Viagem por conta própria a Londres

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Londres: por conta própria

Não improvise. Assim que decidir quando quer viajar e quanto tempo pretende ficar em Londres, providencie a passagem aérea de ida e volta e a reserva de hospedagem. Para isso, leia os itens A melhor época e Passagem aérea neste capítulo e o capítulo Hospedagem.

Depois, estude os capítulos Londres para cada um, Bairros e atrações e Fora de Londres para fazer um roteiro inteligente que lhe permita aproveitar bem seu tempo. Verifique onde fica o que lhe interessa e os dias e horários de abertura.

Passaporte

Caso você não tenha passaporte ou ele esteja com validade vencida ou a vencer antes da data prevista para seu regresso ao Brasil, providencie a expedição desse documento com a máxima antecedência possível.

Você deve seguir as instruções que encontrará no site da Polícia Federal e agendar dia e horário de atendimento nesse mesmo site. A demanda tem sido grande; pode levar semanas para conseguir um horário disponível em um posto de atendimento próximo a você.
Hoje em dia não há alternativa: só pela internet é possível fazer os trâmites preparatórios. Quem não for familiarizado com o uso da rede deve pedir ajuda a um parente, amigo ou agente de viagens.
No dia e horário marcados, apresente-se pontualmente e leve todos os documentos exigidos.
Nenhuma vacina é exigida de quem vai do Brasil para o Reino Unido.
: www.dpf.gov.br Polícia Federal. Formulários e orientações sobre toda a burocracia a ser seguida para requerer seu passaporte.

Visto

Para entrar na Inglaterra como turista e lá permanecer nessa condição por até seis meses, o brasileiro não precisa solicitar visto previamente. Por ocasião de sua chegada em território inglês, sua entrada será autorizada mediante certas condições. Leia o tópico Serviço de imigração na seção Desembarcando deste capítulo.

Permissão Internacional para Dirigir

A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) brasileira não autoriza a condução de veículos no Reino Unido. Se – depois de ler o item Carro no capítulo Transportes – você decidir exercitar suas habilidades de motorista na capital inglesa será preciso levar consigo uma Permissão Internacional para Dirigir. O DETRAN de cada Estado é o órgão competente para expedir esse documento, que você só obterá se tiver uma CNH válida. <comp./> www.denatran.gov.br Clique em Links para localizar o site do DETRAN de seu Estado.

Carteiras internacionais de descontos

Ter uma carteira internacional de estudante, de professor ou de jovem é vantajoso em Londres, pois esses documentos dão direito a descontos em muitas atrações turísticas, meios de transporte e alojamentos.
As carteiras internacionais mais conhecidas são a ISIC, expedida para estudantes desde o ensino fundamental até o grau de doutorado e alunos de cursos no exterior com duração mínima de 12 semanas; a ITIC, para professores; e a IYIC, para jovens de até 25 anos, estudantes ou não.

Os escritórios do STB (Student Travel Bureau) em todo o Brasil são responsáveis pela expedição dessas carteiras. Procure no site www.stb.com.br o endereço mais próximo a você ou peça orientação a seu agente de viagens.

Carteira de alberguista

Londres tem sete hostels filiados ao YHA (Youth Hostel Association), ramo britânico da Hostelling International (“Albergues da Juventude”). Para se associar e obter a carteira que dá direito a se hospedar em toda a rede mundial a preços módicos, válida por um ano, é preciso ter no mínimo 14 anos de idade.
www.albergues.com.br Site da HI (Albergues da Juventude) no Brasil com informações sobre a expedição da carteira.
www.yha.org.uk Site da Youth Hostel Association.

Dinheiro

Londres é uma cidade cara. Ao viajar por conta própria, faça um orçamento realista. Conte o valor da passagem aérea, da hospedagem, da alimentação, dos transportes urbanos e dos ingressos para museus e outras atrações turísticas. Uma reserva para emergências é aconselhável. Fixe um teto máximo para gastos com compras e outras “extravagâncias”.

Quanto você vai gastar de fato é muito relativo. Um estudante pouco exigente que se hospede em um YHA e coma em fast foods vai gastar muitíssimo menos do que quem ficar em um hotel de alto padrão, comer bem e fizer compras.

A moeda na Inglaterra e em todo o Reino Unido é a libra esterlina (pound sterling), também chamada simplesmente de libra (pound ou, popularmente, quid). A libra é abreviada como GBP e seu símbolo é £. Até 1971, cada libra esterlina era dividida em 20 shillings e estes por sua vez se compunham de 12 pence (plural de penny, abreviado como p). Tudo começou no século VIII, quando se decidiu que uma libra de prata valia 240 pence, para tristeza de todos aqueles que não são bons em fazer contas de cabeça. (Responda rápido: quantos pence são 3,5 shillings?). Demorou, mas os tradicionais britânicos se renderam ao sistema decimal adotado por todo o mundo ocidental, abolindo os shillings e fixando o valor de uma libra em 100 pence. Hoje, um penny corresponde a um centavo de libra.

Existem cédulas (banknotes) de £5, £10, £20 e £50. As moedas (coins) são de 1p, 2p, 5p, 10p, 20p, 50p, £1 e £2.

Atenção – Ao entrar na Inglaterra, é obrigatório declarar quanto se está transportando se o valor for igual ou superior ao equivalente a 10.000 euros. Como só é permitido sair do Brasil com o valor correspondente a R$ 10.000, incluindo dinheiro vivo e cheques de viagens, em princípio não será necessário fazer declaração alguma (pelo menos enquanto a cotação de nosso realzinho não ultrapassar a do euro e você não tiver aderido ao desusado costume de levar dólares na cueca).

Cartão de crédito

O cartão de crédito internacional é a maneira mais prática de pagar grande parte das despesas. Cartões são bem recebidos na maioria dos restaurantes e hotéis, mas sempre convém perguntar antes de consumir.
Verifique a data de validade de seu cartão com a antecedência suficiente para renová-lo, se for necessário, antes da viagem. Dê preferência a cartões com chip, que possuem senha de uso (PIN). Informe o gerente de sua conta bancária ou a operadora do cartão a respeito de sua viagem. “Gastos fora do padrão” podem fazer com que a operadora bloqueie seu cartão, suspeitando que ele foi roubado. É possível, é claro, desbloqueá-lo em Londres, mas um aborrecimento desse tipo é tudo que você não irá querer durante sua viagem.
Faça uma cópia do seu cartão de crédito e leve com você o telefone do serviço de assistência ao cliente.

Dinheiro vivo

Procure chegar a Londres com uma quantia em libras no bolso. Levar reais para trocar lá é mau negócio. Há casas de câmbio nos aeroportos, mas será mais fácil e econômico trocar euros ou dólares do que reais.

Notas de menor valor e moedas serão úteis para pagar o transporte do aeroporto ao hotel.

A não ser que você pretenda ficar bastante tempo na Inglaterra, caso de quem vai estudar lá, leve cheques de viagem apenas como um fundo de emergência. Embora transportar dinheiro vivo seja arriscado – perdeu ou foi roubado, já era – ter consigo uma soma em cash pode ser prático, pois há diversas pequenas despesas que não podem ser pagas de outra forma. Deixe na carteira somente valores menores para o táxi e outras despesas ao chegar. Há bolsas de cintura vendidas em lojas de malas e artigos para viagens, para serem usadas sob a roupa, que servem para transportar somas elevadas.

Booking.com

Mais sobre o assunto:

Receba nossa newsletter

Dicas e detalhes de quem já passou por lá!

O Manual do Turista quer te inspirar com informações que farão a diferença na sua viagem.