Champagne, a bebida dos deuses

Como surgiu o champagne

Por Lúcio Martins Rodrigues

A região de Champagne, perto de Paris, que tem Reims por capital, virou nome do vinho branco espumante mais famoso do planeta, e que se tornou um ícone da França. Existem outros espumantes na França e no resto do mundo, alguns muito saborosos, como o Prosecco italiano. Porém, o nome “champagne” é uma appelation controlé. Só os vinhos brancos produzidos na região podem ser considerados “champagne”.

O inventor do champagne teria sido um monge beneditino, Dom Pérignon, responsável pela adega da abadia de Saint-Pierre d’Hautvillers em Reims, no século XVII. O mérito da invenção é contestado, porque alguns pesquisadores afirmam que os ingleses, que importavam vinhos brancos produzidos na région champenoise,  já tinham percebido que os vinhos no verão se tornavam efervescentes e apreciavam seu gosto. Mas, seja ou não Dom Pérignon o “inventor” da preciosa bebida, não resta dúvida de que ele, no mínimo, aperfeiçoou  as técnicas de produção.

Vídeo sobre o Champagne

Relatos indicam que Dom Pérignon, intrigado com vinhos da região que se gaseificavam no final da primavera, com a elevação das temperaturas dentro das garrafas e, transportados em carros de boi em estradas esburacadas, acabavam, às vezes, por explodir, resolveu investigar o que acontecia. Na realidade, as garrafas explodiam até mesmo nas prateleiras da adega da abadia! Foi quando o monge percebeu que as que estouravam tinham sido fechadas com tampas de madeira, que ele impregnara de cera de abelha. Investigando o fenômeno, o religioso descobriu que era o açúcar contido na cera que provocava a efervescência da bebida. (Hoje sabemos que isso acontecia por causa do aumento do gás carbônico dentro da garrafa). Como o sabor da bebida fermentada era extremamente agradável, o monge resolveu aperfeiçoá-la (papa Francisco, que tal canonizá-lo?). E, é claro, tomou o cuidado de providenciar garrafas mais resistentes, capazes de suportar a pressão da bebida borbulhante (note que garrafa de vinho comum é mais delicada e leve, e as dos espumantes, mais pesadas e resistentes). Nascia o champagne!

Mapa da Região de Champagne

Como ir para a région champenoise

Duas cidades concentram a maior parte dos produtores: Reims, a capital, e Epernay.

Trem

Há trens partindo da Gare du Lest, em Paris, para Reims, a capital da região de Champagne, e Epernay. O tempo de viagem para Reims em TGV (trem de alta velocidade) é de 45 minutos apenas. Para Epernay, o tempo de viagem em trem comum é 1h15. Há trens locais entre Reimns e Epernay, com muitas paradas. O tempo aproximado de viagem entre as duas cidades é de 0h30.

Carro

De Paris a Reims são 117 km.  Utilize a A4, a viagem toma aproximadamente 1h40. Um mapa rodoviário da região pode ser útil, pois, além da capital Reims, existem cidadezinhas medievais encantadoras na Champagne, como Troyes, Provins ou Challons-en-Champagne. Para Epernay a viagem de 145 km leva 1h50.  A distância entre Reims e Epernay é de 30 km, e o percurso toma 0h45.

Hotéis na Região de Champagne

Reims é uma cidade maior e com mais opções de hotel. Mas também é possível se hospedar em Epernay ou em outras pequenas cidades próximas, como Challons-en Champagne, Troyes ou Provins, todas na Região de Champagne.

Escolha e reserve seu hotel em Reims

Escolha e reserve seu hotel em Epernay

Escolha e reserve seu hotel na Champagne

Melhor época

Maio, abril, maio, setembro e outubro são épocas boas para se visitar a Champagne. As temperaturas são, em geral, agradáveis. Veja melhor época para ir à França.

A visita às vinícolas

Reims

As crayères, cavernas escavadas na região de Champagne no período nos séculos III e IV (galo-romano) para a exploração de giz, servem para a estocagem do champagne. Em Reims existe uma centena delas.

 Veuve Cliquot

1, place des Droits-de-l’Homme. Tel.: 03-26-89-53-90. Visitas apenas com reserva. A casa Veuve Clicquot, uma das mais famosas da França,  produz o champagne desde 1772. Possui as maiores caves da Região de Champagne.  Veuve Cliquot

Ruinart

4, rue des Crayères.  Confirme horários e dias de abertura pelo tel. 03-26-77-51-51. A casa Ruinat, fundada no ano de 1729, possui 24 caves cuja altura varia entre 25 e 40 m. As mais antigas foram escavadas no século II d.C. Ruinart

Pommery 

5, place du Général-Gouraud.  Informações e reservas pelo tel. 03-26-61-62-55. Suas  caves de armazenamentos ocupam 18 quilômetros de crayères. Um belo palacete em estilo Tudor  serve de sede à vinícola. Pomery.

G.H. Mumm

34, rue du Champ-de-Mars. Informações e reservas pelo tel. 03-26-49-59-70. A visita compreende o museu da vinícola, as caves e degustação de Cordon Rouge. A casa,   fundada em 1827, faz parte do grupo Pernod-Ricard.  É o champagne oficial da Fórmula Um  G.H. Mumm 

Taittinger

9, Rue Saint-Nicaise. As Caves Taittinger ficam a aproximadamente 2 km do centro histórico de Reims. A casa é uma das maiores produtoras da bebida.  A visita inclui uma palestra sobre a elaboração do champagne, e o acesso às crayères galo-romanas de Saint-Nicaiseon, onde são envelhecidas as garrafas. Taittinger

Epernay

Mercier (Moët-Chadon) 

20, avenue de Champagne, em frente ao escritório de turismo. A vinícola, fundada em 1858, possui uma cave com 47 crayères, muitas delas enfeitadas com belas esculturas.
Reserve confirme horários pelo tel.  00.33.(0)3-26-51-20-20. A visita compreende a projeção de um curta-metragem de seis minutos, a degustação de dois tipos de champagne produzidos pela vinícola. Mercier

Champagne De Castellane

Avenue de Champagne – B.P. 136 – 51 204 Epernay. Conferir horários e reservar pelo tel. 00.33. (0)3.26.51.19.11. A visita compreende o acesso às caves, o conhecimento de instrumentos antigos e técnicas utilizadas na faricação da bebida. Quem está disposto a um pequeno esforço físico pode subir os 237 degraus que levam ao topo da Tour De Castellane (237 marches) do alto da qual se tem uma vista privilegiada de Epernay e da vinícola.  Castellane

Onde comer

Le Café du Palais – 14, place Myron-T.-Herrick. Tel. 03-26-47-52-54. O bistrot, fundado em 1930,  é famoso pela qualidade de sua gastronomia e sua decoração Art déco.

Domaine Les Crayères – 64 Boulevard Henry Vasnier em Reims, outro bom endereço. A casa tem em seu menu deliciosas especialidades champenoises, e uma carta de vinhos com centenas de rótulos de champagne das melhores marcas.

Dicas
Um passeio agradável para quem está motorizado é fazer um tour por conta própria pela montagne de Reims, com vista panorâmica da cidade e dos vinhedos.

A Região de Champagne – Próxima de Paris, a Região de Champagne é o berço de uma das bebidas mais apreciadas do mundo. Saiba mais sobre a Região de Champagne.

Reims – A capital da Região de Champagne, por sua situação estratégica, é a melhor base para quem deseja visitar a região. Saiba mais, veja fotos e dicas sobre Reims.

Imagens

Paris em imagens  Fotos dos lugares de especial interesse turístico.

A França  em imagens  Fotos da França e suas regiões.