Segurança, situações particulares
Lugares lotados... cuidado!
Segurança, situações particulares

Cuidados com sua segurança

Para as mulheres

• Cada vez mais mulheres têm viajado sozinhas. A princípio, a Itália não apresenta problemas, mas a fama de galanteadores que têm os italianos é merecida. Você pode conhecer italianos que virão a ser excelentes amigos ou até algo mais; nunca se sabe!
• Procure, entretanto, não confiar no primeiro bello que aparecer. Há, principalmente em Roma e em Nápoles, grupos especializados na abordagem de turistas estrangeiras do sexo feminino, compostos por “malandros boa pinta”. Por que eles só abordam as turistas? Ora, porque as italianas não costumam andar por aí com um monte de dólares, euros, cartões de crédito… E também não caem na conversa deles! Se você passar conversando com uma amiga, eles imediatamente identificarão seu sotaque. O papo é invariavelmente o mesmo: “Ciao, brasiliana… Come stai?” Depois começam os elogios: “Come sono belle, le brasiliane…” Não se impressione com galanteios, pois eles falarão tudo o que for necessário para atrai-la. Aproveite a viagem, mas não se envolva com a pessoa errada se existe tanto italiano buona gente!
• Gostemos ou não, é uma realidade: influenciados por imagens do carnaval carioca e por clichês preconceituosos, muitos homens italianos (como outros estrangeiros) consideram a mulher brasileira “liberal”. Vestir-se e portar-se discretamente pode minimizar aborrecimentos.
• Mulheres desacompanhadas devem evitar tomar trens noturnos. Caso isso não seja possível, devem procurar ficar numa cabine em que haja outras mulheres ou gastar um pouco mais por uma cabine privativa – e manter a porta trancada.
• Cuidado ao escolher onde vai se hospedar. Não estamos falando do estabelecimento, e sim das redondezas. Opte por um bairro que ofereça segurança para você chegar e sair, sobretudo à noite.
• Não aproveite a viagem à Itália para levar suas joias para passear. Isso chama a atenção e é um risco desnecessário. Se não for frequentar lugares realmente chiques e seguros, é melhor deixá-las em casa.
Para aqueles que viajam sozinhos
• Considere com atenção redobrada todas as dicas anteriores: você só poderá contar com você mesmo para garantir sua segurança!
• Cuidado com novas “amizades” e amáveis convites de estranhos.
• Não ande a pé tarde da noite ou mesmo durante o dia em lugares desertos ou por bairros suspeitos.
• Tenha consigo os endereços e telefones dos consulados brasileiros.

Para aqueles que viajam com crianças ou adolescentes

• Nada mais assustador que perder uma criança – mesmo que por alguns minutos ou horas – em um país estrangeiro. As crianças menores devem sempre estar ao alcance de seus olhos, e as maiorzinhas, já com alguma compreensão, devem ser instruídas a não se afastar de você em hipótese nenhuma, muito menos conversar com estranhos longe de suas vistas.
• As crianças que já entendem alguma coisa devem ser instruídas a permanecer no lugar onde estão caso se percam de você. Se vocês estão em um museu, por exemplo, diga-lhes que não saiam de dentro dele e aguardem por você.
• Procure deixar no bolso da calça de cada criança ou adolescente um cartão do hotel onde vocês estão hospedados. No verso, escreva o nome deles e: Mi sono perso. Cerco mia madre (ou mio padre), que quer dizer: “Estou perdido. Procuro minha mãe (ou meu pai)”. Os mais velhos e independentes vão chiar, mas o cartão pode ser muito útil em caso de uma real emergência.
• Os que já têm mais discernimento devem ser orientados a não só não saírem de onde estão como, também, a procurar alguém idôneo que esteja por perto: um guarda, um vigia, um bilheteiro, e caso não falem inglês, a mostrarem o verso do cartãozinho.
• Se você é daquele tipo de pai mais tranquilo, que deixa os filhos adolescentes darem uma volta sozinhos, enfie, além do cartão, um mapa da cidade no bolso deles. Muitas cidades italianas são verdadeiros labirintos de ruelas medievais, mas se seus filhos curtem aqueles jogos complicadíssimos de computador, que também têm mil labirintos, então relaxe, porque é provável que acabem voltando para o hotel, se quiserem, mais rápido que você!