Jet-lag

Como lidar com os efeitos do jet lag nas viagens para países com diferença de fuso horário.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Jet lag é o mal-estar causado pela diferença de fuso horário entre o local de origem e o local de destino quando você viaja uma grande distância no sentido leste-oeste ou vice-versa, bagunçando seu relógio biológico, somado ao desconforto da estada prolongada dentro de um avião.

A partir de umas quatro horas de diferença entre o local de partida e o de destino,  seu corpo já começa a sentir bastante.

O fuso horário e o jet lag

Você pode sofrer de jet lag viajando para o oeste ou o leste. O que influi é a diferença de fuso horário. Quanto maior a distância horizontal (longitudinal) entre os lugares, maior a diferença horária.

É mais cedo nos locais situados a oeste e mais tarde nos locais a leste do ponto de partida. Tomando como referência o horário de Brasília, que vale para quase todo o território nacional, a partir do Brasil é, por exemplo, mais tarde em qualquer país da África ou da Europa e mais cedo no Chile e nos Estados Unidos. Basta olhar o mapa mundi para entender.

Dependendo da pessoa e da diferença horária, o jet lag pode ser pesado e a adaptação pode levar alguns dias, prejudicando suas férias. Nem sempre é possível, mas ao viajar para um lugar com mais de quatro horas de diferença de fuso horário, seja a mais ou a menos, o ideal seria ficar por lá ao menos uma semana.

Avião

Qual o problema da diferença entre os fusos horários?

O problema de mudar rapidamente para outro fuso horário é que isso desorganiza o funcionamento do seu corpo, acostumado a dormir e a se alimentar em determinados horários, que não serão os mesmos no local de destino. Além do cansaço do voo, ao chegar, seu corpo terá que se adaptar aos horários do local.

Por exemplo, saindo de São Paulo e  aterrissando em Paris, a milhares de quilômetros a leste do Brasil, pode acontecer de seu relógio estar marcando 6h da manhã; todavia, lá já serão 11h. Embora cansado do voo, você estará pensando em começar seu dia, mas já será quase hora do almoço. Você não sentirá vontade de almoçar a não ser lá pelas 18h, quando os parisienes estarão quase jantando.

Até aí, aparentemente tudo bem. Porém, quando for hora de os parisienes dormirem, você não terá sono; só conseguirá adormecer de madrugada; e, caso não recorra a um despertador, terá um choque ao acordar no dia seguinte, ver que é mais de meio-dia e sua manhã foi perdida. Duas alternativas: usar o despertador e enfrentar o mal estar do jet lag (sono + cansaço do voo + alterações de apetite) até se adaptar; ou viver em um ritmo totalmente diferente do que as pessoas do local vivem, perdendo metade do dia que você poderia estar aproveitando.

Porém, quando se viaja para o oeste, onde é mais cedo, por exemplo, de São Paulo para a Cidade do México, o jet lag se manifesta ao contrário. Quando os restaurantes ainda nem estiverem abertos para o jantar, você já estará morrendo de sono. Ou você resiste ao sono o máximo que puder e se adapta ou vai passar todas as tardes de sua viagem dormindo e ficar sem jantar.

O que fazer no avião para amenizar os efeitos do jet lag

Nos voos entre locais com grandes diferenças horárias entre si, as companhias tomam medidas para ajudar o passageiro a se adaptar ao novo fuso horário. Para isso, servem refeições em horários que são aproximadamente aqueles do local de destino e ligam ou acendem as luzes internas em horários próximos aos do dia e da noite no destino na parte final do voo.

Indo para leste: durma

Quando você viaja em direção ao leste (Europa, África, Oriente Médio, Ásia via leste), sua “meta” deve ser dormir o mais cedo possível. Portanto, nada de ficar olhando celular, tablet, vendo filmes de bordo. Durma o máximo que puder e deixe para fazer isso quando acordar.

Para pegar no sono, você pode ler um livro chato ou usar um app de meditação ou de sono (existem mil), com fone de ouvido, claro. Se você for daqueles com grande dificuldade de relaxar no avião, converse com seu médico sobre a possibilidade de ele te prescrever um medicamento indutor de sono.

Beber piora o jet lag

Resista à tentação de beber para pegar no sono. Péssima ideia. Você perderá hidratação, dormirá mal e ainda poderá ficar de ressaca. Tudo isso fará seu mal estar de jet lag aumentar. E ainda pode roncar feito uma motoserra, passando vergonha…

Indo para o oeste: resista ao sono

Quando você viaja para o oeste, sua meta no voo deve ser pegar no sono o mais tarde possível. Vale o conselho anterior ao contrário: você deve mexer no celular, no tablet, conversar, assistir filmes, fazer o que puder para dormir o mais tarde possível. Vale tomar café, coca-cola ou guaraná em pó para ajudar.

Cuidar-se ajuda a amenizar o jet lag

Durante o voo, alimente-se bem; beba muito líquido (não alcoólico!); evite ou, se não resistir, não exagere no álcool.

Levante-se várias vezes para esticar e movimentar as pernas. Não passe muitas horas na mesma posição.

Superando o jet lag

Sabemos que não é fácil, porém, ou você enfrenta o jet lag ou ele te vence e atrapalha muito a sua viagem. Indo para oeste, não vá dormir cedo demais, resista! Se for para o leste, use despertador e procure acordar em um horário razoável.

Claro que isso deve ser feito aos poucos. Comece seu dia uma hora mais cedo (a leste) ou durma uma hora mais tarde (a oeste) do que no dia anterior. Isso já uma vitória contra o jet lag. Lembre que, seguindo a regra da uma hora por dia, tudo será a cada dia melhor!

Booking.com

Mais posts

Quebrada de Humahuaca de carro

Viagens de carro pelo mundo

As vantagens do automóvel, a imensa liberdade que um carro lhe proporciona nos país mais diversos países do mundo. Dicas para os adoram viagens de carro.