Bairros de New York

Midtown West

Midtown, New York, foto Barão
Midtown, New York, foto Barão

Midtown West: o trecho mais movimentado da Broadway

A parte ocidental de Midtown é dominada pelo Theater District, onde ficam o trecho mais movimentado da Broadway e dezenas de casas de espetáculos, cinemas e teatros. Foi na década de 1920, durante os chamados “Anos Loucos”, que os primeiros movie palaces (cinemas) aglutinaram-se em torno da Times Square. A partir daí, novos teatros, music halls e casas de shows se estabeleceram na região, que abriga também o Carnegie Hall, uma das maiores casas de concertos do mundo.

Mapa de Midtown West

A “região dos teatros”

Embora ainda hoje a Broadway mantenha sua fama de “região dos teatros” e existam algumas dezenas deles no quadrilátero entre a 40th Street, a 57th Street, a 8th Avenue e a Broadway, a época de ouro da avenida durou até 1960. A partir de então, a zona conheceu uma certa decadência. A 42th Street, principalmente, tornou-se insegura e cheia de sex-shops, casas de striptease, peep-shows, teatros de revistas erotizados e cinemas pornô.

Com a constante mudança de perfil dos bairros nova-iorquinos, muitos teatros se estabeleceram em outras regiões da cidade. Os shows eróticos hard-core foram deslocados para lugares mais afastados durante a gestão do ex-prefeito Rodolph Giuliani, que nunca engoliu aquela “pouca vergonha” no centro de Manhattan.

Um bairro que atrai turistas do mundo todo

Apesar da moralização no perfil do bairro, o agito por ali continua intenso e atrai turistas de outras regiões dos Estados Unidos e do restante do mundo; ninguém vai a Nova York sem dar pelo menos uma passada pela Times Square, coração do Theater District. A Broadway nesse trecho é uma das avenidas mais coloridas e luminosas do mundo. É uma profusão de neons piscando, aumentando, diminuindo, cada outdoor tentando ofuscar o vizinho. Por ser central e movimentado, Times Square é uma região extremamente turística no “mau sentido”, cheia de lojinhas de suvenires e bugigangas de gosto e qualidade duvidosos, com honrosas exceções da Virgin Megastore, da Sephora, da Toys ‘R’ Us e da QuickSilver/Roxy.

Rockefeller Center

Nas proximidades da 5th Avenue está a parte mais atraente do bairro. Na altura da 50th Street, você irá deparar com o Rockefeller Center; mais ao norte, fica o MoMA.

Hell’s Kitchen

A zona entre o Theater District e o Rio Hudson é conhecida como Hell’s Kitchen – “cozinha do inferno”. Ocupada por favelas no início do século XX e freqüentada por gangues até 1970, agora a região está na moda: é segura e cheia de restaurantes étnicos cujas cozinhas nada têm de “infernal”.

Bryant Park

Nesse parque acontece de tudo: exposições, concertos ao ar livre, desfiles de moda e até campeonatos de saltos de cachorros. Ali ocorre anualmente a NY Fashion Week. Semi-abandonado durante muito tempo, o Bryant passou por uma reforma no final da década de 1980. Desde então, bonito, seguro e cheio de vida, é freqüentado pelo pessoal que trabalha ou mora nas redondezas e por turistas e estudantes que visitam a Public Library, bem ao lado. Muita gente vai ler, jogar xadrez, gamão ou patinar. Desde 2005, funciona no parque durante o inverno um rinque de patinação no gelo (The Pond).

O Bryant Park é perfeito para você dar uma relaxada depois de horas seguidas dentro de um museu. Uma curiosidade que pode ser útil em emergências: o banheiro público do Bryant Park é um dos melhores da cidade. O site do parque informa a programação de eventos. www.bryantpark.org.

New York Public Library

O imponente edifício declarado Monumento Nacional é um dos marcos arquitetônicos da cidade. Inaugurado em 1911, é sede da biblioteca municipal, que conta hoje com filiais e tem um acervo de milhões de livros, perdendo apenas para o da Biblioteca do Congresso Americano, a maior do mundo. Vale a pena conhecer o lindo Astor Hall e o salão de leitura super bem iluminado e decorado, com 90m de comprimento e mais de 15m de pé-direito. The Day After Tomorrow (2004), com Dennis Quaid, e Spider Man (2002) tiveram cenas filmadas ali.
Site da New York Public Library

Times Square

É um dos mais famosos ícones urbanos do mundo, como o Piccadilly Circus londrino. Situada no entroncamento da Broadway com a 7th Avenue, Times Square é mais propriamente um largo do que uma praça. Recebeu o nome Times porque o jornal New York Times se estabeleceu ali no começo do século XX. Há muito a sede do jornal não está mais lá, mas Times Square continua sendo um dos lugares mais movimentados da cidade. É também onde os nova-iorquinos se reúnem para comemorações, em especial a passagem do Ano Novo. Mesmo com um frio intenso, lá estão eles aos milhares a cada Réveillon, aguardando a contagem regressiva para dar início à sua festa de rua, tão tradicional quanto a de Copacabana, no Rio de Janeiro.

A festa de Ano Novo na Times Square

As comemorações têm origem na inauguração do New York Times, em 1904, quando uma multidão ali se reuniu para ver os fogos de artifício. O sucesso foi tamanho que desbancou o Réveillon de rua até então realizado em Lower Manhattan. Numerosos filmes têm cenas gravadas ali, como Midnight Cowboy (1969), de John Schlesinger, com Dustin Hoffman, e Taxi Driver (1976), de Martin Scorsese, com Robert De Niro. Note que a Times Square “barra pesada” mostrada nesses filmes não tem nada a ver com a atual, muito mais segura.

Madame Tussauds New York

Funciona em Nova York uma filial do conhecido museu de cera londrino. O acervo de centenas de bonecos compreende personagens como Napoleão, Gandhi, Nelson Mandela, John Kennedy, Julia Roberts, Woody Allen, Brad Pitt e Bill e Hillary Clinton (Monica Lewinsky não faz parte da coleção…). Algumas reproduções são boas, outras não impressionam. O preço do ingresso é absurdo: mais do dobro daquele cobrado pelos principais museus de arte da cidade.

USS Intrepid

(Intrepid Sea-Air-Space Museum) Lançado ao mar em 1943, este porta-aviões de 275m de comprimento e 93m de largura, hoje atracado em Manhattan, foi transformado em museu. O Intrepid tem uma longa folha de serviços.
Leia mais sobre o Intrepid.

Rockefeller Center

O badalado conjunto comercial é formado por uma vintena de edifícios construídos pela família Rockefeller. Concentra butiques de grifes, lojas variadas, restaurantes e, no inverno, uma pista de patinação no gelo. Você não deve deixar de fazer uma refeição ou ao menos tomar um drink no Rock Center Café, principalmente se estiver em Nova York durante o verão. Ali você verá a famosa estátua dourada de Prometeu, o personagem mitológico que roubou o fogo dos deuses para dá-lo aos homens. No Natal, a maior atração do Rockefeller Center é sua árvore decorada e iluminada, de 25m de altura, cujas luzes coloridas são acesas a cada ano pela primeira vez exatamente às 18h da primeira terça-feira de dezembro, atraindo uma multidão de curiosos. Particularmente interessante é o observatório Top of the Rock, com uma linda vista 360° de Manhattan. Site do Rockefeller Center

Radio City Music Hall

Inaugurado em 1932, faz parte do Rockefeller Center. Foi construído em estilo Art Deco e é a maior sala de concertos de Nova York, com acomodações para 6 mil pessoas. Seu palco tem um sistema tão avançado de elevadores que é capaz de mudar o cenário com extrema rapidez; foi copiado pela marinha americana para fazer subir e descer aeronaves em porta-aviões. No Radio City há concertos e shows concorridos. Desde a inauguração, na época do Natal, é apresentado o espetáculo Radio City Christmas Spectacular, com o grupo de dançarinas The Rockettes. É claro que as moçoilas vão sendo substituídas; as primeiras rockettes ainda vivas devem ser respeitáveis bisavozinhas. No Radio City Music Hall já se apresentaram os cantores brasileiros como Nelson Gonçalves e Roberto Carlos. Site do Radio City Music Hall

Museum of Modern Art (MoMA)

É o mais importante museu de arte moderna do mundo. Saiba mais sobre o MOMA.

Carnegie Hall

A renomada casa de espetáculos foi durante muito tempo sede da Orquestra Filarmônica da Nova York. Sua sala de concertos, com excelente acústica e platéia que acomoda 2.800 pessoas, já recebeu grandes nomes da música mundial: Arturo Toscanini, Leonard Bernstein, Billie Holiday, Judy Garland, Gene Kelly, os Beatles, Bing Crosby e Frank Sinatra. Tom Jobim, João Gilberto e outros renomados músicos brasileiros também já se apresentaram lá. O edifício neo-renascentista de tijolos alaranjados, obra do arquiteto William Burnet Tuthill, foi um presentão do milionário Andrew Carnegie, o “rei do aço”, à cidade de Nova York.

O Carnegie Hall foi inaugurado em 1891 com um concerto regido por ninguém menos que Tchaikovsky. O belo e histórico imóvel correu o risco de ser demolido ou submetido a uma reforma que o descaracterizaria. Salvou-o uma campanha conduzida pelo músico Isaac Stern, que conseguiu o tombamento do prédio, declarado monumento histórico. Por isso mesmo, seu saguão principal se chama hoje Auditorium Isaac Stern. O edifício passou por uma trabalhosa restauração iniciada em 1983 e concluída em 1995. Sob protestos, o arranha-céu comercial e residencial Carnegie Hall Tower foi inaugurado a seu lado em 1989. Site do Carnegie Hall

Dica

Fique de olhos abertos: a áreada Broadway é um dos pontos favoritos dos batedores de carteiras. No “bom sentido”, ali você encontra agências de viagens, escritório oficial de informações turísticas, hotéis, restaurantes e até um guichê da TKTS que vende oficialmente ingressos excedentes para espetáculos.

Informações práticas

Como ir a Nova York

Veja passagens aéreas e pacotes

Onde se hospedar em Nova York: reserva pelo Booking.com

O Booking.com é um meio fácil e seguro de reservar seu hotel ou apartamento em cidades no mundo todo. Você não paga nada a mais por isso. Você pode pesquisar ofertas entre uma enorme variedade de estabelecimentos.

Escolha e reserve seu hotel:  seleção por categoria e bairro