Bagagem para a Itália
Casario medieval em San Gimignano, Toscana
Bagagem para a Itália. Na foto Casario medieval em San Gimignano, Toscana

Bagagem para a Itália

 Roupas

Muitos norte-americanos e europeus, quando estão de férias na Itália, vestem-se como escoteiros ou como se fossem participar de um safári no Quênia: usam bermudas, camiseta, meias e botinas – ou sandálias! Isso em qualquer lugar, independentemente do clima que esteja fazendo: seja em Roma, seja numa praia, seja no Etna – a mais de 3.000m de altura, onde é gelado mesmo no verão. Lá estão eles vestindo um blusão forrado mas tiritando de frio, com as pernas de fora…

Vista-se normalmente – Você não precisa se fantasiar só porque está de férias. Vista-se normalmente, como o faria em qualquer grande cidade brasileira.

Verão – Se for verão, separe as mesmas roupas leves que usa por aqui; se for à praia, não esqueça de levar bermudas (aí sim!), sandálias e um boné para se proteger do sol.
Na meia estação – Leve camisetas de manga comprida, pulôveres e um blusão ou casaco (os de nylon são mais leves e práticos; os de couro, mais elegantes), calças de lã ou veludo e sempre um jeans.
Frio – Quem vai encarar um frio bravo durante o inverno (principalmente no norte da Itália) deve levar, além das roupas indicadas para a meia estação, minhocões (nada sexies, é verdade, mas indispensáveis se não quiser ficar com as pernas geladas), botas forradas, luvas, cachecol e um gorro de lã. Se não encontrar esses artigos à venda aqui no Brasil, pode comprá-los facilmente em qualquer loja por lá. Mas tenha consigo algum “quebra-galho” para não congelar ao desembarcar.

Na Itália, faça como os italianos – Roupas formais, como terno e gravata, ou tailleurs e vestidos finos, são necessárias apenas para quem vai frequentar lugares muito elegantes: hotéis de luxo, restaurantes finos, teatros, óperas, concertos etc. Para a grande maioria dos viajantes, uma boa camisa ou camiseta e calça esporte são ótimas opções e podem ser usadas na maioria dos lugares. As mulheres podem optar por saia e blusa. Dê sempre preferência a roupas que não precisam ser passadas ou que não amassem muito e àquelas que combinam entre si e com o sapato que você está usando (isso vale especialmente para as mulheres).

Shorts, bermudas e blusas sem mangas são boas opções para passeios ao ar livre durante os meses de verão e nas regiões litorâneas, mas não combinam com o clima nem com o ambiente de outros lugares onde, usando-os, você se sentirá deslocado e mal vestido.

Lembre-se de que para visitar igrejas você não poderá usar roupas que deixem pernas ou ombros à mostra.

Peças íntimas podem facilmente ser lavadas no banheiro do hotel. As demais, você manda lavar. Portanto, independentemente de quanto tempo vai durar sua viagem, imagine a quantidade de peças de roupa que você precisaria durante uma semana no Brasil: é quanto basta.

Sapatos

Calçados pesam na mala. Não leve mais pares do que você precisa: um único par de calçados finos é suficiente. O outro par, “para bater”, será escolhido em função do clima da época: bota ou mocassim esporte. Para lugares litorâneos, leve um par de sandálias também. Em uma viagem, você acaba andando pelas ruas muito mais do que está acostumado a fazer aqui no Brasil. Por isso mesmo, a primeira coisa que um sapato deve ser é confortável, resistente e impermeável (com sola de borracha). As mulheres devem evitar os saltos altos.

Acessórios

Um pequeno guarda-chuva dobrável e uma capa de chuva leve, com capuz, são recomendáveis em qualquer época do ano. Leve também: outro documento, além do passaporte, que tenha sua fotografia (RG, carteira internacional de motorista etc); calculadora; tesourinha, pinça e um canivete estilo suíço; agulha e linhas de cores básicas; secador de cabelos pequeno que seja bivolt ou de 220V (exceto se for se hospedar em hotéis de melhor categoria, que em geral têm secador no quarto); despertador; cadeados extras para a mala; uma toalhinha de mão; óculos escuros; canetas esferográficas e um caderninho para anotações; óculos ou lentes de contato de reserva e uma receita para mandar fazê-los em caso de perda ou quebra (ficar sem óculos numa viagem pode ser um pesadelo!); produtos para limpar lentes de contato; sacos plásticos e durex.

Produtos de higiene e saúde

É prudente levar um pequeno kit de medicamentos básicos: analgésico, antitérmico, sal de frutas, esparadrapo, band-aid, desinfetante, algodão, termômetro e todos os remédios que você toma habitualmente, acompanhados das bulas. Caso você utilize algum medicamento de venda controlada (de tarja preta), leve também cópia da receita. Na Itália, a maioria dos medicamentos só pode ser comprada com receita médica local. (Atenção, mulheres: se for o caso, não esqueçam de levar seu antiespasmódico e seu anticoncepcional. Absorventes podem ser comprados em qualquer lugar, mas é bom já levar consigo um pacotinho.) Não exagere: leve em uma nécessaire impermeável apenas um exemplar de cada produto de toilette, de higiene pessoal e cosmético que você usa. Se faltar, será fácil comprar mais.

Malas

Acomode tudo em apenas duas malas. Uma pequena será levada como bagagem de mão e estará a seu alcance dentro do avião. Nela você deve colocar tudo o que for valioso, importante, fácil de quebrar, frágil ou de primeira necessidade, inclusive uma muda de roupa para a eventualidade de extravio da outra mala, na qual estão suas roupas. Essa mala, maior, de preferência com alça retrátil e rodinhas, vai para o compartimento de carga. É melhor não inventar uma terceira mala: você tem só duas mãos. Como é muito provável que você acabe fazendo compras durante a viagem, reserve espaço para elas. Não estufe sua mala a ponto de ter que sentar em cima dela para fechá-la. Mulher, pense nas dores lombares do cavalheiro que talvez irá carregá-la!

A bagagem de compartimento deve ser trancada com cadeado – O cadeado deve preferivelmente ser de segredo e não de chave, para que você não fique se preocupando em não perder a chave – mas não esqueça o segredo! A rigor, você não precisa carregar a mala maior durante toda a viagem. Por exemplo, se você está hospedado em Nápoles e vai passar uma noite em Sorrento e voltar, leve apenas uma muda de roupa e produtos de higiene pessoal na bagagem de mão; deixe todo o resto no guarda-volumes da estação de trem ou no próprio hotel para o qual voltará.

Confirme com a companhia aérea o limite de peças e de peso da bagagem de compartimento na classe pretendida. Paga-se caro pelo excesso.
Coloque uma etiqueta com seu nome e endereço no Brasil (e, se tiver algum, também o endereço na Itália), bem fixada do lado de fora da bagagem e outra do lado de dentro. Toda mala extraviada é arrombada pelo serviço de segurança dos aeroportos e a etiqueta externa pode se perder. Nesse caso, uma etiqueta deixada no interior da mala garantirá sua identificação.

Importante – Os sistemas de segurança estão cada vez mais rigorosos nos aeroportos. Todos os objetos metálicos, cortantes ou perfurantes (até seu bom e velho canivete suíço e sua tesourinha de cortar unhas), assim como sprays, cremes, géis e líquidos de qualquer tipo, devem ser colocados na bagagem de compartimento, e não na bagagem de mão.