Vicenza
Vicenza, Itália
Vicenza, Itália

Vicenza

Vicenza, para os padrões italianos, é grandinha.

Mapa de Vicenza

Como ir

Veja preços de pacotes e passagens aéreas

Avião

Não há voos diretos do Brasil. O aeroporto de Vicenza tem voos domésticos para diversas cidades italianas.

Trem

Há trens diretos de Milão (2h) e Veneza (1h).

Carro

De Veneza (48 km) ou de Milão (200 km) pegue a A4.

Hotel em Vicenza

Escolha e reserve seu hotel em Vicenza

Reserva pelo Booking.com

O Booking.com é um meio fácil e seguro de reservar seu hotel ou apartamento em cidades no mundo todo. Você não tem praticamente trabalho algum e não paga nada a mais por isso. Você pode pesquisar ofertas entre uma enorme variedade de estabelecimentos. Muitas vezes acaba pagando menos do que negociando com o próprio

Vídeo de turismo sobre a região de Vicenza

Atrações

Cidade romana

Foi fundada antes da era cristã, depois destruída pelos bárbaros no fim do século IX a.C., Vicenza teve uma história agitada, envolvendo-se nas rivalidades de suas vizinhas Verona e Pádua até ser anexada a Veneza em 1404, quando passou a desfrutar grande desenvolvimento. A cidade possui um importante patrimônio arquitetônico constituído de villas e palácios projetados pelo renascentista Andrea Palladio, o maior arquiteto de sua época, e por seus discípulos. Esses edifícios são responsáveis por fazer Vicenza integrar o Patrimônio da Humanidade da UNESCO. Site oficial de turismo de Vicenza.

Piazza dei Signori

Nessa praça estão alguns dos principais palácios e monumentos da cidade, como a Basilica, iniciada em 1549, que é na verdade um edifício administrativo e não uma igreja, como o nome faz supor. Sua fachada branca é ainda mais bonita à noite! Outras construções dignas de nota são a Torre Bissara, do século XII, com 82 metros de altura, a Loggia del Capitano e o Palazzo Monte di Pietà, do século XV, onde fica a igreja de San Vicenzo.

Corso Palladio e arredores

Quem quiser conhecer as obras de Palladio deve dar uma volta pelo Corso Palladio e pelas ruas no entorno, onde estão alguns dos mais importantes palácios da cidade, quase todos deixados pelo mestre e por seus discípulos. Entre os mais importantes estão o neoclássico Schio, no Corso Palladio, e o Valmarana, no Corso Fogazzaro, no 16. Na Contrà Porti (contrà significa “rua” no dialeto local), uma travessa do Corso Palladio, estão a Porta Colleoni, em estilo gótico, no no 19; o Porto Breganze, no número 17; e o Barbaran, no no 11, na esquina com a Contrà Riale. O projeto do elaborado Thiene, na Contrà Gaetano Thiene, de inspiração oriental, faz parte do tratado deixado por Palladio: Os Quatros Livros da Arquitetura.

Museo Civico

End. Piazza Matteotti. ( 0444/222811. Funciona no Palazzo Chiericati, construído em 1549, ornamentado por estátuas, com arcos e colunas jônicas, e possui um bom acervo de obras de Tintoretto, Mantegna, Carpaccio e Veronese. Museo Civico

Teatro Olimpico

Piazza Matteotti. Esse teatro, iniciado por Palladio em 1580 e terminado por seu discípulo Scamozzi, apresenta, além da beleza plástica, duas curiosidades: a de ter sido construído em estuque e madeira e a de ser o mais antigo teatro coberto do continente europeu. Antes dele, todos os teatros eram a céu aberto, como os dos gregos e romanos. Neoclássico ao extremo, o teatro tem como maiores destaques as colunas, as estátuas e os trompe l’oeils.

Villa Rotonda

Fica a 2 km a sudeste de Vicenza. Essa villa, que é provavelmente a maior obra-prima de Palladio, foi construída em 1570 sobre uma pequena elevação do terreno, o que acentua sua imponência. Com traços que lembram um templo grego, destacando-se pela graça e pela perfeição de suas linhas, o edifício possui uma planta em forma de mandala, com absoluta simetria.

Villa Valmarana ai Nani

La Villa dei Nani, 8. Fica a 2 km ao sul de Vicenza.  O epíteto ai nani (“dos anões”) dado a essa villa construída a partir de 1669 vem das estátuas de anõezinhos que adornam seus muros. O interior do imóvel foi decorado no fim do século seguinte com afrescos de Gian Battista Tiepolo e de seu filho Gian Domenico, inspirados na mitologia greco-romana, em cenas do dia-a-dia na região do Vêneto e no Carnaval de Veneza.