Vaticano
Vaticano
Vaticano

 

Vaticano: perfil

O que muitos consideram uma atração turística da cidade de Roma é na verdade um Estado independente, com selos e moeda própria e que tem como chefe de governo o papa. O Vaticano tornou-se um Estado em 1929 quando, pelo Tratado de Latrão, firmado entre Mussolini e o papa, este abdicou de seu poder temporal sobre Roma, exercido pela Igreja há séculos. Talvez você possa ir a Roma e não ver o papa, mas não deve deixar de conhecer a Basilica di San Pietro e os museus do Vaticano.

A entrada do Vaticano se dá pela Piazza San Pietro, onde o papa fala ao povo. A enorme praça, rodeada por galerias e colunas, obra de Bernini, foi construída ocupando parte da área de um antigo circo romano, lugar onde os primeiros mártires cristãos teriam sido sacrificados. No centro está um obelisco trazido do Egito por Calígula.

F  •    Os museus do Vaticano só abrem até as 16h; chegue cedo e deixe para visitar a basílica depois do almoço.

•    Há uma distância de aproximadamente 2km da Piazza San Pietro até a entrada dos museus. No período da manhã, um ônibus faz a ligação entre ambos a cada 30 minutos.

•    Às quartas-feiras, antes das 13h ou 14h, pode ser difícil visitar a basílica, pois o papa recebe seus fiéis na porta dela… E a entrada é proibida enquanto ele não termina de abençoar cada um dos visitantes, que formam uma longa fila.

•    Quem quiser ver o papa deverá comparecer domingo, antes do meio-dia, sabendo que irá deparar com uma multidão de fiéis esperando que o pontífice apareça na sacada da basílica. Para falar com o papa e ser abençoado por ele, só às quartas-feiras pela manhã, fazendo o pedido por escrito e com antecedência na Secretaria do Vaticano.

Basilica di San Pietro

Na Piazza San Pietro fica a basílica de mesmo nome, construída originalmente por ordem de Constantino a partir do ano 324, sobre o local onde o apóstolo Pedro, bispo de Roma, teria sido crucificado por volta do ano 64. Arqueólogos descobriram no subsolo da igreja túmulos do início da era cristã. Será que um deles é de fato o de São Pedro? Cientistas e historiadores estão tentando desvendar essa questão. No começo do século XVI, a antiga igreja foi inteiramente reconstruída a partir dos planos de Donato Bramante, e a obra prosseguiu comandada por Sangallo, Michelangelo, responsável pela cúpula, e Carlo Maderna, que desenhou a nova fachada.

O interior impressiona pela grandiosidade, principalmente da cúpula de Michelangelo, uma obra-prima. Para apreciá-la, procure um canto com menos trânsito de turistas. Não importa seu fervor religioso: a obra é de deixar qualquer um fascinado. No chão do templo, inscrições em bronze comparam o tamanho da catedral – a maior de todas – com outras grandes igrejas do mundo. É o espírito de competição italiano… É em San Pietro que está a famosíssima estátua Pietà, de Michelangelo (protegida por vidros blindados depois da tentativa de depredação por um maluco). Na época em que a obra foi executada, ainda não era usual que os artistas assinassem suas obras. Diz-se que certa vez Michelangelo viu um grupo de lombardos na Basilica di San Pietro admirando sua Pietà, mas atribuindo a autoria a um escultor milanês. Ficou irado! À noite, voltou à Basílica e, com seu formão, inscreveu na estátua: ANGELUS BONAROTUS FLORENTINUS FACIEBAT (“Feito pelo floren­ti­no Ângelo Buonarotti”!).

A basílica guarda outras preciosidades, como o imenso Baldacchino, de Bernini, em estilo barroco, sobre o suposto túmulo de São Pedro, e a estátua de bronze de São Pedro, obra de Arnolfo de Cambio, cujo pé está desgastado pelos toques e beijos dos fiéis. Há ainda diversos monumentos funerários que são verdadeiras obras de arte, como os túmulos de Gregório XIII, de Urbano VIII e de Alexandre III, obra de Bernini, à esquerda, no fundo da nave. É possível subir até a cúpula. O elevador o levará até o terraço, mas o restante do trajeto até o alto deve ser feito por uma escadinha apertada. A vista lá de cima é espetacular.

Museus do Vaticano

Os museus do Vaticano são um espelho da riqueza acumulada pelos papas ao longo de séculos de poder temporal. Eles contêm obras das mais variadas, espalhadas por enormes galerias.

Atrações no Vaticano

o Museu Pio Clementino, com esculturas do período greco-romano (entre elas o Apollo del Belvedere e o Laocoonte); o Museu Egípcio; o Museu Gregoriano Profano; o Museu Pio Cristiano, com esculturas, sarcófagos antigos e pinturas medievais; o Museu Etrusco; e o Museo Chiaramonti, arqueológico, com mais de 800 peças do período greco-romano. Há ainda os apartamentos de Júlio II, com pinturas de Rafael, onde está sua obra-prima a Escola de Atenas, salas com mapas antigos e outras atrações. Claro, tudo dependerá de seu interesse por uma seção ou por outra, mas a Cappella Sistina é algo que você não deve perder. Construída a partir de 1477, ela tem esse nome em homenagem ao papa Sisto IV, e é decorada com pinturas dos maiores mestres italianos, como Perugino, Botticelli, Cosimo Rosselli, Domenico Ghirlandaio, Pinturicchio, Piero di Cosimo, Luca Signorelli e Michelangelo, que pintou no teto o imenso e famosíssimo Juízo Universal, obra na qual trabalhou de 1536 a 1541. Foram cinco anos gastos numa só pintura… Mas que pintura!   Museus do Vaticano. Oficial. Visita virtual.

Informações práticas

Hotéis em Roma

A algumas quadras da estação ficam hotéis econômicos. Mas há hotéis de todos os preços por toda a cidade. Evite hospedar-se em bairros afastados do centro histórico.

Escolha e reserve seu hotel

Como ir a Roma

Veja pacotes e passagens aéreas para Roma

Melhor época para sua visita a Roma e ao Vaticano

Veja a melhor época para ir a Roma