Caribe

Caribe: ilhas paradisíacas

O Caribe tem inúmeras ilhas paradisiacas, de sonho: é só escolher: as badaladas Aruba, St. Barthélémy e San Martin; o chique arquipélago das Bahamas, a pequeninha Curaçao, a República Dominicana, a Jamaica, terra do reggae… Boas opções para quem não quer ir muito longe e prefere um lugar onde se fala o espanhol são a Isla Margarita, pertencente à Venezuela, e San Andrés, que faz parte da Colômbia. Ambas são menos caras e badaladas do que maioria das ilhas caribenhas, mas têm o mesmo mar turquesa e boas praias.

Mapa do Caribe

Como ir

O Caribe é um destino incômodo, com escalas e conexões obrigatórias: na maior parte das vezes, um verdadeiro “chá de aeroporto”. Para as ilhas caribenhas, aparecem vôos diretos fretados, geralmente em pacotes que incluem também hotel e traslado, vendidos pelas grandes operadoras, ou cruzeiros (avião até Miami + navio). Fora desse esquema, há poucas alternativas. Há vôos para a República Dominicana, com escala na Cidade do Panamá, pela COPA.

Para entender melhor, olhe o mapa: para as ilhas mais ao norte (exceto Cuba) é mais prático ir via Miami. Há oscilações significativas nos preços das passagens, dependendo sobretudo da alta estação nos Estados Unidos.

Para as ilhas mais próximas à América do Sul, como Aruba e Curaçao, pode-se ir via Bogotá (Colômbia) ou via Caracas (Venezuela) e de lá tomar um vôo por uma companhia local.
Há grandes diferenças entre preços de passagens e de pacotes oferecidos por cada operadora. Nosso conselho: pesquise a fundo as ofertas vigentes antes de viajar!

Veja passagens aéreas e pacotes

Onde se hospedar

Escolha e reserve seu hotel nas ilhas do Caribe

Melhor época

Faz calor o ano todo. Entre julho e novembro pode  (não necessariamente…) ocorrer tufões.

Atrações turísticas

St. Barthélémy

É uma ilha francesa com influência sueca, visível nas casas e outras construções de Gustávia, a capital. Apesar de ser um lugar chique, com elegantes marinas e hotéis de luxo, a pequenina St. Barth, como é conhecida, é também acessível aos reles mortais. Além de ter belíssimas praias, é um dos lugares mais seguros do planeta e a melhor maneira de conhecê-la é alugando um carro.

República Dominicana

A língua oficial é o espanhol. Está começando a atrair a atenção dos turistas brasileiros em razão de seu litoral lindo, e por ser um país com boa infraestrutura para turismo e preços acessíveis. A capital, São Domingos, é uma cidade bastante agradável e de interesse histórico. Suas construções coloniais mais importantes são a Catedral Santa Maria de la Encarnación, a Casa del Príncipe (um curioso palácio do século XVI) e uma fortaleza espanhola da mesma época, o Forte de São Domingos.

Bahamas

Formadas por centenas de pequenas ilhas, são procuradas por mergulhadores por causa do mar de absoluta transparência. Os mega-hotéis de alto luxo formam um mundo artificial com pretensões a Disneyworld, num gosto que agrada em cheio aos novos-ricos americanos. Nassau, a capital, é uma boa base para explorar esse arquipélago de população negra e língua inglesa. As Bahamas são também um ponto obrigatório de todos os navios de cruzeiro que circulam pelo Caribe.

Aruba

Essa possessão holandesa, bem perto da América do Sul, é uma das ilhas favoritas do turista brasileiro no Caribe. Oranjestad, a capital, conserva uma arquitetura de influência holandesa e oferece, além das praias, cassinos. A parte central da ilha tem cavernas com desenhos pré-colombianos (repletas de morcegos!) e uma paisagem cheia de cactos. Como nas demais ilhas caribenhas, o fundo do mar é sempre uma atração para mergulhadores (pode-se ver até um navio afundado da época da Segunda Guerra).

O windsurf também é popular em Aruba. Para os menos aventureiros, há passeios em veleiros e até num pequeno submarino. Aruba também tem espaço para os que gostam de um agito diferente: uma discoteca flutuante.

De Aruba pode-se visitar Bonaire, outro lugar perfeito para os que gostam de mergulhar, e Curaçao, também nas Antilhas Holandesas. St. Martin e St. Marteen são, respectivamente, território francês e holandês de uma mesma ilha, ambos com estrutura turística de alto padrão e variedade de atrações recuperadas graças a investimentos maciços após os danos causados pela passagem de um furacão há alguns anos.

Jamaica

País de colonização inglesa, terra do reggae e dos rastafaris, oferece as mesmas paisagens: praias de areias douradas rodeadas de coqueiros… É uma ilha grande, que não vive exclusivamente do turismo e apresenta uma cultura nativa mais preservada do que as demais. Ao pé das Montanhas Azuis, fica Kingston, a capital, uma cidade suficientemente grande para fugir ao modelo dos balneários do resto da Jamaica e da maior parte das ilhas do Caribe. Há vida cosmopolita, agitos noturnos com inúmeras boates e danceterias e atrações culturais. Infelizmente não é um lugar tão tranqüilo quanto as demais ilhas caribenhas, mas se você vem de São Paulo ou do Rio, estará mais seguro por lá…

A melhor época

No Caribe faz calor o ano inteiro; não há nenhuma diferença expressiva de temperatura entre as estações. É um lugar para o qual você precisa levar apenas roupas leves e de praia. Mas atenção: de agosto a outubro, podem ocorrer tufões em algumas regiões.

Dicas

As ilhas caribenhas são geralmente pequenas e as distâncias são curtas. Só em Cuba, bem maior, roda-se mais. De modo geral, as estradas são razoáveis em praticamente todo o Caribe.

Nas ilhas, pode ser um bom negócio: as distâncias são pequenas; algumas das ilhas podem ser percorridas num só dia e há boas locadoras em todas elas. Na Jamaica e nas Bahamas, guia-se à esquerda.

Existem em todas as ilhas ônibus locais e turísticos de qualidade variável, mas via de regra satisfatórios.

Há inúmeras excursões e passeios que podem ser feitos de barco. Você pode comprar os bilhetes por lá.