Japão
Japão
Japão, templo budista

 Sobre o Japão

O Japão é um arquipélago formado por inúmeras ilhas, mas as principais são Kyushu, Hokkaido, Shikoku e Honshu. Nesta última, a maior delas, fica a capital, Tóquio.

Quem vai ao Japão e chega a Tóquio esperando encontrar apenas delicados jardins com cerejeiras em flor e pagodes budistas se decepciona. O país, de início, assusta o turista que viaja por conta própria: primeiro os preços, depois a dificuldade (lingüística e cultural) de comunicação.
Nenhum povo do mundo trabalha tanto quanto o japonês (parece que ultimamente estão começando a relaxar…); nenhum outro possui um espírito tão forte de coletividade, como se todos formassem uma imensa equipe.

Poucos povos são tão honestos, educados e gentis com estrangeiros quanto o japonês; ao mesmo tempo, em poucos lugares você esbarra numa barreira cultural tão grande.
De certa forma, todo estrangeiro é um “bárbaro”, mas você tem cem vezes mais chances de ser destratado por um ocidental mal-humorado do que por um japonês!

Mapa do Japão

Como ir

A Japan Airlines e várias outras companhias voam de São Paulo para Tóquio. A maioria dos voos tem conexão, horas de espera em aeroportos etc. Principalmente aquele voos mais baratos.

Veja passagens aéreas e pacotes

Hotéis no Japão

Escolha e reserve seu hotel em Beppu

Escolha e reserve seu hotel em Kyoto

Escolha e reserve seu hotel em Matsuyama

Escolha e reserve seu hotel em Nikko

Escolha e reserve seu hotel em Okayama

Escolha e reserve seu hotel em Osaka

Escolha e reserve seu hotel em Tókio

Escolha e reserve seu hotel em Takayama

Melhor época

Primavera e outono podem ser as melhores épocas. Considere que no norte do Japão o inverno pode ser gelado e no extremo sul o verão demasiadamente quente.

Vídeo sobre o Japão

Atrações turísticas no Japão

As cidades de maior interesse turístico no Japão na Ilha de Honshu são: Nikko,  Kamamura,  Hakone,  Takayama,  Shirakawa,  Matsumoto, Magome,  Tsumago,  Osaka,  Okayama e Kyoto, todas com belos templos budistas ou antigos palácios. Em Shikoku, Matsuyama, é conhecida por seu castelo feudal e por suas termas. Uchiko, na mesma ilha, possui construções bem preservadas do século XVII e XVIII.  Beppu, na ilha de Kyushu, é um balneário com diversas fontes de água mineral naturalmente quente.

Sites de turismo sobre o Japão

JNTO – (Japan National Tourist Organization) Site oficial de turismo do Japão. Em japonês, em inglês, em alemão e em francês.

Japan Rail – Site da Japan Rail (JR) sobre trens e passes. Você poderá encontrar a opção “english” no canto superior direito, pouco visível no meio de um amontoado de caracteres japoneses.

 Dicas

Tem viagem marcada para o Japão? Então é melhor ter sua hospedagem reservada. Não é muito fácil para quem viaja por conta própria conseguir o hotel certo. Para começar há hotéis tão tipicamente japoneses que você dormirá num tatame, terá que tirar seus sapatos ao entrar e tomará sopa como café da manhã. Não é evidente que você se sentirá bem em hotéis assim. Existem entretanto hoteis no estilo ocidental que você poderá reservar por meio de uma agência de viagem.

– No caso específico do Japão, é particularmente recomendável levar um guia: os costumes são diferentes e não é nada fácil para um estrangeiro viajar por contra própria. Talvez seja o caso de pegar um pacote (passagens aéreas e hotel) ou uma excursão, principalmente se você não fala inglês.

– A grande maioria dos japoneses não fala inglês ou qualquer outro idioma ocidental, e isso se aplica também aos motoristas de táxi. Antes de tomar um táxi, peça que alguém (o recepcionista do hotel, o funcionário do escritório de turismo etc.) escreva o nome e o endereço do local onde você quer ir em caracteres japoneses.

– É mais fácil para qualquer japonês que fale inglês entender o que você escreve do que o que você fala. Lembre-se disso em caso de apuro!

– Ao pedir informações na rua, em inglês, dê preferência aos jovens, que têm muito mais probabilidade de dominar esse idioma do que os mais velhos.

– Ao sair do hotel, mesmo que seja para ir até a esquina comprar cigarros, peça um cartão com o nome do estabelecimento escrito em caracteres japoneses e em ocidentais ou correrá grave risco de se perder… Isso vale principalmente para Tóquio.

– Há um escritório oficial de informações turísticas do Japão em São Paulo: tel. (11) 256-3366. A seção cultural do Consulado Japonês no Rio de Janeiro também fornece informações úteis: tel. (21) 2240-2383.

– Revistas ou qualquer outro material que contenha fotos de nus frontais ou de conteúdo pornográfico são proibidas no Japão: não as leve na mala e nem como leitura de bordo.
– Ao entrar num templo ou numa casa japonesa, sempre tire os sapatos e coloque os chinelos que se encontram à sua disposição junto da porta. Para ir ao banheiro há chinelos de borracha ou plástico que só devem ser usados lá dentro. É considerado extremamente anti-higiênico usar “chinelos de banheiro” em outros cômodos!

– Evite circular pelo Japão do final de dezembro a começo de janeiro (época do Ano Novo); no final de abril e começo de maio (feriados chamados de Semana Dourada); e no obôn, em agosto, quando se reverenciam os ancestrais. Nessas épocas, como todos os japoneses saem de viagem ao mesmo tempo, tudo fica congestionado: trens, estradas, aeroportos. Mas se você tiver hospedagem garantida e for ficar em uma só cidade, terá a oportunidade única de participar das festas e festivais, bastante animados, com fogos de artifícios, shows de dança e música, carros alegóricos e blocos de pessoas com lanternas na mão. Um carnaval à la nippon, com foliões bem comportados.

– Leitura de bordo recomendada enquanto você saboreia um saquê: Shogun, de James Clavel, romance que conta a saga dos primeiros ocidentais no Japão.

 Site de turismo de Toquio