Praia do Forte
Caminho para a Praia do Forte
Caminho para a Praia do Forte

Acessar o índice remissivo •  Acessar o sumário

Praia do Forte, na Costa do Sauípe

A Praia do Forte faz parte da costa dos coqueiros Costa dos Coqueiros, que vai do norte de Salvador até a divisa com o Estado de Sergipe. Com boa infra-estrutura turística e 200 km de litoral repleto de dunas, coqueirais, reservas ecológicas e sítios históricos, é uma boa pedida para curtir a natureza sem abrir mão do conforto.

Mapa da Praia do Forte

Como ir

Saindo de Salvador pela BA-099, direção norte, a “Estrada do Coco”, você chega a Arembepe, um vilarejo que conserva vestígios da geração “paz e amor”. Os novos points são Guarajuba e Itacimirim. A famosa Praia do Forte abriga as instalações do Projeto Tamar e as ruínas do Castelo Garcia D’Ávila.

Depois da entrada da Praia do Forte, a Estrada do Coco passa a se chamar Linha Verde. Nela se encontra o luxuoso Complexo Hoteleiro do Sauípe, montado em área de preservação ambiental e com estrutura cinco estrelas, que atrai visitantes do mundo inteiro.

A seguir, no município de Entre Rios, estão as praias de de Massarandupió, freqüentada por naturistas, e de Subaúma.

A partir daí, os vilarejos se sucedem com lugares paradisíacos, como a praia de Sítio do Conde, bem estruturada, badalada e cheia de atrações.

Mangue Seco, no extremo norte do litoral baiano, ainda é selvagem e misteriosa, com dunas móveis, coqueiros semi-enterrados na areia, rios, manguezais e histórias de Tieta.

Há de tudo na Costa dos Coqueiros – mordomia, simplicidade, aventura, esporte, agito, sossego. Basta escolher.

Onde se hospedar

Escolha e reserve seu hotel em Praia do Forte

Vídeo sobre a Praia do Forte

Praia do Forte

A vila da Praia do Forte está muito bem estruturada para receber visitantes: tem bares, restaurantes, sorveterias, butiques, lojas de artesanato, agências de turismo, hotéis e pousadas.

Devido à rara beleza de sua paisagem, a praia é conhecida como “Polinésia Brasileira”. Em sua enseada ancoram barcos de pescadores; a faixa de areia, enfeitada por coqueiros, é ideal para caminhadas. Os recifes ao longo da costa formam piscinas naturais de 1m a 5m de profundidade, excelentes para banhos e mergulhos com snorkel. Com águas transparentes, as piscinas levam nomes como Aquário, do Lord, Lagoa Azul e Papagente. De julho a novembro, com um pouco de sorte, você poderá avistar baleias jubarte.

Bem no meio da pracinha da vila está a Igreja de São Francisco, construída por pescadores no ano de 1900. À noite, a Alameda do Sol é o local do agito. Os restaurantes e barzinhos ficam lotados, todo mundo sai para o footing ou para dar uma espiada nas barraquinhas de artesanato.

Próximas à Praia do Forte estão as ruínas do Castelo Garcia D’Ávila, visita imperdível para quem vai passar a temporada, ou o dia, na vila. Outros passeios, como para a Reserva de Sapiranga, Imbassaí, Diogo e Santo Antonio podem ser contratados nas agências de turismo locais. Quem tiver tempo e não for pudico poderá conhecer Massarandupió, famosa praia de naturistas.

Projeto Tamar

Visitando a sede do projeto de proteção às tartarugas-marinhas, você poderá conhecer esses animais e o trabalho desenvolvido para a preservação das espécies que desovam nas imediações. Crianças e adultos adoram ver as grandes tartarugas nas piscinas. Os monitores explicam as particularidades das espécies e o trabalho de proteção aos animais. Para melhor entendimento, há painéis com os roteiros de migração das tartarugas nos mares, exibição de cascos de exemplares existentes no Brasil e vídeos educativos. O Projeto possui aquários, restaurante, bar, café e lojinha que vende roupas, bonés e calçados com a marca Tamar. Entre dezembro e março é possível participar, juntamente com biólogos do Projeto Tamar, da soltura das tartaruguinhas recém-nascidas. Os participantes recebem um certificado de adoção de uma tartaruga. Recomenda-se usar roupas escuras, para que o reflexo não atrapalhe a corrida dos bebês quelônios rumo às ondas. Praia do Forte, junto ao farol. Abre das 9h às 20h.

Reserva da Sapiranga

A Reserva da Sapiranga compreende uma área de 600 ha onde são preservadas muitas espécies de animais silvestres, orquídeas, bromélias e árvores como gameleira, mangueira, jaqueira, embaúba, sucupira e dendê  boa oportunidade para ver um dendezeiro). Não se assuste com os lagartos. A reserva, que possui um Centro de Apoio ao Visitante e um mini-zoológico onde são tratados animais feridos encontrados na mata ou resgatados de comerciantes ilegais, conta com guias para trekking. Há trilhas de até 8 km de extensão, algumas utilizadas para demonstração das atividades desenvolvidas na reserva. Outras, mais extensas, vão até as corredeiras do Rio Pojuca e oferecem a oportunidade de conhecer o trabalho de pescadores que ainda se utilizam de artefatos primitivos, feitos de cipó, para pegar peixes. As trilhas podem ser percorridas a pé, de bicicleta ou a cavalo. Leve lanche, água, repelente de insetos e um saquinho plástico, já que é probido abandonar lixo pelo caminho. A 5 km da vila da Praia do Forte. Pegue a BA-099 rumo ao sul, siga por 2 km, entre à direita e percorra 600m até a entrada da reserva.

Imbassaí

A paisagem é de uma beleza ímpar: são 6 km de praias de areia fina, com dunas e coqueiros, ladeadas por cursos d’água. Aliás, o nome tupi do vilarejo significa “caminho do rio”. O mar tem ondas fortes em alguns trechos; em outros, recifes formam piscinas boas para banhos. O lugar ideal para passar o dia é a foz do Imbassaí, onde o mar é calmo e há água doce. Com tempo e disposição, você poderá fazer trekking, sandboarding, canoagem, mergulho, surf, pesca ou ainda rafting nas corredeiras do Rio Pojuca, entre a Praia do Forte e Imbassaí. As pousadas locais são simples, mas aconchegantes.  A 13 km da vila da Praia do Forte.

Vila de Diogo

Tem ruas de terra, pousadas e restaurantes e alguma infra-estrutura. Dali, uma trilha de 1,5 km leva à Vila de Santo Antonio, atravessando o rio e as dunas. A praia de Santo Antonio é uma das mais bonitas da região; vale a pena a aventura. Linha Verde, 5,5 km depois de Imbassaí. Percorra mais 1,3 km em estrada de terra até o povoado. Também é possível chegar a pé a partir de Imbassaí –  5 km-  ou da Costa do Sauípe – 2,5 km.

Informações práticas

Como ir

Compare preços de passagens aéreas e faça sua reserva

Onde se hospedar

Escolha e reserve seu hotel em Salvador

Maquina fotografica

A Bahia em imagens

Dezenas de fotos sobre os lugares mais interessantes da Bahia. Acesse