Vale do Loire

Vale do Loire, o Vale dos Castelos

Mapa do Vale do Loire

Como ir e circular

Carro

O carro pode ser bem prático para se visitar rapidamente vários castelos no Vale do Loire sem depender de condução, mas você terá que ficar em um hotel com garagem (a maioria não tem, principalmente os mais econômicos), ou pagar estacionamento, o que não é muito barato. Você pode alugar o carro em Paris ou nas principais cidades da região. Uma opção é tomar um trem de Paris até Amboise ou Blois e e numa dessas cidades alugar um carro para visitar o Vale do Loire..

Trem

Os trens para Blois e Tours saem da estação (Gare) d’Austerlitz, em Paris. Blois é a primeira parada: a somente 180 km da capital (em torno de 2h30 de viagem), você já está no “interior”!
Indo por conta própria, a dica é escolher uma cidade do Vale do Loire – Blois, Amboise, Tours etc – como base para a visita dos castelos próximos, dormir nela uma ou mais noites e passar para a “cidade-base” seguinte.

Como ir

Não há voos diretos do Brasil para nenhuma cidade da região. Em Paris você poderá tomar outro voo para Lyon, a capital regional ou o trem de alta-velocidade entre as duas cidades.

Veja passagens aéreas e pacotes

Vídeo sobre o Vale do Loire

Para circular pelo Vale do Loire

Ao contrário do que muita gente pensa, vários castelos podem ser visitados de ônibus, de trem, de táxi e – os mais próximos – até de bicicleta (boa ocasião para queimar algumas calorias que inevitavelmente se acumula numa viagem pela França!). A única desvantagem dos ônibus e trens no Vale do Loire é a limitação de horários: você terá que passar a tarde inteira em um dos castelos e dificilmente poderá visitar os dois no mesmo dia.

O táxi, por sua vez, não é muito barato e o preço tabelado pelo ofício de turismo (no caso de Blois) prevê que o motorista o espere apenas uma hora, o que torna a visita muito corrida. Uma opção é ir de táxi e voltar de ônibus (o que sai bem mais em conta e lhe permitirá visitar sem pressa o castelo), mas para isso terá que se informar sobre os horários da companhia local no escritório de turismo.
Outra alternativa é pegar excursões pelo Vale do Loire que saem de Tours e de Blois, visitando dois ou três castelos e voltando no mesmo dia.

Melhor época

O Vale do Loiro pode ser visitado em qualquer época do ano, mas evite o auge do verão, quando o calor e o excesso de turistas podem incomodar, bem como o auge do inverno quando alguns dias são gelados. Veja a melhor época para visitar o Vale do Loire

Hospedagem

Três cidades são particularmente práticas para você se hospedar e conhecer os castelos próximos. São elas Blois, Amboise e Tours. Quem estiver motorizado pode pegar usar como base qualquer cidadezinha nas proximidades das que mencionamos.

Escolha e reserve seu hotel no Vale do Loire

Principais destinos turísticos no Vale do Loire, atrações, dicas

O vale do rio Loire (pronuncia-se luárr) é conhecido por seus belos castelos, muitos dos quais ficam em pequenas e charmosas cidades.

O extraordinário número de castelos no Vale do Loire (Valée de la Loire) explica-se pelo fato de a região ter sido um dos locais favoritos dos reis e da aristocracia francesa desde a Idade Média. Os castelos mais antigos são medievais e foram de fato fortalezas, enquanto os mais recentes são palácios renascentistas e clássicos, destinados ao lazer e rodeados de magníficos jardins.

O Vale do Loire é famoso também pela culinária e pelos vinhos. Diversas vinícolas são abertas para degustação de seus vinhos. Região excelente para passar vários dias, acompanhando a rota dos castelos que começa a uns 180 quilômetros de Paris, o Vale do Loire estende-se até perto do Oceano Atlântico, a quase 400 quilômetros da capital. A viagem completa leva no mínimo uma semana. Isso não impede que você conheça, em menos tempo, somente alguns dos castelos que ficam mais próximos de Paris. É possível visitar a maioria dos castelos do Vale do Loire pegando uma excursão ou por conta própria.

Blois

É uma das primeiras cidades do Vale do Loire para quem vem de Paris. Na cidade de Blois fica o castelo do mesmo nome. Antiga propriedade dos condes de Blois, foi depois residência de Luís XII, Francisco I e outros reis. Lá ocorreram importantes episódios da história francesa.

Nas proximidades de Blois há diversos castelos. Os mais interessantes são:

Castelo de Chambord

É enorme, imponente e talvez o mais deslumbrante palácio renascentista da região. Foi habitado por reis como Francisco I.

Castelo de Cheverny

Elegante e simétrico, é pequeno se comparado com outros castelos da região, mas sua decoração interior é extremamente luxuosa. Serviu de inspiração para os desenhos do castelo de Moulinsart que, nas histórias em quadrinhos de Tintin, pertence ao capitão Haddock.

Amboise

A cidade de Amboise fica perto de Blois e é o segundo destino turístico para quem vem de Paris. O castelo de Amboise fica no centro histórico, numa elevação às margens do Loire. Foi construído por Carlos VIII e posteriormente ampliado e reformado por Luís XII e Francisco I. Francisco I levou para Amboise Leonardo da Vinci, que ali viveu seus últimos dias e está enterrado na capela do castelo. Em Clos Lucé, palacete onde Leonardo morou, estão engenhocas construídas a partir dos planos deixados pelo artista e inventor.

Tours

A 240 km de Paris, Tours embora relativamente pequena, é uma das maiores cidades da região e, assim como Blois, tem boa infra-estrutura turística. Na Idade Média, foi um importantíssimo centro político e comercial. Em Tours não há castelos, mas sim uma linda catedral, interessantes museus e vários edifícios medievais, principalmente no centro antigo, que conserva inúmeras casas de colombage (feitas com toras de madeira intercaladas com alvenaria). Nas proximidades de Tours estão muitos castelos, dentre os quais se destacam os seguintes:

Castelo de Chenoneau

É conhecido como “castelo das mulheres” por ter sido construído por uma nobre e depois habitado por Diana de Poitiers e Catarina de Médicis. É o mais original castelo da região: foi em parte construído sobre o rio Cher, como se fosse uma ponte. Por dentro, Chenonceau é todo decorado e mobiliado como na época em que foi habitado e contém muitas obras de arte. Um dos lugares mais interessantes é sua cozinha. Os jardins, um criado por Diana e outro por Catarina (respectivamente, amante e mulher do rei Henrique II…) foram recentemente refeitos e encontram-se exatamente como idealizado por cada uma das rivais. É facílimo chegar a Chenonceau de trem.

Castelo de Azay-le Rideau

A aproximadamente 20 quilômetros de Tours, é outro castelo que pode se visitado de trem (a estação fica a aproximadamente 20 ou 30 minutos a pé do castelo). Esse gracioso castelo renascentista do século XVI está literalmente “dentro” do rio, em meio a um belo parque, em uma cidade pequenina e muito agradável.

Castelo de Ussé

Fica a mais ou menos 30 km de Tours. Rodeado de verde, à beira do rio Indre, em um lugar super bucólico, o Castelo de Ussé teria inspirado Charles Perrault a escrever “A Bela Adormecida”. Com suas belas torres e jardins em terraço, parece mesmo servir como cenário de um conto de fadas!

Castelo de Villandry

O castelo renascentista de Villandry pertenceu a Jean Le Breton, ministro das finanças de Francisco I, e foi um dos últimos castelos a serem construídos no Vale do Loire. É famoso por jardins excepcionalmente bonitos e bem cuidados; os canteiros simbolizam os diferentes tipos de amor.

Dicas

Durante quase todo o ano, exceto na baixa temporada, são realizados lindos espetáculos noturnos de son et lumière (som e luz) em diversos castelos. Não perca! Para ver espetáculos nos castelos mais afastados, se você não estiver de carro, pode pegar ônibus de turismo que saem das principais cidades e fazem mini-excursões justamente para esse fim. Porém há uma excelente apresentação de son et lumière no castelo de Blois, que fica na própria cidade.
Quem tem mais tempo pode prosseguir a viagem pelo Vale do Loire, passando por belas cidades e por muitos outros castelos, como Saumur, Chinon e Angers, até chegar a Nantes. Todas essas cidades ficam na região francesa hoje denominada Pays de la Loire, antes chamada Anjou, terra dos reis angevinos, como São Luís que, aliás, foi quem mandou construir o castelo de Angers. Toda a região é muito bem servida pela rede ferroviária.

Chartres

Quem pretende conhecer o Vale do Loire partindo de Paris pode aproveitar para visitar a cidade de Chartres, que fica a caminho da região dos castelos. O principal interesse turístico de Chartres é a sua magnífica catedral, obra-prima da mais pura e homogênea arquitetura gótica. Seus vitrais são os mais importantes do período medieval na França. Da estrada, você já vê a catedral; ela é imensa! Quem tiver disposição pode subir nas torres e aproveitar a vista. (Afinal, o que são duzentos degrauzinhos?)

No Vieux Chartres, o bairro antigo, além da Place de la Poissonnerie, diversas ruas medievais merecem uma olhada, sobretudo a rue des Changes, que sai da catedral, a rue des Écuyers e a rue Chantault, com construções dos séculos XIII a XV. Uma curiosidade histórica: Jean Moulin, principal herói da Resistência, era prefeito de Chartres em 1940, quando os nazistas invadiram a França.

Onde se hospedar

Tours, em cujas redondezas também há castelos a visitar, além de ser uma cidade bem interessante (e maior do que Blois e Amboise), tem muitas opções de hospedagem, desde hotéis bem simples, até outros bem mais luxuosos. Há também hotéis em Amboise, entre a estação ferroviária e o centro histórico e no próprio centro, a melhor região para se hospedar. Em Tours a melhor região da cidade para você se hospedar é no centro.

Informações práticas sobre Paris

Como ir a Paris

Veja passagens aéreas e pacotes

Onde dormir em Paris

O Booking.com é um meio fácil e seguro de reservar seu hotel ou apartamento em cidades no mundo todo. Você não paga nada a mais por isso. Você pode pesquisar ofertas entre uma enorme variedade de estabelecimentos

Escolha e reserve seu hotel em Paris

Maquina fotografica

Paris em imagens  Fotos dos lugares de especial interesse turístico.

A França  em imagens  Verdadeira viagem fotográfica pela França. Dezenas de fotos das regiões Sul, Norte e Centro da França