Bergamo
Bergamo, na Itália
Bergamo, na Itália

Acessar o sumário •  Acessar o índice remissivo

Bergamo, uma cidade dos tempos dos gauleses

Antiga cidadela gaulesa, Bergamo foi tomada pelos romanos no século II a.C.. Durante a Idade Média, participou das lutas entre guelfos e gibelinos. No fim do período medieval foi incorporada à República de Veneza. Conseguiu sua independência em 1797 para cair mais tarde nas mãos dos austríacos, até ser libertada por Garibaldi nas guerras da unificação italiana.

Mapa de Bergamo

Como ir para Bergamo

Carro A partir de Milão (44 km), pegue a A4.

Trem

Da estação central de Milão, a viagem leva aproximadamente 50 minutos e, de Veneza, pouco mais de 3h.

Hospedagem

Escolha e reserve seu hotel em Bergamo

Melhor época

Baixa estação, primavera e outono

Atrações turísticas em Bergamo

Bergamo é dividida em duas partes muito diferentes: a Cidade Baixa, mais moderna, e a Cidade Alta, um lindo centro histórico, onde você chega pelo funicular.

A cidade é famosa por sua contribuição para a criação dos personagens da famosa Commedia dell’Arte, gênero teatral popular que fez escola em outros países da Europa a partir do século XVII. Alguns deles são bastante conhecidos pelos brasileiros, como o Pierrô, a Colombina e o Polichinelo (isso não é segredo para ninguém…).

Cidade Alta

Tomando o funicular você chega à Piazza del Mercato, formada pelo encontro de diversas ruas. A que fica bem em frente ao funicular é o caminho para alcançar o centro histórico, sem dúvida a parte mais interessante da cidade, com seu labirinto de belas ruas cheias de construções renascentistas e medievais.

Piazza Vecchia – É uma das mais belas praças medievais da Itália, com o Palazzo della Ragione, uma sóbria construção medieval. No alto, sobre o balcão, está o leão alado, símbolo da República de Veneza. Ao lado fica a Torre del Comune, onde você pode subir a pé (e eventualmente de elevador, se ele estiver funcionando!). A vista do alto é incrível.

Fontana Contarini – No centro da Piazza Vecchia está a Fontana Contarini, construída em 1780. No lado oposto ao do palácio, na rua à esquerda (Via Colleoni), há várias lojas com todo tipo de mercadorias, principalmente doces e produtos típicos.

Piazza del Duomo Para chegar à praça onde fica a catedral em estilo neoclássico, atravesse os arcos do Palazzo della Ragione. Bem ao lado você avistará a igreja de Santa Maria Maggiore, uma construção românica do século XII que tem as colunas da entrada apoiadas sobre dois leões de pedra. O interior barroco, cheio de detalhes dourados e ricas tapeçarias, surpreende e contrasta com a severidade da fachada.

Cappella Colleoni – Ao lado, grudada na igreja, está a Cappella Colleoni, em estilo renascentista, que abriga o túmulo de Bartolomeo Colleoni, um condottiero (chefe militar) do século XV que se tornou senhor de Bergamo, ou seja, um Brancaleone que deu certo. Sobre o monumento funerário há uma estátua equestre do condottiero. A capela é toda adornada de esculturas, com colunas em mármore, uma diferente da outra, verdadeira obra de arte, que impressiona quem ali entra sem esperar encontrar, em um espaço tão pequeno e discreto, tanta beleza. Ao lado há um batistério octogonal, de 1340, construído em mármore vermelho. Apesar das diferenças de estilos do conjunto, o lugar tem um incrível charme. Para apreciar melhor, dê uma volta no quarteirão, contornando as igrejas.

Rocca – Essa fortaleza no ponto mais alto da cidade, cuja construção terminou em 1336, tem uma linda vista panorâmica e foi cenário de importantes acontecimentos ligados à história de Bergamo. Em 1849, o patriota Gabriele Camozzi tentou, sem sucesso, tomá-la dos austríacos. A repressão foi dura: o povo de Bergamo pagou caro por isso. A fortaleza só voltou para as mãos dos italianos em junho de 1859, quando Garibaldi libertou a cidade. A Cidade Alta é ainda cercada por uma imensa muralha medieval.

Cidade Baixa

A parte baixa da cidade é o lado mais “moderno” de Bergamo, em termos do Velho Mundo: não se trata de um conjunto de arranha-céus, mas de casarões aristocráticos do começo do século XIX e de belas avenidas. Repare, por exemplo, no palacete onde funciona o escritório de turismo: um luxo! A Cidade Baixa merece uma olhada, sobretudo nas ruas em torno da Via Pignolo, com velhos palacetes e duas belas igrejas: de Santo Spirito e de San Bernardino.

Accademia Carrara-  Na Piazza Carrara, que compreende a Pinacoteca de Arte Antiga, com um ótimo acervo de pinturas dos séculos XV a XVIII, sobretudo de grandes mestres italianos, e a Galeria de Arte Moderna e Contemporânea, que abriga mostras e exposições temporárias.

Dica

Bergamo fica em uma planície que faz fronteira com uma bela região montanhosa ao norte. Um dos passeios mais interessantes a se fazer por ali é visitar o Val Brembana, com dezenas de aldeiazinhas, castelos medievais e paisagens encantadoras. É uma viagem para quem está de carro; basta seguir a SS470. Se decidir fazê-la, passe antes no escritório oficial de turismo e solicite mapas e folhetos. Durante o percurso, não deixe de experimentar os vinhos e outros deliciosos produtos locais.

A Itália em imagens

Uma verdadeira viagem fotográfica por cada região da Itália, com dezenas de imagens separadas por destinos

Maquina fotografica

Centro da Itália em Imagens

Sul da Itália em imagens

                                      Norte da Itália em imagens