro sensato por região. Querer visitar ao mesmo tempo em uma mesma viagem o Trentino Alto-Adige no extremo norte, e a Sicília, a região mais meridional da Itália, não é impossível. Para isso existe o avião. Mas não é o roteiro ideal, mesmo porque encarece sua viagem.

A melhor coisa a fazer se você possui apenas 2  semanas, por exemplo é escolher ou o sul, ou o centro, ou o norte do país e, se possível, regiões vizinhas que frequentemente são totalmente diferentes entre si), como a Toscana e a Riviera Italiana, por exemplo, lado a lado, mas muito diferentes.

Mapa da Itália

Entenda as macrorregiões italianas

A grande maioria dos brasileiros não têm a menor noção das macro-regiões italianas (Norte, Centro, Sul), não sabem onde ficam as regiões e cada cidade na Itália, mesmo quando são destinos turísticos badalados. Por isso mesmo, insistimos: quer conhecer um lugar? Descubra primeiro onde fica!

Umas dicas en passant:-
Milão, Gênova e a Riviera , Veneza, Bolonha, Verona, os grandes lagos italianos ficam no norte do país.
Roma, Florença, Assis, Siena, Lucca, Pisa ficam no centro
Nápoles, a Costa Amalfitana, Capri, a Sicília ficam no sul.

Veja o que cada macro-região lhe reserva:

Sul da ItáliaCentro da ItáliaNorte da Itália

Organize-se

O fato é que, na Itália, o tempo sempre é curto para visitar tudo aquilo que se tem vontade. A razão é fácil de adivinhar: a Itália do ponto de vista de atrações – de todo tipo – é inesgotável! Tenha como parâmetro os seguintes períodos de permanência para que sua viagem não se torne uma correria:

Principais regiões turísticas – É o caso da Toscana, Campânia, Lombardia, Sicília, Vêneto): de uma semana a dez dias para cada uma.

Regiões menores – São normalmente regiões com menos atrações: cinco dias a uma semana talvez bastem para cada uma.

Grandes cidades – São cidades como  Roma, Veneza, Florença, Nápoles): no mínimo de três a cinco dias para cada uma.

Cidades de porte médio: De um a dois dias para cada uma. É o caso, por exemplo de Assis, na Úmbria ou Siena, na Toscana.

Cidades pequenas: Normalmente meio a um dia para cada uma. Estamos nos referindo a aldeias como Monteriggioni ou cidadezinhas como San Gimignano.

O conceito de cidade-base – Quem vai visitar a fundo uma região pode, em muitos casos, hospedar-se em uma cidade central e a cada dia ir a um lugar diferente nos arredores. Você não precisa necessariamente dormir em cada cidade que for conhecer, o que, aliás, pode se tornar cansativo. Alguns vilarejos são minúsculos e podem ser visitados em poucas horas. Ficar arrumando e desarrumando malas e fazendo check-in e check-out de hotel a cada um ou dois dias não é nada divertido. Dá perfeitamente, por exemplo, para se hospedar em Florença e passar um dia em Pisa ou em Siena; hospedar-se em Nápoles e passar um dia em Pompeia ou em Sorrento, e assim por diante.

Nos grandes centros – Em cidades grandes, estabeleça uma programação com itinerários lógicos, indo hoje ao bairro “X”, amanhã ao bairro “Y”… Veja onde fica cada lugar que você quer conhecer e os dias e horários em que está aberto ao público.
Não espere aproveitar o dia da sua chegada à Itália, porque você vai perder tempo para retirar a bagagem, passar pelo serviço de imigração, pela alfândega, ir do aeroporto até a cidade e fazer o check-in no hotel. Depois disso vai querer (ou até mesmo precisar) descansar um pouco. O mesmo acontece no dia da partida: arrumar as malas, fazer o check-out e chegar com a antecedência necessária no aeroporto é algo que vai tomar um bom tempo.

 Sugestões de roteiros clássicos

A Itália “básica” (Roma, Florença e Veneza)
De Milão a Veneza (passando pelos lagos e por cidades históricas, como Bergamo, Cremona, Mântua, Pádua, Verona etc.)
A Riviera Italiana (Riviera di Levante e Riviera di Ponente, na Ligúria)
Toscana e Umbria (Florença, Lucca, Pisa, Siena, Assis, Gubbio etc.)
Nápoles, arredores e Costa Amalfitana (Pompeia, Herculano, Sorrento, Positano, Amalfi, Ravello, Capri etc.)
Sicília (tour pela ilha: Palermo, Cefalù, Ilhas Eólicas, Taormina, Etna, Siracusa, Agrigento, Erice etc.)
Roma e arredores (Ostia Antica, Castelli Romani, Tivoli, Viterbo, Tuscania, Tarquínia, Cerveteri etc.)
De Milão a San Marino (passando por Parma, Modena, Bolonha, Ferrara, Comacchio, Ravenna e Rimini)

Informações práticas

Compare preços de passagens aéreas e pacotes para a Itália

Booking.com

Mais posts

Vinhos italianos

As regiões produtoras italianas, os vinhos, os tintos, os brancos, as castas de uvas utilizadas, dicas.

Hotéis na Itália

Como escolher seu hotel na Itália. Dicas sobre localização de hotéis e informações sobre preços. Hotéis nas principais cidades da Itália.

Dinheiro na Itália

Turismo na Itália. Como lidar com seu dinheiro, dicas, o que levar, euros ou dólar? O Uso do cartão de crédito, como transportar cash.

Hospedagem na Itália

Opções de hospedagem na Itália: hoteis, soggiorni, residenze, B&B, albergues, as categorias por estrelas.