Estados Unidos (EUA)

Viagem aos Estados Unidos por conta própria

Greenwich Village,foto Barão
Greenwich Village, foto Barão

Estados Unidos: uma aventura toda sua

Com um mínimo de capacidade de planejamento é muito fácil, utilizando este guia, organizar sozinho sua viagem a Nova York. Há várias vantagens: você viaja o tempo que quiser, cria um roteiro pessoal que corresponde aos seus interesses, dorme até a hora que quiser, faz sua refeição e amizades com quem quiser. Não é complicado, mas é bom planejar. Viajar por conta própria não significa ter que reservar seu hotel e seus vôos pessoalmente: seu agente de viagens pode cuidar disso. Caso pretenda ir a outras cidades norte-americanas (e do mundo todo!), Nova York e Miami tem ligações aéreas fáceis para tudo quanto é canto. Quem for viajar pelos Estados Unidos de ônibus ou de carro também está bem servido. Se no passado todos caminhos levavam a Roma, hoje eles levam a Nova York e a Flórida.

Mapa dos Estados Unidos

Cursos e intercâmbios

Depois do 11 de Setembro, os Estados Unidos deixaram de ser o principal destino de quem desejava aprender inglês no exterior. Mesmo assim, há quem não troque Nova York por nenhum lugar no mundo. Participar de um curso de inglês ou de um intercâmbio pode ser uma opção bem interessante, principalmente para jovens que querem mais contato com o povo americano e sua cultura.

Uma “imersão no idioma”

Lembre-se de que a vantagem de estudar inglês nos Estados Unidos é a oportunidade de imersão no idioma. Para tirar o máximo proveito da experiência, não limite suas amizades a brasileiros ou outros latino-americanos. Dica para quem for ficar mais tempo: um(a) namoradinho(a) americano(a) acelera o aprendizado da língua!

Agências de intercâmbio

Algumas agências de viagens no Brasil organizam intercâmbios e cursos e cuidam da passagem, bem como de alojamento em casas de famílias, com pensão completa ou café da manhã ou ainda em residências estudantis nos campi das universidades. A maioria dessas agências se ocupa também de seguros, carteira de estudante e do Hostelling International, trabalhos temporários etc. Os cursos têm duração variada a partir de duas semanas e são de todos os tipos: de idiomas, de graduação, de pós-graduação, estágios profissionais. Eventualmente, podem ser combinados com cursos de dança, teatro, cinema ou música.

Duração dos intercâmbios

O intercâmbio dura um semestre ou um ano letivo, mas é difícil conseguir uma vaga em Nova York que, aliás, é uma cidade cara. Assim, muita gente escolhe lugares nas redondezas, mas de acesso rápido e fácil de trem até o centro. Uma boa alternativa é estudar em Riverdale, a 20 minutos de Manhattan.

A primeira providência é procurar uma agência que irá lhe propor várias opções de escola e cuidar de sua matrícula. Após isso feito, a escola lhe envia a documentação necessária para o visto, que você terá que obter junto ao Consulado dos Estados Unidos com bastante antecedência, muito antes da data em que pretende partir. Só a entrevista para concessão de visto pode demorar alguns meses para ser agendada.

Cada agência tem seus programas e cursos. Os preços variam muito dependendo da duração do estágio, da proximidade da escola em relação a Manhattan, da acomodação escolhida, do curso etc.

Instituições que promovem ou agenciam cursos em Nova York ou arredores

União Cultural Brasil-Estados Unidos <tel/> (11) 2148-2921 ou 2922 <comp./> www.uniaocultural.com.br
Connection Line <tel/> (11) 3285-6691 <comp./> www.connectionline.com.br
World Study <tel/> (11) 3522-5019 <comp./> www.worldstudy.com.br
Friends in the World <tel/> (11) 3068-9403 <comp./> www.friendsintheworld.com.br
SIS Intercâmbio Cultural <tel/> (11) 3062-6333 <comp./> www.sis-intercambio.com.br
Central de Intercâmbio – CI <tel/> (11) 3677-3600 <comp./> www.ci.com.br
STB – Student Travel Bureau <tel/> (11) 3038-1555 <comp./> www.stb.com.br

Documentação

Passaporte

Providencie seu passaporte com antecedência. Você deve agendar dia e horário no site da Polícia Federal e apresentar-se com os documentos necessários. Ocorre que a demanda tem sido grande e é possível que demore semanas para se conseguir agendar atendimento. Nenhuma vacina é exigida de quem vai do Brasil para os Estados Unidos.
<comp./>www.dpf.gov.br Polícia Federal. Formulários e orientações sobre toda a burocracia a ser seguida para requerer seu passaporte.

Visto

Os Estados Unidos exigem visto dos turistas brasileiros. Após os atentados de 11 de setembro de 2001, os consulados norte-americanos passaram a ser ainda mais rigorosos na concessão de vistos. Tentar obtê-lo pode ser cansativo, por vários motivos, inclusive porque as regras do jogo estão sempre mudando.

Entrevista obrigatória

Todos os turistas têm que passar por uma entrevista que deve ser agendada via Internet ou por telefone. A versão eletrônica do formulário de solicitação de visto de não-imigrante (DS-156) pode ser baixada no site www.visto-eua.com.br. Maiores de 16 anos devem preencher também o formulário DS-157. Para agendar a entrevista, você deverá ainda pagar uma taxa. Instruções detalhadas sobre o pagamento e o rol completo dos documentos a serem apresentados constam do site.

Depois que você solicita a entrevista, o tempo de espera pode ser longo. As próximas datas disponíveis para entrevista são exibidas no site mencionado. Em cada seção consular, o prazo varia, conforme a demanda.

Você precisará comprovar que possui fortes vínculos com o Brasil (emprego, bens, família, cachorro, gato, papagaio…) e dinheiro suficiente para os gastos da viagem. Enfim, antes de lhe concederem o visto eles querem ter certeza de que você é uma pessoa “do bem”, que nunca se envolveu com tráfico internacional de armas ou de drogas, que não possui vínculos com grupos terroristas etc. É inacreditável, mas perguntas sobre esses assuntos fazem parte do questionário.

Poucos cidadãos são, em princípio, dispensados da entrevista (mas não do visto). Dentre eles estão pessoas de mais de 80 anos que preencham certos requisitos, diplomatas e menores de idade que se qualifiquem para o Minors Plus Program (“Programa de Vistos Para Menores Plus” – MPP). Os outros menores devem ter entrevista agendada, à qual quem deve comparecer é um dos pais.

O Minors Plus Program

O Minors Plus Program  beneficia exclusivamente os solicitantes menores de 14 anos cujos pais – ambos – tenham visto de turismo ou negócios válido (B-2 ou B-1/B-2), emitido com validade de 5 ou 10 anos. O menor não pode ter pedido de visto recusado anteriormente. O pedido deve ser feito por meio de uma agência de viagens autorizada. Não são todas as seções consulares que oferecem esse programa. Informe-se junto ao consulado mais próximo.

Programas especiais para renovar seu visto de turista (B-2).

A inclusão nesses programas não é automática e mesmo os beneficiados por eles devem comparecer ao consulado para deixar suas impressões digitais, mas o processo é mais simples e rápido que os demais.
Na entrevista, a apresentação pessoal conta muito: vista-se bem e de modo discreto. Mulheres, nada de roupas provocantes ou exageradas.

Mesmo preenchendo todos os requisitos, há casos em que o visto não é concedido. Ninguém sabe a razão. Aliás, é bom lembrar que, mesmo quem tem visto pode ser barrado pelo serviço de imigração na chegada aos Estados Unidos e “devolvido” para o Brasil, no caso de suspeita de que algo esteja errado. Lamentavelmente, isso ocorre.

Os consulados dos EUA estão procurando agilizar o fornecimento de vistos aos brasileiros e encontra-se em estudo um acordo para ampliar o prazo de validade desses vistos. Vamos torcer para que dê certo.

Informações completas e atualizadas sobre as formalidades a serem seguidas para requerimento de visto para os EUA são disponibilizadas pela Embaixada dos EUA nos sites www.visto-eua.com.br e brasilia.usembassy.gov.

Carteira internacional de habilitação

Se você for guiar nos Estados Unidos

sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) brasileira original e válida deve ser acompanhada de uma Permissão Internacional para Dirigir (“carteira internacional”) para que você possa conduzir um carro no Estado de Nova York.
O DETRAN de cada Estado fornece essa Permissão, que também eventualmente será útil para comprovar sua identidade em uma emergência, principalmente se estiver acompanhada de cópia do seu passaporte.

Carteiras de estudante

Carteiras internacionais de estudante são menos úteis nos EUA. Você poderá eventualmente obter descontos em alguns shows e em algumas atrações, mas isso não é regra geral. Há links para algumas agências que emitem carteira internacional de estudante em nosso site www.ManualdoTurista.com.br

Carteira do Hostelling International

Para se associar ao HI (nova denominação dos Albergues da Juventude) você precisa ter no mínimo 14 anos, mas não há limite máximo de idade.
www.albergues.com.br Site dos albergues da juventude brasileiros, informa onde e como providenciar sua carteira.
www.hiayh.org Site dos albergues da juventude norte-americanos. Veja preços e localização dos albergues.

Dinheiro

É essencial ter um orçamento de viagem. Conte o valor da passagem aérea (que normalmente pode ser paga em parcelas mensais), da hospedagem, da alimentação, dos transportes urbanos, dos preços de ingressos em museus e atrações, de algumas compras e uma reserva para emergências (uma margem de segurança de uns 25% do orçamento total).

Quanto você vai gastar de fato é relativo. Nova York é uma cidade cara, mas outas cidades norte-americanas têm custro de vida bem mais baixo. Um estudante com pretensões modestas, que fique hospedado no HI e coma em fast foods, não vai gastar muito. Porém, quem quer ficar hospedado em hotel chique, fazer refeições em restaurantes de alta cozinha e freqüentar shows na Broadway, que prepare o bolso!

O ideal é já chegar a Nova York com uma soma em dólares no bolso. Levar reais é mau negócio: difícil de trocar e pagam pouco. Há casas de câmbio nos aeroportos de Nova York, mas a taxa é péssima. Troque cheques de viagem apenas em valor suficiente para o transporte até a cidade e as despesas imediatas. Depois, na cidade, você terá oportunidade de pesquisar com mais tranqüilidade as melhores taxas. Procure pegar algumas notas de menor valor e moedas, que serão úteis.

Ao entrar nos Estados Unidos, você deverá declarar quanto está transportando. É permitido sair do Brasil com o equivalente a somente R$ 10.000, incluindo dinheiro vivo e cheques de viagens. Se a soma, além de não ter sido declarada, for muito elevada, o infrator poderá ver o sol renascer quadrado.

Notas e moedas

O papel-moeda norte americano tem sempre a efígie de um norte-americano ilustre: na de US$ 1, a de George Washington; na de US$ 2, a de Thomas Jefferson (raríssima, cobiçadas por colecionadores); na de US$ 10, a de Alexander Hamilton; na de US$ 20, a de Andrew Jackson; na de US$ 50, a de Ulysses Grant; e na de US$ 100, a de Benjamin Franklin.

Há novas notas de dólar em circulação, mas as antigas continuam valendo. Mesmo assim, procure na medida do possível livrar-se delas, sobretudo daquelas que têm pequenas rasuras ou estão velhas, porque em certos países muita gente se recusa a aceitá-las. As moedas norte-americanas em circulação são: 1 cent (penny); 5 cents (nickel), 10 cents (dime); 25 cents (quarter); 1 dólar (buck).

Cartão de crédito

É a maneira mais prática de pagar qualquer conta. Os cartões são em geral bem recebidos na grande maioria dos restaurantes e hotéis, embora convenha perguntar antes de consumir; certos restaurantes não aceitam cartão. Ele é igualmente aceito em alguns táxis.

Verifique a data de vencimento de seu cartão de crédito internacional com a antecedência suficiente para renová-lo, se for necessário, antes da viagem. Dê preferência a cartões com chips, que possuem senha de uso. Informe o gerente de sua conta bancária ou a operadora do cartão a respeito de sua viagem. “Gastos fora do padrão” podem fazer com que a operadora bloqueie seu cartão, suspeitando que ele foi roubado. É possível, é claro, desbloqueá-lo em Nova York, mas um aborrecimento desse tipo é tudo que você não quer durante sua viagem!

Faça uma cópia do seu cartão de crédito e leve com você o número de assistência ao consumidor em NYC.
É possível retirar dinheiro vivo em caixas eletrônicos (ATMs) com cartão de crédito, mas para isso há uma taxa e é necessário ter uma senha.

Dinheiro vivo

Embora transportar dinheiro vivo seja arriscado – perdeu ou foi roubado, já era – ter consigo uma soma em cash pode ser prático, pois há diversas pequenas despesas que não podem ser pagas de outra forma e, como já vimos, não são todos os estabelecimentos que aceitam outras formas de pagamento. Deixe na carteira somente valores menores para o táxi e outras despesas ao chegar. Há bolsas de cintura vendidas em lojas de malas e artigos para viagens, para serem usadas sob a roupa, que servem para transportar somas maiores.

Importante

Objetos metálicos cortantes ou perfurantes (até mesmo uma pequena tesoura de cortar unhas), assim como líqüidos (mesmo água!) e sprays de qualquer tipo, devem ser colocados na bagagem de compartimento, pois é proibido levá-los na bagagem de mão. Isso no caso dos Estados Unidos é particularmente sério: evite problemas. Os seguranças de aeroporto nos Estados Unidos não costumam ser simpáticos. Se você não colaborar, serão ainda mais rígidos. É possível que o obriguem a tirar o sapato, ou que você seja revistado se o alarme disparar quando passar pelo detector de metais.

Seguro de viagem

A apresentação de um seguro de viagem com ampla cobertura pode ser exigida pelo serviço de imigração por ocasião de seu ingresso no território norte-americano.
Eventualmente, a cobertura internacional oferecida por seu convênio médico ou seu cartão de crédito pode ser suficiente. Informe-se na sua seguradora. Se não for, consulte seu agente de viagens sobre a contratação de um seguro especial para sua estada.

A chegada a New York

Quem chega do Brasil irá aterrissar no movimentado aeroporto JFK (abreviatura de “John Fitzgerald Kennedy”) ou em Newark, que fica no Estado de New Jersey. Veja detalhes sobre Imigração, Alfândega e como ir até a cidade.

Informações práticas

Como ir a Nova York

Veja passagens aéreas e pacotes

Onde se hospedar em Nova York: reserva pelo Booking.com

O Booking.com é um meio fácil e seguro de reservar seu hotel ou apartamento em cidades no mundo todo. Você não paga nada a mais por isso. Você pode pesquisar ofertas entre uma enorme variedade de estabelecimentos.

Escolha e reserve seu hotel:  seleção por categoria e bairro