Paraquedismo em Boituva

Boituva: a cidade do paraquedismo

Boituva é uma cidadezinha quase desconhecida, a 100 km da capital: Boituva, que se tornou uma atração para os que querem viver emoções mais fortes. Estamos falando de uma opção de turismo que faz alguns franzirem a testa, algo que, quem já experimentou nunca esquece e que a maioria não sabe como funciona: saltar de paraquedas.

Mapa de Boituva

Como ir para Boituva

O campo onde são realizados os saltos de paraquedas fica no km 116 da Rodovia Castelo Branco, onde funciona a Brasil Paraquedismo. Os saltos são realizados às sextas-feiras, sábados, domingos e feriados e devem ser agendados por telefone pelo site www.paraquedismobrasil.com.br.

Contatos telefônicos: Nextel (11)  (15) 7812-3908 ID 119-59365 | Nextel (11) 7768-6362 ID 119-84601 | TIM (11) 9 8354-1050 | Vivo(11) 9 7390-1060 | OI (11) 9 6055-1040 | Claro (11) 9 4559-0505 | Fixo (15) 3263-5449

Onde se hospedar em Boituva

Escolha e reserve seu hotel em Boituva

Melhor época

Boituva é agradável em qualquer época do ano. No inverno se for subir na Pedra Grande leve um agasalho

Vídeo sobre salto duplo em Boituva

Atrações turísticas

Paraquedismo: salto duplo

Trata-se de um turismo diferente, você pode ir e voltar no mesmo dia ou dormir por lá. É uma experiência única e “adrenalínica” que você pode experimentar acompanhado por um instrutor. Adultos, adolescentes e crianças de ambos os sexos têm experimentado a sensação única da queda livre. Muitos gostam tanto que voltam para pular novamente ou até resolvem fazer um curso completo de paraquedismo. Há quem volte todo final de semana, um pessoal que tem, na maioria, entre 18 e 40 anos e até gente de mais de 70 anos.

O salto duplo exige apenas uns 15 minutos de instrução. Quem se preocupa com todos os detalhes são os instrutores, todos eles com mais de dez anos de experiência sem um só acidente. O equipamento utilizado é de total segurança. Você só tem que fazer o que o instrutor lhe falar. Não tem mistério.

Como funciona o salto duplo no paraquedismo

Já equipado, você embarca em um pequeno avião. No ar são colocado cinturas especiais cruzadas que o manterá atachado ao instrutor. Ele indicará o momento em que ambos se jogaram juntos no vazio. A experiência entre o momento de subir no avião, saltar e chegar ao solo novamente demora 15 minutos, com 50 segundos de queda livre e 6 minutos com o pára-quedas aberto. A impressão (quem já experimentou garante!) é que demora muito mais!

O instrutor Adriano Rodrigues que já realizou saltos em vários países no mundo, diz que muitos têm medo de saltar. Alguns garantem que nem amarrados o fariam, outros não o fazem por julgarem a aventura perigosa. Na realidade porém, o paraquedismo é muito mais seguro do andar de moto, por exemplo. Os acidentes são raríssimos. Para quem salta pela primeira vez, o momento de alívio é quando o paraquedas se abre… Ufa!!!! O que muita gente não sabe é que existe um segundo pára-quedas para emergências, mas Adriano diz que nunca precisou usá-lo.

Segundo o instrutor Adriano Rodrigues, crianças são mais corajosas do que muitos adultos. “Se têm medo, parecem não demonstrar”. Ele lembra que recentemente, duas gêmeas de 9 anos saltaram e… acharam o máximo. Adoraram! As mulheres também têm se comportado de forma corajosa.

Adriano diz que é difícil alguém se atrapalhar na hora. “Você só tem que fazer o que o instrutor indica”. Alguns dos instrutores têm mais de mil saltos e muitos já venceram campeonatos de paraquedismo.

Apesar de os profissionais serem extremamente cuidadosos com as regras de segurança, é possível que você se espante com seus apelidos bem engraçados, como Insano (Adriano), Doido, Sangue e Mico. Eles garantem que saltar dá uma extrema sensação de liberdade, você não se sente caindo, mas voando porque você com movimentos do corpo até direciona o “vôo”.

Como é o salto

A velocidade da queda é de 250 km por hora. É necessário usar óculos de proteção. Com o pára-quedas aberto, a velocidade de queda é de 40 km por hora. Somente no momento do pouso ela é diminuída por meio de uma espécie de freio, quando o instrutor puxa para baixo as hastes do pára-quedas. Ao contrário dos antigos pára-quedas que você vê em filmes da Segunda Guerra, os atuais são manobráveis: você aterrisa no lugar previsto (não há risco de você ir parar a quilômetros de Boituva!).

As restrições

Infelizmente pessoas com mais de 120 kg não podem participar dos saltos duplos e quem tem mais de 99 kg tem que pagar uma taxa extra.

Você não precisa ser um atleta, mas deve estar em forma física normal.

Há um limite máximo de peso para o passageiro: exatamente 100 kg.

Para crianças e adolescentes de até 18 anos, é obrigatória a autorização dos pais.

Salto Solo

Saímos do terreno do turismo e passamos para o de esportes radicais. Para começar a saltar sozinho você terá que fazer um curso de 10 horas de aula teórica antes do primeiro salto, que é obrigatoriamente duplo, com instrutor.