Transportes em Londres
Metrô de Londres
Metrô de Londres

Como funcionam os transportes públicos em Londres

Londres é uma cidade grande, com uma população de 8,674 milhões, com atrações espalhadas por uma enorme área. Mesmo que você goste de caminhar, será obrigado a tomar  metrô ou ônibus. Claro, existem táxis, mas a capital inglesa é uma cidade cara, e os táxis também.

História do metrô de Londres

É natural que a capital do país que desenvolveu as primeiras linhas de transportes ferroviários do mundo fosse também a cidade onde foram criadas as primeiras linhas de metrô do planeta. Apesar de o nome underground sigificar “subterrâneo”, cerca de 55% dos percursos são a céu aberto. Inicialmente as linhas eram construídas e administradas por empresas privadas. Só em 1933 foram integradas, quando da criação do  London Passenger Transport Board (LPTB). Posteriormente, em 1985, o metrô londrino tornou-se uma empresa independente, a London Underground Limited (LUL).

As estações de metrô de Londres

Hoje o metrô de Londres possui 268 estações. Elas são fáceis de serem identificadas por seu logotipo, e pela palavra “Underground” na entrada de acesso a cada uma. A rede metroviária cobre 400 km de trilhos e transporta diariamente cerca de  dois milhões e setecentos mil passageiros. A maioria das estações abrem de segunda a sábado das 5h da manhã a 030h. Aos domingos, o metrô de Londres encerra suas atividades por volta de 23h. A grande vantagem do metrô é a rapidez, sobretudo nos horários de pico, quando o trânsito em Londres se torna de uma lentidão exasperante.

Como utilizar o metrô londrino

Para aprender como funcionam os transportes públicos em Londres, estude os mapas da cidade e do metrô, procurando localizar seu hotel, onde ficam as atrações e qual linha de metrô ou ônibus será mais indicada. Para planejar mais facilmente seu roteiro utilize o sistema interativo online da London Transport, com linhas e estações.

Dicas sobre o metrô de Londres

  • O acesso à estação e às plataformas possui também escadas rolantes. Repare no aviso  Stand on the right (mantenha-se à direita) e deixe os apressados passarem.
  • A abertura das portas se dá automaticamente, você não precisar apertar botão algum. Evite também, se não for descer na estação seguinte, ficar parado junto ás portas, onde pode atrapalhar a entrada ou saída de pessoas do vagão.
  • Em toda estação há mapas gratuitos da rede de metrô londrina. Pegue um, é sempre útil para planejar seus deslocamento.
  • Em Londres, em uma mesma plataforma de embarque, correm linhas que irão se bifurcar mais adiante. Confira, portanto, exatamente a direção que você deve tomar e a estação onde deve descer.
  • Saiba também que o preço do bilhete do metrô em Londres é mais caro em horários de pico. Portanto, procure, se possível, utilizar o metrô em horários mais tranquilos.
  • A área coberta pelas linhas de metrô em Londres é dividida em 6 zonas concêntricas, com passagens com preços diferenciados. A região central é zona 1, mais barata, o aeroporto e subúrbios distantes é zona 6, mais cara.

Mapa de Londres

 Oyster Card

O Oyster Card é um tipo de passe válido para metrô e ônibus. Pode ser comprado em qualquer estação de metrô. Funciona com um cartão magnético que você carrega com um determinado valor em libras, que pode ser pago com cartão de crédito. Você pode pagar por uma passagem apenas, se preferir a opção “pay as you go”, ou comprar um passe semanal ou mensal (úteis para quem está estudando em Londres ou terá que permanecer na capital inglesa por períodos prolongados). É claro que o valor da passagem sai mais em conta se você utilizar passe semanal ou o mensal, mas não para quem vai permanecer apenas 3 ou 4 dias na cidade. Nesse caso prefira a opção pay as you go. Para passar pela catraca encoste seu cartão no sensor magnético demarcado em um círculo amarelo. Cada vez que você utilizar o metrô, o valor pago será debitado de seu saldo no cartão. O saldo restante aparecerá no visor eletrônico. Ao deixar Londres você poderá, na estação de  Heathrow ou de outro aeroporto, recuperar seu crédito restante do Oyster Card. Para adolescentes entre 11 a 15 anos existe o Young Visitor Oyster Card, cerca de 50% mais em conta do que o cartão adulto. Menores de 11 anos não pagam.

Atenção: Nem todas as estações de metrô têm catraca. Nesse caso, existe na entrada  da estação um sensor Oyster, onde você deve passar seu cartão. Se não o fizer e for surpreendido por um controle, será multado em um valor equivalente à tarifa máxima do dia.

Ônibus: linhas urbanas regulares

Os famosos ônibus vermelhos londrinos de dois andares permitem que você transforme seu trajeto em um passeio, e  aprecie a cidade por um preço bem mais em conta do que os city tours. Saiba mais sobre os ônibus em Londres.

Táxi

Os táxis londrinos, os black cabs, são facilmente reconhecíveis pois são construídos  ela empresa LTI (London Taxis International Limited) especialmente para serem utilizados como táxis. Os passageiros (até 4 pessoas) ficam isolados do motorista por um painel envidraçado, com um uma abertura de comunicação para você pagar a corrida.

Dicas
  • Se você não fala muito bem inglês, escreva o n endereço num pedaço de papel e mostre-o ao motorista que, sem mais explicações, o levará até seu destino.
  • Os táxis em Londres é um meio de transporte relativamente caro, principalmente se você estiver sozinho.
  • À noite nem sempre é fácil achar táxi e não há metrô em horários tardios. Se for a uma festa em um lugar afastado talvez tenha que depender de ônibus (menos numerosos após a meia-noite).
  • Os táxis, quando,  livres têm acesso um sinal luminoso na capota.

Saiba mais sobre Londres

História, dicas e informações sobre Londres

Hotéis em Londres

Escolha e reserve seu hotel em Londres