Serra Gaúcha

Sobre a Serra Gaúcha

A Serra Gaúcha tornou-se, principalmente com a alta da moeda norte-americana, um dos grandes polos turísticos para aqueles que resolveram viajar pelo Brasil, desistindo, no momento, de viagens para o exterior.

A região serrana do Rio Grande do Sul possui cidades graciosas, como Gramado, Canela e Bento Gonçalves, e belas paisagens de montanha, mas é uma viagem que não detona o bolso de ninguém, já que as operadoras estão acenando com ofertas de pacotes para lá de convidativas. Os pacotes incluem avião, traslado e hotel confortável, muitas vezes de quatro estrelas por preços irrisórios, parcelados em dez vezes! Tá certo, Gramado não é Bariloche e muito menos Paris ou Nova York. Mas quem não tem dinheiro para ir para os Estados Unidos ou Europa não pode curtir o que está ao seu alcance? O fato é que são cidades limpas, cuidadas. Gramado, por exemplo, é tão limpa que você quase se sente na Suíça. O povo local é acolhedor e educado. Também é verdade que come-se muito bem na Serra Gaúcha, e mesmo seus vinhos estão se tornado cada vez melhores.

Também atraente é a arquitetura das cidades da Serra Gaúcha que conservam charmosas construções, do período colonial, feitas de madeira, de pedras ou em estilo enxaimel.

Mapa de Gramado e Serra Gaúcha

Como ir à Serra Gaúcha

Avião

Se você não mora no Rio Grande do Sul nem na região serrana vizinha, de Santa Catarina (muito parecida, aliás, com a Serra Gaúcha), tome um avião para Porto Alegre e, no aeroporto pegue um ônibus para Gramado ou outra cidade da Serra Gaúcha. Alugar um automóvel pode ser uma ótima opção. Para alcançar Bento Gonçalves, Canela e Gramado, veja detalhes nos links abaixo.

Compare preços de pacotes e passagens áreas para a Serra Gaúcha

Ônibus

O ônibus só é uma boa opção para catarinenses e gaúchos. Para quem sai de outros estados brasileiros é uma viagem cansativa e muito longa. Não aconselhamos, exceto se você dispõe de muito tempo e quer visitar outros lugares a caminho da Serra Gaúcha, como a Serra Catarinense, por exemplo.

Carro

Opção interessante só para quem mora a umas poucas centenas de quilômetros da Serra Gaúcha.

Como circular na Serra Gaúcha

Carro É o mesmo caso do ônibus. Pegue um voo para Porto Alegre e alugue um carro ao desembarcar. Reserve para retirar o veículo no aeroporto.

Ônibus Há ônibus entre as cidades da Serra Gaúcha, mas percorrer a região de automóvel lhe permite parar onde quiser, fotografar e escolher onde deseja almoçar, dentre outras facilidades.

Hospedagem

Na Serra Gaúcha você tem várias boas opções de hospedagem em Gramado, Canela ou Bento Gonçalves

Escolha e reserve seu hotel na Serra Gaúcha

Melhor época

A Serra Gaúcha pode ser visitada em qualquer época do ano, mas quem ver frio, geada e talvez neve deve ir no inverno.

Atrações

O trem a vapor 

Enquanto os governos em outras partes do Brasil foram extinguindo as ferrovias, sem pensar no seu aproveitamento turístico, na Serra Gaúcha os visitantes podem fazer passeios em velhos trens a vapor, apelidados de Maria Fumaça. O trenzinho parte de Bento Gonçalves e vai até Garibaldi.

Vinhos e visita às vinícolas

A Serra Gaúcha é igualmente a principal região vinícola brasileira. Duas das principais, a Aurora e a Salton, têm modernas instalações em Bento Gonçalves. Muitos enólogos viajam a Bento Gonçalves apenas para degustar os vinhos produzidos na região. Além de Bento Gonçalves, Gramado e Canela também possuem boas vinícolas. A Jolimont, em Gramado, é um ótimo exemplo. A maioria dessas vinícolas organizam seções de degustação e palestras para os visitantes que já superaram aquela fase de gostar de vinhos “adocicados” e querem qualidade.

Foi em Bento Gonçalves que se estabeleceram, em 1870, os primeiros colonos italianos vindos do Vêneto, no norte da Itália – a região de Veneza. Depois, novas levas de imigrantes italianos chegaram nas décadas seguintes e se estabeleceram em Gramado, Canelas e outras cidades, como Garibaldi, cujo nome já é uma homenagem ao “herói de dois mundos”, Giuseppe Garibaldi. Além dos italianos, também chegaram à região imigrantes alemães e portugueses, cada povo aportando sua contribuição cultural, técnicas e até maquinários a vapor.

Culinária

Os imigrantes trouxeram consigo sua culinária. Até hoje pratos típicos, principalmente os italianos, fazem parte do cotidiano do povo da região e agradam em cheio o visitante. Alguns restaurantes foram fundados no começo do século XX e estão ainda instalados em antigas casas de pedra construídas pelos primeiros colonos. Em Gramado e Canela pode-se também saborear fondues, perfeitas para acompanhar os vinhos regionais.