Pucón

Sumário Chile • Índice remissivo Chile

Mapa de Pucón e região dos lagos chilena

Pucón: como ir

Pucón, em frente ao Lago Villarrica e ao vulcão de mesmo nome, é a cidade na parte norte da Região dos Lagos que mais atraí turistas, principalmente chilenos. Nas suas proximidades ficam importantes estações de águas termais. É onde os mais abastados possuem casas de temporadas.

Como ir

Avião

O aeroporto mais próximo com voos regulares de Santiago é o de Temuco, a cerca de 120 km. De Temuco você consegue traslado para Pucón e Villarrica. Há voos diretos de Santiago, Punta Arenas, Puerto Montt e outras cidades chilenas. Outra opção é tomar um voo de Santiago até Valdívia, lugar de interesse turístico, a 150 km de Pucón.

Veja passagens aéreas e pacotes

Carro

De Santiago pegue a Panamericana Sul, direção Temuco – Freire – Villarrica. Quem vem do sul utiliza também a Panamericana em direção ao norte. Pucón, fica a 785 km de Santiago.

Ônibus

Há vários ônibus por dia de Santiago para Pucón. As empresas com linhas para Pucón operam de diferentes terminais: Terminal San Borja, Terminal Alameda ou Terminal de Buses Estación Central. (Tempo de viagem: 10h30). Se puder tome ônibus leito noturno. De Pucón e da vizinha Villarrica há linhas de ônibus de Valdívia, Puerto Montt e outras cidades da Região dos Lagos.

Hospedagem

Toda a região próxima ao Lago Villarica é muito simpática. A área central tem agências de viagens, restaurantes, bares e lojas.

Escolha e reserve seu hotel em Pucón

Melhor época

Pucón é mais agradável no verão, final da primavera e começo do outono. Mas quem quer ir esquiar deve ir no inverno, de junho a agosto, mas evitar julho, o pico da alta estação,  mês de férias escolares quando tudo está lotado e caro.  Veja mais detalhes sobre a melhor época para ir ao Chile.

Pontos turísticos em Pucón

Pucón, em frente ao Lago Villarrica e ao vulcão de mesmo nome, é a cidade na parte norte da Região dos Lagos que mais atraí turistas, principalmente chilenos. Nas suas proximidades ficam importantes estações de águas termais. É onde os mais abastados possuem casas de temporadas. Cheia de opções de lazer, centro de esqui e de esportes radiciais de todo tipo, é conhecida por suas águas termais. Tem ótimos hotéis, restaurantes e barzinhos animados, frequentados pela juventude dourada santiaguina.

De uns anos para cá tem sido descoberta pelos brasileiros que viajam para o Chile. No auge da temporada de verão (janeiro e fevereiro) seus hotéis ficam lotados e nem sempre é fácil achar acomodação. Por isso muita gente prefere se instalar em Villarrica, mais tranquila e a apenas 25 km dali, onde há hotéis mais baratos e mais possibilidade de encontrar vaga.

Esportes radicais, esportes de inverno e de aventura

Qualquer agência receptiva em Pucón possui ampla gama de opções de lazer, como navegar de caiaque por seus lagos, passeios guiados a cavalo, trekking pelos parques nacionais vizinhos e subida de vulcões (que sempre envolve risco, é nosso dever alertar). Note que essas atividades podem ser praticadas também a partir de Villarrica, mas são mais fáceis de Pucón, onde há mais opções. Para a maioria desses programas você precisa passar por uma agência. Muitos deles demandam guias e equipamentos especiais.

Passeio de barco pelo Lago Villarrica

Vale a pena porque nos permite conhecer o lago e as maravilhosas vistas de seus arredores. O passeio de meia hora é realizado em um catamarã e, ocasionalmente, se você tiver sorte, em um velho vapor do começo do século, o Chacao, supercharmoso, uma verdadeira relíquia.

Museo Mapuche

Caulopicán  De interesse relativo. Trata-se de um pequeno museu com artefatos de uso diário dos índios mapuches, instrumentos musicais, esculturas de pedras, máscaras etc.

Pontos turísticos nos arredores de Pucón

Ojos de Caburga

A 20 km a leste de Pucón. Os Ojos de Caburga são olhos d’água, poços naturais coloridos, que surgem do solo no meio da floresta. Pode-se ir a pé, de bicicleta ou de carro. Para ir dirija-se ao Lago Caburga e siga as indicações. São 15 km até os poços naturais por uma tortuosa estradinha de rípia.

Subida ao topo do Vulcão Villarrica

Esse é o tipo de programa que você terá que fazer quase obrigatoriamente por meio de uma agência de viagens, acompanhado de um guia. Um dos motivos é que é necessário o uso de sapatos, roupas e equipamentos adequados, como luvas, óculos especiais etc. Saiba que terá que encarar uma subida de mais ou menos quatro horas e uma descida (para baixo todo santo ajuda…) de duas. Mesmo no verão você atingirá as neves eternas do vulcão. Não é necessário dizer que as vistas são espetaculares. Porém, é necessário que quem esteja disposto a encarar essa aventura tenha um mínimo de condicionamento físico. No inverno poderá descer de esqui ou de snowboard, mas é preciso, é claro, ter prática nesse tipo de esportes.

Termas de Pucón

As famosas termas de Pucón são várias, com diferentes tipos de instalações e indicadas no mapa. Você pode pegar uma excursão, mas o ideal mesmo é alugar um carro, que lhe dará liberdade de visitar mais de uma por sua conta, sem depender de guia.

Termas de Quimey-co 

A 30 km de Pucón, na direção do Lago Caburga. A estrada foi recentemente asfaltada. Pelo caminho você pode aproveitar para visitar os Ojos de Caburga. Possui spa, piscinas cobertas e ao ar livre e cafeteria.

Termas de Huife

Situada a três quilômetros adiante, é a melhor estação termal de Pucón, com duas piscinas quentes cobertas e uma fria, sauna e banheiras individuais. O quadro natural também é lindo: as termas ficam ao lado de um rio de águas cristalinas. No local funciona o Hotel Termas de Huife.

Termas de Los Pozones

Dois quilômetros mais adiante, pela mesma estrada. São as mais simples, mas têm seu charme porque ficam ao ar livre e os poços são escavados na rocha.

Termas de Palguín

 A 31 km de Púcon, na direção de Curarrehue. Possui três bacias termais cobertas, com temperaturas entre 36 e 52 graus e águas com sais de potássio, enxofre e lítio, indicadas para diferentes tratamentos. Dispõe de 15 poços termais em casinhas de madeira e uma piscina ao ar livre. Possui hotel para quem desejar dormir no local.

Parques Nacionais

Antes de se aventurar, se sua intenção é fazer trilhas, passe no escritório da CONAF (Corporación Nacional Forestal de Chile) de Pucón (<end./> Lincoyan, 336 <tel/>  44-3781 e solicite mapas com trilhas e todo tipo de informação. Há trilhas que podem ser feitas rapidamente em uma tarde, outras que tomam dias e que exigem mais preparo. Algumas podem ser feitas a cavalo.

Parques nacionais é o que mais tem no Chile; faça a sua escolha e veja o que mais combina com você. Quem faz essas trilhas passará ao lado de lagunas, riachos e cascatas e desfrutará de lindas vistas do Vulcão Villarrica. Em muitos lugares não há refúgios e você terá que ter consigo uma tenda, equipamento de camping e víveres. Queremos insistir nesse ponto: certas trilhas podem ser longas e árduas e não devem serem encaradas no oba-oba.

Parque Nacional Villarrica

A 12 km de Pucón. É o mais perto de Pucón, e o mais fácil de ser vistado. No seu interior ficam alguns dos mais belos vulcões da Região dos Lagos, como o Villarrica, com 2.847 m, o Lanin, com 3.760 m e o Quetrupillán, com 2.300 m. Você pode chegar aos parques de carro ou pegando uma excursão, opção menos divertida.

Parque Nacional Huerquehue

A 35 km de Pucón, no caminho de Caburga. Acesso de ônibus ou de carro (mais recomendável). Magnífica reserva natural dominada por florestas de araucárias, algumas anteriores à era cristã. Há trilhas relativamente fáceis de serem percorridas. Para quem deseja dormir no parque há um camping com duchas quentes e refúgios, além de um hotel, o Lodge Puerto Parque Tinquilco, caro, mas confortável e com restaurante. Possibilidade de passeios a cavalo e aluguel de caiaque.
Parque Nacional Huerquehue

Villarrica

A 25 km de Pucón. Mais tranquila do que sua vizinha chique. Também fica de frente para o Lago Villarrica e para o vulcão. É uma opção de hospedagem na alta estação, se Pucón estiver lotada. Villarrica é famosa por suas esculturas em madeira. Há numerosas delas espalhadas pela cidade.

Informação sobre os guias da série GTB (Guia do Turista Brasileiro)

Capa chile para chamada guia online

Os guias GTB impressos não estão mais à venda…
Enquanto isso, confira todo o conteúdo completo e atualizado do guia impresso, substituído pelo  Guia GTB ON Line Chile, gratuito, e com dezenas de fotos. Basta ter sinal de internet no local onde você estiver.

 

 

O Chile em imagens

Maquina fotografica

 Álbum fotográfico com dezenas de fotos do Chile separadas em slide-shows  sobre a as regiões mais interessantes do país.
Ver imagens do Chile

 

Links afins