Roma versus Constantinopla

Éfeso, a cultura romana na Turquia de hoje

 Roma versus Constantinopla

Inicialmente não existiam propriamente papas, mas bispos, que eram os chefes religiosos de cada cidade. Logo, o bispo de Roma – considerado o papa – foi se tornando mais importante, mas nem sempre era obedecido pelos demais, e alguns séculos se passariam antes que a Igreja desenvolvesse uma estrutura hierárquica sólida e disciplinada, comandada pelo papa.

A oposição bizantina

Ora, nem a igreja bizantina em Constantinopla, onde o Império Romano, cristianizado, ainda se mantinha, nem o próprio imperador concordavam com a supremacia do papa, que tinha também poder temporal, quer dizer, era também uma autoridade política, além de religiosa.
Aliás, com a decadência de Roma,a invasão de tribos bárbaras e a perda da influência da Igreja de Roma na Península Itálica, cada vez mais cristãos se refugiavam no que era ainda pomposamente chamado de Império Romano do Oriente.

Constantino se estabelece em Bizâncio a porção oriental de seu império

Quando os germanos cercaram Roma, o Imperador Constantino mudou-se com sua corte e com os poderosos da Igreja para Bizâncio, capital da porção oriental do Império. A cidade passou, então, a ser chamada de Constantinopla, ou “a cidade de Constantino”.  Constantinopla, tinha, aliás, comparada com Roma, uma situação geográfica invejável. Estrategicamente localizada, não apenas do ponto de vista militar, mas também comercial, seus navios podiam navegar não apenas no Mediterrâneo, mas também entre o mar Negro e o mar Mármara, expandindo seu comércio. Logo substituiu a velha Roma como centro do poder. Além de Bizâncio, os romanos ocuparam uma extensa área nessa região da Turquia, como Éfeso, onde existem até hoje magníficas ruínas romanas que atraem multidões de turistas.

A tentativa bizantina de recuperar a Península Itálica

Quando o imperador bizantino tentou recuperar o território ocupado pelos godos, mergulhou Roma e a maior parte da península italiana numa guerra devastadora. Com o centro político transferido para Ravenna, e com toda a administração nas mãos dos gregos de Constantinopla, Roma entrou num dos piores períodos de sua história: sua população foi reduzida a uma fração do que havia sido no seu auge.

Qual o sexo dos anjos?

Isso é o que se chama de “discussão bizantina”. Para complicar, eram inúmeras as disputas teológicas com os patriarcas de Constantinopla sobre a divindade de Cristo, o pão ázimo nas missas, a adoração das imagens ou até sobre o sexo dos anjos (daí a expressão “discussão bizantina”). Brigava-se também para decidir quem mandava aonde e qual idioma – latim ou grego – deveria ser empregado nas liturgias e na leitura dos textos sagrados. O conflito era inevitável e as duas igrejas acabaram se separando, após papa e patriarca se excomungarem mutuamente. (“Te excomungo!” “Não vale! Eu te excomunguei primeiro!”)