Rive Gauche

Rive Gauche: informações e dicas sobre os bairros

 Tour Eiffel • Invalides • St-Germain-des-Près • Musée du Moyen Âge • Panthéon • Quartier Latin • Rue Mouffetard

Trocadero – Tour Eiffel

Neste bairro residencial novo e chique do oeste de Paris, na Rive Gauche, todo haussmanniano, estão alguns dos mais importantes museus e monumentos da cidade, dentre os quais a mais famosa torre do mundo, símbolo de Paris: a Tour Eiffel (Quer mostrar elegância? Pronuncie corretamente: eiféle e não êifeu). De outro lado do Sena, bem em frente à torre, há uma pequena colina, onde ficam o Palais de Chaillot e o Jardin du Trocadéro. É impossível ir a Paris e não passar por lá. Saiba mais sobre o bairro de Trocadéro

Invalides                   

No mais fino arrondissement de Paris da Rive Gauche, o 7ème, o bairro dos Invalides é marcado pela grande quantidade de prédios públicos, principalmente ministérios. Hôtels particuliers do século XVIII e uma população abastada reforçam seu clima de sobriedade e elegância. As obras-primas do Impressionismo estão no Musée d´Orsay e no Musée Rodin, dois dos mais importantes museus de arte de Paris. Saiba mais sobre o bairro de Invalides

Musée Rodin – 77, rue de Varennes, Invalides, Paris, 75007 Auguste Rodin foi um dos mais importantes escultores do mundo, e é talvez, dentre os estrangeiros, o mais famoso e querido no Brasil. Em Paris, pertinho do Bd. des Invalides, um museu que leva seu nome está instalado desde 1919 numa magnífica mansão com três hectares de jardins. Fazem parte do acervo do museu os principais trabalhos do artista (entre eles Le Penseur, La Porte de l’Enfer, La Main de Dieu, Le Baiser, Balzac, Orphée e Les Bourgeois de Calais) etc. Site: Musée Rodin

Assemblée Nationale – (Assembléia Nacional) 33, Quai d’Orsay, Paris, 75007 O prédio neoclássico do Palais Bourbon, à beira do Sena, em frente à Pont de la Concorde, que é hoje sede da Assembléia Nacional, uma das mais importantes instituições republicanas, tem, por ironia, sua história muito ligada à monarquia. Foi construído pela filha de Luís XIV, a Duquesa de Bourbon, comprado por Luís XV e depois pelo Príncipe de Condé; finalmente, foi reformado por Napoleão, que mandou colocar as colunas coríntias e o frontão triangular.

Hôtel des InvalidesMusée de l´Armée  Invalides, Paris, 75007 – Ocupa a maior parte do Hôtel des Invalides. Seu acervo é composto de documentos, fotos, armas, armaduras, uniformes e artefatos militares usados nas diferentes guerras através da História, até os dias de hoje.

Musée d’Orsay – Quai Anatole France, Paris, 75007. Desde sua inauguração, em 1986, o Orsay é um dos principais museus de arte da Europa e um enorme sucesso de público. Seu acervo é composto por obras, sobretudo pinturas, produzidas por artistas ocidentais de 1848 a 1914. São aproximadamente 4 mil obras espalhadas por 80 salas e galerias, vindas na maior parte do Louvre, do Jeu de Paume e do antigo Museu de Arte Moderna e visitadas por mais de 2,3 milhões de pessoas por ano. Site: Musée d’Orsay

St-Germain-des-Prés

Também na Rive Gauche, um dos mais charmosos bairros de Paris e um dos melhores lugares para você ter uma idéia de como era a cidade nos tempos da Revolução. Berço do existencialismo, até hoje, St-Germain-des-Prés faz o gênero “intelectual-chic” e é o lugar preferido de estudantes, professores, artistas, filósofos, pseudofilósofos, gauchistas-caviar e outros curiosos espécimes do folclore parisiense, mas também tem um lado bem “burguês” e vem sendo escolhido por estilistas famosos para a instalação de seus ateliers ou filiais. Seu comércio é variado e elegante: moda, livros, objetos de arte, antigüidades, tudo o que há de mais branché (na moda, in) em Paris pode ser encontrado por lá. Saiba mai sobre Saint-Germain des Prés

Musée Eugéne Delacroix 6, rue de Fürstenberg, St-Germain-des-Prés, Paris 75006. O museu possui obras e objetos pessoais de Eugène Delacroix (1798-1863), um dos maiores expoentes do Romantismo nas artes plásticas.

École des Beaux-Arts

 Rue Bonaparte 75006 14, rue Bonaparte, St-Germain-des-Prés, Paris 75006. Entre o Sena e a igreja de St-Germain-Na esquina com o quai Malaquais, em frente ao Sena, funciona uma das mais famosas escolas de belas artes do mundo: a École Nationale Supérieure des Beaux-Arts de Paris, principal referência acadêmica francesa de estudos artísticos.

Pont des Arts Paris

 Conhecida também como “Pont des amoureux” ou “Ponte dos apaixonados” (é romântica mesmo, devemos reconhecer!), foi construída por ordem de Napoleão. É mais exatamente uma passarela para pedestres, ladeada por elegantes lampiões, de onde se pode desfrutar de uma das melhores vistas do Sena e da Île de la Cité e tirar ótimas fotos.

Théâtre National de l’Odéon

 1, pl. Paul Claudel, St-Germain-des-Prés. Esse teatro de linhas neoclássicas é um dos mais antigos de Paris. Construído em 1779, foi sede da Comédie Française. Mais recentemente, durante o movimento de 1968, foi palco de atritos entre a polícia e os estudantes, que o ocuparam e fizeram bons estragos no belo imóvel histórico. Francamente, o que é isso, companheiro?!

Musée de la Monnaie

 (Museu da Moeda) 11, Quai de Conti 75006 St-Germain-des-Prés, Paris 75006. Hôtel de la Monnaie, construído em 1777, abriga a antiga Casa da Moeda francesa, que até hoje produz medalhas e moedas de coleção. Nele funciona um museu com milhares de peças e uma exposição sobre as técnicas de fabricação de moedas.

St-Germain-des-Prés

 (igreja) Pl. St-Germain-des-Prés St-Germain-des-Prés, Paris 75006 É o templo católico mais antigo de Paris e sua história está intimamente ligada à do bairro. A primeira igreja levantada nesse local data do século VI, e a atual, construída no século XI, passou por profundas reformas no século XIX.

St-Sulpice

 (igreja) 75006 Pl. St-Sulpice, St-Germain-des-Prés, Paris 75006 Apesar de não ser uma das mais antigas de Paris, essa igreja chama a atenção pelo desenho muito original, com duas grandes torres diferentes uma da outra.

Jardin de Luxembourg

St-Germain-des-Prés, Paris 75006. Esse belo parque cuja frente dá para o Bd. Saint-Michel foi aberto ao público no século XIX. Muito arborizado e localizado entre dois dos bairros mais agradáveis da cidade, é procurado pelos parisienses..

Quartier Latin

Foi nesse bairro de Paris, às margens do rio Sena, na Rive Gauche (Margem Esquerda), ao lado da Île de la Cité que, no século I, os romanos se estabeleceram e construíram, segundo seu plano urbanístico padrão, casas, anfiteatros, fórum, termas, etc. Pouca coisa sobrou, além do nome – Quartier Latin significa bairro latino. Mas ainda há ruínas bem preservadas das termas e alguns vestígios das arenas. Saiba mais sobre o Quartier Latin.

Desde a Idade Média a presença da elite intelectual da época e a concentração de professores influiu decisivamente no desenvolvimento do Quartier Latin e na sua tradição universitária, que ainda persiste depois de mais de 700 anos. Esse bairro de Paris entrou em evidência em maio de 1968, quando um movimento estudantil paralisou as faculdades e obteve maior repercussão do que qualquer outro na história, estendendo-se pela França inteira, com reflexos em vários países, dentre os quais o Brasil.

St-Séverin (igreja) 1, rue des Prêtres St-Séverin, quartier Latin, Paris 75005 Muito antiga, a igreja foi destruída pelos normandos e reconstruída, na Idade Média, em estilo gótico-flamboyant, com gárgulas, arcobotantes e vitrais.

St-Julien-le-Pauvre – (igreja) 1, rue St-Julien-le-Pauvre Paris 75005 Esta minúscula igreja perto do Sena, ao lado do Square Viviani, foi erguida em 1250 sobre os restos de uma ainda mais antiga, do século VI, destruída pelos invasores normandos. Sua história é bem interessante: ela fez parte de um conjunto de albergues de peregrinos que iam para Santiago de Compostela e foi sede de agitadas reuniões de estudantes da Sorbonne (no século XVI, bem antes da UNE…).

Musée de Cluny – (Musée National du Moyen Âge) 6, Pl. Paul Painlevé, Quartier Latin, Paris 75005. Quem se interessa por História, em particular pela Idade Média, não pode perder este museu. Instalado em 1843 no antigo Hôtel de Cluny, seu rico acervo contém exemplares de escultura gótica, pinturas, iluminuras, vitrais, jóias, marfins, tapeçarias, tecidos, bordados, armas, armaduras, pratos esmaltados, cerâmicas, enfim, tudo o que pode imaginar relativo à era medieval. Musée Nationale du Moyen Âge

La Sorbonne – Bd. St-Michel, Paris 75005. Em 1257, Robert de Sorbon fundou, aos pés da colina Ste-Geneviève, uma escola de teologia, inicialmente destinada aos seminaristas pobres, que acabaria por se tornar uma das mais renomadas universidades do mundo. Sua fama atraiu grande número de estudantes e professores para o bairro e seu poder era imenso; lá funcionava até um tribunal eclesiástico, com poderes quase equivalentes aos do Papa.

Panthéon – Pl. du Panthéon, Quartier Latin, Paris 75005. Essa imponente construção em estilo clássico, que mais parece, por fora, um templo grego da época de Péricles, foi construída por ordem de Luís XV em 1758 para ser uma nova igreja de Ste-Geneviève, sobre o mesmo lugar da original: no topo da colina, no Quartier Latin. Seu imenso interior é ricamente decorado com afrescos e, no frontão, está gravada a frase: “Aux Grands Hommes, la Patrie Reconnaissante” (“Aos Grandes Homens, a Pátria Agradecida”). Estão enterrados ali Rousseau, Voltaire, Émile Zola, Jean Jaurès, Jean Moulin, Condorcet, Louis Braille, Victor Hugo, Pierre e Marie Curie e André Malraux, dentre outros.

St-Étienne-du-Mont – (igreja) Pl. Ste-Geneviève, Quartier Latin, Paris 75005. A igreja no alto da colina de Ste-Geneviéve, bem atrás do Panthéon, foi construída no século XIII para os servos da Abadia de Ste-Geneviève, que ficava ali ao lado. O edifício passou por várias reformas que se estenderam de 1492 a 1624. Talvez pelas diferentes influências arquitetônicas, a St-Étienne-du-Mont é bem diferente de qualquer outra igreja parisiense.

Rue Mouffetard – Começa na Place Monge, Quartier Latin, Paris. Conhecida como Mouffe, é uma das ruas mais antigas de Paris: originalmente, era o começo da estrada que ligava Lutécia a Roma. Suas últimas quadras são reservadas para pedestres; é lá que existe um dos bons mercados de alimentação ao ar livre de Paris. A região da Mouffe tem casas antigas, com brasões anteriores à numeração oficial, estabelecida em 1805. Saiba mais sobre a Rue Mouffetard.

Place de la Contrescarpe – Quartier Latin, Paris. construída em meados do século XIX, é mais conhecida pelos cafés, freqüentados pelos escritores americanos que viveram em Paris depois da Primeira Guerra, como Ernest Hemingway, John Dos Passos e Henry Miller, nos tempos que eles ainda viviam pobremente.

Val de Grâce (igreja) 277 bis, rue St-Jacques, Quartier Latin, Paris 75005 RER Port-Royal. A abadia fundada em 1621 por Ana da Áustria, mulher de Luís XIII, tem uma igreja cuja planta é atribuída a Jules Hardouin-Mansart, construída entre 1645 e 1665. Sua cúpula em estilo barroco, toda decorada com afrescos, é inspirada na Basílica de São Pedro, no Vaticano. Durante a Revolução, a abadia foi transformada em hospital militar. O claustro original ainda existe.

Grande Mosquée de Paris – 2 bis, pl. du Puits-de-l’Ermite, Quartier Latin, Paris, 75005. A mesquita de Paris começou a ser construída a partir de 1926 em estilo mourisco espanhol. O arquiteto do projeto foi o francês Maurice Mantou, mas 450 artesãos árabes participaram ativamente da obra. Embora não possa ser comparada às grandes edificações islâmicas antigas, a mesquita de linhas harmoniosas adornada com bonitos mosaicos é um bom exemplo da arquitetura árabe.

Musée du Monde Arabe -1, rue des Fossés St-Bernard, Quartier Latin, Paris 75005. PMP. O Instituto do Mundo Árabe foi criado em 1980 pela França em conjunto com vinte nações árabes. Seu edifício, inaugurado em 1987 à beira do Sena, concilia modernidade com motivos tradicionais da cultura islâmica. A estrutura é toda de vidro e alumínio.
Museu du Monde Arabe

Arènes de Lutèce – (Arenas de Lutécia) 47, rue Monge, Quartier Latin, Paris 75005. As Arenas de Lutécia, que remontam aos tempos do Império Romano, foram o maior anfiteatro da antiga Gália. Construídas entre os séculos I e II, com 130m de comprimento e 100m de largura, podiam receber mais de 15 mil pessoas.

Jardin des Plantes e Grande Galerie de l’Évolution – (Jardim Botânico e Grande Galeria da Evolução) Fica entre as ruas Valhubert, Bufon, Geoffroy de St-Hilaire e Cuvier, Quartier Latin, Paris. Criado por Luís XIII em 1626, é, na verdade, um grande parque, muito agradável para passear, onde funcionam atualmente, além do jardim botânico, um zoológico e o Museu de História Natural. No Museu de História Natural fica a Grande Galeria da Evolução, a enorme exposição sobre a evolução das espécies.
Jardin des Plantes

Jardin de Montsrouris – Bem no sul de Paris está o Jardin de Montsouris, um dos mais lindos parques parisienses e um dos preferidos dos estudantes; ele fica exatamente em frente à Cité Universitaire (Cidade Universitária).

Informações práticas sobre Paris

Como ir a Paris

Veja passagens aéreas e pacotes

Onde dormir em Paris

O Booking.com é um meio fácil e seguro de reservar seu hotel ou apartamento em cidades no mundo todo. Você não paga nada a mais por isso. Você pode pesquisar ofertas entre uma enorme variedade de estabelecimentos

Escolha e reserve seu hotel em Paris

Maquina fotografica

Paris em imagens  Fotos dos lugares de especial interesse turístico.

A França  em imagens  Verdadeira viagem fotográfica pela França. Dezenas de fotos das regiões Sul, Norte e Centro da França