República Tcheca

Sobre a República Tcheca

Praga • Karlstein • Cesky Krumlov • Telc • Karlsbad • Marienbad (Mariánské Lázně) • Kutná Hora

Mapa da República Tcheca

Como ir

Não há voos diretos do Brasil para Praga, capital da República Tcheca. Você terá que voar para outra capital europeia e de lá tomar uma conexão. Há vôos de Paris, Londres, Frankfurt e outras cidades de onde também há voos pra o Brasil, facilitando sua conexão. Se você estiver viajando pela Europa Oriental, saiba que há trens e ônibus entre Budapeste, Viena, Varsóvia e outras cidades e a capital tcheca, Praga.

Veja passagens aéreas e pacotes

Hotéis na República Tcheca

O Booking.com é um meio fácil e seguro de reservar seu hotel ou apartamento em cidades no mundo todo. Você não paga nada a mais por isso. Você pode pesquisar ofertas entre uma enorme variedade de estabelecimentos. Frequentemente paga menos do que tratando diretamente com o hotel.

Escolha e reserve seu hotel em Praga

A melhor época

A melhor época para viajar para a República Tcheca é de maio a setembro mas, se puder, evite o mês de agosto, quando tudo está lotado e mais caro.

Praga:  temperaturas médias

Primavera (abril): mínima 3ºC / máxima 12º
Verão (julho): mínima 13ºC / máxima 23ºC
Outono (outubro): mínima 5ºC / máxima 12ºC
Inverno (janeiro): mínima -5ºC / máxima 0ºC

Agora que você já sabe o clima que o espera, veja em “Bagagem” a roupa adequada para colocar em sua mala.

Vídeo sobre a República Tcheca

História da República Tcheca

A unidade tcheca data do século IX, com a formação do reino da Boêmia. Mais tarde, a Boémia caiu sob influência dos Habsburgos e integrou o Império Áustro-Húngaro até o fim da Primeira Guerra, quando tchecos e eslovacos uniram-se para formar a Tchecoslováquia.
Com a ascensão do nazismo, como o país tinha uma região povoada por pessoas de origem germânica – os Sudetos – Hitler reinvidicou o território, que permaneceu ocupado até o colapso da Alemanha em 1945.

Após o final da Segunda Guerra a Tchecoslováquia virou área de influência da União soviética, com o título de República Socialista da Tchecoslovaquia. Uma tentativa de liberação do regime por parte das lideranças tchecas – a chamada Primavera de Praga – foi sufocada com a intervençaõ dos blindados do Pacto de Varsóvia.

Em 1989, acompanhando as transformações que ocorriam no mundo soviético, aconteceu na Tchecoslováquia a “Revolução de Veludo”, um movimento pacífico que derrubou o regime comunista. Com o fim do regime comunista, a antiga República Socialista da Tchecoslováquia dividiu-se em dois países independentes: a República Tcheca (em checo Česká republika) e a Eslováquia. A República Tcheca é formada por duas macro-regiões, a Boêmia a oest e e a Morávia, a leste.

A República Tcheca junta-se à União Europeia

A República Tcheca tornou-se membro da União Européia em maio de 2004. A adaptação da antiga economia socialista em economia de mercado não tem sido fácil, mas as transformações estão ocorrendo gradualmente.

A República Tcheca abriu-se recentemente para o turismo, mas percebe-se que a infra-estrutura turística ainda está se ajustando à nova realidade. Pouca gente fala inglês ou francês, exceto nos locais mais freqüentados por estrangeiros (museus, lojas, hotéis, restaurantes). O alemão é mais corrente em toda a República Tcheca.

Principal destino na Europa Oriental

A República Tcheca, dos países do leste europeu, é o principal destino turístico e o que geralmente mais fascina os viajantes, pela surpreendente beleza da capital, Praga, chamada de “a Paris da Europa de Leste”. Não há dúvida de que a comparação é válida, pois a riqueza arquitetônica de Praga e o inigualável cenário das margens do rio Vltava e suas pontes a tornam tão bonita quanto a capital francesa.

O interior da República Tcheca

O interior da República Tcheca tem muitas atrações: o castelo de Karlstein, do século XIV, perto de Praga, Cesky Krumlov (toda medieval) e Telc (renascentista), são encantadoras. Para quem quer descansar em meio a belas paisagens, há dezenas de spas (estações de águas), a começar por Mariánské Lázne.

O idioma: impossível de compreender

A língua tcheca é bem complicada, mas de uma palavra o turista brasileiro vai sempre lembrar: pivo (cerveja!). A República Tcheca produz uma imensa variedade de cervejas, das melhores do mundo, sempre servidas em enormes canecas.

República Tcheca: o país da cerveja

República Tcheca é também a capital da cerveja; existem dezenas de tipos diferentes, cada uma melhor do que a outra! As cervejarias – pivarnas – estão sempre lotadas; freqüentá-las parece ser, além da música e do teatro, um dos programas favoritos dos tchecos, principalmente na cidade de Pilsen (esse nome lembra alguma coisa para você?).

Circulando: transportes internos na República Tcheca

Avião

Esqueça. A República Tcheca é um país pequeno.

Trem

É o meio mais prático e barato de se viajar por lá. São trens lentos para os padrões europeus, mas são baratos e chegam aos principais lugares turísticos. Há passes da Eurail que podem ser utilizados na República Tcheca. Site: Trem

Ônibus

Mesmo sendo mais rápidos do que os trens, os ônibus tchecos não primam pela rapidez. O número de linhas úteis para o turista não é grande nem tem horários práticos.

Carro

As estradas tchecas não se comparam, nem de longe, à maioria das grandes autoestradas da Europa Ocidental, mas são bem melhores do que as brasileiras. A carteira internacional de habilitação é exigida.

Dicas

• A cozinha tcheca é deliciosa e agrada ao paladar brasileiro: há todas as variações possíveis e imagináveis de todo o tipo de carne, inclusive de caça, acompanhada de batatas preparadas de mil formas…

• A cerveja (pivo, em tcheco; vá treinando!) é normalmente servida em canecas gigantescas. Para começar, peça um copo pequeno…

• Mesmo no verão, a temperatura pode mudar bruscamente. Se não tiver levado um bom casaco, aproveite para comprar um, pois os preços são mais baixos do que em outras capitais européias. (Em tempo: não se preocupe se o vendedor não falar inglês: mantô, em tcheco, chama-se “bunda”. Fácil de lembrar…)

• Ao tomar um táxi, combine sempre o preço ou, no mínimo verifique se o taxímetro funciona. Os motoristas por lá são bem espertos quando se trata de transportar turistas. Cuidado com eles. Se desconfiar que o táxi é clandestino, não entre!

• Em qualquer estabelecimento que você for verifique a conta.

• Praga é uma cidade bastante segura se comparada a cidades brasileiras como Rio e São Paulo, mas a abertura do país ao turismo favoreceu o aparecimento de certos tipos de delinquentes. Abra os olhos.