Prepare sua viagem a Portugal por conta própria

Por conta própria

Se você tem se sentido tentado a encarar uma viagem por conta própria e nunca se decidiu, esta é uma ótima oportunidade de começar. Fazer turismo em Portugal é muito fácil. Quem tem certa capacidade de planejamento, pode organizar um roteiro utilizando este guia.

Mapa de Portugal

Viajar por conta própria tem várias vantagens

Você visita o que quer, come onde tem vontade, acorda na hora que quer, tem liberdade, não depende de guia. Mas, enfim, se não se sentir seguro ou achar estressante ter que organizar todos os detalhes de uma viagem, esqueça e pegue uma excursão.

As precauções

Quem quer viajar por conta própria deve estudar mapas e calcular distâncias. Mas não se iluda. Embora Portugal seja um país pequeno, que pode ser atravessado de norte a sul em um só dia, a cada trinta ou quarenta quilômetros há um castelo, um mosteiro ou um vilarejo cuja visita poderá tomar algum tempo. Por isso, se quiser realmente conhecer o país inteiro com calma, o ideal é ter ao menos um mês todo para fazê-lo. Se for viajar de trem ou ônibus é provável que necessite ainda de mais tempo, pois dependerá dos horários dos transportes públicos.

Como ir:

Há voos de São Paulo para Lisboa pela TAP e pela Tam.

Veja passagens aéreas e pacotes

Onde se hospedar em Portugal

Escolha e reserve seu hotel no Alentejo

Escolha e reserve seu hotel no Algarve

Escolha e reserve seu hotel em Coimbra

Escolha e reserve seu hotel em Lisboa

Escolha e reserve seu hotel no Porto, Minho e Douro

Escolha e reserve seu hotel no Norte de Portugal

Escolha e reserve seu hotel na Região de Lisboa

Escolha e reserve seu hotel na Serra das Estrela

Melhor época

As época ideais pra visitar Portugal são a primavera e o outono, que correspondem à baixa estação. Nessa época as temperaturas são amenas, nem muito quentes, nem muito frias, as passagens são mais baratas, bem como as diárias de hotéis. Veja informações e dicas

Cronograma

O melhor é ter um cronograma com as datas estimadas de chegada a cada cidade. Você não precisa dormir em cada aldeia que for conhecer; algumas são minúsculas e podem ser visitadas em poucas horas. O mais prático é escolher uma cidade com boa infraestrutura turística como base para visitar localidades próximas. Ficar arrumando e desarrumando malas e fazendo check-in e check-out de hotel a cada um ou dois dias não é nada divertido. Normalmente é difícil, depois de levantar, tomar banho e café, que sobre tempo para visitar alguma coisa antes do check-in, que em Portugal deve ser feito até 12h. Assim, para ter um dia para visitar uma cidade você precisará, na realidade, de duas noites. Uma solução meia-sola é pedir que guardem suas malas por umas horas para você ter tempo de dar uma volta pela cidade, ou, se estiver de carro, guardá-las no porta-mala.

Possuir um cronograma de viagem não significa não poder mudar de planos – Mude os planos se for o caso mas vale a pena ter um cronograma. Um cronograma de viagem lhe permitirá organizar-se para não perder uma determinada feira que só acontece no sábado, ou um evento popular, ou ainda evitar chegar num lugar ultraturístico numa sexta-feira à noite sem hotel reservado.

Estabeleça itinerários lógicos

No caso de Lisboa, estabeleça uma programação com itinerários lógicos, indo hoje ao bairro “X”, amanhã ao bairro “Y”… Procure no mapa do guia onde fica cada lugar que você quer conhecer e os dias e horários em que está aberto ao público.
No início de cada capítulo sobre as localidades, veja ao lado do ícone À o tempo que sugerimos que deve ser reservado a sua visita.
Veja em seguida o tópico Como Ir com as opções para chegar a cada cidade. A partir daí, organize seu roteiro, que deve obedecer a uma lógica quanto às distâncias e aos meios de transporte que irá utilizar.

 De quanto tempo você dispõe?

Se você tiver apenas dois ou três dias – Concentre-se em Lisboa e deixe o resto para uma próxima.
Se tiver uma semana – Tente visitar também o Porto. Quem tem uns 15 dias pode incluir uma das regiões turísticas (são cinco: Lisboa e arredores, Porto e Norte, Beiras, Alentejo e Algarve).

Tenha em conta – Tudo depende de seu ritmo e de quantas cidades você incluiu em seu cronograma de viagem. Calcule no mínimo uns cinco dias por região para visitar o básico. Se for conhecer Portugal inteiro e também Madeira e Açores, reserve uns quarenta dias para sua viagem. E não se admire se esse período passar voando.
O ideal, se você não tiver tempo suficiente para visitar tudo o que gostaria de uma só vez, é optar pelo que for mais razoável e deixar o restante para outra viagem.

Documentação

Para o brasileiro visitar Portugal é necessário passaporte válido. O visto não é exigido para quem viaja a turismo por até 90 dias.
O passaporte pode ser obtido ou renovado (com alguma antecedência) em um dos postos de atendimento do Departamento de Polícia Marítima, Aérea e de Fronteiras (DPMAF) da Polícia Federal no estado em que mora. Há uma grande burocracia a ser seguida: veja detalhes no site da Polícia Federal (: www.dpf.gov.br).
A Carteira Nacional de Habilitação brasileira é aceita em Portugal se estiver dentro do prazo de validade. Se for alugar automóvel e ela estiver para vencer, renove-a.

Dinheiro

O escudo saiu de circulação faz tempo. A moeda de Portugal atualmente é o euro (a). Há notas de 500, 200 (menos comuns), 100, 50, 20, 10 e 5 euros; moedas de 2 e 1 euro; e moedas de 50, 20, 10, 5, 2 e 1 centavo de euro.
Se puder sair do Brasil com cheques de viagem em euros ou dólares, ótimo. Você poderá facilmente trocá-los em Lisboa ou em qualquer grande cidade ou localidade turística, mas talvez tenha dificuldade em fazê-lo nos vilarejos do interior do país.
O ideal é diversificar: ter dinheiro vivo, mas levar também cartão de crédito internacional e uma quantia em cheques de viagem como reserva de segurança.

Cartões de crédito internacional

Cartões de crédito internacional são aceitos em quase todo lugar: hotéis, restaurantes e lojas. Obviamente, você não poderá usar seu cartão para pagar um pastel de Belém e um refrigerante em um boteco. Lembre-se de verificar a validade do seu cartão e de renová-lo, se for o caso, antes de viajar.
Dê preferência a cartões com chips, que possuem senha de uso. Verifique sempre se o cartão que estão lhe devolvendo é o seu e confira a conta antes de assiná-la.
Troque na fronteira ou no aeroporto apenas o suficiente para o táxi e para as despesas mais imediatas, pois a taxa de câmbio não é boa. Mais tarde você terá tempo de pesquisar as melhores taxas. Procure pegar algumas notas de menor valor e moedas. Serão sempre úteis no táxi e ônibus.

Inverno suaves

Os invernos são suaves em Lisboa e no Algarve, mas bastante frios nas serras, com temperaturas à noite próximas de zero grau. Se for visitá-las leve um minhocão ou meia-calça de lã, para usar embaixo da calça, gorro e luvas. O truque para não tornar a mala muito pesada e volumosa é levar meia dúzia de camisetas de algodão de manga comprida a serem lavadas e trocadas diariamente, e apenas dois pulôveres ou polares bem quentes. Por cima de tudo, use um casaco, ou uma parka, forrado e impermeável.
Roupas em geral, principalmente de lã, não são caras em Portugal. Deixe espaço livre na sua mala, pois provavelmente comprará roupas lá.

Matérias especiais

Arquitetura portuguesa  |Literatura portuguesa
Música portuguesa | Cinema português |

Portugal em imagens

Maquina fotograficaÁlbum fotográfico com dezenas de fotos de Portugal separadas em slide-shows  sobre a as regiões mais interessantes do país.