Musée Picasso
Musée Picasso, Paris
Musée Picasso, Paris

A história do Musée Picasso

Por Lúcio Martins Rodrigues

A instalação do museu

O Museu Picasso começou a funcionar no Hôtel Salé um ano após a morte do artista. O Hôtel Salé, um imóvel aristocrático do século XVII, classificado como Monument Historique em 1968, pertence à cidade de Paris. É um dos mais espetaculares hôtels particuliers parisienses do século XVII. Foi uma ótima escolha! As reformas destinadas a transformar o imóvel em um museu com condições adequadas à exposição de obras de arte, iniciadas em 1979, estenderam-se até 1985. Em outubro desse mesmo ano o Musée Picasso foi finalmente inaugurado.

Video sobre o Musée Picasso em Paris

Localização do Musée Picasso

As novas reformas

Posteriormente, entre 2006 e 2009, o Hôtel Salé passou por novas reformas, que tiveram o cuidado de conservar detalhes arquitetônicos de sua fachada com frontão esculpido. Uma atenção especial foi dada à reforma do interior do imóvel. A restauração abrangeu as janelas, o hall, as escadarias, e o piso da Cour d’Honneur. A área de exposição atual do Hôtel, destinada à exposição do acervo permanente do Musée Picasso é hoje de 5700 m², distribuída em cinco diferentes níveis: (sub-solo, térreo e mais três andares ). O imóvel abriga igualmente uma cafeteria e uma livraria butique. Na ala junto do jardim, também renovado, foi criado um auditório, que serve igualmente de sala mutimidia.

A coleção de obras de Picasso no Hôtel Salé

Existem obras de Picasso espalhadas pelos museus no mundo todo. O acervo de obras do mestre espanhol no Hôtel Salé é, porém, a única do planeta que abrange todas as fases do artista, suas pinturas, gravuras e esculturas. As coleções ali reunidas somam mais de cinco mil obras de Picasso!

Como se formou a coleção

Foram os herdeiros de Picasso que doaram á cidade de Paris a enorme coleção de arte acumulada pelo artista ao longo de sua vida. Além das pinturas assinadas de Picasso, fazem parte do acervo do museu máscaras africanas e polinésias, estatuetas espanholas, e telas de outros mestres, pertencentes à sua coleção particular. Entre elas há pinturas de Gauguin, Cézanne, Renoir, Miro, Matisse, Le Nain, Corot, Vuillard, le Douanier Rousseau, Braque, Modigliani, além de desenhos de Chirico e Degas. Posteriormente outras obras foram adquiridas pelo museu. E, em 1990, outra doação, feita por herdeiros de Picasso enriqueceram o acervo do Hôtel Salé: pinturas da última fase do mestre, esculturas e desenhos.

O acervo do Musée Picasso

Cerca de 300 pinturas de Picasso, são a cereja do bolo do museu. Entre elas estão obras como l’Autoportrait e La Célestine, Matadors e Musiciens, telas cubistas pintadas entre 1912 e 1916), como Homme à la guitare e Homme à la mandoline, pinturas surrealistas executadas ente 1924 e 1930. O museu expõe ainda telas sobre a guerra civil espanhola, como Memento mori da época da Ocupação Alemã, esculturas dos anos 1950 e obras de sua última fase.

Fazem igualmente parte do acervo do Musée Picasso esculturas, objetos, cerâmicas, além de 250 obras em “trois dimensions”, que formam a coleção mais completa do mestre. Entre as esculturas de Picasso estão peças em madeira e bronze executadas entre 1906 e 1909, telas cubistas produzidas entre 1913 e 1916; obras da década de 1930, como Femme au jardin; da década de 1940, como Tête de taureau l’Homme au mouton e da década de 1950, como a Petite fille sautant à la corde, La Chèvre, le Guenon et son petit.

Também interessante é a documentação fotográfica de Brassai, um amigo e frequentador do atelier do artista. As imagens que retratam suas esculturas.

Gosta de história, cultura e arte?

Conheça outros museus de Paris

Outras atrações no bairro

Conheça outras atrações no Marais