A civilização Inca

Civilização incaica13

Acesse o sumário •  Acesse o índice remissivo

A civilização incaica, uma sociedade muito bem organizada

Diferente dos índios brasileiros, que estavam em plena Idade da Pedra quando os europeus chegaram, os incas possuíam uma sociedade altamente organizada e hierarquizada, de base agrícola. Em muitos aspectos, como a pavimentação das ruas e o abastecimento de água, suas cidades eram mais desenvolvidas do que as então existentes no Velho Mundo.

O domínio de técnicas avançadas de construção

Os incas dominavam elaboradas técnicas de construção com imensos blocos de pedra, cortados com precisão e unidos sem uso de cimento. Isso lhes permitiu erguer templos, fortalezas e palácios que poderiam estar íntegros até hoje, caso suas pedras não tivessem sido aproveitadas pelos espanhóis para outras construções. Estradas, de piso de pedra em sua grande parte, uniam os principais pontos do império. Essas trilhas que, dado o relevo da região andina, atravessavam montanhas e vales, eram percorridas a pé.

A ausência de animais de tração

O boi, o cavalo, o burro e outros animais que pudessem ser usados para transporte ou tração não existiam nas Américas. As lhamas eram usadas pelos incas apenas para transportar volumes leves, como ocorre até hoje. Garcilaso de la Vega relata que não era possível forçá-las a carregar muito peso: quando sobrecarregados, esses temperamentais animais se deitavam e recusavam-se a levantar enquanto não lhe tirassem das costas o excesso. Se instigadas a levantar, além de não obedecerem, cuspiam sobre o importuno, expelindo, quando muito irritadas, parte do conteúdo do estômago. Em outras palavras, vomitavam… (Isso sim é desobediência civil!).

Os incas não conheciam a roda, mas possuíam técnicas agrícolas sofisticadas

Os incas não conheciam a roda – ou, pelo menos, não a utilizavam. Ante a inexistência de animais de tração e o relevo acidentado, talvez a roda de fato não ajudasse. De toda forma, essa circunstância torna ainda mais admiráveis os gigantescos complexos arquitetônicos no topo de montanhas, como Machu Picchu.
O cultivo de milho, feijão, amendoim e batata nas encostas de montanhas, em terraços sustentados por muros de arrimo de pedra e irrigados por aquedutos e canais, surpreendeu os europeus. A insuperável eficiência dessa técnica faz com que seja usada até hoje. As terras eram fertilizadas com diferentes tipos de adubos produzidos por aves marinhas, dos quais o mais precioso era o guano trazido de ilhas do litoral. Sua importância era tamanha para a economia que quem matasse uma dessas aves era condenado à morte.

A base da alimentação inca

Sua alimentação se baseava em produtos agrícolas, como cereais, leguminosas, ervas, tubérculos, frutas e nozes. Domesticaram a lhama e o porquinho-da-Índia, utilizados como alimento, e consumiam peixes, bem como, no litoral, mariscos.
O calendário incaico possuía doze meses. A cada mês, deviam ser realizadas determinadas atividades, compatíveis com as estações do ano, que começava no solstício de verão, em dezembro.

Hábeis artesãos

Os incas eram hábeis artesãos, capazes de esculpir em madeira, pedra e outros materiais, além de dominarem a fabricação de cerâmicas, muitas delas decoradas com cenas de guerra, caçadas e cerimônias ou moldadas na forma de animais ou seres humanos.
Não conheciam o ferro, mas trabalhavam outros metais, como o cobre, a prata e o ouro – o que foi sua perdição.

Ouro e prata

O ouro e a prata só serviam para fazer objetos de adorno pessoal, religiosos ou utilizados para ornamentar palácios do Inca e da nobreza. Não tinham nenhum valor como moeda de troca. Garcilaso de la Vega menciona a existência de um jardim no palácio do Inca, decorado com animais e plantas, entre elas o milho, feitos de ouro e prata. O trabalho desses metais era feito no “tempo livre”: uma atividade considerada supérflua. O mesmo autor diz que, vendo que os espanhóis se apoderavam de objetos sagrados de ouro e prata que haviam sido oferecidos ao Inca e às divindades, os incas passaram a escondê-los. Gigantescos tesouros, nunca descobertos pelos espanhóis, teriam sido encerrados em cavernas nas montanhas ou enterrados sob pedras.

Além das elaboradas atividades artesanais e arquitetônicas, as manifestações artísticas dos incas compreendiam a pintura, o teatro, a dança, a música e a poesia.

Informações práticas

Como ir ao Peru

Veja passagens aéreas e pacotes

Onde se hospedar no Peru

Escolher e reservar seu hotel em Lima

Escolha e reserve seu hotel em Arequipa

Escolha e reserve seu hotel em Cusco

Escolha e reserve seu hotel em Puno

Cultura e informação tornam sua viagem ao Peru muito mais fascinante:

Leia sobre a História do Peru e da sociedade inca.

O Peru antes dos incas • As origens dos incas •  A civilização inca
Os espanhóis chegam ao Peru • A lei e a moral inca  • Curiosidades sobre os Incas
A estrutura social incaica  • A expansão do Império • Huáscar e Atahualpa
A captura de Atahualpa pelos espanhóis • O fim do Império Inca
As consequência da conquista

ARTE_Capa_Ouro_102_x_142

Saiba mais sobre o romance histórico “O Ouro Maldito dos Incas”, onde um soldado de Pizarro relata como 187  espanhóis famintos e mal-armados conseguiram conquistar um império com 12 milhões de pessoas.

 

Informação sobre os guias da série GTB (Guia do Turista Brasileiro)

CAPAGTBPERU PARA POST

Os guias GTB impressos não estão mais à venda…
Enquanto isso, confira todo o conteúdo completo e atualizado do guia impresso, substituído pelo  Guia GTB ON Line Peru, gratuito, e com dezenas de fotos. Basta ter sinal de internet no local onde você estiver.

 

Relatos de viagem

A Trilha Inca  Viagem pelo Valle del Colca

Maquina fotografica

O Peru em imagens Fotos dos lugares de especial interesse turístico.

 

 

Links afins