Arquivo da tag: preparando

Viajar em qual estação do ano?

Todo mundo que pensa em viajar se depara com o mesmo problema: quer visitar um destino qualquer, mas quando para, pensa, ou pesquisa sobre temperaturas e chuvas, depara com realidades que podem estragar completamente a viagem. Quer conhecer Moscou, mas só consegue viajar em janeiro, quando as temperaturas podem estar dezenas de graus abaixo de zero. Ou pensa em visitar a Índia e só terá tempo para isso em agosto, quando as temperaturas atingem os quarenta graus e chove torrencialmente. Comprovadamente, viajar na época errada é quase sempre uma mega roubada.

A primeira coisa a ser vista

Por isso mesmo, a época certa é a primeira coisa que temos que pensar quando o assunto é viagem.  Se a época for muito inadequada desista. Pense em ir para outro lugar onde o clima seja mais civilizado. Enfim, sem radicalismo…  Abriremos uma exceção para Paris… Até na época mais inadequada (janeiro ou agosto), se não for possível mudar a data do embarque, Paris é uma viagem que não dá para perder. De qualquer forma, é altamente recomendável sempre olhar tabelas de temperaturas e chuvas. Veja abaixo:

Confira a melhor época para os principais destinos

Que tipo de atrações quer conhecer?

Outro ponto importante é o tipo de atrações que cada lugar oferece. Muitas cidades têm um grande número de atrações em ambientes fechados e aquecidos. É o caso de Paris, Amsterdã, Londres, Roma, e outras cidades europeias, com excelentes museus, exposições de arte etc. Em outros lugares, onde a maior parte das atrações fica a céu aberto, viajar na época certa se torna ainda mais importante.

Melhores destinos nas quatro estações

Cada estação do ano tem duração de três meses, uns mais frios outros mais quentes. A primavera no hemisfério sul  não corresponde à mesma estação do ano no hemisfério norte. Quando é primavera aqui, é outono por lá. Por isso mesmo, em cada hemisfério os melhores destinos primaveris não são os mesmos.

Primavera

De modo geral, a primavera é considerada por muitos como a estação perfeita (embora o outono também possa ser uma estação agradável). Raramente o frio ou o calor são excessivos. Os belíssimos parques e jardins europeus explodem em flores. É baixa temporada, há menos turistas. Primavera é tudo de bom!

Primavera no Hemisfério Sul  

Começa em  22 de setembro e termina no dia 21 de dezembro

É uma estação excelente para se viajar praticamente por toda a América do Sul, pela África do Sul, Polinésia FrancesaNova Zelândia e Austrália

Primavera no Hemisfério norte

Começa em 20 de Março e termina em 21 de junho

O menu de lugares que você pode visitar é amplo e inclui (entre outros) Canadá,  Europa, México e Caribe, Japão, Bali, Tailândia, Norte da Índia. As exceções são os destinos em alta latitudes (extremo norte do Canada e da Europa, Alasca), onde faz frio quase todo o ano e mesmo a primavera pode ser gelada.

Vantagens e desvantagens de se viajar na primavera.

Vantagens
Temperaturas geralmente amenas, não há excesso de turistas, passagens aéreas e hospedagens com ofertas tentadoras.

Desvantagens
Dependendo do mês (fim da primavera no hemisfério sul e início da primavera no hemisfério norte), os dias podem ser curtos. Por volta das quatro da tarde o dia já não está mais tão claro.

Verão

Verão no Hemisfério Sul  

Começa em  21 de dezembro e termina em 22 de março

Apesar do calor, que pode ser excessivo, é a única época no Brasil em que muita gente consegue tirar férias. Muitas empresas preferem dar férias coletivas para todo mundo nessa época. Os principais destinos turísticos estão lotados. Os preços das diárias de hotéis disparam. Mas é uma boa estação para se viajar pelo Brasil (nos referimos às praias, temos o litoral mais lindo da hemisfério sul!), mas também pela Patagônia Andina, Terra do Fogo ArgentinaPatagônia e Terra do Fogo chilenas, Nova Zelândia, principalmente a South Island, onde as temperaturas são mais amenas.  Na Austrália o verão é muito quente, mas quem quer surfar, mergulhar e adora praia curte. Infelizmente, aqui Brasil, no litoral carioca e no litoral norte paulista, principais destinos turísticos brasileiros, fica tudo lotado e chove muito no verão. A mesma coisa sucede como Peru, outro super destino. É uma pena!

Verão no Hemisfério norte

Começa em 21 de junho e termina no dia 22

O verão é a época ideal para se visitar os destinos muito frios, de alta latitude (regiões relativamente próximas ao Polo Norte), como o extremo norte do Canadá, o Alaska, a Groelândia, o extremo norte da Escandinávia e a Rússia (começo  final de verão). Convém lembrar que, na maior parte da Europa, e mesmo nos Estados Unidos, as altas temperaturas incomodam tanto quanto o frio excessivo no inverno.

Vantagens e desvantagens de se viajar no verão

Vantagens
Dias longos. Agrada em cheio aqueles que “adoram calor”. Em muitos lugares é uma época seca, e a preferência da maioria das pessoas que querem mar e praia. É também a melhor época (para muitos, a única) suportável para se visitar lugares muito frios. Finalmente, é a única época do ano em que boa parte dos brasileiros podem tirar férias.

Desvantagens
 Faz um calor desagradável em boa parte do mundo, na Europa, Estados Unidos, Canadá. Quem já foi para Roma, Lisboa ou Sevilha em agosto sabe disso…) É a alta temporada: tudo está lotado e caro. Mesmo o preço das passagens aéreas disparam.

Outono

Outono no Hemisfério Sul

Começa em torno de 20 de março e termina em torno 21 de junho

É uma boa época para se viajar por uma infinidade de destinos em todo o hemisfério sul: Brasil, Austrália, Nova Zelândia,  Tahiti,  África do Sul, quase toda a América do Sul (exceto as regiões muito meridionais e geladas, como Terra do Fogo ou Patagônia.

Outono no Hemisfério Norte

Começa em torno de 22 ou 23 de setembro e termina a 21 ou 22 de dezembro

O outono tanto quanto a primavera, é uma excelente época para se viajar pelo hemisfério norte: Europa, Estados Unidos, Canadá. Há exceções. Nas regiões influenciadas por climas polares pode estar muito frio.  Felizmente, no outono, em quase todo o planeta, raramente faz muito frio ou muito calor. As paisagens avermelhadas também são espetaculares. No caso das regiões tropicais do México e do Caribe, o outono também é agradável. Mas essa é também a chamada “temporada dos tufões”. Muita gente não dá muita bola para isso porque a possibilidade de estar no lugar errado, na hora errada e ter que encarar um tufão é muito remota, principalmente um de categoria 5, especialmente violento. Seria muita falta de sorte!. Mas é bom, antes de embarcar,  dar uma consultada na previsão do tempo, sobretudo se você pretende viajar para a região caribenha em setembro ou outubro. No sul do Caribe, nas proximidades da costa sul-americana não costumam ocorrer ciclones nem tufões.

Vantagens e desvantagens de se viajar no outono

Vantagens
Temperaturas agradáveis ou amenas em todos os lugares; não há excesso de turistas; as passagens aéreas e diárias de hotel têm custo razoável. As paisagens são lindas.

Desvantagens
O final do outono pode ser um pouco frio em muitos lugares na Europa e nos Estados Unidos. (Canadá, nem se fala…) O meses mais frios correspondem ao fim da primavera no hemisfério sul e início da primavera no hemisfério norte. Nessa época os dias se tornam mais curtos, à medida que nos aproximamos do inverno.

Inverno

Inverno no Hemisfério Sul

Começa em torno de 22 de junho e termina por volta de 21 ou 22 de setembro

É a única época para quem quer curtir uma eventual neve em São Joaquim, no Estado de Santa Catarina, um friozinho em Gramado ou Campos do Jordão. Também é um bom momento para visitar outros lugares do Brasil, como as Cidades Históricas de Minas Gerais por exemplo. E, no Nordeste do Brasil – no Maranhão, Ceará, Pernambuco, Bahia, Alagoas etc é sempre calor, pode-se pegar praia o ano todo, mesmo no inverno. Também é a única época do ano para se esquiar no Chile ou na Argentina. Outro dica é o Peru. As principais atrações ficam no Altiplano, onde a diferença de temperatura entre o inverno e o verão não é significativa. É sempre um pouco frio em razão da altitude: 4 mil metros. A diferença é que no inverno, ao contrário do verão, é seco, o céu é azul.

Inverno no Hemisfério Norte

Começa em torno 21 dezembro e termina por volta de 20 de março

Pode ser uma época agradável no Caribe, por exemplo.  Também é a melhor época para se visitar as regiões baixas da Índia e a Tailândia. Mas não é o momento ideal para a Europa (exceto para praticantes de esportes de inverno) e América do Norte.  O México pode ser visitado, não pela praias, mas por suas ruínas arqueológicas. Quem não é muito friorento pode encarar o sul da Europa (Sul da Itália, Sicília, Portugal  ou a Andaluzia, na Espanha. É um frio fácil de encarar.

Dicas
  • Agora que você sabe a época do ano em que vai viajar, veja a bagagem que deve levar.

Informações práticas

Como ir

Veja passagens aéreas e pacotes

 

Extravio de bagagem: cadê minha mala?

Extravio de bagagem faz parte da vida de quem viaja muito. É uma questão de estatística: quanto mais você viaja, maiores as chances de, um dia, acontecer com você. Na maioria das vezes, a mala é encontrada e devolvida depois de alguns dias. Mas você passa por aborrecimentos e pode recebê-la de volta arrombada pelo serviço de segurança de algum dos aeroportos pelos quais a danada passou.

O pesadelo começa assim: você desembarcou, passou pelo serviço de imigração e está esperando sua mala passar pela esteira. As malas vão passando, cada um vai pegando a sua. Quando vê, só sobrou você.  Atento, você continua esperando… Mas a sua mala não aparece!

O que fazer se sua mala se extraviar?

A primeira coisa – e a mais importante – é reclamar sobre o extravio no guichê da companhia aérea, ali mesmo na área de entrega das bagagens. Isso deve ser feito imediatamente.

Ajuda muitíssimo na localização você poder descrever sua mala fujona. De que cor ela é? De que marca? Tem uma etiqueta com seu nome nela? Tem alguma coisa nela que ajude a distingui-la das outras?

Peça algo por escrito que comprove que você fez a queixa.

Na maior parte das vezes, em dois ou três dias a mala será entregue onde você estiver hospedado. Se isso não acontecer, entre em contato com a companhia aérea para reclamar e acione o seu seguro de viagem.

Como diminuir o risco de extravio

Chegando ao hotel ou antes de uma conexão, arranque o tíquete “velho” que está na sua bagagem com o código de barras que indica o destino, para evitar confusão quando for tomar o próximo voo.

Evite conexões com intervalos curtos. Extravios de bagagem são mais frequentes quando se faz uma conexão aérea. Quanto menor o tempo entre a chegada de um voo e a partida do outro, maiores são as chances de o extravio ocorrer.

Não despache malas abarrotadas, quase “estourando”, nem malas sem identificação. Essas são as prediletas dos serviços de segurança, que irão abri-las e revistá-las, aumentando o risco de não embarcarem no seu avião.

Como minimizar os aborrecimentos pelo extravio de sua mala

Evite a todo custo transportar itens de valor na bagagem de compartimento. Se precisar mesmo fazê-lo,  vale a pena se informar antes sobre a abrangência do seu seguro-viagem e das responsabilidades da companhia aérea, que variam de país para país.

Como já orientamos no post sobre bagagem de mão, coloque na sua bagagem de mão (a que você leva para dentro do avião) tudo que possa ser realmente necessário até sua mala ser recuperada. Tudo o que for de valor ou importante para você deve ficar ao seu alcance, nunca na mala que é a bagagem de compartimento.

Tenha consigo sempre uma muda de roupa. Desembarcar cansado sem ter roupa limpa para trocar é uma experiência desagradável.

Como facilitar a localização de sua mala

Ao despachar a mala, guarde o comprovante de entrega da bagagem em um lugar seguro. Em geral, o funcionário cola o comprovante no verso do cartão de embarque. Lembre pelo menos em que bolso o guardou.

Identifique sua mala com uma etiqueta resistente da qual constem seu nome, telefone e e-mail.

Além da etiqueta do lado de fora, coloque outra dentro da mala com os mesmos dados. Essa providência é útil no caso de extravio, porque malas cujas etiquetas se perderam são arrombadas pela segurança dos aeroportos; se pelo menos seu nome estiver dentro dela, saberão que é sua.

E se minha mala não aparecer?

 

Caso, por absoluta falta de sorte, sua bagagem não seja recuperada, a companhia aérea deverá indenizar, mas o valor do reembolso normalmente não cobre o prejuízo.

Em geral, seu seguro viagem também poderá ser acionado.

aviao_nepal
Aeroporto de Pokhara, no Nepal

Quando você for tomar seu avião

Apresentar-se no balcão de embarque com antecedência

Para tomar vôos internacionais você deve se apresentar no balcão da companhia aérea duas horas antes do horário de embarque. Para vôos domésticos uma hora de antecedência é suficiente. Calcule, com sobra, o tempo de sua casa até o aeroporto, considerando a possibilidade de congestionamentos. Em muitas cidades brasileiras (é o caso de São Paulo), no verão principalmente, chuvas torrenciais provocam enchentes que paralisam o trânsito, dificultando o acesso aos aeroportos. Além disso, nas vésperas de feriados prolongados, bem como no início e no fim das férias escolares, quando é grande o fluxo de passageiros, é recomendável programar sua chegada ao aeroporto com uma antecedência um pouco maior.
Antes de embarcar para o exterior você deve registrar na Receita Federal objetos e aparelhos de valor. Hoje em dia máquina fotográficas digitais comuns não exigem registro. Guarde o documento que lhe fornecerem. Ele será seu comprovante de que o aparelho em questão já lhe pertencia ao embarcar e que portanto não poderá ser tributado na volta. Como nada é perfeito, leve em conta que o registro pode levar algum tempo, conforme o tamanho da fila, e que os postos da Receita Federal não funcionam 24 horas por dia… Se seu vôo sai, por exemplo, de madrugada, é melhor informar-se antes sobre como proceder.

O check-in

No balcão da companhia aérea, examinarão sua passagem, conferindo-a no computador. Você receberá o cartão de embarque e sua bagagem de compartimento será despachada. Isso é o check-in. Pedirão também seu passaporte, com o visto, se for o caso, ou o RG, caso seu destino seja no Brasil ou em países como Argentina, Uruguai, Paraguai, Peru, Bolívia ou Chile.

Escolher sua poltrona

Por ocasião do check-in, será definida sua poltrona no avião. As poltronas situadas perto das portas de emergência costumam ser mais espaçosos, principalmente na frente do assento. Nem sempre é possível conseguir um lugar desses, geralmente reservados para pessoas com algum problema de saúde, mães com crianças etc., mas não custa tentar. Caso você tenha reservado seu assento com antecedência, cobre do funcionário para que não haja “esquecimento”. Quanto mais cedo você fizer o check-in, melhores serão as chances de pegar um bom lugar. Os lugares a serem evitados são aqueles próximos à asa (que prejudica sua visão e tem o barulho das turbinas) e os que ficam junto dos toaletes (em razão do entra-e-sai de gente).

Sua bagagem

Sua bagagem maior e mais pesada será registrada como bagagem de compartimento e despachada. Tranque à chave essa(s) mala(s) e mantenha a(s) chave(s) à mão ao desembarcar (ou use cadeados de código), para o caso da alfândega do país de destino querer abrir sua mala. Cole ou amarre, na bagagem, uma etiqueta com seu nome, endereço e telefone no Brasil; se tiver um endereço no exterior, escreva-o também. Quando a bagagem de compartimento é registrada num balcão de companhia aérea, nela é colado um tíquete com o destino e o número de registro. Você receberá um canhoto desse tíquete. Não o perca, pois ele poderá ser exigido num controle no aeroporto de destino ou para que você possa recuperar sua bagagem em caso de extravio.

Bagagem de mão

Todas as companhias aceitam que o passageiro carregue, para dentro do avião, uma valise não muito grande – a “bagagem de mão”. Nela você deve colocar tudo o que for de valor (tanto documentos quanto objetos e jóias), o que for quebrável, como sua máquina fotográfica, e o que possa ser útil durante a viagem ou no desembarque: um pulôver se estiver indo para um lugar frio, um nécessaire com material de toalete, um livro, pelo menos uma muda de roupa (leia mais adiante no item Extravio de Bagagem), medicamentos que possam ser necessários durante o vôo, uma caneta, caderneta de anotações, etc. Um casaco mais volumoso, que ocuparia muito espaço na sua mala, pode ser levado pendurado no braço para dentro do avião. Não é demais alertar: nunca aceite transportar consigo pacotes ou bagagens de desconhecidos que o abordem nos aeroportos em qualquer lugar do mundo.

Cartão de embarque

Você receberá também seu cartão de embarque com o número de vôo, poltrona, horário e porta (gate em inglês) pela qual você embarcará após passar pela Polícia Federal, que carimbará sua saída do Brasil no passaporte. Conhecemos o caso de uma moça que despachou o passaporte na bagagem de compartimento… O horário de embarque deve ser respeitado. O fato de ter feito o check-in não significa que a companhia aérea vá esperar por você. Portanto, não se esqueça da vida no free-shop.

Pucón, Patagônia Chilena

Programa de milhagem, como funcionam?

Na teoria, os programas de milhagem funcionam assim: você faz um certo número de voos com uma companhia e obtém direito a um upgrade, a passagens gratuitas ou a algum outro benefício proporcional à quantidade de milhas dos voos que fez.
Na prática, os programas de milhagem podem não ser tão atraentes quanto parecem para quem viaja pouco. Você precisa viajar com a mesma companhia aérea muito mais do que imagina para ter direito a algum benefício que valha a pena. Por outro lado, os programas de milhagem são úteis para quem viaja regularmente – o que geralmente é o caso de quem viaja a trabalho, mas nem sempre dos turistas. Isso porque, em boa parte das companhias aéreas, o que conta não é só a quantidade de milhas acumuladas: se você passar um período sem viajar, as milhas vão perdendo a validade, pois existe um prazo para que elas possam ser aproveitadas.

Dica – Não perca promoções interessantes de outra companhia apenas para manter fidelidade a uma determinada empresa, pois no final das contas suas milhas podem continuar sendo insuficientes para obter qualquer tipo de benefício.

A contabilização das milhas

A contabilização das milhas não é automática, sendo necessário avisar nos escritórios das companhias aéreas ou no momento do check-in que você quer que elas sejam computadas para uso do programa.
Não jogue fora seus cartões de embarque enquanto suas milhas não tiverem sido contabilizadas e confira periodicamente os seus extratos.
Ao decidir entrar em um programa desses, examine o regulamento. Certas companhias permitem que milhas acumuladas sejam transferidas a outra pessoa. Em outras empresas elas não valem para destinos mais “nobres” ou durante a alta temporada e a estação intermediária.

Os cartões de crédito que dão direto a milhas

Os cartões de crédito oferecem programas de milhagem, por meio de parcerias com algumas companhias aéreas. Nesses casos, seus gastos no cartão valem milhas. É um estímulo para usar bastante o seu cartão – inclusive para comprar com ele sua passagem aérea, pagar sua hospedagem durante a viagem e outras despesas. Quem faz altos gastos no cartão pode obter benefícios do programa mesmo que não viaje com frequência.

Foto - Bruges_03

O segredo de uma boa viagem é a informação

Não é demais repetir nosso “lema”: o segredo de uma boa viagem é a informação. Ler e levar consigo um bom guia é fundamental. Ocorre que, por mais rico que seja o conteúdo de um guia, ele é sempre seletivo nas informações – e justamente por isso é útil para quem viaja. Um livro que contivesse tudo o que diz respeito a um país ou cidade pesaria algumas toneladas, e seria dificílimo encontrar nele o que você procura; só o índice teria uma infinidade de páginas!

As palavras chave mais utilizadas no turismo

O importante é direcionar sua pesquisa. Se você vai para a Itália, não busque apenas o nome do país. Sua pesquisa é sobre viagem e turismo? então precisa deixar isso claro para os mecanismos de busca.  Coloque sempre “Itália+ Turismo”, “Itália + dicas de viagem” “Itália + transporte”.  Caso contrário vai achar um milhão de respostas, como “Pizzaria Itália”, “Sapataria Itália” etc.

Internet e planejamento de viagem

Nossa intenção nesta página é: 1) transmitir informações gerais relativas ao planejamento de qualquer viagem; 2) chamar a atenção e fornecer dados básicos sobre os principais atrativos nos quatro cantos do mundo, para você selecionar o que mais lhe interessa. Só que, obviamente, temos que abordar abreviadamente cada localidade ou atrativo. É nessa hora que entra a Internet. Sempre que possível, indicamos ao menos um site, de preferência oficial, sobre cada lugar. Quando uma localidade (ou museu ou instituição) não tiver o ícone : ao lado indicando que possui site próprio, ela será certamente mencionada no site da região ou do país onde está situada.

O rico conteúdo dos sites de turismo

Nos sites recomendados você encontrará uma infinidade de informações e imagens úteis para planejar sua viagem ou matar sua curiosidade sobre um lugar. Como a Internet não é seletiva, para usufruir o que ela proporciona o turista precisa saber procurar o que deseja e separar o joio do trigo. Por isso, fornecemos orientações básicas para quem for usar a Internet como ferramenta auxiliar no planejamento da viagem. Afinal, no interminável e tempestuoso oceano dos “https” e “wwws”, não dá para navegar sem bússola.

Em quais informações da Internet pode-se confiar?

Não acredite que, porque uma afirmação está sendo divulgada na internet, ela seja sempre correta ou atualizada. O turismo é uma área muito dinâmica: um determinado museu passa a ter entrada franca, outro fecha para reformas, o telefone de um hotel muda, um país deixa de exigir visto de turistas brasileiros… Nem mesmo bons sites governamentais oficiais – em princípio, bastante confiáveis – conseguem ser atualizados instantaneamente, “em tempo real”. Há porém informações com as quais você pode contar sem preocupação: o Museu do Louvre não mudará de endereço, a distância entre Berlim e Munique será sempre a mesma, e a data da Fiesta del Sol em Cusco!
Quando se trata de um produto ou serviço, nem há dúvida de que a informação mais confiável é a de quem o vende. Isso, é claro, quando quem o vende é confiável! Grandes e sólidas companhias e instituições não costumam correr o risco de abalar suas reputações fornecendo informações erradas sobre elas mesmas. Para saber quais são os horários e os preços de bilhetes de trem entre Paris e Lyon, consulte o site oficial da companhia ferroviária estatal francesa; para verificar quanto custam as diárias do famoso hotel Ritz, entre no site do próprio hotel – e assim por diante.

Informações que devem ser encaradas com certo cuidados

Informações vagas ou subjetivas dadas em caráter de propaganda devem ser analisadas com cuidado. Se o site de um hotel em Florença diz que ele fica “pertinho” da Piazza della Signoria, não acredite sem antes olhar um mapa. O que dizem ser “pertinho” podem ser dez quadras. E saiba que fotos de hotéis em sites costumam ser produzidas de modo que o quarto sempre aparenta ser maior do que é na realidade…

Que sites são úteis para quem vai viajar?

O site Manual do Turista Brasileiro

O www.manualdoturista.com.br é o mais completo site brasileiro sobre viagens destinado ao público nacional. Possui GUIAS ON-LINE sobre dezenas de países, muita informação, links úteis e fotografias. A enorme quantidade de imagens torna o site ilustrativo e particularmente agradável de ser navegado, além de ajudar o internauta a escolher o destino mais adequado a seus interesses.

A seção MATÉRIAS ESPECIAIS do site é repleta de artigos interessantes sobre história, cultura e arte, além de ser constantemente enriquecida com entrevistas nas quais viajantes de todas as idades relatam suas experiências.

Sites de turismo oficiais dos governos

Uma atenção especial deve ser dada aos sites oficiais de turismo de países, regiões e cidades, algo que, por incrível que pareça, passa despercebido pela maioria dos viajantes. Sejam do governo nacional, regional, provincial, municipal, não importa: quase sempre eles contêm uma boa parte das informações básicas que você precisa. Quanto mais turístico e rico o lugar a que se refere, a tendência é que o site seja mais completo e bem bolado. As informações que esses sites contêm são, em princípio, as mais confiáveis que você pode encontrar, pois é o próprio órgão de turismo do governo que as fornece. Eles costumam ter versões em diferentes línguas; em raros casos, também em português. Embaixadas e consulados de diversos países no Brasil também têm sites com seções dedicadas a informações turísticas.
Neles, você encontra uma fabulosa quantidade de informações sobre as atrações, mapas de cidades e países, mapas de linhas de transportes urbanos, listas de hotéis, links para empresas de transportes, dicas gastronômicas, endereços de restaurantes etc. Muitos sites oficiais têm fotos maravilhosas do lugar ou recursos muito interessantes, como câmeras 360º com lindas vistas da cidade.

O importante é saber fuçar e não se limitar a uma navegada superficial. Para achar o que deseja nos sites que indicamos, utilize as palavras chaves “turismo ou “dicas de viagem”, ou tópicos específicos, como “passagem aérea”, “hotel” ou “hospedagem”, “transporte”. Se o site em questão não tiver versão em português, é importante conhecer algumas palavras-chave em certos idiomas:

Turismo: tourism (IN); turismo (PT, ES, IT); tourisme (FR)
Viagem: trip, travel (IN); voyagem (FR); viaggio (IT)
Hospedagem: hotels, hostels, hostals, bed and breakfast (IN); hotels, logement, hebergement (FR); hoteles, alojamientos, hostales (ES); alberghi, soggiorni (IT)
Transportes aéreos: flights, airways (IN); vuelos (ES); avion (FR); aereo (IT)
Transportes ferroviários: trains, rail, railway (IN); trenes (ES, IT); trains (FR)
Transportes rodoviários: bus (IN), car (FR), omnibus (ES), autobus (IT)
Museus: museum (IN); musée (FR); museo (ES, IT)
Alugar um carro: rent a car (IN); location de voiture (FR); alquilar coche (ES); autonoleggio (IT)

Sites oficiais de outras entidades

Site oficial não significa necessariamente governamental. Pode ser de um museu, de uma companhia de ônibus, de uma operadora de turismo ou seja lá o que for, pertencente e administrado pela própria entidade, que tem as informações mais confiáveis sobre ela própria e os serviços que presta. Você ficará surpreso com a quantidade e o detalhamento dos dados que poderá levantar nesses sites.

Sites sobre transportes: Entre os sites de interesse de países ou de estados brasileiros incluímos neste livro os de companhias aéreas, ferroviárias, rodoviárias e de navegação. Neles você informações atualizadas sobre linhas de transporte, horários e preços de passagens, fotos de veículos, mapas, endereços, e-mails e telefones das empresas. Em muitos deles pode-se fazer reservas on-line.
Sites de agências de viagens e operadoras de turismo: Esses sites merecem um comentário à parte dentre os oficiais de entidades não-governamentais. Eles são utilíssimos para você conhecer os serviços oferecidos (pacotes, excursões, cursos, intercâmbios, cruzeiros marítimos, etc.) e comparar os preços e vantagens de cada um. Alguns colocam no ar promoções tentadoras, válidas em certas épocas do ano.
Diversos: Conversor de moedas on-line não é coisa que só interessa a economistas. Site de meteorologia é útil também para o turista. A Internet oferece possibilidades quase infinitas de que você tenha tudo à mão (ou melhor, na tela bem à sua frente) para planejar sua viagem. Basta usar sua criatividade. Por exemplo, para recuperar o endereço do restaurantezinho em que você jantou em Paris no primeiro dia da sua lua-de-mel, do qual só lembra o nome, que tal consultar o Google?

Meteorologia: É sempre bom saber o clima que o espera!

Praia do Leste, Ilha Grande, RJ
Praia do Leste, Ilha Grande, RJ

 

Conhecer um pouco de geografia ajuda

Quem tem certo conhecimento de geografia não vai conseguir conter um certo ar de superioridade ao ler esta matéria… Mas para aqueles que não tem noção de nada (e são muitos!) viajar tendo uma noção de Geografia é muito melhor e mais gostoso. A primeira coisa a fazer é dar uma olhada nos mapas dos países ou regiões que você vai visitar. O mínimo é saber onde ficam… Onde se localizam as cidades incluídas no seu roteiro? Qual a distância entre elas? Tal localidade fica à beira-mar, numa montanha ou numa ilha? Não ria, muita gente não sabe para onde está indo…

O clima

Outra coisa importante para a sua viagem e que também se relaciona à Geografia é conhecer o clima. A latitude e a altitude são os dois fatores que mais influenciam o clima em qualquer lugar.

Latitude, o que é?

Latitude é a distância de um ponto qualquer até a linha do Equador, medida em graus. No Equador, a latitude é zero; nos trópicos, 23º e nos pólos, 90º. O Equador, os trópicos e outras linhas imaginárias cortam a Terra na horizontal. O Trópico de Câncer, ao norte, que passa por cidades como Havana e Hong Kong, atravessa o norte da África e da Ásia. O Trópico de Capricórnio, que passa por São Paulo, corta também países como a África do Sul e a Austrália. Como regra geral, lugares situados numa mesma latitude e altitude têm temperaturas mais ou menos parecidas. Quanto mais baixa a latitude, ou seja, quanto mais perto do Equador, mais quente; quanto mais alta, mais frio. Só para lembrar: nas altas latitudes, os dias de verão são bem longos; às vezes só escurece muito tarde – ou nem chega a escurecer! Em compensação, no inverno, há poucas horas (ou nenhuma) de claridade.

Longitude, o que é?

A Terra é cortada verticalmente por outras linhas imaginárias: os meridianos, que não têm nada a ver com o clima, mas têm tudo a ver com as horas. Estabeleceu-se que a “hora zero” é a hora do meridiano de Greenwich, que passa por Londres. A Linha Internacional da Data passa a leste da Nova Zelândia; cruzando-a para oeste, você volta ao dia anterior. A distância de um ponto qualquer até Greenwich, também medida em graus, chama-se longitude. A oeste de Londres, é mais cedo – caso do Brasil; a leste, é mais tarde. Cada quinze meridianos completam um fuso horário (uma hora).

Dica importante: As viagens no sentido leste-oeste (ou oeste-leste) resultam em diferenças horárias com relação a hora oficial do Brasil. Quando na Europa é meio dia para você é ainda oito da manhã. Isso provoca desconforto, insônia ou sonolência, cansaço.  Isso se chama jat-leg. Leia sobre o jet-lag e como amenizar seus efeitos.

Altitude

Em relação à altitude, também não há nenhum mistério: quanto mais perto do nível do mar, ou seja, mais baixo, mais quente; quanto mais alto, mais frio.
Olhando-se um mapa de geografia física, em que aparecem as latitudes e o relevo, já dá para ter uma boa ideia se um lugar é frio ou quente.

Outros fatores que interferem no clima

Mas, além da latitude e da altitude, ainda há outros fatores que influem no clima. Em grandes florestas, a temperatura é mais ou menos estável, e nos desertos acontece o contrário (são tórridos durante o dia e gelados à noite). A distância do mar (continentalidade) também influi no clima: lugares afastados do oceano têm maior amplitude térmica, isto é, variação entre a temperatura máxima e a mínima. As correntes marítimas quentes ou frias interferem igualmente no clima dos lugares próximos ao mar. Por exemplo, Lima é relativamente perto do Equador, e fica no nível do mar; à primeira vista, devia ser uma cidade bem quente, mas a corrente fria que passa em seu litoral ameniza o calor.

Os hemisférios, sul e norte

Os países do hemisfério sul (ao sul do Equador) têm as mesmas estações que o Brasil, como quase todos os países sul-americanos, a África do Sul, a Austrália, a Nova Zelândia e algumas ilhas do Pacífico. Mas a maior parte dos países do mundo fica no hemisfério norte (ao norte do Equador) e é para lá que a maioria dos turistas brasileiros se dirige: Europa, América do Norte, México e Caribe, Norte da África e Ásia. Quase o mundo inteiro! Quando é inverno aqui, é verão por lá; quando é primavera aqui, é outono lá; e vice-versa.

As estações mais agradáveis

Na maioria dos países do mundo, mas não em todos, as estações mais agradáveis são as intermediárias, quando não é nem muito frio, nem muito quente: primavera e outono. Quanto mais próximo do equador, menor a diferença entre as estações: se a altitude for baixa, faz calor o ano inteiro.

As tabelas de temperatura dos sites de metereologia

Nas tabelas de temperaturas dos sits de metereologia, a mínima indicada refere-se à “média das temperaturas mínimas” e, a máxima, à “média das temperaturas máximas” naquele mês. Quem olha a tabela de temperatura e vê que a média mínima numa cidade qualquer é de 3ºC se assusta. É necessário lembrar que as temperaturas mínimas ocorrem normalmente de madrugada, quando estamos bem abrigados no quarto do hotel. As máximas ocorrem no período da tarde. É com elas que você deve se preocupar ao planejar sua viagem. As temperaturas máximas devem ser agradáveis ou, pelo menos, suportáveis. Se forem muito baixas ou, ao contrário, muito elevadas, isso poderá prejudicar seus passeios ao ar livre.

E as chuvas?

Com relação às chuvas, o que temos de considerar não é apenas se chove mais em determinada época do ano, mas se esse índice pluviométrico (quantidade de precipitações – chuva ou neve) incomoda ou não, uma vez que na estação chuvosa, em alguns países, chove menos do que na estação seca do Brasil. Todo mundo sabe, por exemplo, que 10ºC é “frio” e 30 ºC é “calor”, mas muita gente não tem uma noção exata de que tantos milímetros (mm) de precipitação é muita ou pouca chuva. Responda depressa: “Quantos milímetros de chuva caem na sua cidade nos meses mais chuvosos?”. Para você ter uma idéia, no verão, a época mais chuvosa em São Paulo, caem até 225mm de chuva por mês; no Recife, durante o inverno, as precipitações ultrapassam 300mm mensais.
Você sabe o inferno em que se transformam as cidades brasileiras nos meses chuvosos, com inundações, desabamentos, quedas de barreiras… Que graça teria estar viajando e encontrar a mesma coisa por lá? Por isso, insistimos: não basta saber a temperatura que faz num lugar, você precisa saber o quanto chove.

Consulte sempre, antes de viajar a previsão do tempo

Se você estiver na dúvida sobre o clima que o espera, consulte a previsão do tempo para os próximos dias nos lugares que você for visitar.

Ruta de los Siete Lagos, Patagônia, Argentina
Com quem você vai viajar?

As vantagens de se viajar acompanhado

Essa dica é, talvez, a principal para fazer uma viagem com pouco dinheiro: viajar a dois ou com mais pessoas sai mais barato. Uma diária de hotel para uma pessoa custa quase a mesma coisa do que para duas; a corrida de táxi não custa mais caro se forem duas pessoas no lugar de uma. O mesmo vale para aluguel ou leasing de carros. Mesmo os transportes ferroviários oferecem descontos vantajosos para casais e grupos. Acompanhado, você talvez possa viajar por lugares mais caros, onde não poderia ir sozinho.

Acompanhado, mas com quem mesmo?

O importante é escolher bem as pessoas com quem você vai viajar. Será que o destino escolhido corresponde às expectativas de todos? Os passeios serão todos feitos em conjunto? A que horas se pretende acordar? Como serão divididas as despesas? Quanto tempo cada um dispõe para sua viagem? Tudo isso deve ser bem discutido antes, pois as relações humanas são colocadas à prova numa viagem, quando se convive com as mesmas pessoas quase 24 horas por dia durante muitos dias seguidos… o que não acontece nem na maioria dos casamentos! Viajar acompanhado exige boa educação e paciência. Egoísmo e mau-humor são proibidos.

Casais

A maioria das pessoas viaja com seu companheiro ou companheira, com a namorada, ou com a esposa… Essa opção de de viagem pode ser a mais agradável. Para isso o casal precisa se entender. Briga em viagem não tem cabimento. Podem brigar por aqui mesmo, que sai muito mais barato. O ideal é, a partir do dia do embarque, não discutir assuntos polêmicos durante toda a viagem.

Que tipo de viagem cada um pombinho está querendo?

É igualmente recomendável se colocaram de acordo sobre o tipo de viagem que pretendem: econômica, ou com mais dinheiro no bolso? Vão ficar num B&B, ou hotel mais elegante? Precisam também discutir itinerário, programas, cronogramas. Isso deve começar com a escolha do destino. Comecem por continente que fica mais fácil. Europa, América do Sul, Estados Unidos ou Ásia? Ver foto pode ajudar o casal tomar a decisão acertada. Interesses culturais comuns ajudam muito. Se os dois curtem os impressionistas é muito fácil, de comum acordo, selecionar lugares que ambos vão curtir: Musée d’Orsay, Geverny, Auvers-sur-Oise… assim todo mundo fica contente. Se curtem aventura, e o sonho de ambos é conhecer Machu Picchu, não tem o que errar. Deem uma olhada nesta página, um verdadeiro cardápio de viagens: Turismo  para todos

Orçamentos equilibrados ajuda

Um outro ponto importante: os participantes da viagem devem ter orçamentos semelhantes. Se um tem pouquíssimo dinheiro e o outro muito mais, esse será um mau começo. Quando se trata apenas de compras pessoais, tudo bem, mas quando você se vê obrigado a dormir numa espelunca porque seu amigo está sem dinheiro ou a ir, contra a sua vontade, a um restaurante caríssimo porque tem vergonha de dizer aos demais que está duro, a coisa complica. Isso também deve ser discutido com toda franqueza antes da viagem.

Dicas

Em uma viagem é melhor que, quando não se tratar de casais que querem viajar com outros casais, que o grupo seja apenas de amigos, sem rolos afetivos entre si…

Assuntos polêmicos, como religião e política, talvez devam ser evitados para que amizades não se desfaçam durante a viagem. Use seu bom senso.

Veja os bons lugares para um casal

Alguns lugares parecem especiais para uma lua-e-mel ou para casais que querem um canto especial para se curtirem. Turismo para casais

Escolheu seu destino?

Compare o preço de pacotes e passagens aéreas

Hotel Lido Palace, Riviera Italiana

Pacotes de viagem é uma boa?

Pacotes de viagem podem ser muito vantajosos, mas existem algumas coisas que você deve saber antes de comprar um deles, seja pela internet, seja diretamente em uma agência de viagens.

Pacote não é excursão

Muita gente confunde: pacotes não são excursões. Não haverá um guia acompanhando você durante a viagem, nem uma programação já feita.

Geralmente os pacotes de viagem compreendem apenas a passagem aérea + traslado + hotel, geralmente com preços parcelados e mais baixos do que se você contratasse cada item separadamente.

Os preços dos pacotes compensam?

Nem sempre. Para saber se o pacote vale a pena, do ponto de vista financeiro, é preciso comparar o preço dos itens que ele inclui com a estimativa de preço da viagem por conta própria, fazendo o cálculo por pessoa.

Independentemente da questão do preço, que deve ser analisada caso a caso, as vantagens de um pacote são a praticidade e a segurança para quem não está acostumado a viajar.

Antes de optar por um pacote, você deve lembrar que “hospedagem em apartamento duplo” não significa que o preço inclui hospedagem para duas pessoas, mas sim que esse é o preço para uma pessoa em um quarto para dois. Um quarto de hotel para dois é geralmente o mesmo preço de um quarto para um, ou só um pouco mais caro.

Pontos a considerar antes de comprar um pacote de viagem

Onde fica o hotel?

Fique atento à localização do hotel proposto. Não acredite que ele seja central, bem localizado ou realmente fique em determinado bairro só porque o anúncio ou o agente de viagens diz isso. Muitas vezes, o próprio funcionário da agência só sabe o que ouviu dizer. Consulte o endereço e cheque você mesmo no Google Maps ou em outro localizador. Pesquise o que diz quem já seu hospedou no hotel.

Como serão os voos?

O voo é direto ou você vai ter que tomar mais de voo para chegar até seu destino? Se for mais de um voo, qual a diferença de horário entre a chegada de um e a partida do outro? Passar horas a fio em um aeroporto pode ser uma roubada.

Outra coisa: quais serão os horários de partida e de chegada dos voos? Você está disposto a tomar um avião às 3h da manhã ou a chegar a seu destino nesse horário?

O que o pacote inclui?

O pacote inclui o traslado (transporte de ida e volta entre o aeroporto e o hotel)? Inclui passeios? Se inclui, como serão esses passeios? Em que veículo serão feitos?

Quem está vendendo esse pacote?

Saiba de quem você está comprando seu pacote de viagem. É uma agência ou operadora conhecida, sólida, que tem boa fama no mercado? Em caso de dúvida, você pode pesquisar no PROCON do seu Estado se existem reclamações sobre a empresa.

Pacotes personalizados

Não encontrou o pacote que você queria? Não existem pacotes para atender a todos os desejos, mas nada impede que você solicite a um agente de viagens que reserve todos os voos e hotéis do jeito que você quiser; isso nada mais é do que um pacote à la carte.

Compare preços

Compare preços de passagens aéreas e pacotes

Paris Open Tour
Exursões

O que é exatamente uma excursão organizada?

Excursões são viagens em grupo cujo preço inclui tudo que um pacote oferece e, além disso, refeições, passeios e toda a programação da viagem, sempre acompanhada por um ou mais guias: todo mundo sai de manhã para um passeio; na hora do almoço, todo mundo é levado para um determinado restaurante; à tarde, todos seguem com o guia para outro passeio etc.

As vantagens

Uma excursão pode ser uma excelente escolha para quem não domina o idioma falado no país; não se sente seguro em viajar sem um guia; não gosta de viajar sozinho; gosta de ter tudo organizado de antemão (horários, refeições, passeios, tempo de permanência em cada lugar etc); quer fazer amizades durante a viagem; ou simplesmente gosta de viajar em grupo.

As vantagens da excursão são, além da praticidade e da segurança, o acompanhamento constante por alguém que – presume-se – conhece bem o lugar e saberá levá-lo para onde interessa, além de o preço ser fixo. Esta é, aliás, uma grande vantagem para quem quer saber exatamente quanto vai gastar, pois a excursão inclui tudo (ou quase) e geralmente pode ser paga em “suaves parcelas mensais”, sem juros ou com juros baixos. Mais ainda do que no caso dos pacotes, é necessário que você escolha uma operadora confiável, de preferência recomendada por pessoas que já utilizaram seus serviços, e solicite a especificação de tudo o que está incluído e do que deverá ser pago à parte.

Dicas importantes

Exija um contrato detalhado que garanta, por escrito, a prestação de todos os serviços prometidos verbalmente. Guarde até o anúncio; assim, se eles não cumprirem o que prometeram, você terá como reclamar.

Fique atento para certos city tours e outros passeios oferecidos pelas excursões que, no lugar de privilegiar as verdadeiras atrações do lugar, têm a finalidade de levar você para fazer compras ou ir a um restaurante que paga comissão para o guia… Infelizmente, isso é comum em todo o planeta!

Quando se trata de comprar produtos típicos do lugar ou artesanato, nunca compre em lojas às quais o guia te leve. Além de pagar mais caro, você estará prejudicando seriamente as pessoas que elaboraram aqueles produtos. Compre diretamente deles, não aceite intermediários!

E por quais motivos evitar uma excursão?

Excursões não servem para quem:

– não quer saber de convivência social forçada (inevitável ao tomar café da manhã, passear, almoçar, passear de novo e jantar todo dia com as mesmas pessoas);

– quer ter liberdade para definir seu roteiro, horários, tempo de permanência em cada lugar, refeições etc; ou

– tem “alergia” a ter que seguir um guia!

Compare preços 

Compare preços de pacotes, passagens aéreas e excursões

 

Manual10grayDesembarcando

Serviço de imigração

Todo passageiro que chega a um país qualquer passa pelo serviço de imigração, que em cada lugar é controlado por um órgão diferente. Aqui no Brasil, por exemplo, é a Polícia Federal que cuida disso.

Em muitos países, o serviço de imigração é lento; normalmente, para ganhar tempo, já lhe será entregue durante o vôo um formulário a ser preenchido com seus dados. Ao desembarcar, deixe-o à mão, junto com o passaporte. A burocracia varia de um lugar para outro, mas em geral esse formulário será carimbado e uma via lhe será entregue. Guarde-a com cuidado, pois deverá devolvê-la quando sair do país.

Dicas

Lembre-se de que o fato de você ter um visto não lhe assegura a entrada no país. Quem vai dar a palavra final, deixando você entrar ou não, é o serviço de imigração.  Ao passar por ele, seja discreto, na roupa e no comportamento.

Na Europa e nos Estados Unidos, principalmente, mulheres jovens vestidas de forma “provocante” podem ter sua entrada barrada. Também os que se vestem de modo pouco convencional podem ter problemas. Portanto, mesmo que você seja um new hippie ou um old punk, faça um esforço e vista-se discretamente, com roupas e sapatos limpos e em bom estado. Os realmente mal vestidos darão a impressão de serem imigrantes clandestinos, e não turistas. Portanto, indesejáveis! Eventualmente você terá que mostrar sua passagem de volta para o Brasil e dinheiro suficiente para se manter durante a estada no país.

Havendo problema, responda com franqueza o que lhe for perguntado, mantenha a calma e sobretudo não entre em “bate-boca” nem desacate os funcionários. Se necessário, peça ajuda ao consulado brasileiro: você tem direito a isso.

Mapas: para que servem?

Mapas é uma das primeiras coisas que um viajante deve pensar em consultar quando tiver intenção de viajar. Com um mapa nas mãos vocês organiza sua viagem, evita traçar roteiros mirabolantes, fica sabendo onde ficam países e cidades que pretende visitar, organiza-se, aproveita mais seu tempo e sem dinheiro.

Os mapas do site Manual do Turista Brasileiro

Os mapas do site tem o objetivo de ajudá-lo a organizar sua viagem. Neles estão assinalados países e principais cidades. Com eles você estuda vantagens e desvantagens ao desembarcar em um determinado país ou cidade ao chegar do Brasil, traça roteiros objetivos, permitem-lhe saber, por exemplo que Córdoba fica a noroeste de Sevilha, entender onde fica o Vale do Loire na França, ou Arequipa no Peru etc. O mapa o faz poupar tempo,  dinheiro e evita roubadas.

Mapas rodoviários detalhados

Os mapas do site não têm, entretanto, a intenção de substituir os grandes mapas rodoviários desdobráveis indispensáveis principalmente para aqueles que vão alugar carro. Neles são assinaladas as grandes auto-estradas de alta velocidade, bem como pitorescas estradinhas que atravessam aldeias minúsculas na Europa. Esses mapas podem ser obtidos, às vezes gratuitamente nos escritórios estaduais de turismo, as vezes por uns poucos dólares em um quiosque de jornaleiro. Se for alugar um carro (e mesmo que você tenha a intenção de usar outros meios de transportes), não deixe de tê-los consigo.

Dicas sobre hospedagem

Reservar ou não reservar hotel?

Há pessoas que não conseguem viajar sem que tudo esteja reservado. Só de pensar em viajar sem reserva entram em pânico e já começam a se imaginar sentados sobre suas malas, no meio da rua, à noite. São os reservadores radicais. Do outro lado estão os não-reservadores, que odeiam reservar hotel ou qualquer coisa, só o fazendo em situações extremas e com evidente má vontade. Sua excessiva auto-confiança, acreditando sempre que no final tudo dará certo, faz com que às vezes acabem tendo que dormir no banco duro de uma estação.

Mas, afinal, vale a pena reservar hotel? Depende. Ao menos para a primeira noite sim, sobretudo em finais de semana, por ocasião de grandes eventos, feriados prolongados e alta temporada, ou quando você chega à noite numa cidade de grande interesse turístico. Se você não tem reserva, evite chegar sexta-feira à noite, sábado, nos feriados e vésperas ou quando houver algum evento que possa superlotar a cidade (em Munique durante a Oktoberfest, em Cannes durante o Festival de Cinema etc.). Com o incremento do turismo está ficando cada vez mais difícil encontrar hospedagem sem fazer reserva.

Há casos em que a reserva torna-se absolutamente recomendável para toda a sua estada, e não só para a primeira noite: se você está indo a um lugar notoriamente turístico durante a alta temporada; se o lugar, seja qual for, oferece poucas opções de hospedagem; e se você não quer passar pelo desconforto, insegurança e perda de tempo de sair à luta procurando hotel para os dias restantes. Por outro lado, ao deixar reservados de antemão todos os dias de sua estada em um hotel  totalmente desconhecido em um local igualmente desconhecido, há o risco da localização ser péssima – ou de você detestar o hotel por qualquer outra razão – e não poder mudar por já ter pago antecipadamente ou dado o número de seu cartão de crédito. Preste atenção nisso e evite reservar hotéis sobre os quais você não tenha nenhuma referência.

Cuidados a serem tomados

Quem vai para um lugar onde já esteve antes e pretende se hospedar em um hotel conhecido, ou sobre o qual tem boas referências, não tem motivo para deixar de fazer a reserva, o que é sempre mais confortável e seguro. Toda vez que você gostar de um hotel, peça um cartão. Será útil para sua próxima viagem ou a de um amigo. Se não gostar, peça também, para se lembrar e nunca mais cair na mesma roubada (ou indicar para algum chato!).

Nem toda agência de viagens estará muito preocupada – ou bem informada – com relação à localização e as eventuais desvantagens do hotel reservado;  algumas restringem-se a achar e reservar algo na cidade e na faixa de preço ou na categoria que você solicitou. É aconselhável que você converse com pessoas que já estiveram no lugar, consulte um guia de viagem específico sobre a cidade ou dê uma fuçada na Internet, procurando no mapa a localização do hotel de acordo com sua conveniência. Na grande maioria dos centros urbanos, uma localização central é mais indicada pela facilidade de transporte, embora essa regra, como todas, tenha suas exceções. De qualquer forma, evite hotéis muito longe do centro. Tendo uma ideia geral da cidade, você poderá pelo menos solicitar ao seu agente de viagens que providencie reserva em um hotel num determinado bairro.

Os escritórios oficiais de turismo

Os sites oficiais de turismo de cidades nos quatro cantos do mundo (linkados no GUIA ON-LINE de cada país em nosso site) têm informações sobre hotéis, mas,  por algum motivo inimaginável, raramente fornecem os sites dos estabelecimentos. Enfim, depois de descobrir o nome do hotel, fica mais fácil encontrá-los utilizando mecanismos de busca tipo Google. Digite o nome do hotel entre aspas e a cidade na língua do país. Exemplo: “Hotel Monte Bianco” Milano.

Para os que não gostam de sair do Brasil com hotel reservado

Finalmente, se você é daqueles que preferem ir “na raça” e tentar conseguir hotel ao chegar, anote as dicas para não cair em roubadas. Se tiver um bom guia de viagem (como um GTB!), utilize-o. Selecione os hotéis nos quais gostaria de ficar, veja se têm site e em caso afirmativo dê uma boa olhada no estabelecimento, veja se tem a ver com você e confira os preços. Uma outra  solução é utilizar os serviços dos escritórios de turismo nos próprios aeroportos ou estações: muitos cuidam de reservas e poderão ajudá-lo (se a cidade não estiver lotada).

Você até pode não sair do Brasil com tudo reservado mas, digamos que esteja em Florença e queira tomar um trem para Roma no dia seguinte: por que não pedir na recepção para reservarem a primeira noite para você na capital italiana? É uma solução não-radical (social-democrata, digamos…).

O que é bom deixar claro

Ao reservar antecipadamente ou ao escolher um quarto já estando no hotel, deixe muito claro o que você quer: se faz questão de frigobar, ar condicionado, televisão, cama de casal ou camas separadas, quarto com banheiro privativo etc. Lembre-se de que nos hotéis mais simples, adaptados em antigos prédios, muitas vezes os quartos não têm banheiro. Informe-se ao reservar e, estando no local, peça para ver o quarto antes. Pergunte também se o café da manhã está incluído na diária.

Check-in e check-out

Existem horários para check-in (ocupação do quarto) e check-out (desocupação) nos hotéis no mundo todo. A regra geral é o check-in após o meio-dia e o check-out até o meio-dia,  mas isso depende do lugar. Se você chegar mais cedo  e precisar fazer um early check-in ou precisar ficar mais tempo e fazer um late check-out, informe-se junto ao hotel. Geralmente isso é possível pagando-se meia diária ou eventualmente como uma cortesia, se o hotel não estiver lotado.

Hospedagem de charme

Em diversos países, inclusive no Brasil, existe uma opção de hospedagem quase sempre luxuosa, de charme insuperável: são castelos, sedes de fazendas, mosteiros e outros edifícios antigos, por vezes de grande valor histórico, transformados em hotéis ou “hospedarias”. Muitas vezes esses lugares ficam fora da zona urbana, mas há hospedarias históricas em localizações hiper centrais, como o Hostal de los Reyes Catolicos, antigo palácio de Fernando de Aragão e Isabel de Castela em plena praça principal de Santiago de Compostela.

Nesses lugares, que de modo geral se situam em belos cenários naturais ou urbanos, encontra-se uma arquitetura de época bem conservada, decoração esmerada e culinária local de primeira linha. Em diversos deles há opções de lazer que os transformam em “resorts de charme” intimistas e muito especiais.

Grande parte desses estabelecimentos, sejam particulares ou de propriedade dos governos, são filiados a entidades que garantem seu padrão de qualidade e oferecem serviço de reserva.

Roteiros de Charme. Sedes de fazendas, edifícios coloniais e imperiais e mesmo construções recentes de grande charme em diversos pontos do Brasil.

Relais & Châteaux: castelos, palacetes, mansões históricas e belos edifícios de construção recente. Quase sempre, um luxo. Existem em vários países do mundo (até no Brasil), mas sobretudo na França e no restante da Europa. FR, IN, AL, ES

Paradores espanhóis. São edifícios históricos luxuosos a estabelecimentos um pouco mais simples, sempre situados em cidades turísticas. ES, IN, FR, AL

Pousadas de Portugal. Funcionam em castelos, mosteiros e conventos. A entidade opera também com uma pousada brasileira, em Salvador (BA), no Convento do Carmo.

Dimore Storiche: Residências históricas em toda a Itália. IT, IN

Historich Hotels Hospedagem em estabelecimentos históricos nos EUA. IN

Locação de imóvel

Uma boa opção de hospedagem, principalmente para quem está viajando acompanhado, com a família ou em pequenos grupos, é alugar um imóvel mobiliado. Existem sempre as vantagens de ter mais privacidade, liberdade e muitas vezes mais espaço do que em um hotel, e de poder cozinhar, pois os apar-tamentos são equipados. Há várias agências especializadas no Brasil que atuam nessa área. Se não quiser reservar antes, saiba que nas cidades mais turísticas, nos escritórios oficiais de turismo ou em agências particulares que às vezes ficam nos próprios aeroportos, pode-se alugar um imóvel.

Porém tome cuidado: todas as recomendações que demos a respeito de hotéis valem para as locações, inclusive sobre fazer ou não reservas. Evite reservar ou alugar um imóvel sem, no mínimo, ver fotos das acomodações. Caso alugue antes de conhecer pessoalmente o imóvel, exija que constem do contrato sua descrição e os equipamentos que contém (roupa de cama, material de cozinha, fogão, microondas, frigobar, etc.). Informe-se antes sobre os serviços de limpeza para não ter surpresas.

Os preços variam de acordo com a localização, o tamanho e o grau de conforto do imóvel. Leve isso em conta ao compará-los com os preços dos hotéis.

Opções econômicas

Os jovens e outros viajantes que querem gastar pouco poderão optar pelos hostels particulares ou pelosAlbergues da Juventude (Youth Hostel – Y.H. – em inglês, Auberges de Jeunesse – em francês), espalhados por diversos países, praticamente no mundo inteiro.

Cursos e intercâmbios

Cursos e intercâmbios constituem uma experiência única e enriquecedora viver um tempo no exterior. Não é o mesmo que fazer turismo. É outro papo. Você cresce, continua sendo você, mas volta diferente… Cabeça mais aberta, mais seguro de si, mais experiente. Aliás, está enganado quem acha que cursos e intercâmbios no exterior são destinados apenas a jovens (Há cursos na Inglaterra direcionados especialmente aos cinquentões, por exemplo). Existem cursos de idiomas e estágios para praticamente todos os públicos. As opções são muitas: de um simples aprendizado de idiomas a um mestrado ou doutorado.

Os custos de hospedagem em alojamentos para estudantes ou casas de família são muito menores do que diárias de hotéis; gasta-se relativamente pouco com alimentação e também com lazer e transportes, já que, estando matriculado em uma escola ou faculdade no exterior é possível obter a carteira internacional de estudante que dá direito a diversos descontos em museus, trens, ônibus, aviões etc.

Os principais países

Europa, Estados Unidos, Canadá, Austrália? – Cada lugar oferece vantagens e desvantagens. A Inglaterra, por exemplo, é um país caro. Por outro lado, quem pensa trabalhar por lá (20 horas por semana), ganha bastante e até economiza dinheiro para percorrer a Europa depois. (Muitos brasileiros acabam trabalhando mais horas do que o permitido, visando juntar dinheiro para viajar pela Europa. Quando apanhados são deportados). Em razão da imigração clandestina, a Inglaterra tornou-se muito severa na concessão de vistos. Normalmente o estudante é obrigado a comprovar que sua família tem posses para mantê-lo no Reino Unido.

Até o 11 de setembro o país mais procurado para quem queria estudar inglês era os Estados Unidos. As medidas antipáticas tomadas pela administração Bush para combater a imigração, que acabaram afetando o turismo, a dificuldade em se obter um visto e outros fatores, fizeram com que muita gente desistisse de estudar nos Estados Unidos. Hoje o Canadá se tornou o país preferido por aqueles que querem estudar inglês no exterior. Embora os Estados Unidos sejam a opção mais em conta para quem deseja fazer um ano de ensino médio (colegial), para cursos de línguas o Canadá oferece preços melhores. Sendo um país bilíngüe é possível também estudar francês no Canadá (embora você adquira um sotaque muito particular!). Quem deseja um pouco mais de aventura pode escolher a Nova Zelândia ou Austrália.

Como vivência, a mais rica é a européia: num pequeno espaço geográfico você tem contato com povos de culturas e línguas as mais diferentes. Ou seja, você conhece muito países e tem uma experiência bem mais cosmopolita do que se for se fixar numa cidadezinha caipira do Texas.

Tipos de cursos

Mestrado e doutorado – O ideal é entrar em contato com o departamento cultural do consulado do país onde você pretende fazer seu doutorado ou mestrado e saber qual a faculdade que tem as opções de prós-graduação que pode interessá-lo. Obviamente, você terá que escolher um tema adequado, que possa ter o apoio de um professor que será seu orientador. Quando mais consistente for seu curriculum e interessante o tema escolhido para sua tese, mais chances vocês terá que conseguir uma bolsa de estudos. Isto é, você será pago para estudar. Voltando ao Brasil com um diploma de pós-graduação de uma universidade européia ou americana você terá nas mãos um grande trunfo profissional. Isso sem falar da experiência de vida de passar dois anos em outro país.

Curso de línguas – Há cursos de idiomas com diferentes períodos de duração em diversos países e para todas as idades. Mas, há cursos também na Inglaterra, Austrália, Nova Zelândia, Irlanda etc. É geralmente permitido aos jovens que têm visto de estudante trabalhar 20 horas semanais para ajudar a custear seus estudos. Há cursos de francês na França e em outros países europeus (e também no Canadá), de italiano na Itália, de espanhol na Espanha e na Argentina etc. Hoje em dia muitos cursos combinam aulas de idioma com uma atividade de interesse do estudante, que pode ser culinária, surf, enologia, cinema, design, esportes de inverno etc.

Au Pair – Existem opções direcionadas principalmente às mulheres jovens, de trabalhar como babá numa casa de família enquanto fazem o curso. A estudante tem, nesse caso, um pequeno salário (um pouco menos de 400 dólares, casa e comida). É claro, deve ter uma conduta adequada. É bom saber que nem todas as moças que adotam essa opção conseguem ter um relacionamento fácil com sua família adotiva.

Colegial (high school) – Uma outra possibilidade interessante é fazer um semestre ou um ano de estudos nos Estados Unidos, Nova Zelândia, Inglaterra ou Austrália. O estudante pode trabalhar também 20 horas semanais.

Estágios – Há estágios (que podem ser remunerados ou não) para estudantes recém-formados, trabalharem na sua área de formação. Nesse caso é exigido um certo conhecimento da língua falada no país.

As agências especializadas em cursos e intercâmbios

Cada agência tem seus programas e cursos. Os preços variam muito dependendo da duração do estágio, do país escolhido, do tipo de acomodação, do curso etc. Há cursos que chegam a custar menos de US$ 1.000, outros podem custar mais de US$ 7.000. Recomendamos que você consulte os sites das principais agências de intercâmbio. Mova-se, o mundo o espera!

Experimento: (11) 3707-7122
www.experimento.com.br

Connection Line: (11) 3285-6691
www.connectionline.com.br

World Study – (11) 3882-7002
www.worldstudy.com.br

Friends in the World – (11) 3068-9403
www.friendsintheworld.com.br

SIS – Intercâmbio Cultural – (11) 3062-6333
www.sis-intercambio.com.br

EF Intercâmbios – (11) 3889-7157
www.ef.com.br

Centro Latino de Línguas – (11) 5642-0026
www.cll.com.br

STB Student Travel Bureau – (11) 3038-1555
www.stb.com.br

Seguro viagem

Porque fazer um seguro viagem

Não importa para onde você for viajar; faça sempre um seguro viagem. O seguro deve necessariamente ser contratado antes de você começar a sua viagem. Não deixe para a última hora. Viagens domésticas, aqui mesmo no Brasil, também podem ser cobertas por um seguro.

O seguro viagem, comercializado por corretoras de seguros, custa bem menos do que você imagina e poderá ser útil quando você menos esperar. Como todo seguro, o seguro viagem é algo que você compra torcendo para não ter que usar.  Mas, e se precisar? Se sofrer um acidente? Se ficar doente? Mil coisas podem acontecer, estando você na cidade em que mora ou viajando.

A finalidade do seguro viagem é proteger você e sua família caso ocorra algum imprevisto.

Coberturas

As coberturas de seguro viagem são variadas: acidentes ou doença (seguro saúde); seguro odontológico; seguro bagagem, em caso de extravio; serviço de busca e localização de bagagem; indenização à família por morte; indenização por invalidez permanente; remoção ou repatriamento; transporte ou repatriamento de familiares ou acompanhantes; passagem aérea do segurado por sinistro em sua residência durante a viagem; repatriação funerária;  assistência jurídica no exterior; etc.

Custo

Os preços variam segundo a duração da viagem, as coberturas e os valores das coberturas. Não gaste à toa com coberturas que não fazem sentido no seu caso. Analise o custo do seguro em relação aos benefícios e avalie as suas reais necessidades: você vai levar objetos valiosos na bagagem? Tem familares que deseje proteger em caso de morte?

O que é muito importante é ter seguro saúde. Serviços médicos costumam ter preços exorbitantes em quase todo o mundo, seja para tratar de um dedo destroncado, seja para uma cirurgia de emergência.

Como contratar um seguro viagem

Seguros de viagem são vendidos no Brasil pelas corretoras de seguros credenciadas pela SUSEP e podem ser facilmente contratados online.

A Miral Seguros, parceira do Manual do Turista, no mercado há 37 anos, oferece cotação e venda online de seguros de viagem da operadora Porto Seguro. A cotação pode ser feita também pelos telefones (11) 5581-0777. A Miral trabalha igualmente com seguros de automóvel, de saúde e outros. Qualquer seguro, não apenas os de viagem, que você feche com a Miral, ganha um Guia de Viagem da série GTB (Guia do Turista Brasileiro). Os títulos disponíveis são Itália, Londres, PortugalChile, Nova York, Argentina, Buenos Aires, Bahia, Paris, Peru e Bolívia. Quem preferir pode optar por romances de viagem ou relatos de viagem da Editora Conteúdo para ler no aeroporto ou no avião.

Importante Leve com você cópia do contrato e dos demais documentos que recebeu, pois serão úteis caso precise acionar o seguro. Se estiver viajando sozinho, deixe uma cópia desses documentos com alguém de sua família ou com um amigo de confiança.

Viajar para a Europa: seguro viagem exigido pelos membros do Tratado de Schengen

Quem for viajar para os países da Europa que são membros do Tratado de Schengen não deve deixar de providenciar um seguro internacional com cobertura para repatriação e gastos com emergência e acidentes no valor mínimo de 30.000 euros.

No seu ingresso em território Schengen (ou seja, sua primeira entrada, durante a viagem, em um dos países membros), essa exigência poderá ser feita. Ressaltamos: não será feita obrigatoriamente, mas poderá ser. E, nesse caso, se você não tiver em mãos a documentação que comprove estar assegurado nesses moldes, poderá ser barrado.

Não é tão complicada como pode parecer a contratação de um seguro que atenda aos requisitos do Tratado de Schengen; pelo contrário. Existem seguros específicos para essa exigência, alguns dos quais são inclusive vendidos online.

Quais são os países membros do Tratado de Schengen?

O tratado de Schengen inclui países membros da União Europeia e outros que não pertencem a ela. Schengen e União Europeia são coisas totalmente distintas.

Os países membros do Tratado de Schengen, onde poderá ser exigido que você apresente comprovante de que tem um seguro  internacional com cobertura para repatriação e gastos com emergência e acidentes no valor mínimo de 30.000 euros, são os seguintes:

Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, República Tcheca, Suécia e Suíça.

A Miral Seguros oferece cotação e venda online de seguros de viagem específicos para a Europa e a região Schengen.

Dica Certos cartões de crédito das categorias mais elevadas oferecem seguros viagem automaticamente quando a passagem é comprada mediante seu uso. Consulte sua operadora ou o gerente do banco emissor do seu cartão de crédito para verificar. Mesmo que o seu cartão de crédito dê direito ao seguro, você vai precisar levar consigo a apólice impressa.

Operadoras de turismo no Brasil

O trabalho de uma operadora de turismo é elaborar programas de viagem e organizar pacotes, excursões e cruzeiros marítimos. Para isso, ela contrata outras empresas no Brasil e no exterior (como companhias de navegação, redes de hotéis e agências de turismo receptivo), faz as reservas e os pagamentos. É ela quem deve cuidar para que tudo saia certo nas viagens que organiza.

A maior parte das principais operadoras de turismo é associada à Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (BRAZTOA).

Operadoras de turismo

Abreutur Viagens, pacotes e passagens aéreas no Brasil e para a Europa, América do Norte, Ásia, África, Oriente Médio, Oceania e Polinésia, além de cruzeiros marítimos.

ADV  Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens para as Américas, Europa e Oriente Médio.

Agaxtur Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens para regiões sudeste, sul e nordeste, cinco continentes. Cruzeiros marítimos.

Ambiental Ecoturismo em Bonito, Pantanal, Amazônia, Fernando de Noronha, Chapada Diamantina e dos Veadeiros, Foz do Iguaçu, entre outros. Viagens internacionais para América do Sul e África.

Ancoradouro Atende exclusivamente agentes de viagens do interior de São Paulo. Atua em Goiás, Mato Grosso do Sul, e todos os continentes.

CIT Especializada em Itália, e toda a Europa. Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens.

Costa Cuzeiros   Cruzeiros pela Europa e América do Sul.

CVC Oferece grandes variedade de pacotes para diversos destinos.

Del Bianco  Especializada em Brasil e América do Sul.

Designer Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens para os cinco continentes.

Eden Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens no Caribe, América Central e do Sul.

Eurovips Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens para Europa e Américas.

Expedition Especializada em destinos no Cone Sul.

Fenix Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens. México e América do Sul.

Firstar Cruzeiros para Estados Unidos, Caribe, Patagônia, Europa, Ásia, África e Antártica.

Flytour Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens. Pacotes nacionais e internacionais para as Américas e a Europa.

GSA Viagens para os principais destinos nacionais, Europa e Américas.

Interamerican Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens nos Estados Unidos, América Central e Caribe, Ásia e Oceania.

Interep  Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens. terrestres nacionais e internacionais para os destinos mais procurados do mundo.

Interpoint Especializada em esportes de inverno – ski e snowboard.

Intravel Pacotes e passagens aéreas para o Brasil, Europa, Estados Unidos, Canadá, Lagos Andinos no Chile e Argentina, cruzeiros marítimos.

JVS Pacotes para todo o mundo.

Landscape Turismo de aventura na América do Norte, do Sul e Índia.

Leiser Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens. Em todo o território nacional e nos cinco continentes. Representante da Walt Disney World Parks.

Luxtravel Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens. nacionais e para os cinco continentes.

Maktour Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens. para as Américas, Europa, África e Oceania.

Monark  Tradicional, com atuação em diversos destinos: Brasil, EUA, Europa, América do Sul, África, México e Caribe.

MSC Cruzeiros para o Mediterrâneo, norte da Europa, Oceano Atlântico, Caribe, América do Sul e África do Sul.

Nascimento Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens no Brasil e nos cinco continentes.

New Age Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens, incluindo Egito, Turquia, Marrocos, Tunísia, Europa do Leste e Escandinávia, Europa, Américas e Grécia.

PNX Travel  Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens. para Brasil, Espanha, Itália e Portugal.

Polvani Organiza viagens pela Europa, em especial a Itália.

Pomptur Pacotes e passagens terrestres e aéreas e roteiros de viagens pelo Brasil.

Princess Travel Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens. Especializada em Extremo Oriente.

Qualitours Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens. Cruzeiros marítimos e fluviais, Brasil, Américas, Europa, Ásia e Oceania.

Queensberry Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens nacionais e para os cinco continentes.

Raidho A Raidho, embora também trabalhe com destinos convencionais, é uma operadora voltada principalmente para viagens a lugares exóticos e diferenciados.

RCA  Pacotes para todos os continentes e para o Brasil. Representante oficial da Walt Disney World.

RXT  Pacotes, passagens aéreas e roteiros de viagens internacionais.

Sanchat  Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens. Brasil, Américas, Europa e Ásia.

Soft Travel Viagens individuais e em grupo. Especializada em Europa, Canadá, Estados Unidos e África do Sul, mas também atende Brasil, América do Sul, Oceania, México, Oriente Médio e Ásia.

STB Especializado em viagens para estudantes, com destino à América do Norte, Europa, África, Ásia e Oceania.

Sun & Sea  Cruzeiros marítimos pelo Brasil, América do Norte, Argentina, Chile, Caribe, Costa Rica, Panamá, Europa, Marrocos, Tunísia e Rússia Asiática.

Sun Crowne Viagens internacionais para os cinco continentes.

Trade Tour Viagens para o Brasil, Europa, Estados Unidos e representante da Walt Disney World.

Tristar Pacotes e passagens aéreas e roteiros de viagens. Europa e América do Norte.

Esta relação de operadoras de turismo é meramente informativa. O Manual do Turista não tem vínculos com nenhuma delas e não é responsável pela qualidade dos serviços oferecidos pelas operadoras mencionadas.

Veja alguns dos principais destinos com os quais as operadoras trabalhamBrasilEuropaCanadá, Estados Unidos, ChileArgentinaÁsiaÁfrica, ItáliaCaribe, Grécia, Marrocos, Tunísia, Turquia, Perucruzeiros marítimos.

Compare preços

Veja preços de passagens aéreas e pacotes

Pacotes turísticos: nossas dicas

–  Verifique a idoneidade da agência de viagens e da operadora de turismo antes de adquirir o seu pacote. Essa dica vale em dobro para compras feitas pela internet de empresas desconhecidas. Só pode comercializar pacotes turísticos quem está devidamente autorizado. Você pode consultar no site oficial do Ministério do Turismo se a empresa da qual pretende adquirir o pacote está inscrita no cadastro CADASTUR. Pode também checar se ela tem reclamações no Procon do seu Estado.

– Lembre que o preço da “hospedagem em apartamento duplo” não é para duas pessoas e sim o valor por pessoa em um quarto duplo.

– Compare o preço dos itens que o pacote turístico inclui com a estimativa de preço da viagem por conta própria, fazendo o cálculo por pessoa. Na maior parte das vezes, o pacote turístico sai mais em conta que os itens contratados separadamente, mas isso não é uma regra. Pode acontecer também de o pacote incluir itens que não sejam do seu interesse; nesse caso, você estará pagando por algo que não usará.

– Considere que, se você não simpatizar com o hotel, não poderá trocar – a não ser que haja algo realmente errado com o estabelecimento; nesse caso a ag~encia de viagens é obrigada a acomodar você em outro hotel da mesma categoria. Também, na maior parte das vezes, não poderá alterar as datas de partida e retorno, que são fixas, ou só poderá fazê-lo pagando um adicional.

– Os pacotes costumam incluir hospedagem em hotéis de categoria mediana ou superior. Raros pacotes hospedarão você em uma pousadinha muito simples ou um hostel. Se a sua ideia é gastar o mínimo possível com hospedagem, mesmo que para isso precise abrir mão do conforto, esqueça os pacotes.

Pacote turístico personalizado

Não existem pacotes turísticos predefinidos para todos os lugares do mundo, nem que agradem a todos os gostos, mas nada impede que você solicite ao seu agente de viagens que crie um pacote adequado às suas necessidades.

Desde que peça com antecedência, você pode conseguir que a agência de viagens ou operadora turística prepare um pacote turístico à la carte, no qual você possa ter:

– A quantidade de dias que deseja para sua viagem

– Hospedagem em estabelecimentos de um determinado estilo ou padrão

– Voos na classe desejada (econômica, executiva ou primeira)

– Locação de veículo e/ou traslados

– Passeios e atividades que combinam com seus interesses

Os pacotes turísticos mais procurados

Brasil: Resorts de praia no nordeste, Porto Seguro, Porto de Galinhas, Fortaleza, Jericoacoara, Lençóis Maranhenses, Bonito, Maceió, Serras Gaúchas, Chapada Diamantina

Europa: Paris, Londres, Roma, Milão, Madri, Lisboa, Amsterdam, Barcelona

Estados Unidos: Nova York, Miami, Orlando, Las Vegas, Califórnia

Caribe: St-Martin (St Maarten), Punta Cana, Bahamas, Aruba, Curaçao, Cancun

América do Sul: Buenos Aires, Bariloche, Mendoza, Patagônia (El Calafate, Perito Moreno, Torres del Paine, Terra do Fogo), Santiago, Atacama, Lagos Andinos, Ilha de Páscoa, Montevideo, Punta del Este, Machu Picchu

Pacífico e Oceania: Austrália, Tahiti (Bora Bora, Papeete, Moorea), Havaí

África: África do Sul, Parque Kruger, Capetown

Oriente Médio: Dubai, Turquia

Dica

Confira sempre pacotes em promoção

Changu Narayan, Nepal
Templo em Changu Narayan, Nepal

Documentos para viagem: quais você vai precisar?

Nesta página você encontra informações sobre os documentos necessários para sua viagem: Passaporte Brasileiro, Vistos, Carteira Internacional de Estudante, Permssão Internacional para Dirigir (“Carteira Internacional de Habilitação”), Carteira da Hostelling International (antiga “Albergues da Juventude”).

Passaporte brasileiro

Para ingressar no território de todos os países do mundo, mesmo os que não exigem visto, os brasileiros necessitam de passaporte válido. O prazo de validade exigido depende de um país para outro, mas é geralmente de seis meses a contar da data de seu ingresso no país.

As exceções são a Argentina, o Uruguai, o Paraguai e o Chile onde, mesmo sem passaporte, você pode ingressar com sua cédula de identidade (RG) original, de emissão recente e em bom estado. A foto do RG deve permitir sua identificação: se sua carteira foi emitida quando você era criança e hoje é um homem barbado, tire uma segunda via.

Atenção! NÃO serve a cópia do RG, mesmo que seja autenticada. Também NÃO valem para esse fim as identidades profissionais (carteiras de OAB, CREA, CRM etc.)

Para obter ou renovar seu passaporte brasileiro , você deve agendar com bastante antecedência seu comparecimento a um dos postos da Polícia Federal.  No site da Polícia Federal você encontra os endereços dos postos que emitem passaporte em sua cidade e os documentos que precisa apresentar, bem como o formulário que precisará fornecer. Há também uma taxa a ser paga. O boleto dessa taxa, o GRU será gerado automaticamente após o preenchimento do formulário de solicitação de passaporte pela internet.

Menores Menores de 18 anos só podem obter passaporte brasileiro e viajar para o exterior com autorização expressa dos pais, dada por escrito, com firma reconhecida, nos termos de modelos fornecidos pelo governo. A autorização é necessária mesmo que o menor viaje acompanhado de um parente próximo ou de um dos pais, sendo que neste caso basta, é claro, a autorização do outro. Informações oficiais detalhadas e modelos das autorizações podem ser encontradas no site da Polícia Federal.

No caso de perda, furto ou roubo do passaporte, faça imediatamente um boletim de ocorrência na delegacia de polícia mais próxima e em seguida avise o consulado do Brasil. Você não poderá deixar o país sem um novo passaporte ou uma autorização do consulado.

Importante: Ao viajar para o exterior, leve algum documento brasileiro além do passaporte (carteira de motorista com foto, por exemplo) e xerox do RG, do CIC, do título de eleitor e do próprio passaporte. Isso vai ajudá-lo muito na eventualidade de precisar tirar um passaporte novo. De qualquer modo, a taxa a ser paga para obter outro passaporte é cara e o consulado vai lhe fazer mil perguntas antes de expedi-lo — o que pode demorar muito.

Vistos

Visto é a autorização provisória fornecida pelo consulado de determinado país permitindo-lhe ingressar no seu território e lá permanecer durante um dado período. Alguns países o exigem para brasileiros que viajam na condição de turistas, outros não. Porém o visto ou a dispensa dele NÃO autorizam incondicionalmente a entrada no país. Se houver algum fato subseqüente que transforme você em uma persona non grata, ou se os policiais do serviço de imigração tiverem suspeitas – fundadas ou não – de que há algo errado com você ou que você pretende permanecer e trabalhar clandestinamente, sua entrada será negada.

Ao planejar sua viagem, informe-se se o país para onde você vai exige visto ou não. O órgão mais confiável para prestar essa informação é o consulado do país no Brasil. As normas sobre a exigência de vistos, que dependem de acordos diplomáticos, e os documentos necessários, que variam segundo a burocracia de cada país, estão sempre mudando.

Com os recentes episódios de terrorismo em diversos pontos do mundo e o crescimento da imigração clandestina para países mais desenvolvidos, certos consulados são muito rigorosos na concessão de vistos e pedem documentos que comprovem seu vínculo com o Brasil (ou seja, elementos que, de acordo com a avaliação deles, sejam “garantias” de que você não pensa em imigrar clandestinamente para lá…) e declarações de que você não é um terrorista, um traficante internacional de entorpecentes ou armas ou algo parecido.

Veja aqui a lista de consulados estrangeiros no Brasil.

Permissão Internacional para Dirigir – PID (“Carteira internacional de habilitação”)

Alguns países não aceitam a carteira de habilitação brasileira para que você possa dirigir carro ou moto em seu território. Você terá que obter uma Permissão Internacional para Dirigir – PID (“Carteira internacional de habilitação”) no Detran de seu estado.

No Detran do estado de São Paulo, você pode fazer o pedido online e receber a PID em casa, pelo correio. Veja aqui como proceder.

Carteira Mundial de Estudante (ISIC) e outras

As Carteiras Mundial de Estudante (ISIC), Mundial de Professor (ITIC) e Jovem Card (IYTC) dão direito a descontos diversos em muitos países – inclusive no Brasil. A ISIC é para estudantes em geral, desde o ensino fundamental até o doutorado; a ITIC, para professores quer lecionem em colégios, faculdades, universidades, cursos pré-vestibulares, cursos técnicos e cursos de idiomas; e a IYTC, para jovens de 18 a 30 anos que não estejam estudando.

No Brasil, essas carteiras são encontradas nas unidades do STB – Student Travel Bureau. Veja aqui a relação dos pontos de venda.

Carteira do Hostelling International  (antigos Albergues da Juventude)

Os antigos hostels dos “Albergues da Juventude”, que agora se chama Hostelling International (HI), continuam sendo uma excelente alternativa de hospedagem econômica em todo o mundo, e não são destinados apenas a jovens. Para se hospedar nos hostels (albergues) da HI, é preciso se associar e obter a carteirinha, que é barata e vale muito a pena. Lembre, porém, que é bom reservar seu lugar para não dar de cara com um hostel lotado; e que os preços das diárias nos hostels variam entre si e e também de um quarto para outro no mesmo hostel.

Veja informações sobre como obter a carteirinha do HI.

Saiba mais sobre hospedagem econômica.

Dinheiro em viagem

Por Gisele Bruhns Libutti

Dinheiro em viagem: como transportar sua moeda cash?

Com quanto dinheiro você pode sair do Brasil ?

Qualquer turista brasileiro tem direito a levar consigo numa viagem até R$ 10.000 (dez mil reais) em dinheiro vivo ou em cheques de viagem sem precisar declarar à Receita Federal; acima desse valor, a declaração é necessária. Ao entrar em muitos países, você deverá declarar qualquer soma em moeda estrangeira acima de um determinado valor.

Dinheiro vivo ou cash

• Transportar dinheiro vivo tem suas vantagens: é muito mais fácil trocar uma nota de dólar do que um cheque de viagem, principalmente em pequenas cidades ou num final de semana, quando os bancos estão fechados.

• Por outro lado, andar com dinheiro vivo significa que você terá que tomar muito cuidado com eventuais furtos ou roubos. Se levarem seu dinheiro, levaram, e você não o recupera mais. De qualquer forma, nunca leve todo (nem a maior parte) de seu dinheiro em espécie; leve apenas o necessário, considerando para onde você vai e quais as facilidades para trocar cheques de viagem.

Cartão de crédito internacional

• São cada vez mais utilizados por todo mundo. Hoje, quase todos os cartões de crédito brasileiros são internacionais, ou seja, aceitos no exterior. A primeira grande utilidade do cartão de crédito na sua viagem é que ele é o modo mais fácil de se financiar a passagem, alugar automóvel e fazer reserva em hotéis, tudo com um mínimo de burocracia.

• Tenha sempre anotados o telefone da administradora e o número do cartão para o caso de extravio ou roubo. Não é demais recomendar que você confira tudo o que está assinando e se o cartão que estão lhe devolvendo é mesmo o seu.

• O cartão não dispensa a necessidade de levar dinheiro vivo ou cheques de viagem, pois nem tudo pode ser pago com ele.

Verifique a validade do seu e anote o telefone de contato com a operadora para casao de roubo ou extravio.

Cartão Pré-Pago

Você “carrega” o cartão em seu banco dom uma determinada soma em euros ou dólar e pode sacar no exterior ou pagar contas com ele.

Advertência: A crise econômica resultado do saque dos cofres públicos, somado à incompetência, quebrou o país. Com isso tentam arrancar dinheiro de onde podem. As taxas para uso de cartões internacionais dispararam de modo absurdo. Fale com seu gerente.

Cheques de viagem

• Os cheques de viagem antigamente muito usados, foram superados pelo cartão de crédito. Os cheques de viagem podem ser comprados nos principais bancos brasileiros (porém não em todas as agências) – em alguns deles, até mesmo pela internet! Eles podem ser emitidos em dólar, em euro ou mesmo em outra moeda.

• Se o pior acontecer (perda, furto, roubo), vá depressa até a Delegacia de Polícia mais próxima, registre a ocorrência e peça uma cópia da declaração. Depois informe a agência mais próxima da instituição que emitiu os cheques, que fornecerá novos cheques em substituição aos extraviados.

Cagliari, Itália
Cagliari, Itália

Dicas sobre a melhor época para a sua viagem: quando você vai se dar melhor

Que temperaturas, chuvas e tipo de clima o aguarda quando você irá desembarcar?

• Antes de se decidir a visitar um determinado país, informe-se sobre o clima que estará fazendo quando você desembarcar.

Viajar na época errada acaba com qualquer viagem

•Temperaturas muito altas, muito baixas, excesso de chuvas ou de ventos ou mesmo risco de eventos meteorológicos de maior gravidade, como tufões ou tempestades, podem literalmente acabar com uma viagem que teria sido perfeita se tivesse sido feita na estação adequada.

• Você pode, por exemplo, estar morrendo de vontade de conhecer o Canadá, só que fazê-lo no inverno deles (de dezembro a março) pode ser literalmente uma fria! Mesmo em Paris ou em Nova York, onde faz menos frio, a única coisa que vai querer, depois de caminhar uma hora ao ar livre em pleno inverno, é entrar em uma loja ou restaurante (qualquer lugar que tenha calefação…) ou até voltar para o hotel. Sem contar que diversas atrações fecham nessa época do ano.

• O calor tem o mesmo efeito: Roma, Sevilha ou Marrakech no verão são muito piores do que o Rio de Janeiro, porque no Rio pelo menos tem o mar…

Evite a todo custo viajar na época chuvosa

• Tão importante quanto a temperatura é também importante evitar viajar para um país em suas épocas mais chuvosas. Tem graça ir para a Índia ou a Tailândia e ficar trancado no hotel em razão das inundações, comuns durante as monções? Anote isso: chuva e viagem não combinam!

Alta estação: tudo caro e lotado

• Porém não é só com o clima que você deve se preocupar. No mundo todo, nas épocas de férias e de feriados, os lugares turísticos são sempre mais cheios e normalmente mais caros. Por exemplo, o mês de agosto é horrível em Veneza, não por causa do clima, mas porque está tudo insuportavelmente entupido de gente. Para sermos mais exatos, em quase qualquer lugar do mundo, agosto é um mês em que tudo está lotado, por uma razão muito simples: é a época de férias de verão no hemisfério norte e todo mundo está viajando – americanos, canadenses, europeus, japoneses… Obviamente, os preços disparam. E há filas até para se fotografar a Torre Eiffel. Além das férias, a realização de feiras, congressos ou mega-shows também lota as cidades. Informe-se sempre.

Importante: a época do ano em que você vai viajar tem muito a ver com a bagagem e tipo de roupas que vai levar consigo.

Veja a melhor época em diferentes destinos

América do Sul

Argentina: ArgentinaBariloche | Buenos Aires | Mendonza | Terra do Fogo |  Ushuaia

Brasil:  Bahia

Chile: Chile | Patagônia Chilena | Puerto Natales | Santiago |  Torres del Paine | Atacama

Peru: Peru | Arequipa | Cusco |  Machu Picchu | Vale Sagrado | Lima

América do Norte

Canadá: CanadáVancouver | Toronto | Québec | Montreal

Estados Unidos: Nova York

México: Ciudad de México  | México |

Ásia

Índia: Índia

Japão: Japão

Europa

Alemanha: Alemanha

Austria:  Áustria | Viena

Espanha: EspanhaSevilha | Barcelona | Madri

França: França | Alsácia | Normandia | Mont Saint-Michel | Paris | Vale do Loire | Bretanha |

Grécia: Grécia

Holanda: Amsterdã

Inglaterra: Londres

Itália: Itália | Costa Amalfitana | Florença |  Milão |  | RomaSicília |  Veneza |
Riviera italianaToscana |

Portugal: PortugalLisboa

Suécia: Suécia | Estocolmo |

Suíça: Suíça | Genebra | Zurich |

Oceania

Nova Zelândia: Nova Zelândia

Decidiu seu destino?

Veja sempre promoções de passagens aéreas e pacotes

Vistos e consulados de países nas cidades brasileiras

Visto de turismo

Vistos de turismo são obtidos nos consulados que representam os países no Brasil. A maioria dos países não exige mais visto de brasileiros para viagens de turismo ou de negócios. Seu passaporte deve, em princípio, ter pelo menos mais 6 meses de validade. Você pode ficar no total 3 meses em viagens de turismo ou de negócios no território da União Europeia (França, Espanha, Itália, Portugal etc.), mas não mais de 3 meses em cada país.

Importante: A falta de exigência do visto não significa automaticamente livre entrada no país. O serviço de imigração pode exigir passagem de volta para o Brasil, se possível com uma data de embarque, que você prove ter meios financeiros para se manter etc. Ou seja, você deverá demonstrar que realmente está viajando para fazer tursmo ou a trabalho.

Você não precisa nem visto (nem de passaporte)para ir a Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai, Peru e Bolívia. A carteira de identidade (RG) em bom estado e com foto que te identifique (não uma de 20 anos atrás…) é suficiente.

Os vistos mais complicados de se obter

Países como Estados Unidos, Canadá, Rússia, Austrália e outros exigem visto tanto para turismo como para viagens de negócios. Os vistos são concedidos pelos consulados. Atenção : muitos países árabes não concedem visto de entrada para viagens de turismo e negócios se você tiver carimbo de entrada em Israel em seu passaporte.

Visto para viagens de estudos (visto de estudante)

Nessa situação, o visto é sempre obrigatório. Para viagens de estudos, você deve providenciar seu visto, com a maior antecedência possível, no consulado do país onde deseja estudar.

Atenção: As informações sobre vistos são sujeitas a alterações que nem sempre podemos atualizar em tempo real. É recomendável reconfirmá-las ligando para o respectivo consulado.

Consulados nas cidades brasileiras

CONSULADOS DA ÁFRICA DO SUL

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Africa do Sul em Brasília (DF) SES, Av. das Nações, Lote 6, Quadra 801 – CEP 70406-900 Brasília – DF tel. (0xx61) 312-9500
Consulado da Africa do Sul em São Paulo (SP) av. Paulista 1754, 12º andar – CEP 01310-100 – (11) 285-0433

CONSULADOS DA ALEMANHA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Alemanha em Porto Alegre (RS) Rua Professor Annes Dias, 112, 11º an. CEP 90020-090 CEP: 90001-970 (51) 3224-9255
Consulado da Alemanha em Recife (PE) Ed. Empresarial Center III Rua Antânio Lumack do Monte, 128/16º Boa Viagem CEP 51020-350 Telefones: (81) 3463-5350
Consulado da Alemanha no Rio de Janeiro (RJ) Rua Presidente Carlos Campos, 417 CEP 22231-080 (21) 2554-0004
Consulado da Alemanha em São Paulo (SP) Av. Brigadeiro Faria Lima, 2092, 12º andar – Jd. Paulistano – CEP 01452-928 – (11) 3097-6644 / 3815-2054 / 3814- 6379

CONSULADOS DA ARGENTINA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Argentina em Salvador (BA) Rua Ribeiro dos Santos, 17 Pelourinho – (71) 241-4862
Consulado da Argentina em Belo Horizonte (MG) Rua Ceara, 1566 – Bairro Funcionários – CEP 30150-311 (31) 281-5288 Curitiba (PR) Rua Benjamim Constant, 67, 15º andar CEP 80060-020 – (41) 222-0799 / 222- 9589
Consulado da Argentina em Foz do Iguaçu (PR) Travessa Vice-Cônsul Eduardo Ramon Bianchi, 26 CEP 85851-270 – (45) 574-2877
Consulado da Argentina em Recife (PE) – Av. Cons. Aguiar 4887, sala 106 Boa Viagem CEP 51021 (81) 326-5378 / 326-4886
Consulado da Argentina no Rio de Janeiro ( RJ) Praia Botafogo 228, 201 – CEP 22250-040 – (21) 551-5498 / 551-5798
Consulado da Argentina em Uruguaiana (RS) – Rua 13 de março, 1674, centro CEP 97500-600 – (55) 412-1925 / 412-6277
Consulado da Argentina em Porto Alegre ( RS) Rua Prof. Annes Dias 112, 1º andar, CEP 90020 – (51) 224-6799 / 224-6810
Consulado da Argentina em Florianópolis (SC) Av. Rio Branco, 387, 5º andar, Centro CEP 88015-000 – (49) 216-8903
Consulado da Argentina em São Paulo (SP) Av. Paulista, 228 – 9° andar CEP 01310-100 – (11) 248-1355

CONSULADOS DA AUSTRÁLIA

(Visto obrigatório e demorado de ser obtido)
Consulado da Austrália em São Paulo (SP) Al. Ministro Rocha Azevedo, 456, 2° andar, Jardins CEP 01410-000 – (11) 3085-6247

CONSULADOS DA BOLÍVIA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Embaixada da Bolívia em Brasília – DF SHIS, QI 19 Conj.13 – Casa 19 – Lago Sul CEP 71655-130 – tel. (061) 3366-3432
Consulado da Bolívia em Cuiabá – MT – Consulado Geral da Bolívia Rua Paramaribo, 174 Qd. 08 Lote 06 – Jardim das Américas CEP 78060-020 –
Consulado da Bolívia no Rio de Janeiro – RJ – Av. Rui Barbosa, 664 – ap. 101 – Flamengo CEP 22250-020 – Rio de Janeiro – RJ tel. (0xx21) 2552-1796
Consulado da Bolívia em São Paulo -SP – Consulado Geral da Bolívia Av. Paulista, 1439, 9o andar, Conjunto. 92- Cerqueira Cesar CEP 01311-200 – tel. (0xx11) 3289-0443
Consulado da Bolívia em Campo Grande – MS – Consulado da Bolívia R. Spipe Calarge, 99 – Bairo Jardim TV CEP 79002-351 – Campo Grande – MS tel. (0xx67) 3342-6933
Consulado da Bolívia em Corumbá – MS – Consulado da Bolívia R. Cabral, 1607 (entre Firmo de Mattos e Major Gama) CEP 79332-030 – Corumbá – MS tel. (0xx67) 3231-5605
Consulado da Bolívia em Cuiabá – MT – Consulado da Bolívia Rua Paramaribo, 174 Qd. 08 Lote 06 – Jardim das Américas CEP : 78060-020 – Cuiabá – MT tel. (0xx65) 3627-4937

CONSULADOS DO CHILE

(O país não exige visto nem passaporte para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado do Chile em Brasília (DF) SES Av. Das Nações, q.803, Lote 11 (061)2103-5151
Consulado do Chile em Porto Alegre ( RS) Rua Padre Chagas, 79 conj. 602 CEP: 90570-080 (51)33463970
Consulado do Chile no Rio de Janeiro ( RJ) Av. Praia Do Flamengo, 344, 7° andar CEP:22210-030 (021) 552-5349
Consulado do Chile em São Paulo (SP) Av. Paulista, 1009, 10º Andar CEP:01311-100 – (011) 284-2044/284-2185

CONSULADOS DA COLÔMBIA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Colômbia em Brasília (DF) SES, Av. da Nações, Qd.803 – Lote 10 Tel: (61) 226-8997 / 226-2547 / 226-8902
Consulado da Colômbia em Manaus ( AM) Rua Dona Libânia, 62, C.Postal 346 CEP:69010-250 – (92) 234-6777
Consulado da Colômbia no Rio de Janeiro (RJ) Praia do Flamengo, 284, Apto. 101 CEP:22210-000 (21) 552-5048 / 628
Consulado da Colômbia em São Paulo – SP Rua Peixoto Gomides, 996, 4o Andar, Conj. 140 Bairro Cerqueira Cesar CEP:01409-900 (11) 285-6350

CONSULADOS DA COSTA RICA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Costa Rica em Brasília (DF) SRTVN 701 Conj.”C” Ala “A” Salas 308/310 Centro Empresarial Norte Tel: (61) 328-2219
Consulado da Costa Rica no Rio de Janeiro ( RJ) Rua Miguel Lemos, 41, sala 1009 CEP: 22071-000 – (21) 2522 88 99
Consulado da Costa Rica em São Paulo (SP) Rua Henrique Martins, 394 – Ibirapuera CEP: 04 504-000 – (011) 8899650

CONSULADOS DE CUBA

(Visto obrigatório)
Consulado de Cuba em Brasília (DF) SHIS – QI 05, Conj. 18, Casa 01 CEP:71615-180 (061)3248-4710 / 3248-4215
Consulado de Cuba em São Paulo (SP) Rua Cardoso de Almeida, 2115 Bairro Sumaré CEP: 01252-001 (011) 3873-2800
Consulado de Cuba no Rio de Janeiro (RJ) Rua Figueiredo Magalhães, 109/1001, Copacabana CEP: 22031-010 – (021) 3255-9539

CONSULADOS DA DINAMARCA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Dinamarca em Brasília (DF) Setor Consular da Embaixada SES Av. das Nações, Qd. 811, Lote 26 CEP:70416-900 – (061)443-8188
Consulado da Dinamarca em São Paulo (SP) Rua João Tibiriçá, 900 CEP:05077-000 – (011) 831-9799

CONSULADO DO EGITO

(Visto obrigatório)
Consulado do Egito no Rio de Janeiro (RJ) Rua Muniz Barreto, 741, Botafogo, 22251-090 (21) 2554-6318 / 2554-6664

CONSULADOS DO EQUADOR

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado do Equador em Brasília (DF) SHIS – QI 11, Cj. 09, Casa 24 Tel: (61) 248-5560 / 248-5660
Consulado do Equador em São Paulo (SP) – R. Diogo Moreira, 132 – 13 o andar CEP 05423-010 – (011) 3032-9909

CONSULADO DA ESLOVÊNIA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Eslovênia em São Paulo (SP) Rua Prof. Miguel Maurício da Rocha, 507, Brooklin Paulista CEP 04622-031 – (11) 5093-9029

CONSULADOS DA ESPANHA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Espanha em Brasília (DF) SES- Av. Das Nações, Qd. 811 Lt 44 CEP: 70429 –900 (61) (61) 3244-2121 / 3244- 2023
Consulado da Espanha em Porto Alegre (RS) RS Rua Eng° Ildefonso Simões Lopes, 85 CEP: 91330.180 (51) 3338-1300
Consulado da Espanha no Rio de Janeiro (RJ) Rua Lauro Müller, 116, salas 1601/2 Torre Rio Sul – Botafogo – CEP: 22290-160 (21) 2543-3200 / 2543-3112 / (21) 2543-3096
Consulado da Espanha em São Paulo (SP) Av. Bernardino de Campos, 98, 1º andar – CEP: 04004-040 – (11) 3059-1800
Consulado da Espanha em Salvador (BA) Rua Marechal Floriano, 21, Canela CEP: 40110-010 – Salvador-BA (71) 3336-9055

CONSULADO DA ESLOVÁQUIA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Eslováquia em Brasília – DF SES, Av. das Nações, Qd.805, Lote 21 (61) 3443-1265 / 3443-1263

CONSULADO DA ESTÔNIA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Estônia em Santos (SP) Rua General Rondon, 07/ CEP: 11030-570

CONSULADOS DOS ESTADOS UNIDOS

(Visto obrigatório, quase sempre demorado e com necessidade de entrevista pessoal )
Consulado dos Estados Unidos no Rio de Janeiro (RJ) Av. Presidente Wilson, nº 147 Castelo – Cep: 20030.020 – (21) 2292 7117
Consulado dos Estados Unidos em São Paulo (SP) Rua Padre João Manoel, 933 – Cerqueira César – CEP: 01411-001 – (11) 3081-6511
Consulado dos Estados Unidos em Recife (PE) End. Rua Gonçalves Maia, 163 Boa Vista CEP:50070-060 – (81) 3421-2441

CONSULADO DAS FILIPINAS

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado das Filipinas em Brasília (DF) SEN Av. das Nações, Lote 01 CEP:70431-900 (061)3223-5143

CONSULADOS DA FINLÂNDIA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Finlândia em Brasília ( DF) SES – Av. das Nações, lote 27 CEP:70417-900 – (61) 3443-7151
Consulado da Finlândia em São Paulo (SP) Rua Machado Bittencourt 190 conj. 607 – CEP:04044-000 – (11) 5087-9542
Consulado da Finlândia no Rio de Janeiro (RJ) Praia do Flamengo, 344, 9o, CEP:22210-030 – (21) 2553-5505 e 2551-5896

CONSULADOS DA FRANÇA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da França em Brasília (DF) SES Av. das Nações, Qd. 801, Lote 04 CEP:70404-900 (061)3321-9100
Consulado da França em Recife Av. Conselheiro Aguiar, 2333, 6o Andar Ed. João Roma , Boa Viagem CEP:51020-020 – (081)465-3290
Consulado da França em São Paulo (SP) Av. Paulista, 1842, 14º andar CEP: 01310-200 (011) 3371-5400
Consulado da França no Rio de Janeiro (RJ) Av. Pres. Antonio Carlos, 58, 6o Andar CEP: 20020-010 – (021) 210-1272
Consulado da França em Belo Horizonte (MG) End.: Rua Tomé de Souza, 1418 Savassi CEP: 30140-131 – (31) 329-1587
Consulado da França em Curitiba (PR) Rua Pedro Rolim de Moura, 65 CEP:80030-250 -(041)253-0585/264-5358
Consulado da França em Florianópolis (SC) Rua Pereira de Oliveira, 64, 3º andar CEP: 88020-040 – (048)223-0078/1846
Consulado da França em Fortaleza (CE) Rua. Joao Cordeiro, 831 (Meireles) CEP:60110-300 – (085) 322-63470
Consulado da França em Porto Alegre (RS) Rua D. Pedro II, 1240 – Conj. 314 CEP:90550-141 – (051)330-2141/337-4697

CONSULADOS DA GRÃ-BRETANHA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios mas muitos brasileiros são barrados no aeroporto)
Consulado da Grã-Bretanha em Brasília (DF) SES Av. das Nações, Qd. 801, Conj “K” , Lote 08 CEP:70408-900 – (61) 3225-2710
Consulado da Grã-Bretanha em São Paulo (SP) Av. Paulista, 37, 17o Andar CEP:01310-000 – (11) 287-7722
Consulado da Grã-Bretanha no Rio de Janeiro (RJ) Praia do Flamengo, 284 – 2o Andar EP:20001-970 (21) 553-3223
Consulado da Grã-Bretanha em Belo Horizonte (MG) Av. Afonso Pena, 952, 5o Andar, Ed. Guimarães CEP:30130-002 – (31) 222-6318
Consulado da Grã-Bretanha em Curitiba (PR) R. Pres. Farias, Sala 51, 7o Andar, Conj.705 CEP:80020-290 (41) 322-1202
Consulado da Grã-Bretanha em Fortaleza (CE) Praça da Imprensa, S/N, A/C Grupo Edson de Queiros CEP: 61139-900 (85) 244-8888
Consulado da Grã-Bretanha em Porto Alegre (RS) R. Itapeva, 110-Conj. 505-Ed.Montreal Passo d Areia CEP:91350-080 (51) 341-0720
Consulado da Grã-Bretanha em Recife (PE) Av. Ulisses Montarroyos, 2881, Piedade Jaboatão dos Guararapes CEP:54460-280 (81) 341-0462
Consulado da Grã-Bretanha em Salvador (BA) Av. Estados Unidos, 4, 11o andar, sala 1109 CEP:40010-020 – (71) 243-9222 (71) 242-7848

CONSULADOS DA GUATEMALA

(Visto obrigatório)
Consulado da Guatemala em Brasília – DF SHIS – QI-08, Conj. 05, Casa 11 (61) 3248-3318

CONSULADOS DA HOLANDA (PAÍSES BAIXOS)

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Holanda em Brasília (DF) SES Av. das Nações, Qd. 801, Lote 05 (61) 3321-4769
Consulado da Holanda em São Paulo (SP) Av. Brigadeiro Faria Lima 1779 – 3° andar CEP:05422-970 (11) 3811-3300
Consulado da Holanda no Rio de Janeiro (RJ) Praia do Botafogo, 242, 10o Andar CEP:22250-040 – (21) 2157-5400

CONSULADOS DA HUNGRIA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Hungria em Brasília (DF) SES Av. das Nações, Qd. 805, Lote 19 (61) 3243-0822 / 3243-0836
Consulado da Hungria em São Paulo (SP) Rua André Ampére, 153 – cj. 42 04562-080 (11) 5506-5011, 5506-5088

CONSULADOS DA ÍNDIA

(Visto obrigatório)
Consulado da Índia em Brasília (DF) SHIS – QI-09, Conj 09, Casa 07 (61) 3248-4006 / 2348-3944
Consulado da Índia em São Paulo (SP) Av. Paulista, 925, 6º andar CEP 01311-100 – (11) 3171-0340 / 41

CONSULADO DA IRLANDA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Irlanda em Brasília – DF SHIS QL Conjunto 05, Casa 09; Lago Sul CEP 71630-255 – Brasília – DF (61) 248-8800
Consulado da Irlanda em São Paulo – SP – Av. Paulista, 2006 Conj. 514 CEP 01310-200 – São Paulo – SP (011) 3287- 6362

CONSULADOS DE ISRAEL

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado de Israel em Brasília (DF) SES Av. das Nações, Qd. 809, Lote 38 (61) 2105-0500
Consulado de Israel em São Paulo (SP) Av. Brig. Faria Lima, 1766, 13o Andar CEP:01452-001 – (11) 3815-7788

CONSULADOS DA ITÁLIA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Itália em Brasília (DF) SES – Av. das Nações, lote 30 CEP 70420-900 – (61) 442-9900
Consulado da Itália em Porto Alegre (RS) Rua José de Alencar, 313, Bairro Menino Deus Cep-90880-481- (51) 3230-8200
Consulado da Itália em São Paulo (SP) Av. Higienópolis, 436 Cep- 01238-000 (11) 3663-7800
Consulado da Itália em Belo Horizonte (MG) Av. Afonso Pena, 3130 – 12°. Andar CEP 30130-009 – (031) 3281-4224 /4211
Consulado da Itália no Recife (PE) Av. Domingos Ferreira, no. 2222 – 2°. Andar – Ed. Robert Gran – Boa Viagem CEP 51010-030 – (081) 3466-4200
Consulado da Itália no Rio de Janeiro (RJ) Av. Antonio Carlos, 40 – 7°. Andar CEP 20020-010 – (021) 2282.1315

CONSULADOS DO LÍBANO

(Visto obrigatório)
Consulado do Líbano em Brasília (DF) SES Av. das Nações, Qd. 805, Lote 17 (61) 3443-6256 / 3443-8570
Consulado do Líbano no Rio de Janeiro (RJ) Rua Dona Mariana, 39, Botafogo CEP:22280-020 – (021)266-6564
Consulado do Líbano em São Paulo (SP) Av. Paulista, 688, 16o Andar, Bela Vista CEP:01310-100 – (011)288-2399/288-2514

CONSULADO DA LITUÂNIA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Lituânia em São Paulo (SP) Rua Capitão Otávio Machado, 207, Granja Julieta CEP:04718-000 (011)5182-0871

CONSULADOS DE MARROCOS

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado de Marrocos em Brasília (DF) SEN Av. das Nações, Lote 02 (61) 3321-4487 / 3226-2288

CONSULADOS DO MÉXICO

Há uma espécie de visto eletrônico que pode ser feito pela Intenet, mas possivelmente essa exigência (por imposição norte-americana) deve ser abolida em breve. Infomr-se com o consulado mexicano.
Consulado o México em Brasília (DF) SES Av. das Nações, Qd. 805, Lote 18 (61) 3244-1011 /3 244-6866
Consulado o México no Rio de Janeiro (RJ) Praia de Botafogo, 242/301, Botafogo CEP:22250-040 – (21) 2553-2059 / 2552-9496
Consulado o México em São Paulo (SP) R. Holanda, 274, Jardim Europa CEP: 01446-900 (11) 3081-4144/4921/4721/4885/4613

CONSULADOS DA NORUEGA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Noruega em Brasília (DF) SES Av. das Nações, Qd. 807, Lote 28 3 (61) 3443-8720 / 3443-8722 / 3443-8730
Consulado da Noruega no Rio de Janeiro (RJ) Praia do Flamengo, 344, 9o Andar CEP:22210-030 (021)552-2422
Consulado da Noruega em São Paulo (SP) Rua Oscar Freire, 379, 3o Andar, Cerqueira Cesar CEP:01426-001 (011) 3883-3322

CONSULADOS DO PANAMÁ

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado do Panamá em Brasília (DF) SHIS QL 07, conj. 09 casa 08 (61) 3248-7423/ 348-7309
Consulado do Panamá em Belo Horizonte (MG) Rua Sergipe, 625, s/403, 4º andar, Ed. Arcádia, Bairro Funcionários CEP:30310-170 – (31) 3261-6334
Consulado do Panamá em São Paulo (SP) Rua Cristiano Viana, 1126, Bairro Sumare CEP:05411 – (11) 3263-8320

CONSULADOS DO PARAGUAI

(O país não exige visto nem passaporte para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado do Paraguai em Brasília (DF) SES Av. das Nações, Qd. 811, Lote 42 (61) 3242-3732 / 3443-1622 / 244-8649
Consulado do Paraguai em Curitiba (PR) R. Voluntários da Pátria, 400- Ed. Wawel, s/501, Praça Osório CEP:80020-917 (041) 3223-2132
Consulado do Paraguai no Rio de Janeiro (RJ) Praia do Botafogo, 242/2o Andar CEP:22250-040 – (021) 553-2294
Consulado do Paraguai em São Paulo (SP) Rua Bandeira Paulista, 600, 15º andar, conj. 153 Ed. Banco do Brasil, Itaim CEP:04532-001 – (011) 3255-7818/ 3257-6122

CONSULADOS DO PERU

(O país não exige visto nem passaporte para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado do Peru em Brasília (DF) SES Av. das Nações, Qd. 811, Lote 43 (61) 3242-9933 / 3242-9835
Consulado do Peru em São Paulo (SP) Rua Rua Votuverava, 305, Cidade Jardim (011)870-1793/1794
Consulado do Peru no Rio de Janeiro ( RJ) Av. Rui Barbosa, 314, 2o Andar CEP:22250-020 (021) 551-9596

CONSULADOS DA POLÔNIA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Polônia em Brasília (DF) SES Av. das Nações, Qd. 809, Lote 33 (61) 3243-3438
Consulado da Polônia em Curitiba (PR) Av. Agostinho Leão Jr, 234, Alto da Glória CEP: 80030-110 – (041) 264-4662
Consulado da Polônia no Rio de Janeiro (RJ) Praia de Botafogo, 242 9º andar – Botafogo CEP: 22250-40 (21) 551-8088
Consulado da Polônial em São Paulo (SP) Rua Monte Alegre, 1791 CEP: 05014-002 (011) 36723778

CONSULADOS DE PORTUGAL

(O país não exige vistos para turistas brasileiros)
Seção Consular da Embaixada de Portugal em Brasília – DF SES – Av. das Nações, Quadra 801, lote 2 CEP 70402-900 – Brasília – DF tel. (061) 3032-9600
Consulado de Portugal no Rio de Janeiro – Av. Marechal Câmara, 160, sala 1809 – Ed. Orly CEP 20020-080 – RJ tel. (021) 2544-2444, 3231-7250
Consulado de Portugal em São Paulo – Rua Canadá, 324 – Jardim América CEP 01436-000 – São Paulo – SP tel. (011) 3084-1800
Consulado de Portugal em Belo Horizonte – Consulado de Portugal Av. Álvares Cabral 1366, 9o andar – Lourdes CEP 30170-001 – tel. (031) 3291-8192

CONSULADOS DA REPÚBLICA DOMINICANA

(O país não exige vistos para turistas brasileiros)
Consulado da República Dominicana em São Paulo (SP) Alameda Jau, 1742 – 9° andar Ed Armando Petrella, Cerqueira Cesar CEP: 01420-002 (11) 3898-1120 / 3086-3926
Consulado da República Dominicana no Rio de Janeiro (RJ) Praia do Botafogo, 210, sala 903 CEP:22250-040 (21) 2553-3003 (21) 5221-4183
Consulado da República Dominicana em Belo Horizonte (MG) Rua Adauto Lúcio Cardoso, 111, Belvedere CEP: 30320-290 (31) 3391-1614
Consulado da República Dominicana em Brasília (DF) SQS 111, Bloco “H”, Apt°. 104 CEP: 70347-000 (61) 3322-7679
Consulado da República Dominicana em Recife (PE) Av. Rui Barbosa nº 1654 – Graças CEP: 52011-902 (81) 3441-5606

CONSULADOS DA REPÚBLICA TCHECA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da República Tcheca em Brasília (DF) SES Av. das Nações Qd. 805, Lote 21, (61) 3242-7785
Consulado da República Tcheca no Rio de Janeiro (RJ) Rua Maria Eugênia, 461, Humaitá, Botafogo CEP 22261-088 – Rio de Janeiro – RJ (21) 2537-0799, 2537-8238
Consulado da República Tcheca em São Paulo (SP) Av. Morumbi, 635, Jardim Guedala CEP 05607-000 – São Paulo – SP (011) 3031-1729, 3031-8997, 3814-3728

CONSULADOS DA ROMÊNIA

(Visto obrigatório)
Consulado da Romênia em Brasília (DF) SEN Av. das Nações, Lote 06 Tel: (61) 3226-0746
Consulado da Romênia em São Paulo (SP) Rua João Moura, 192, Coj. 11, 1o andar/02 – (011) 32-9361

CONSULADOS DA RÚSSIA

(Visto obrigatório e cansativo de ser obtido. Você deve ter hotel reservado.)
Consulado da Rússia em Brasília (DF) SES Av. das Nações, Qd. 801, Lote A (61) 3223-5094
Consulado da Rússia no Rio de Janeiro (RJ) Rua Prof. Azevedo Marques, 50, Leblon CEP:22450 (021)274-0097/274-9447/259-5646
Consulado da Rússia em São Paulo (SP) Rua Groenlândia, 808, Jardim América
CEP:01434-000 (011)3064-1591

CONSULADOS DA SÍRIA

(Visto obrigatório)
Consulado da Síria em Brasília (DF) SEN Av. das Nações, Lote 11 Tel: (61) 226-1260
Consulado da Síria em São Paulo (SP) Av. Paulista, 326 – 6° andar – S/ 61 CEP: 01310-902 – (11) 3285-5578 / 3288-0060

CONSULADOS DA SUÉCIA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Suécia em Brasília (DF) SES Av. das Nações, Qd. 807, Lote 29 Tel: (61) 3443-1444
Consulado da Suécia em São Paulo (SP) Rua Oscar Freire, 379, 3o Andar, Cerqueira César CEP: 01426-001 – (11) 883-3322

CONSULADOS DA SUIÇA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Suiça em Brasília (DF) SES Av. das Nações, Qd. 811, Lote 41 (61) 3443-5500
Consulado da Suiça em São Paulo (SP) Av. Paulista, 1754, Ed. Grande Avenida, 4º Andar CEP:01310-920 – (11) 3253-4951
Consulado da Suiça no Rio de Janeiro (RJ) Rua Cândido Mendes, 57 – 11o Andar CEP: 20241-220 (21) 3221-1867

CONSULADOS DA TAILÂNDIA

(O visto pode ser obtido no aeroporto ao desembarcar)
Consulado da Tailândia em Brasília (DF) SEN Av. das Nações, Lote 10 (61) 3224-6943
Consulado da Tailândia em São Paulo (SP) Alameda Dinamarca, 467, Alphaville -I CEP: 06474-250 (011)7295-2820

CONSULADO DA TUNÍSIA

(Visto obrigatório)
Consulado da Tunísia em Brasília (DF) SHIS – QI 09, Conj. 16, casa 20 (61) 3248-3725

CONSULADO DA TURQUIA

(O visto só é obrigatório se você estiver chegando da Grécia)
Consulado da Turquia em Brasília (DF) SES Av. da Nações, quadra – 805, lote – 23 (61) 3242-1850 / 3244-4840

CONSULADOS DO URUGUAI

(O país não exige visto nem passaporte para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado do Uruguai em Brasília (DF) S.E.S. Av. das Naçoes, lote 14, Quadra 803 Sul (61) 3322-4528 / 3322-1200
Consulado do Uruguai em Belo Horizonte (MG) Av. do Contorno, 6777, s/1301/2 CEP: 30110-110 (034) 296-7527/8293
Consulado do Uruguai em Porto Alegre (RS) Rua Siqueira Campos, 1171/5o e 6o Andares CEP:90010-001 – (051) 224-3499
Consulado do Uruguai no Rio de Janeiro (RJ) Praia de Botafogo, 242/6o Andar CEP 22250-040 – (021) 553-6030
Consulado do Uruguai em São Paulo (SP) Rua Alameda Santos, 905, 10º andar, Cerqueira César CEP:04002-033 (011) 3284-0998

CONSULADOS DA VENEZUELA

(O país não exige visto para viagens de turismo ou de negócios)
Consulado da Venezuela em Brasília (DF) SES Av. das Nações, Qd. 803, Lote 13 (61) 2101-1011

CONSULADOS DO VIETNÃ

(Visto obrigatório)
Consulado do Vietnã em Brasília (DF) SHIS QI 05, Conjunto 07 – casa 21 -Lago Sul (61) 3364-5876 /3 248-0451

(fonte: Ministério de Relações Exteriores)

Avião França

Passagem aérea: veja vôos, preços e horários

Dicas

Você pode comprar sua passagem aérea em qualquer das companhias abaixo, mas também (sem custos adicionais e, às vezes com preços até melhores) pelas operadoras e agências de viagens. Saiba que passagens aéreas podem ser parceladas, informe-se e compare os juros cobrados pelas companhias. Veja também as dicas do que levar em sua bagagem.

Para onde você vai viajar?

Compare preços de passagens aéreas

PASSAGENS AÉREAS INTERNACIONAIS

AIR-FRANCE  A companhia vende passagens aéreas com rotas suas, ou em parcerias com outras empresas, para qualquer lugar do planeta.

AVIANCA Empresa colombiana. Liga a Colômbia ao Brasil, América Central e América do Norte. Serve diversas ilhas caribenhas. Também vai à Espanha (Madri).

AEROLINEAS ARGENTINAS Tem rotas para Santiago, Montevidéo, São Paulo e outras capitais sul-americanas e voa também para a Europa , Estados Unidos e Austrália.

AEROMEXICO Empresa mexicana, atua em São Paulo, Espanha, Estados Unidos, França e México.

ALITALIA Empresa italiana, atende todo o planeta.

AMERICAN AIRLINES Companhia Americana, voa para todo o mundo.

BRITISH AIRWAYS Empresa Britânica. Vende passagens aéreas para qualquer lugar do mundo

CUBANA Sediada em Cuba, voa para as Américas e Europa.

DELTA AIRLINE Companhia americana, voa para todo o mundo.

GOL Empresa nacional, atende várias cidades do país e da América do Sul.

IBERIA Empresa espanhola, atende em todo o planeta.

JAL JAPAN AIRLINE Empresa japonesa, liga São Paulo a Tóquio via Nova Iorque. De Tóquio, opera diversas cidades do Japão, Ásia, Oceania e as principais capitais européias.

KLM Companhia holandesa, voa para todo o mundo.

LAN CHILE Empresa chilena, voa de Santiago para Buenos Aires e São Paulo, para a Europa e Estados Unidos,Oceania, México e Caribe, às vezes com parceria de outras empresas aéreas.

LUFTHANSA Empresa alemã, faz vôos para todo o planeta.

PLUNA Empresa do Uruguai, voa para Argentina,Brasil, Chile, Paraguai e Espanha. Faz algumas rotas junto com a TAM.

SOUTH AFRICAN AIRWAY Principal companhia aérea do continente africano, faz vôos para todo o planeta.

TAM Nacional, atende todo o país, Mercosul, França, Itália, Inglaterra e Estados Unidos.

TAP Empresa portuguesa, atende a Europa, América do Norte e do Sul e África. Faz parte da Star Alliance, que conecta-se com qualquer lugar do mundo.

UNITED AIRLINE Empresa norte-americana que serve todo o planeta.

Passagens aéreas nacionais, voos locais

PANTANAL Liga São Paulo-capital ao intarior paulista, Minas Gerais e Bahia.

TOTAL Voa para Ribeirão Preto. Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás, Tocantins, Pará e Amazonas.

Compare preços de passagens aéreas e pacotes

Turismo sem esfolar o bolso:

Albergues da Juventude, como funcionam – Uma das opções de hospedagem mais econômicas que existem é o Albergue da Juventude. Apesar do nome, para se filiar à Associação dos Albergues da Juventude (cujo nome mudou para Hosteling International ) não há um limite máximo de idade e sim um mínimo, de 14 anos.

É bom lembrar que tanto estabelecimentos filiados à rede do Hosteling Internacional / Albergues da Juventude como albergues não filiados aparecem na Internet como hostel ou hostels. Hostel é, na prática a mesma coisa que albergue. Muitos hostéis particulares têm sistema de dormitórios coletivos como os albergues.

Não importa, hosteis e albergues costumam ser limpos na maioria das vezes, numerosos e existem em quase todas as cidades grandes ou de interesse turístico, mas apresentam algumas limitações: alguns ainda fecham os dormitórios durante o dia, quando o acesso fica limitado a uma sala de estar e à cafeteria, e só o reabrem no final da tarde; muitos deles possuem apenas grandes dormitórios com beliches e alas separadas para homens e mulheres; você mesmo terá que arrumar sua cama; e, freqüentemente, os banheiros ficam no corredo<end./> R. Porém, pouco a pouco os albergues estão e se aprimorando e alguns já oferecem quartos com banheiro privativo para casais, famílias ou apenas amigos que querem ficar juntos. Certos albergues europeus são instalados em construções particularmente charmosas, como o de Veneza, junto ao canal próximo à praça San Marco; o de Barcelona, num antigo mosteiro; o de Nuremberg, na Alemanha, em um castelo; e o de Florença, numa autêntica villa renascentista.

Preço médio de hospedagem na maioria dos Albergues da Juventude varia de US$ 6 a US$ 20. Ao se associar, é recomendável comprar o guia com os endereços, preços, tipos de acomodação e facilidades oferecidas pelos albergues no mundo inteiro, principalmente se você não tem acesso à Internet.

www.hostel.org.br – Site oficial da Associação Internacional dos Albergues da Juventude brasileiros

Albergues na Bahia

Salvador: AJ Porto Hostel  Rua  Barão de Sergy, 197 – Barra    (71) 32646600

Salvador: AJ Barra Hostel  R. Arthur Neiva, 04 – Barra    (71) 32452600

Mata de São João: AJ Praia do Forte Hostel  Rua  Aurora da Praia do Forte- Barra    (71) 36761094

Porto Seguro AJ Maracaia Hostel Rod. Porto Seguro – Sta. Cruz Cabrália Km 77,5    (73) 36721155

Albergues no Ceará

Fortaleza: AJ. Atalaia Hostel  Av. Beira Mar, 814 – Praia de Iracema    (85) 32190755

Jericoacoara: AJ Jericoacoara HostelL  Rua  São Francisco, 202 Centro    (88) 36692006

Albergues em – Brasília

Brasília: AJ. Brasília Hostel Setor de Áreas Isoladas Norte-Camping-Lote 2 Qd2    (61) 33430531

Albergues no Maranhão

São Luis  Rua  da Palma, 127 – Centro Histórico    (98) 3232-6694

Albergues da Juventude em Minas Gerais

Ouro Preto: AJ Brumas Hostel  Rua  Ladeira São Francisco de Paula 68    (31) 35512944

São João Del Rey: Vila Hostel  Av. 8 de Dezembro 272    (32) 33719263

Albergues da Juventude no Paraná

Foz do Iguaçu: AJ. Paudimar Hostel  Av. das Cataratas – Km 12,5 Caixa Postal 810 – Remanso Grande    (45) 35296061

Foz do Iguaçu: AJ Paudismar Falls Hostel  R. Antonio Raposo 820    (45) 30285503

Albergues da Juventude em Pernambuco

Porto de Galinhas AJ A Casa branca Hostel Praça 18 Lote S    (81) 3552

Recife: Boa Viagem Hostel  Rua  Aviador Severiano Lins, 455 – praia da Boa Viagem    (81) 33269572

Albergues da Juventude no Rio de Janeiro

Búzios: AJ. Búzios Central Hostel  Rua  José Bento Ribeiro Dantas, 1475 – Centro    (22) 2623

Cabo Frio: AJ Peró Hostel  Rua  Coutrim 13 Peró    (22) 26443123

Ilha Grande: Holandês Hostel  Rua  da Assembléia, s/n-Vila do Abraão-Ilha Grande Tel: (24) 33615034

Ilha Grande: Ilha Grande Hostel  Rua Santana 150    (24) 33615667

Albergues da Juventude no Rio Grande do Sul

Bento Gonçalves: AJ. Casa Mia Hostel – Travessa Niterói, 71    (54) 3451-1215

Canela: AJ. Viajante Hostel –  Rua  Ernesto Urbani, 132 – Centro –    (54) 32822017

Gramado: AJ Gramado Hostel – Avenida das Hortências, 3880 –    (54) 3295-1020

Nova Petrópolis: AJ. Hospedaria Bom Pastor Hostel – Rs 235 Km 14, – Linha Brasil    (54) 3298-8066

São Miguel das Missões: AJ Missões Hostel –  Rua São Nicolau, 601    (55) 3381-1202

Albergues da Juventude em Santa Catarina

Balneário Camboriú: Rezende Hostel  Rua  3100,780    (47) 33611008

Florianópolis AJ. Canasvieiras Hostel:  Rua  D R. João de Oliveira, 571-Praia de Canasvieiras     ( 48 ) 32662036

Florianópolis AJ Ilha de Santa Catarina  Rua  Duarte Schuttel, 227 – Centro     ( 48 ) 32253781

Albergues da Juventude em São Paulo

Águas de São Pedro:  R. Guiomar Soares de Andrade, 25    (19) 3482-2140

Brotas:  Av.  Lorival Jaubet da Silva Braga, 1750 – Jd. Civitas    (14) 3653-8081

Campos do Jordão:  R. Pereira Barreto, 22 – Vl. Abernéssia    (12) 3662-2341

Guarujá: Guadalajara, 646 – Praia da Enseada    (13) 3878-1287

Ilhabela:  Rua : Benedito Serafim Sampaio, 371    (12)-3896-2725

Peruibe:  Rua  Prudente de Moraes, 106 – Jd. Ribamar    (13) 3453-5573

São Luiz do Paraitinga: Via de Acesso João Roman, 485    (12) 3671-1179

São Paulo:  Rua  Barão de Campinas, 94 – Centro    (11) 3333-0844

São Paulo:  Rua  Girassol, 519 – Vila Madalena  Rua  Girassol, 519 – Vila Madalena –    (11) 3031-6779

São Paulo:  Rua  Pageú, 266 – Chácara Inglesa    (11) 3589-5319

São Sebastião:  Av.  Walkir Vergani, 121    (12) 3865-4588

São Sebastião:  R. Sebastião Romão César, 406 Maresias    (12) 3865-6612

São Sebastião:  Rua  das Tijucas, 2300 Sertão de Camburi – Camburi –    (12) 3865-4160 / 3865-3675

São Vicente: Rua  Luis Vaz de Camões n°150, Biquinha <tel/> (13) 3568-2525

Ubatuba:  Rua  Amoreira, 71 – Praia do Lázaro – <tel/> (12) 3842-0585

Turismo econômico no mundo: albergues da juventude

África do Sul (www.hisa.org.za ) Albergue em Capetown
Alemanha
(www.djh.de ) Albergues em Berlim, Hamburgo etc.
Argentina (www.hostels.org.ar – www.hitravel.com.ar ) Albergues em Buenos Aires, Córdoba, Mendoza, Salta, Jujuy, Bariloche, El Bolsón, Esquel, Ushuaia etc.
Austrália (www.yha.com.au) Adelaide, Sydney, Camberra, Melbourne, Perth
Austria
(www.oejhv.or.at – oejhv-.or.at) Viena
Bélgica
(www.vjh.be) Bruxelas, Antuérpia, Bruges
Bolívia (www.hostellingbolivia.org ) Sucre, Potosí, Cochabamba
Canadá
(www.hihostels.ca) Québec, Ottawa, Montreal, Vancouver, Toronto
Chile
(www.hostelling.cl) santiago, Punta arenas, Puerto Varas, Valdívia, San Pedro de Atacama, Pucón
Dinamarca (www.danhostel.dk) Copenhage
Espanha
(www.reaj.com) Madri, Almeria, Córdoba, Valencia, Toledo, Salamanca, Burgos, Ávila etc.
Estados Unidos (www.hiayh.org)
França
(www.fuaj.org) Paris, Nice, Marseille, Nantes, Bayeux, Mont St-Michel, Rennes, Saint Malo, etc
Grécia
(www.interland.gr/athenshostel – Atenas
Holanda (www.stayokay.com) Amsterdam, etc
Hungria
(www.miszsz.hu) Budapeste, etc
India (www.yhaindia.org) Nova Delhi, Goa, Jaipur, Jaisalmer, etc Inglaterra (www.yha.org.uk ) Londres, etc
Itália (www.ostellionline.org) Assis, Roma Bolonha, Florença, Bergamo, Gênova, Lucca, Parlermo, Rimini, Nápoles, Veneza etc.
Japão
(www.jyh.or.jp) Toquio, etc
Mexico (www.hostellingmexico.com)
Noruega (www.vandrerhjem.no) Oslo, etc
Nova Zelândia
(www.yha.co.nz) Dunedin, Kaikoura, Christchurch, Queenstown, Auckland, Wellington, Napier, Milford Sound, etc
Peru (www.limahostell.com.pe) Lima, Cusco, Arequipa, Puno, Ica
Polônia
(www.ptsm.org.pl) Varsóvia etc
Portugal
(www.pousadasjuventude.pt) Guimarães, Braga, Porto, Viana do Castelo, Évora, Ponte de Lima, Coimbra, Faro, Lagos, etc
Rep. Tcheca (www.czechhostels.com) Praga, etc
Suiça (www.youthhostel.ch) Zurich, Genebra etc
Tailândia
(www.tyha.org – bangkok@tyha.org) Bangkok
Tunisia (www.atatj.planet.tn) Tunis
Turquia
(www.genctur.com ) Istambul

Bed and Breakfast

Outra opção econômica é o Bed and Breakfast, que literalmente significa “cama e café da manhã”. Embora teoricamente os Bed and Breakfast sejam mais baratos do que os hotéis, porque oferecem menos serviços, alguns hoje em dia são bem caros. Há Bed and Brekfast instlados em belas mansões históricas, com serviços que rivalizam com os dos hotéis. Obviament,e os preços desses Bed and Brekafast são tão caros quanto os de hotéis de 3 ou 4 estrelas.

Associação Cristã de Moços (YWCA)

Existem ainda, praticamente no mundo todo, hospedarias da YMCA (Associação Cristã de Moços) e da YWCA (de Moças), que atendem mesmo os não-sócios, de qualquer religião, sem diferença de preço. Os portadores da carteirinha da organização têm desconto apenas para o uso das instalações esportivas. Em alguns poucos países há limite de idade para os hóspedes. A maioria das hospedarias espalhadas pelo mundo aceitam hóspedes de qualquer idade. Algumas, entretanto, destinam-se apenas aos jovens com menos de 26 anos. Mais informações no site www.ymca.org.br.

Dica

Durante as férias escolares, nas cidades onde há universidades, é possível conseguir quartos ou kitchenettes de estudantes. Cheque nos quadros de aviso ou nas secretarias das universidades. 

Paseo Pizarro, Trujillo
Paseo Pizarro, Trujillo

Marinheiro de primeira viagem.

Sua primeira viagem ao exterior

Uma experiência inesquecível

Mesmo que você já conheça relativamente bem o Brasil, a primeira viagem para o exterior é uma experiência única e inesquecível. Até quem já visitou dezenas de países lembra-se da primeira vez em que pisou solo estrangeiro, mesmo que tenha sido em países vizinhos e culturalmente próximos do nosso, como o Uruguai ou a Argentina. Na verdade, o simples fato de estar em um país onde se fala outra língua já é algo novo. Você sabe que se quiser parar para um lanche não poderá simplesmente entrar em uma lanchonete e dizer: “Por favor, uma empadinha e um guaraná”. De alguma forma você conhecerá outro povo.

A sensação de ser um estrangeiro

E, naturalmente, quanto mais esse povo for diferente de nós, mais você se sentirá, pela primeira vez na sua vida, um “estrangeiro”. Dá um friozinho na barriga, misturado com toda uma gama de sentimentos. Quando voltar, terá muita coisa para contar aos amigos. E também não terá que aguentar nenhum metido a besta lhe perguntar, nariz empinado: “O que? Você nunca saiu do Brasil?”.

Na verdade, o simples fato de estar em um país onde se fala outra língua já é algo novo. Você sabe que se quiser parar para um lanche não poderá simplesmente entrar em uma lanchonete e dizer: “Por favor, uma empadinha e um guaraná”. De alguma forma você conhecerá outro povo. E, naturalmente, quanto mais esse povo for diferente de nós, mais você se sentirá, pela primeira vez na sua vida, um “estrangeiro”.

Uma experiência enriquecedora

Conviver com outros povos, conhecer lugares completamente diferentes de tudo o que já viu, estar em meio a novas paisagens – e até mesmo experimentar a culinária de outros países – tudo isso, além de nos enriquecer culturalmente, é muito divertido. Não é por outra razão que quase todo mundo quer aproveitar as férias viajando, e não assistindo TV no sofá da sala.

Viagem é coisa séria

A realidade é que, com raríssimas exceções, temos apenas um mês de férias por ano, e uma viagem ao exterior custa dinheiro. Já que você estará fazendo um investimento importante em si mesmo, é melhor fazer as coisas direito, sem desperdiçar seu tempo nem seu dinheiro. Você não sabe nem por onde começar? Não faz mal; como tudo na vida, viajar é algo que se aprende. Vamos, então, organizar a primeira grande aventura de sua vida?

Documentação

Passaporte

Documentação é a primeira coisa que você precisa providenciar quando pensar em viajar. Há países para onde voê pode ir utilizando penas sua carteira de identidade. Para outros precisa de passaporte, mas não de visto. Finalmente há países que exigem passaporte e visto consular de entrada no país. Saiba mais

 Vacina contra febre amarela

Muitos países, sobretudo na América do Sul, Ásia e África, exigem vacina contra a febre amarela de quem entra em seu território. Há casos em que quem exige é o governo brasileiro (afinal, você vai voltar, não é?). A vacina contra febre amarela tem validade de dez anos e deve ser tomada no mínimo dez dias antes de sua viagem para garantir sua imunização.

O certificado internacional de vacinação contra febre amarela é fornecido pelos postos da ANVISA, existentes na maioria do portos e aeroportos do país. (Em São Paulo: Aeroporto de Congonhas – Tel. 5093-6302 ‑ Aeroporto de Guarulhos – Tel. 6445-3557 ou 6445-2868). Para consultar a relação completa dos postos (onde você também obterá informações sobre quais países exigem vacina), acesse www.anvisa.gov.br/paf/febre/postos.htm

 Dinheiro

Não leve todo o seu dinheiro em espécie. Procure levar pelo menos a metade em cheques de viagem, emitidos em dólares ou, no caso da Europa, em euros.  É recomendável levar também um cartão de crédito com validade internacional, caso o possua. Aliás, os cartões de crédito internacionais são a forma de pagamento cada vez mais utilizada.  Saiba mais

Viajar na época certa

Antes de se decidir a visitar um determinado país, informe-se sobre o clima que estará fazendo quando você desembarcar. Cada país tem a época certa para ser visitado. Saiba mais

Como você vai viajar

Você precisa tomar uma decisão importante: vai viajar por conta própria, comprar um pacote ou pegar uma excursão?

Indepedentemente da alternativa de sua preferência, escolha uma agência de viagens ou operadora confiável, se possível recomendada por pessoas que já utilizaram seus serviços, e exija, por escrito, recibo e a discriminação de todos os serviços contratados, com o máximo detalhamento. Guarde até o anúncio; assim, se eles não cumprirem o que prometeram, você terá como reclamar.

 Pacotes

Algumas pessoas acham que organizar uma viagem é complicado, que dá muito trabalho ou não se sentem seguras em fazê-lo. Nesse caso, uma das opções é a aquisição de um pacote turístico, que normalmente inclui, por um preço fixo, passagens, hospedagem e traslados, sendo que em alguns casos, inclui também algum passeio. Porém, antes de optar por um pacote, você deve lembrar que “hospedagem em apartamento duplo” anunciado pelas agências não significa que o preço inclua hospedagem para duas pessoas, mas sim que esse é o preço individual num quarto para dois. Para saber se o pacote vale a pena, do ponto de vista financeiro, compare o preço dos itens que ele inclui com a estimativa de preço da viagem por conta própria, fazendo o cálculo por pessoa.

Independentemente do preço, que terá de ser analisado caso a caso, as vantagens de um pacote são: praticidade (já está tudo organizado, reservado etc., sem você precisar se mexer) e segurança para quem não está acostumado a viajar para o exterior.

A principal desvantagem é a relativa falta de liberdade: comprando um pacote, se você não estiver contente com o hotel, não é possível mudar para outro, nem alterar as datas de partida e retorno.

 Excursões organizadas

São viagens em grupo, cujo preço inclui tudo que um pacote oferece e, além disso, refeições, passeios e toda a programação da viagem, sempre acompanhada por um ou mais guias. Todo mundo sai de manhã para um passeio; na hora do almoço, o grupo é levado para um determinado restaurante; à tarde, todos seguem com o guia para outro passeio etc.

As vantagens da excursão são, além da praticidade e da segurança, o acompanhamento constante por alguém que – presume-se – conhece bem o lugar e saberá levá-lo para onde interessa, além de o preço ser fixo. Esta é, aliás, uma grande vantagem para quem quer saber exatamente quanto vai gastar, pois a excursão inclui tudo (ou quase) e geralmente pode ser paga em parcelas.

Por quais motivos alguém deve optar por uma excursão?

– Não dominar nenhum idioma falado no país ou compreendido por lá.

–  Não se sentir seguro em viajar sem um guia.

– Não gostar de viajar sozinho, mas não ter companhia.

– Gostar de ter tudo organizado de antemão: horários, refeições, passeios, tempo de permanência em cada lugar etc.

– Querer fazer amizades, gostar de viajar em grupo.

E por quais motivos alguém deve evitar uma excursão?

– Não gostar de convivência social “forçada” (que é inevitável ao tomar café da manhã, passear, almoçar, passear de novo e jantar todo dia com as mesmas pessoas).

–  Querer ter liberdade para definir seu roteiro, horários, tempo de permanência em cada lugar, refeições etc.

–  Sentir-se seguro para viajar sem guia nem “assessoria”.

–  Ter “alergia” a visitas guiadas.

 Viagem por conta própria

Desde que você pelo menos arranhe um pouco o inglês ou a língua do país que pretende visitar (mesmo um “portunhol” básico serve para os países de língua espanhola), viajar por conta própria não é nenhum bicho de sete cabeças. Tendo um mínimo de capacidade de planejamento e de auto-confiança, é muito fácil. As vantagens são várias: você cria seu próprio roteiro, visita o que quer, come onde tem vontade, acorda na hora que deseja. Para organizar você mesmo sua viagem, anote estas dicas:

Olhe o mapa

Há uma regra da qual não se deve tentar escapar: em primeiro lugar, abra um mapa. Freqüentemente não se tem idéia de distância ou de onde fica cada cidade que se pretende visitar. Isso pode causar problemas, principalmente para quem pensa em viajar por terra e acaba traçando planos absurdos. O exame do mapa permite que você faça um roteiro realista.

Planeje sua viagem: roteiro e cronograma

Organizar um roteiro de viagem dá trabalho mas, acredite, compensa. Se você vai apenas para uma cidade, tudo é mais fácil. As dificuldades começam quando seus planos incluem diversas cidades ou países. Anote os dias de ida e de volta ao Brasil, os locais a serem visitados e o tempo desejado de permanência em cada um deles. O ideal é sempre deixar uns dias livres, como “coringas”, de modo a poder ficar um pouco mais em um lugar que você tenha adorado, sem bagunçar todos os seus planos.

Evite essa roubada

Um erro comum dos turistas, principalmente dos principiantes, é querer conhecer lugares demais, sem ter o tempo suficiente para tal. O resultado é que acabam tomando o café da manhã em Paris, almoçando em Bruxelas e jantando em Amsterdã, sem ter conhecido nada. Informe-se também sobre os meios de transporte entre as cidades que pretende visitar e, se for o caso, já reserve sua passagem. Saiba que o dia de viagem de uma cidade para outra é muito mal aproveitado, em razão do tempo perdido no deslocamento, fazer e desfazer malas, instalar-se num hotel etc. O tempo que sobrar antes de embarcar ou depois de chegar ao seu destino é lucro.

Para onde você quer viajar

Sempre compare preços de passagens aéreas e pacotes e aproveite as ofertas

Com quem você vai viajar?

Viajar sozinho não é muito agradável. Mas pior do que isso é viajar com alguém reclamão, encrenqueiro, desanimado ou chato a ponto de você pensar seriamente em empurrá-lo do alto de um canyon nos Estados Unidos ou para dentro do Sena, em Paris. Também é recomendável viajar com pessoas que tenham orçamentos de viagem compatíveis com o seu. Você certamente não vai querer ficar no Espelunca Palace só porque seu amigo é um duro, nem no Waldorf Astoria de Nova York porque ele é um milionário. Quando se viaja bem acompanhado, a viagem, além de mais divertida, torna-se também bem mais econômica para ambos, pois muitas despesas podem ser divididas.

Passagem aérea

Ao contrário do que alguns pensam, comprar uma passagem numa agência de viagem ou numa operadora é mais barato do que adquiri-la na própria companhia aérea, em razão de descontos que as empresas não podem repassar diretamente ao passageiro. Mistérios da aviação! Passagens aéreas cujos preços assustam à primeira vista podem quase sempre ser financiadas no cartão, às vezes em até 4 ou 5 vezes sem juros ou em mais vezes, com juros baixos. Lembre-se de que, se puder viajar nos períodos de baixa estação, você pagará muito menos por sua passagem. Esses períodos variam segundo os destinos e de ano para ano. Informe-se com seu agente de viagens.

O embarque

No aeroporto

Para vôos internacionais, você deve se apresentar no balcão da companhia aérea no mínimo duas horas antes do horário de embarque. Atualmente, devido aos problemas de segurança, é adequado chegar bem antes ao aeroporto. Calcule, com sobra, o tempo de sua casa até o aeroporto, considerando a possibilidade de congestionamentos. Antes de embarcar, você terá que registrar no posto da Receita Federal do aeroporto sua máquina fotográfica, laptop, filmadora ou qualquer objeto importado de valor, e isso pode tomar tempo. Guarde o documento que lhe fornecerem: ele será seu comprovante de que o aparelho em questão já lhe pertencia ao embarcar e que portanto não poderá ser tributado na volta. Como nada é perfeito, leve em conta que o registro pode levar algum tempo, conforme o tamanho da fila.

Check-in

Chegando ao aeroporto, a primeira coisa a fazer é apresentar-se no balcão da companhia aérea, mostrando sua passagem e o passaporte. Você receberá um cartão de embarque com o número de vôo, poltrona, horário e porta (gate em inglês) pela qual embarcará. Guarde-o com carinho, junto com o passaporte, pois, sem eles, você não toma o avião!

Por ocasião do check-in, será definida sua poltrona. Caso você tenha reservado assento com antecedência (o que é recomendável, principalmente para quem precisa de lugares mais confortáveis, como pessoas idosas ou com crianças), cobre isso do funcionário, para que não haja “esquecimento”. Quanto mais cedo você fizer o check-in, melhores serão as chances de pegar um bom lugar. Os assentos a serem evitados são aqueles próximos à asa (que prejudica sua visão e tem o barulho das turbinas) e os que ficam perto dos toaletes (em razão do entra-e-sai de gente).

Bagagem

Terminado o check-in, sua bagagem maior e mais pesada será registrada como bagagem de compartimento e despachada. Tranque à chave essas malas e mantenha essa chave bem à mão ao desembarcar (ou use um cadeado com código), para o caso da alfândega do país de destino querer abrir sua mala. Cole ou amarre, na bagagem, duas etiquetas com seu nome, endereço e telefone no Brasil: uma do lado de fora, bem visível, e outra dentro. Quando a bagagem de compartimento é registrada num balcão de companhia aérea, é colado nela um tíquete com o destino e o número de registro. Você receberá um canhoto desse tíquete, que poderá ser exigido no aeroporto de destino e será necessário para recuperar sua bagagem em caso de extravio.

Todas as companhias aceitam que o passageiro carregue, para dentro do avião, uma valise pequena – a bagagem de mão. Nela você deve colocar tudo o que for de valor (tanto documentos quanto objetos e jóias), o que for quebrável, como sua máquina fotográfica, e o que possa ser útil durante a viagem ou no desembarque: um pulôver se estiver indo para um lugar frio, um nécessaire com material de toalete, um livro, pelo menos uma muda de roupa para o caso de extravio de bagagem, medicamentos que possam ser necessários durante o vôo, uma caneta, caderneta de anotações etc. Um casaco mais volumoso, que ocuparia muito espaço na mala, pode ser levado pendurado no braço. Atenção: não coloque nenhum objeto perfurante (nem mesmo um canivetinho suíço) na bagagem de mão, assim como sprays.

Não é demais alertar: nunca aceite transportar consigo pacotes ou bagagens de desconhecidos que o abordem nos aeroportos em qualquer lugar do mundo. Nem mesmo um talco para a tia velhinha que mora em Nova York!

 O desembarque

Serviço de imigração

Todo passageiro que chega a um país por via aérea passa pelo serviço de imigração. Em alguns aeroportos, essas formalidades tomam um bom tempo; os policiais poderão lhe fazer muitas perguntas – de quanto dinheiro você dispõe, quanto tempo pensa em ficar no país, que lugares pensa em visitar, sem tem passagem de volta para o Brasil, etc.

Mulheres jovens vestidas de forma “provocante” podem ter sua entrada barrada em diversos países. Também os que se vestem de modo pouco convencional podem ter problemas. Portanto, mesmo que você seja um new hippie ou um old punk, faça um esforço e vista-se discretamente, com roupas e sapatos limpos e em bom estado. Os realmente mal vestidos darão a impressão de serem imigrantes clandestinos, e não turistas. Portanto, indesejáveis!

Havendo qualquer problema, responda com franqueza o que lhe for perguntado, mantenha a calma e jamais entre em “bate-boca” nem desacate os funcionários.

Normalmente, para ganhar tempo, já lhe será entregue durante o vôo um formulário a ser preenchido com seus dados. Ao desembarcar, deixe-o à mão, junto com o passaporte. A burocracia varia de um lugar para outro, mas em geral esse formulário será carimbado e uma via lhe será entregue. Guarde-a com cuidado, pois deverá devolvê-la quando sair do país.

Alfândega

Sua condição de turista estrangeiro não o livra da alfândega de outros países. Na maioria dos aeroportos do mundo, há na alfândega duas saídas: “nada a declarar” (verde) e “bens a declarar” (vermelho). Em inglês, nothing to declare e goods to declare. Você escolhe. Porém nada impede que, se você optar pelo “nada a declarar”, um fiscal resolva abrir sua bagagem.

A legislação de cada país é diferente com relação ao que se pode levar e com o que se pode sair de seu território. São comuns restrições a valores altos em dinheiro vivo e grandes quantidades de bebidas alcoólicas e tabaco. Em alguns países, você terá que declarar valores em espécie acima de uma determinada soma que estiver em seu poder. Leia com atenção o formulário de alfândega que lhe será entregue no avião. Plantas – mesmo as mais inocentes – e frutas também são proibidas.

Trocar dinheiro

Via de regra, chegando a um país estrangeiro, você precisa de imediato de dinheiro trocado em moeda local para pagar um táxi, tomar um lanche ou para alguma outra despesa. A taxa de câmbio nos aeroportos não costuma ser boa: troque o mínimo necessário para as despesas iniciais e deixe para trocar mais depois que você, com calma, tiver se informado sobre os locais que oferecem as melhores taxas.

 Use e abuse dos escritórios oficiais de turismo

Chamados, em inglês, tourism offices; em francês, offices de tourisme; em espanhol, oficinas de turismo (não confundir com agências de turismo ou de viagem), os escritórios oficiais de turismo são postos de informação dos orgãos governamentais de turismo do país que existem em praticamente qualquer lugar do mundo que receba turistas. Eles são situados nos aeroportos, estações de trem e nos centros das cidades; é sempre fácil encontrá-los. Geralmente os funcionários falam, além da língua do país, inglês e eventualmente espanhol ou francês.

Embora seus serviços não substituam um bom guia de viagem, nesses escritórios você pode conseguir mapas da cidade, folhetos sobre as principais atrações turísticas, informações sobre horários de funcionamento de museus, shows, meios de transporte na cidade e até reservas de hotéis e locação de imóveis. No caso de algum problema, os escritórios de turismo também poderão orientá-lo.

Dica

O sucesso de sua viagem vai depender de palenejamento. Alguns meses antes de embarcar você já deve começar a se organizar. Leia “Contagem Regressiva

Não importa para onde você vai viajar: organize-se!

A maioria das pessoas, muitos meses antes de sair de férias (principalmente quem é obrigado a marcar férias com muita antecedência) começa a sonhar com os lugares que gostaria de visitar. Viagens curtas de alguns dias pelo Brasil não exigem planejamento rigoroso. Mas, quem pretende viajar para o exterior por períodos mais longos, depara com uma multiplicidade de destinos capaz de deixar qualquer um tonto.
Como se trata de viagens que para nós, brasileiros, quase sempre custam caro, e como só temos trinta dias de férias por ano, é importante programar-se para que tudo corra bem. Iniciou-se a contagem regressiva…

Seis meses antes

• Comece a conversar sobre o assunto com seus (suas) companheiros (as) de viagem, caso pretenda viajar acompanhado.
• Navegue por este site. Veja informações e fotos sobre o lugar que para onde quer ir e pense se o destino escolhido combina com o que você quer.
• Converse com amigos que já visitaram os lugares que você deseja conhecer. Convide-os para tomar um vinho e “intime-os” a falar tudo o que sabem! Se hesitarem em falar, abra uma segunda garrafa de vinho.
• Cheque o prazo de validade de seu passaporte, que deve ser de pelo menos seis meses na data prevista para o embarque. Se não for, tire um novo.

Quatro meses antes

• É conveniente que o destino já tenha sido escolhido. Agora você precisa afiná-lo. Decidiu-se, por exemplo, pela Itália. Mas o país tem lugares demais para visitar! Você precisa selecionar o que quer e organizar o roteiro. Use e abuse do site manualdoturista.com.br.
• Providencie o visto, se necessário.

Três meses antes

• Mesmo que seus planos ainda estejam sujeitos a ajustes, é hora de ter uma boa noção dos lugares que pretende visitar. Ou seja: saber pelo menos que deseja, por exemplo, ir para o sul da Itália e conhecer Nápoles, Pompeia e Capri. Faça o cronograma real: quantos dias pensa em ficar em cada lugar, que dia tomará avião de onde para onde etc. Está na hora de cotar preços de passagens, solicitar reservas de voos e hotéis e realizar ajustes no seu cronograma (já que nem sempre conseguirá embarcar no dia desejado).

Compare preços de pacotes e passagens aéreas

Dois meses antes

• Visite seu dentista. Se ter dor de dentes no Brasil já é complicado, lá fora isso pode acabar com a sua viagem.
• Fazer um check-up médico também é aconselhável, principalmente se: há tempos você não faz um;  já tem algum problema de saúde que demande cuidados; está naquela faixa de idade crítica de risco para doenças cardiovasculares; pretende fazer esforços físicos acima de sua rotina durante a viagem; ou vai para locais de grande altitude.

Um mês antes

• Para ir a certos países sul-americanos você não precisará de passaporte nem visto, mas nesse caso confira se seu RG está apresentável. Se tiver 10 anos ou mais, não está! Ainda dá tempo de tirar outra via.
• Você vai viajar de mochila ou com mala de rodinhas? Se não tem a bagagem que vai usar, é hora de providenciá-la. Dê uma olhada nos modelos existentes no mercado e veja o que mais combina com a viagem que vai fazer.
• Vai precisar de roupas especiais (para frio, neve, esportes…)? Está na hora de dar uma pesquisada nas lojas especializadas e conferir modelos e preços. Veja dicas sobre bagagem.

Duas semanas /dez dias antes

• Caso você vá viajar para um país no qual seja necessária a vacina contra a febre amarela, esse é o prazo máximo para tomá-la.
• Comece a separar as roupas e acessórios que você vai levar na viagem para não ter surpresas, descobrindo na última hora que o zíper de seu casaco de couro está estourado ou que seus sapatos novos machucam os pés. Aliás, dar uma caminhada com os sapatos que você acaba de comprar especialmente para a viagem pode ser uma boa ideia. Veja mais dicas sobre bagagem.
• Compre a moeda estrangeira adequada e, se for o caso, cartão pré-pago. Dependendo do banco, o valor precisa estar disponível na sua conta dois dias antes da compra.
• Verifique a validade e o limite de seu cartão de crédito internacional e habilite-o para uso no exterior.
• Se tiver animais de estimação, precisará deixá-los em um hotel de animais ou pedir para alguém se encarregar deles. Deixe cópia da chave de casa e o telefone do veterinário para quem for administrar esse assunto.
• Caso você tome remédios que precisem de receita para serem comprados, veja se tem o suficiente para a viagem. Ainda dá tempo para pedir receitas para seu médico e comprá-los.

Uma semana antes

• Pague antecipadamente todas as contas possíveis. Deixe alguém encarregado de pagar aquelas que não estiverem em débito automático.
• Peça a suspensão de assinaturas de jornais.
• Decida se vai levar celular ou equivalente e o que pretende fazer: contratar um plano de roaming? Comprar um SIM card no país de destino? Usar o celular só onde houver wi fi? Desconectar-se por completo?

Na véspera da viagem

• Deixe as duas malas (de compartimento e de mão) prontas, faltando colocar apenas os artigos de higiene pessoal que ainda usará.
• Separe dinheiro vivo, passagens, passaporte (ou RG, conforme o país) e outros documentos, como vouchers, cartões de crédito e Travel Money. Conte o dinheiro e anote o valor que está levando. Faça um “aviso de viagem” junto à administradora de seu cartão, ou fale com seu gerente, comunicando o período em que estará fora, seu destino, e avise sobre despesas um pouco mais elevadas que poderá ter, com passagem aérea, aluguel de carro, diárias de hotéis etc. Isso evitará que seu cartão seja bloqueado.
• Se não tiver quem o leve ao aeroporto, reserve um táxi.
• Deixe uma cópia da chave de sua casa com um parente ou amigo de confiança. Avise um vizinho ou o zelador que está indo viajar e deixe com eles o telefone dessa pessoa, para o caso de uma emergência (como um vazamento de água do andar de cima).
• Deixe com a mesma pessoa a chave de seu carro para que ligue o motor uma vez por semana e o deixe funcionar uns minutos.

No dia da viagem

• Se ninguém for ficar em casa, desligue os registros de água e de gás e tire da tomada os aparelhos elétricos e eletrônicos.
• Caso pense em dar uma sumida, deixe resposta automática no e-mail.
• Separe uma quantia em reais – para o táxi na ida e na volta, para um lanche no aeroporto, para comprar uma revista…

Partindo do zero: como preparar sua bagagem

Para começar, dependendo do tipo e duração da viagem, você vai levar só uma bagagem de mão, que estará sempre com você, ou, além dela, uma bagagem de compartimento, ou seja, a “mala” propriamente dita. A bagagem de mão também é conhecida como bagagem de cabine;  já a bagagem de compartimento muitas vezes é chamada bagagem de porão ou bagagem despachada.

1ª regrinha básica:  nunca leve mais de dois volumes. Você só tem duas mãos!

2ª regrinha básica: não leve mais do que você pode carregar, nem em tamanho, nem em peso. Na volta, é outra história (vamos falar sobre isso em outro post desta série). Mas, na ida, siga nossa dica!

Para uma viagem de avião, você precisará dos dois volumes: o de mão e o de compartimento.

As exceções são os casos em que você vá ficar pouquíssimo tempo no lugar de destino e não precise levar nada que não possa ser levado na bagagem de mão.

Bagagem de mão

Para os voos dentro do Brasil e a maioria dos voos internacionais em classe econômica, sua bagagem de mão pode pesar até 10kg, mas deve ser pequena. O tamanho máximo que as companhias áereas aceitam varia, mas prevalece o padrão razoável. Pense em algo que você possa colocar com facilidade em um daqueles armariozinhos que ficam acima das poltronas do avião. Na classe executiva (business), costuma-se aceitar um pouco mais de peso e volume. Na dúvida, pergunte antes à companhia aérea.

Você deve levar na bagagem de mão tudo que for frágil, valioso ou importante. Seus remédios, seu Kindle, o carregador de seu smartphone, por exemplo.

Além disso, há algo essencial que poucos lembram de levar consigo na bagagem de mão (a não ser aqueles que já tiveram sua mala – bagagem de compartimento – extraviada): duas mudas de roupa e itens básicos de higiene que os hotéis não costumam oferecer! Pense bem: se sua mala for perdida, mesmo que venha a ser encontrada, pode levar uns dias até que seja entregue a você pela companhia aérea. Levar na bagagem de mão 2 roupas íntimas, 2 pares de meias, 2 “partes de cima” (blusas ou camisetas ou camisas ou etc…), 1 desodorante, 1 escova de dentes + creme dental, 1 pente ou escova de cabelos amenizará sua raiva pelo extravio da bagagem, se acontecer!

Você também pode levar dentro do avião:

  • uma bolsa pequena (se for pequena mesmo!)
  • jaqueta, casaco ou outra roupa que estiver usando
  • guarda-chuva
  • compras do duty free (não estão sujeitas à restrição de 100 ml que mencionamos abaixo)
  • se estiver com bebê, carrinho, bolsa de bebê etc.
  • se tiver necessidades especiais, cadeira de rodas dobrável, muletas, etc.

Caso pretenda levar instrumentos musicais, equipamentos esportivos ou outros tipos de objeto, consulte antes a sua companhia aérea.

O que é proibido levar na bagagem de mão

São proibidos na bagagem de mão em voos domésticos (no Brasil), para o exterior e no exterior:

  • líquidos, cremes e produtos em gel em recipientes com mais de 100ml, sendo que todos devem ser colocados em embalagens plásticas
  • objetos cortantes, pontiagudos ou mesmo de ponta arredondada, se forem rígidos (Isso inclui sua pinça de sobrancelhas… Não estamos brincando!)
  • produtos inflamáveis ou explosivos e armas de fogo (Óbvio, né?)

Que tipo de mala, bolsa ou sacola devo usar para minha bagagem de mão?

O ideal é usar algo pequeno e leve que você possa carregar a tiracolo ou no ombro. Ou uma dessas malinhas pequenas com rodinhas feitas no tamanho máximo exato para serem permitidas para uso na cabine. (As lojas de malas saberão te dizer.) Desde que você possa acomodar essa sacola ou malinha sobre sua bagagem de compartimento para carregá-la pelo aeroporto, é claro. Senão, terá que puxar sobre rodinhas duas malas ao mesmo tempo: um pesadelo.

Na bagagem, somos todos iguais 
Não importam seus 100 milhões de seguidores no YouTube. Quando se passa pela imigração - o primeiro bastião da igualdade viajeira - e se chega à esteira na qual são impiedosa e democraticamente dispostas todas as malas vindas naquele voo, nada poderá te salvar. Da valise surrada do mais humilde passageiro da econômica até a sua mala Louis Vuitton de modelo recém-lançado, todas as bagagens serão retiradas da esteira e carregadas até o carrinho com o sangue e suor de seus donos. Lembre disso ao arrumar suas malas!