Londres

Sobre Londres

Por Lúcio Martins Rodrigues

Londres, uma cidade da época romana, à beira do Tâmisa, não é apenas a capital da Inglaterra, mas também do Reino Unido, que inclui  Irlanda do Norte, Escócia e País de Gales. Durante séculos foi a capital do mais importante império do mundo, onde o sol nunca se punha: havia colônias britânicas e protetorados na África, Caribe, América do Sul e Extremo Oriente e Oceania. A cidade, que nos tempos medievais se resumia à City of London, hoje expandiu-se por uma enorme área, os antigos subúrbios, que se tornaram bairros da metrópole atual. O fato de ser um ser capital de grande império fez com que Londres atraísse imigrantes das antigas coloniais e mesmo de outros países. Assim, se você entrar num metrô em Londres verá, ao lado de brancos, “ingleses puros”, um bom número hindus, sikhs de turbante, negros, muçulmanos ou caribenhos. Hoje os brancos representam apenas 45% de uma população 8,2 milhões de habitantes.

Mapa de Londres

Londres não possui  uma arquitetura homogênea, como Paris e Amsterdã, por exemplo. Quem passeia pelas ruas de Londres vai notar prédios inúmeros prédios modernos ao lado de outros bem antigos. Isso aconteceu porque Londres, mais do que qualquer cidade européia, com exceção de Berlim, Hamburgo, e outras grandes cidades alemãs, foi a capital que mais destruições sofreu durante a Segunda Guerra Mundial. A cidade foi incessantemente bombardeada pela Luftwaffe e alvo das terríveis bombas voadoras lançadas pelos nazistas. Os prédios modernos que você vê ao caminhar por Londres sinalizam que o local foi atingido por uma bomba, que reduziu a pó um belo imóvel construído há séculos.  Enfim, como disse Winston Churchill, no seu discurso na Câmara dos Comuns, em 4 de junho de 1940: “Nós não desistiremos nem fracassaremos. Nós iremos até o fim. Nós lutaremos na França, lutaremos nos mares e oceanos, nós lutaremos com confiança crescente e uma força também crescente ao nosso redor. Nós defenderemos nossa ilha, qualquer que seja o preço. Nós lutaremos nas praias, lutaremos em terra firme, lutaremos nos campos e nas ruas, lutaremos nas montanhas. Nós nunca nos renderemos!” E nunca se renderam.

A cidade atrai turistas do mundo todo que desejam conhecer a bela capital inglesa, que abriga um número fabuloso de atrações, bairros super interessantes, jardins primorosos, mercados como o de Portobello Road e alguns dos melhores museus do mundo. Diríamos que perambular por Londres, por suas ruas e praças, passear ao lado do Tâmis, já é um grande programa. Londres também tem uma vida noturna animada, com seus pubs animados, onde se pode experimentar algumas mais originais e deliciosas cervejas do mundo.

Como ir a Londres

Heathrow

A brasileira TAM e a britânica  British Airways  têm voos diretos do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, para o aeroporto Internacional de Heathrow, o maior de Londres, a 25 km do centro.  Você desembarcará no Terminal 1 se voar pela TAM ou, no terminal 5, se voar pela British Airways. Normalmente será em Heathrow que você irá desembarcar se vier do Brasil. Como o aeroporto de Heathrow fica  distante da cidade, o táxi acaba saindo bem caro. Nos horários de picos, a lentidão é de arrepiar. O percurso pode tomar mais de uma hora e meia. Portanto, é altamente recomendável sair de Londres com bastante antecedência. Mas, existe também metrô entre o aeroporto e a cidade. Mas, atenção Heathrow possui três estações de metrô : Heathrow Terminal 5, Heathrow Terminal 4 e Heathrow Terminals que serve os terminais 1, 2, 3.  A linha azul escura o deixará no centro de Londres, em Piccadilly. A outra opção é o trem, mais caro, mas também mais rápido. O Trem Heathrow Express leva apenas 15 minutos do aeroporto até a estação Paddington em Londres. É bom ter ideia, checar em um mapa (no Google, por exemplo), onde fica o bairro onde você vai se hospedar. Eventualmente, a estação Paddington pode não ser prática para você e o metrô se tornar uma opção mais conveniente.

Gatwick

O Gatwick, a 45 km ao sul de Londres é o segundo maior aeroporto londrino. Alguns voos do Brasil podem ter Gatwick como destino. De Gatwick para Londres há ônibus, trem  ônibus,  e táxi.

Atenção: se estiver chegando de outra capital europeia verifique seu aeroporto de desembarque em Londres.

Melhor época

A melhor época em Londres é entre o final da primavera e o começo de outono (no hemisfério norte, de maio a setembro). O inverno é gelado e, mesmo o final de outono, em novembro, por exemplo, o vento frio que vem do Tâmisa pode incomodar.

Onde se hospedar

Escolha e reserve seu hotel em Londres

Atrações turísticas em Londres

Londres tem  atrações de todos os tipos e para todos os gostos. Estamos mencionando apenas algumas, preferidas por turistas.

Passeio de barco pelo  Tâmisa

É uma das boas opções para se ter uma visão de alguns dos pontos turísticos mais bonitos de Londres, comodamente instalado em um barco envidraçado, ao abrigo do vento. As principais empresas que realizam tours fluviais são: a  City Cruises, a Thames River Service, e a Bateaux London. Veja no site de cada uma os locais de embarque.  Os passeios tomam aproximadamente 40 minutos.

Troca da Guarda Real

A cerimônia da Troca da Guarda Real em Londres é uma atração que muitos turistas não querem perder. Há, na realidade, duas trocas da guarda real. Uma é a troca da guarda da Queen’s Guard, dos Palácios de St. James, Buckingham, Windsor e da Torre de Londres, menos concorrida; a cerimônia de troca da Queen’s Life Guard ocorre em frente à Horse Guards, a entrada de honra do Buckingham Palace e atrai muita gente. No cerimonial, os Old Queen’s Guards fazem a entrega solene das chaves do Palácio de Buckingham para os New Queen’s Guards, que os substituirão.

Existe ainda a Horse Guards Parade, o desfile da guarda real a cavalo.

City of London

A City of London fica na margem norte do Tâmisa. O termo “City of London” se refere exclusivamente ao antigo centro histórico medieval. Ao lado de um centro-financeiro ultra moderno, com edifícios de linhas arrojadas, ficam também construções históricas e diversas atrações, como a London Bridge, a Torre de Londres (na verdade um conjunto de construções medievais), a Catedral de Saint Paul, o Museu de Londres etc.

London Eye

A London Eye, ou Millennium Wheel (Roda do Milênio), como também é chamada, é uma gigantesca Roda Gigante, como 135 metros de altura, no sul de Londres, junto do Tâmisa. Inaugurada no ano 2000, para celebrar a virada do milênio, a London Eye oferece uma vista panorâmica da cidade. Devido ao frio, os bancos ficam dentro de compartimentos envidraçados. Uma curiosidade: a London Eye foi construída para ser desmontada em 2005, mas, como a Tour Eiffel, em Paris, que deveria ser desmontada depois da Exposition Universelle, fez tanto sucesso que resolveram conservá-la.
London Eye

Torre de Londres

O Palácio e Fortaleza Real da Torre de Londres, na margem norte do Tâmisa, é um castelo histórico medieval formado por vários edifícios, construído por Guilherme I em 1078. A fortaleza, protegida por muralhas, serviu como residência da realeza e também como prisão. Personagens famosos da historia inglesa foram ali aprisionados, como Ana Bolena, segunda esposa do rei Henrique VIII, acusada de adultério e executada em 1536, e o filósofo e escritor Thomas More.

Catedral de São Paulo

A Catedral de São Paulo, o Apóstolo, é um templo luterano construído século XVII, no local onde já tinham sido erguidas três outras catedrais. O templo passou por sucessivas reformas que alteraram seu aspecto original. Devastada após o grande incêndio de Londres de 1666, teve que ser novamente reconstruída. Os trabalhos, iniciados em , se estenderam até o final deO edifício atual possui a segunda maior cúpula entre os templos cristãos do mundo. Quase por milagre, a imensa catedral saiu ilesa dos bombardeios alemães da Segunda Guerra. Uma das bombas, por sinal atingiu a igreja, mas não explodiu, indo se alojar no teto do duomo, de onde foi retirada. Foi na Catedral de Saint-Paulo que o Príncipe Charles (Príncipe de Gales) casou-se com Lady Diana Spencer, em 1981. Catedral de São Paulo.

Palácio de Buckingham 

É a residência real oficial da monarquia inglesa. Construído em 1703 pelo Duque de Buckingham e Normanby, foi comprado pelo Rei George III em 1761, para ser residência particular da rainha Carlota. O Palácio tornou-se a residência oficial da realeza britânica apenas em 1837, quando a Rainha Vitória subiu ao trono. No decorrer do século XIX passou por diversas reformas e ampliações, que lhe conferiram o aspecto atual. É onde ocorre mais famosa troca da guarda real, que se transformou numa atração turística.

Abadia de Westminster

A Abadia gótica de Westminster, construída no século XI, passou por sucessivas reformas entre os séculos XIII e XIV. No século XVI a enorme igreja católica foi transformada em templo anglicano. É nela que são coroados os reis ingleses desde Guilherme, o Conquistador. Muitos monarcas britânicos estão sepultados na abadia.
Abadia Westminster

Big Ben 

A torre do Big Ben, (nome do enorme sino com 2,74m de diâmetro no alto da torre), concluída em 1858, é oficialmente denominado Elizabeth Tower. Com de 96 metros de altura, em estilo neo-gótico, esse ícone de Londres, é o segundo maior relógio de quatro faces do planeta. Visível de longe, é uma boa referência para turistas perdidos. Uma curiosidade: a partir de 2011 a torre passou a se inclinar muito ligeiramente para noroeste e, a partir de 2003 essa inclinação se acentuou, ninguém sabe exatamente o porquê.

British Museum

Museu Britânico (British Museum), é um dos mais importantes museus do mundo, podendo ser comparado apenas ao Louvre, em Paris. Fundado em 1753, o museu tem entrada gratuita e é visitado anualmente por cerca de 7 milhões de pessoas. Seu acervo é tão vasto que as peças são exibidas de forma rotativa. De qualquer modo, reserve um dia inteiro para a conhecer o museu, pois a visita às suas coleções tomam muitas horas. Seu acervo, originário de diversos países no mundo, tem suscitado críticas e reclamações de muitas nações, pois boa parte das peças foram retiradas de países ocupados pelos britânicos. British Museum

Palácio de Kensington

O Palácio de Kensington (Kensington Palace), no distrito real de Kensington e Chelsea, é uma das residências utilizadas pela realeza britânica desde o século XVII. Personagens importantes da monarquia britânica habitaram o palácio, entre elas a princesa Diana, entre 1981 e 1997, data de sua morte trágica em Paris. Hoje serve de moradia ao Duque e à Duquesa de Cambridge. Veja mais informações sobre o Palácio de Kensington

Portobello Marketing

O Portobello Marketing, na Portobello Road, em Notting Hill, no oeste da cidade, é um dos principais mercados de rua de Londres, uma espécie de mercado das pulgas. Abriga brechós, lojinhas, antiquários, barraquinhas de comida com iguarias de diferentes países, roupas novas e usadas e todo tipo de artigo. Super simpático, vive apinhado de londrinos e turistas.  Abre a semana toda, e só fecha aos domingos. Mesmo se você não for comprar nada, porque tudo em Londres é caro, vale a pena visitá-lo. Portobello Market

Matérias especiais

Winston Churchill | Londres na Idade Média

Links afins