Paranapiacaba

Paranapiacaba, um final de semana diferente

Paranapiacaba, junto da Serra do Mar, mas ainda no município de Santo André,  é aquele programa do tipo bate-e-volta no mesmo dia ou indicado para um final de semana, passando a noite por lá, o que recomendamos.

O núcleo, de Paranapiacaba, instalado em plena Serra do Mar em 1867, tinha localização estratégica entre Jundiaí e o porto de Santos, que seriam ligados pela ferrovia. A vila, erguida no meio de neblina da serra, destinava-se a abrigar  os numerosos engenheiros britânicos encarregados de construir a primeira ferrovia paulista. Com eles vieram imigrantes de outros países e também trabalhadores brasileiros. Conta-se, talvez em tom de anedota, que a escolha de Paranapiacaba para a construção da vila, frequentemente imersa na neblina semelhante ao fog londrino, teve como motivo o desejo dos ingleses de não se sentirem tão longe de casa…

Mapa de Paranapiacaba

Como ir

De trem

O chamado Expresso Turístico, inaugurado em abril de 2009, sai da Estação da Luz em São Paulo. É a opção mais interessante e diferente para se visitar Paranapiacaba, na antiga Rota do Café. O trajeto, de menos de 50 km, é realizado apenas aos domingos, mas não em todos. No segundo domingo do mês não funciona.

O embarque, na Estação da Luz corre às 8h30 da manhã. Quem preferir pode embarcar às 9h na estação Prefeito-Celso Daniel-Santo André. O trajeto a partir da estação da Luz toma 1h30 e para, depois de Santo André, em duas estações: Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, tombadas recentemente pelo patrimônio histórico de São Paulo. Ambas foram projeto da São Paulo Railway ― antiga empresa britânica SPR, construtora da primeira ferrovia na então Província de São Paulo, inaugurada em 1867. O desembarque ocorre na Estação Alto da Serra, toda restaurada.

Vídeo – reportagem da TV Globo sobre Paranapiacaba

Essa excursão oferecida pela CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) bate-e-volta, pode ser ncômoda para alguns. Os trens partem de Paranapiacaba às 16h30, de volta para São Paulo. É uma pena que não existam mais opções de partidas de São Paulo, no sábado, por exemplo, e horários de retorno mais confortáveis. Site: www.cptm.sp.gov.br

De carro

Pela Via Anchieta, siga até o km 29 mantendo-se pista marginal, na direção Riacho Grande. Depois entre na Estrada Velha do Mar (SP-148, direção Ribeirão Pires) e em seguida na Rodovia Índio Tibiriçá (SP 31) até o KM 45,5, no acesso para a Rodovia Antobio Adib Chamas (SP 122) até o estacionamento a alguns quilômetros de Paranapiacaba. Um pequeno ônibus transporta os passageiros até Parananapiacaba, onde não entram veículos. Paranapiacaba fica a 35 km de Santo André. A opção pelo carro lhe permite passar a noite na cidade e voltar a São Paulo no dia seguinte a hora que desejar.

De ônibus

Embarque no Terminal Rodoviário de Santo André.  A linha 040  da Viação Ribeirão Pires liga Santo André a Paranapiacaba.

Onde se hospedar em Paranapiacaba

Escolha e reserve seu hotel em Paranapiacaba

Pontos de Interesse em Paranapiacaba

A coisa mais agradável a fazer, em primeiro lugar, ao chegar em Paranapiacaba, é percorrer suas ruazinhas e visitar a pé a pitoresca vila de arquitetura inglesa instalada no alto da Serra. Vale a pena prestar atenção especial à arquitetura de casas de madeira, algumas transformadas em restaurantes, lojas, ou barzinhos. Repare que existem basicamente três tipos de construções erguidas para fins residenciais. As moradias habitadas pelos engenheiros e suas famílias eram de padrão superior. De madeira, eram de bom tamanho e possuíam agradáveis varandas. Além disso, as plantas-baixas eram individualizadas, ao gosto de seus moradores. Os telhados eram cobertos com telhas de fibro-cimento.

As casas de trabalhadores solteiros eram simples e conhecidas como “barracos”. Possuía dormitórios, banheiros e cozinha e abrigavam o grande número de ferroviários solteiros que chegavam para trabalhar em Paranapiacaba. Os banheiros eram poucos, uma vez que os ferroviários trabalhavam em turnos.

Os ferroviários  que possuíam família, habitavam casas com maior número de quartos. Eram construções também de madeira, com telhados de zinco. Essas casas eram geralmente geminadas numa única construção, com uma residência para cada família. A influência da arquitetura inglesa é visível particularmente na grande torre com um relógio erguido em 1898, uma réplica do Big bem, de Londres…

O material empregado nessas construções  era geralmente o  pinho de riga, madeira nobre importada dos países bálticos.

Igreja Bom Jesus de Paranapiacaba

Situada sobre uma elevação, a Igreja Bom Jesus de Paranapiacaba data de 1889 e hoje acolhe a Festa do Padroeiro, a mais antiga e tradicional de Santo André.

Museu do Sistema Funicular

Exibe trens da São Paulo Railway Company e vagões do período imperial. Alguns deles foram utilizados pelo imperador D. Pedro II e seu séquito.

Passeio de Maria Fumaça

Funciona apenas nos finais de semana e percorre um pequeno trecho de 1,5 quilômetro da ferrovia. Só para, as crianças principalmente, sentirem o que é andar de trem… Telefone: 2695-1151.

Museu Castelo

A mansão de arquitetura vitoriana construída em 1897 fica no alto de uma elevação e é visível de longe. O palacete apelidado de “castelo” era a residência do engenheiro chefe da da Vila de Paranapiacaba, Frederic Mens. Dizem que de sua varanda ele acompanhava os trabalhos que estavam sendo realizados na ferrovia, no vale logo abaixo e vigiava a atividades dos ferroviários no pátio de manobras.  Transformada numa espécie de museu, o palacete conserva objetos, móveis de época, fotografia, documentos e equipamentos ferroviários.

Paranapiacaba fica num vale entre colinas. Na parte mais baixa estão algumas atrações, como o Clube União Lira Serrano, que abriga festas e espetáculos musicais e o Antigo Mercado, transformado em centro cultural.

Uma longa passarela sobre a via férrea liga a área mais antiga de Paranapiacaba à parte alta da vila, onde fica a igreja de Bom Jesus, erguida em 1889. Do alto da passarela pode-se ter uma visão de todo o parque ferroviário.

A animação noturna

À noite há inúmeros barzinhos animados (em alguns, nos finais de semana, pode rolar um som) e restaurantes que servem pratos típicos, muitos deles à base de cambuci, a frutinha típica da Serra do Mar.

Trilhas e passeios a partir de Paranapiacaba

Há diversos passeios para quem gosta de trilhas. Alguns passeios tomam apenas uma hora e meia ou duas horas. É o caso da trilha do Poço Formoso. Já a trilha Volta na Serra, toma oito horas ida e volta.  A trilha Raiz da Serra, chega a Cubatão, na baixada e demora oito horas para ser percorrida, somente no trajeto de ida. As trilhas devem ser percorridas com guias credenciados, que podem ser contratados em agências locais. Um passeio mais fácil é dar uma volta pelo Parque Natural Municipal Nascentes de Paranapiacaba.

Dica

Lembre-se de utilizar tenis ou sapatos confortáveis, protetor solar e chapéu leve ou boné. No inverno pense em trazer um blusão ou pulóver. Faz frio!

Roteiros oferecidos pelas agências locais

Circuito Cultural: “Vila Inglesa” e “Nos Trilhos da SPR”

Circuito Histórico/Ambiental: “Expresso Paranapiacaba”

Circuito Ecológico: “Nascentes do Rio Grande”

Circuito Ecológico: “Nas Trilhas da Serra do Mar”

Festivais

Festival de Inverno

Todos os anos, no mês de julho ocorre em Paranapiacaba O Festival de Inverno. É quando a vila torna-se palco de shows musicais que atraem numeroso público e artistas da MPB, rock e música clássica.

Festival do Cambuci de Paranapiacaba

Ocorre anualmente entre 18 e 21 de abril no Antigo Mercado. É a oportunidade de experimentar pratos feitos à base de uma frutinha da serra, muito comum na região, o cambuci. Durante o festival ocorrem para exibições musicais.  No Mercado funciona também uma feira de produtos gastronômicos.

Centro de informação turística – Largo dos Padeiros na Parte Baixa
Tel: 4439-0237