Atrações em Cusco

Plaza de Armas Cusco, Peru

Atrações em Cusco

Mapa de Cusco

 Callle Procuradores

A mais movimentada das ruas que saem da Plaza de Armas é a Calle Procuradores, estreita, cheia de gente, com muitos restaurantes, lojas de roupas transadas e, eventualmente, tipos suspeitos oferecendo drogas. Chega a incomodar o assédio de pessoas que quase esfregam cardápios nos narizes dos turistas, tentando arrastá-los para determinado restaurante. É o que chamamos marketing agressivo!

Plaza de Armas de Cusco

A bela praça cusquenha é toda rodeada de construções coloniais, com balcões formando uma passagem coberta sobre a rua. Em torno da praça e nas ruas vizinhas estão os principais restaurantes, agências de viagens, lojas, o escritório oficial de turismo, casas de câmbio, barzinhos e cafés; é o centro do agito.

Vídeo sobre turismo em Cusco

As igrejas barrocas da Praça de Armas de Cusco

Duas igrejas dominam o cenário da praça. A grandiosa catedral em estilo barroco e planta em forma de cruz latina, com três naves, começou a ser construída em 1559 sobre o antigo palácio do Inca Viracocha, mas a obra foi interrompida em 1564 por falta de fundos e tocada lentamente, sendo concluída somente em 1669.

Seu rico interior é decorado com pinturas religiosas (os famosos cusqueños), esculturas em madeira e prata cinzelada e belos móveis do período colonial. Também barroca é a Igreja de la Compañia, erguida pelos jesuítas a partir de 1576, no local onde ficava o palácio Amarucancha de Huayna Cápac. Em 1650, a igreja foi seriamente abalada por um terremoto; sua reconstrução tomou 17 anos. Sua imponência e a suntuosidade de seu interior irritaram o arcebispo de Cusco, que foi se queixar ao papa…

Calle Loreto

A rua que começa na Plaza de Armas, ao lado da Igreja Jesuíta de la Compañia, conserva ainda muros incas. Um deles é parte do recinto das Virgens do Sol, e pertence ao hotel Loreto

Mosteiro de Santa Catalina

Fundado em 1601, está situado no local onde ficava o Acllahuasi (recinto das Virgens do Sol). Cerca de três mil dessas meninas e mulheres habitavam o local quando os espanhóis chegaram a Cusco.

Destruído pelo terremoto de 1650, o mosteiro foi reconstruído, ganhando uma igreja anexa e só terminado em 1669. Foi convertido em museu de arte sacra e guarda peças barrocas, esculturas, quadros e pinturas murais. Além da peças expostas, o mosteiro é em si uma atração por sua arquitetura.

La Merced (igreja e convento)

A igreja e o convento, fundados em 1536, são dos mais antigos da cidade. Como ocorreu com outros prédios coloniais de Cusco, foram abalados pelo terremoto de 1650. A igreja, de estilo renascentista tardio, ganhou ares barrocos após a reforma. Na cripta estão os restos mortais de Diego de Almagro e de seu filho, que assassinou Pizarro. O claustro, transformado em museu, conserva uma ornamentação riquíssima em entalhes de cedro, com a parte inferior renascentista e a superior barroca. Dê uma olhada no enorme relicário do século XVII, incrustado de diamantes e pedras preciosas.

Em uma das salas destinadas à exposição de peças de arte (do lado esquerdo de quem entra) há uma pequena e curiosa escultura de Cristo com a Virgem, ambos com traços fisionômicos e trajes índios; uma espécie de Pietà incaica. Na cela subterrânea do frei Francisco de Salamanca há murais com imagens do céu e do inferno. A restauração, que trouxe de volta a vivacidade de suas cores, está se estendendo a todo o conjunto arquitetônico.

Santo Domingo (igreja) e Qoricancha

A visita à igreja e ao convento de Santo Domingo, construídos no local onde se situava o mais espetacular templo inca, o Qoricancha, dedicado ao culto do deus-sol, é particularmente interessante, pois permite observar as paredes originais incas, que foram aproveitadas na obra. A construção dos espanhóis desabou quase inteiramente com o terremoto de 1650, enquanto os muros incas mantiveram-se em pé.

Conta-se que os muros do Qoricancha eram recobertos de ouro e prata, com figuras de deuses, e que o templo guardava no seu interior um valioso tesouro. Isso teria aguçado a cobiça dos espanhóis, que simplesmente derreteram tudo, transformando peças de arte em lingotes. O campanário da Santo Domingo, em estilo barroco cusquenho, foi erguido após os tremores de terra ocorridos entre 1729 e 1731. .

Calle Hatun Rumiyoc

(Continuação da Calle Triunfo, travessa da Plaza de Armas). Em um dos muros incas que ladeiam essa rua está a famosíssima pedra de 12 lados. Ninguém que passa deixa de conferir se é verdade (e alguns se enganam, achando que tem onze…). Os cusquenhos fazem piada, dizendo que enquanto esse muro, cujas pedras são encaixadas com absoluta perfeição, foi construído pelos incas, o outro bem em frente, erguido pelos conquistadores, é obra dos incompetentes… Compare os dois e conclua você mesmo.

Museo de Arte Religioso (Palacio Arzobispal)

Funciona no palácio do arcebispo de Cusco, que foi construído aproveitando-se as paredes do palácio do Inca Roca, parte do conjunto monumental incaico no centro da cidade. Seu acervo é composto pelo melhor da arte religiosa cusquenha: móveis e peças religiosas se espalham pelas salas bem decoradas do palácio.

Museo de la Casa del Almirante (Museo Inka)

O museu arqueológico está instalado num casarão do século XVII que pertenceu ao almirante Francisco Alderete Maldonado. Agregado à Universidad Nacional San Antonio Abad del Cusco, é um dos mais interessantes do gênero no Peru e reúne peças incas, tecidos, objetos cerimoniais, cerâmicas, móveis, joias e estatuetas de divindades incaicas.

O mais impressionante, entretanto, são as múmias expostas, que permitem ver como os corpos eram embalsamados. A conservação dos corpos era facilitada pelo clima seco dos Andes, o que é mais visível no caso das crianças de famílias nobres que, adornadas com roupas finas e joias, eram sacrificadas aos deuses no alto de montanhas e mumificadas naturalmente. Apesar de ser um museu arqueológico, possui também uma boa coleção de retratos incas do século XVII. Na porta do museu, guias independentes oferecem seus serviços. Combine o preço antes de iniciar a visita.

Museo de Arte Precolombino

Funciona no palacete colonial de Alonso Díaz, erguido sobre uma construção inca. O museu apresenta peças de arte e objetos, não apenas da cultura incaica, mas de diversas culturas pré-colombianas, com salas temáticas sobre as civilizações Nazca, Huari, Moche, Chancay e Chimú. Aproveite e veja, também na Plaza de las Nazarenas, a Casa Cabrera, de arquitetura colonial, com arcadas e um brasão de armas na fachada.

San Blás (Igreja) – Plaza San Blás. Fica no alto de uma ladeira, a Cuesta de San Blás, que desemboca numa numa pracinha bem charmosa. Construída no século XVI, é a mais antiga igreja de Cusco, erguida onde anteriormente existia um templo inca dedicado a Illapa, o deus do trovão. Seu fabuloso púlpito foi esculpido em cedro por artistas nativos. No bairro San Blás há muitas lojas de artesanato, galerias de arte e hotéis.

Museo de Historia Regional (Casa Garcilaso)

Funciona na casa onde morou Garcilaso de la Vega, o primeiro escritor mestiço de importância nacional no Peru. O museu conserva móveis e objetos utilizados por ele e uma coleção de pinturas cusquenhas, peças arqueológicas e cerâmicas.

Casa dos Quatro Bustos

 Calle San Augustín, 400. Bom exemplo de arquitetura colonial, com quatro bustos na fachada.

Atrações nos arredores

Nos arredores de Cusco fica o Valle Sagrado, um percurso fascinante, que pode ser feito em um dia, embora o ideal seja passar uns dois ou três dias percorrendo o Valle. Veja as Atrações no Valle sagrado dos Incas

Relatos de viagem

A Trilha Inca | Viagem pelo Valle del Colca

Maquina fotografica

O Peru em imagens Fotos dos lugares de especial interesse turístico.