Booking.com

Praia do Forte

Turismo na Bahia, a Praia do Forte e a Costa do Sauípe: as praias, a vida noturna, as atrações, passeios, a Reserva da Sapiranga, o Projeto Tamar.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Caminho para a Praia do Forte
Caminho para a Praia do Forte

Praia do Forte, na Costa do Sauípe

A Praia do Forte faz parte da costa dos coqueiros Costa dos Coqueiros, que vai do norte de Salvador até a divisa com o Estado de Sergipe. Com boa infra-estrutura turística e 200 km de litoral repleto de dunas, coqueirais, reservas ecológicas e sítios históricos, é uma boa pedida para curtir a natureza sem abrir mão do conforto.

Mapa da Praia do Forte

Como ir

Saindo de Salvador pela BA-099, direção norte, a “Estrada do Coco”, você chega a Arembepe, um vilarejo que conserva vestígios da geração “paz e amor”. Os novos points são Guarajuba e Itacimirim. A famosa Praia do Forte abriga as instalações do Projeto Tamar e as ruínas do Castelo Garcia D’Ávila.

Depois da entrada da Praia do Forte, a Estrada do Coco passa a se chamar Linha Verde. Nela se encontra o luxuoso Complexo Hoteleiro do Sauípe, montado em área de preservação ambiental e com estrutura cinco estrelas, que atrai visitantes do mundo inteiro.

A seguir, no município de Entre Rios, estão as praias de de Massarandupió, freqüentada por naturistas, e de Subaúma.

A partir daí, os vilarejos se sucedem com lugares paradisíacos, como a praia de Sítio do Conde, bem estruturada, badalada e cheia de atrações.

Mangue Seco, no extremo norte do litoral baiano, ainda é selvagem e misteriosa, com dunas móveis, coqueiros semi-enterrados na areia, rios, manguezais e histórias de Tieta.

Há de tudo na Costa dos Coqueiros – mordomia, simplicidade, aventura, esporte, agito, sossego. Basta escolher.

Onde se hospedar

Escolha e reserve seu hotel em Praia do Forte

Vídeo sobre a Praia do Forte

Praia do Forte

A vila da Praia do Forte está muito bem estruturada para receber visitantes: tem bares, restaurantes, sorveterias, butiques, lojas de artesanato, agências de turismo, hotéis e pousadas.

Devido à rara beleza de sua paisagem, a praia é conhecida como “Polinésia Brasileira”. Em sua enseada ancoram barcos de pescadores; a faixa de areia, enfeitada por coqueiros, é ideal para caminhadas. Os recifes ao longo da costa formam piscinas naturais de 1m a 5m de profundidade, excelentes para banhos e mergulhos com snorkel. Com águas transparentes, as piscinas levam nomes como Aquário, do Lord, Lagoa Azul e Papagente. De julho a novembro, com um pouco de sorte, você poderá avistar baleias jubarte.

Bem no meio da pracinha da vila está a Igreja de São Francisco, construída por pescadores no ano de 1900. À noite, a Alameda do Sol é o local do agito. Os restaurantes e barzinhos ficam lotados, todo mundo sai para o footing ou para dar uma espiada nas barraquinhas de artesanato.

Próximas à Praia do Forte estão as ruínas do Castelo Garcia D’Ávila, visita imperdível para quem vai passar a temporada, ou o dia, na vila. Outros passeios, como para a Reserva de Sapiranga, Imbassaí, Diogo e Santo Antonio podem ser contratados nas agências de turismo locais. Quem tiver tempo e não for pudico poderá conhecer Massarandupió, famosa praia de naturistas.

Projeto Tamar

Visitando a sede do projeto de proteção às tartarugas-marinhas, você poderá conhecer esses animais e o trabalho desenvolvido para a preservação das espécies que desovam nas imediações. Crianças e adultos adoram ver as grandes tartarugas nas piscinas. Os monitores explicam as particularidades das espécies e o trabalho de proteção aos animais. Para melhor entendimento, há painéis com os roteiros de migração das tartarugas nos mares, exibição de cascos de exemplares existentes no Brasil e vídeos educativos. O Projeto possui aquários, restaurante, bar, café e lojinha que vende roupas, bonés e calçados com a marca Tamar. Entre dezembro e março é possível participar, juntamente com biólogos do Projeto Tamar, da soltura das tartaruguinhas recém-nascidas. Os participantes recebem um certificado de adoção de uma tartaruga. Recomenda-se usar roupas escuras, para que o reflexo não atrapalhe a corrida dos bebês quelônios rumo às ondas. Praia do Forte, junto ao farol. Abre das 9h às 20h.

Reserva da Sapiranga

A Reserva da Sapiranga compreende uma área de 600 ha onde são preservadas muitas espécies de animais silvestres, orquídeas, bromélias e árvores como gameleira, mangueira, jaqueira, embaúba, sucupira e dendê  boa oportunidade para ver um dendezeiro). Não se assuste com os lagartos. A reserva, que possui um Centro de Apoio ao Visitante e um mini-zoológico onde são tratados animais feridos encontrados na mata ou resgatados de comerciantes ilegais, conta com guias para trekking. Há trilhas de até 8 km de extensão, algumas utilizadas para demonstração das atividades desenvolvidas na reserva. Outras, mais extensas, vão até as corredeiras do Rio Pojuca e oferecem a oportunidade de conhecer o trabalho de pescadores que ainda se utilizam de artefatos primitivos, feitos de cipó, para pegar peixes. As trilhas podem ser percorridas a pé, de bicicleta ou a cavalo. Leve lanche, água, repelente de insetos e um saquinho plástico, já que é probido abandonar lixo pelo caminho. A 5 km da vila da Praia do Forte. Pegue a BA-099 rumo ao sul, siga por 2 km, entre à direita e percorra 600m até a entrada da reserva.

Imbassaí

A paisagem é de uma beleza ímpar: são 6 km de praias de areia fina, com dunas e coqueiros, ladeadas por cursos d’água. Aliás, o nome tupi do vilarejo significa “caminho do rio”. O mar tem ondas fortes em alguns trechos; em outros, recifes formam piscinas boas para banhos. O lugar ideal para passar o dia é a foz do Imbassaí, onde o mar é calmo e há água doce. Com tempo e disposição, você poderá fazer trekking, sandboarding, canoagem, mergulho, surf, pesca ou ainda rafting nas corredeiras do Rio Pojuca, entre a Praia do Forte e Imbassaí. As pousadas locais são simples, mas aconchegantes.  A 13 km da vila da Praia do Forte.

Vila de Diogo

Tem ruas de terra, pousadas e restaurantes e alguma infra-estrutura. Dali, uma trilha de 1,5 km leva à Vila de Santo Antonio, atravessando o rio e as dunas. A praia de Santo Antonio é uma das mais bonitas da região; vale a pena a aventura. Linha Verde, 5,5 km depois de Imbassaí. Percorra mais 1,3 km em estrada de terra até o povoado. Também é possível chegar a pé a partir de Imbassaí –  5 km-  ou da Costa do Sauípe – 2,5 km.

Informações práticas

Como ir

Compare preços de passagens aéreas e faça sua reserva

Onde se hospedar

Escolha e reserve seu hotel em Salvador

Maquina fotografica

A Bahia em imagens

Dezenas de fotos sobre os lugares mais interessantes da Bahia. Acesse

Booking.com

Mais posts

Conde, Bahia

Conde, Bahia, 157 km de Salvador, possui uma natureza privilegiada, com lindas praias, dunas e rios, soube preservar suas construções coloniais

Lauro de Freitas, Bahia

Lauro de Freitas, Bahia: Lauro de Freitas, tem belas praias Villas do Atlântico, Ipitanga, Buraquinho, onde o Rio Joanes encontra o mar.

Costa dos Coqueiros, Bahia

Turismo na Costa dos Coqueiros, na Bahia, a estrada do côco, a linha verde, a Praia do Forte e outras atrações nas proximidades..

Mangue Seco, Bahia

Mangue Seco, na Bahia, suas dunas, coqueiros e praias deslumbrantes, os passeios de barco. Como ir, onde se hospedar, dicas.