Lago Maggiore
Isolla Bella, Lago Maggiore, Itália
Isolla Bella, Lago Maggiore, Itália

Lago Maggiore, uma visita inesquecível

Basta ter um pouco de interesse por viagens para conhecer a fama da região dos lagos italianos. Aos pés dos Alpes, eles proporcionam paisagens inesquecíveis; são lindos e românticos, ideais para passear e esquecer da vida. Não é à toa que os lagos são muitíssimo procurados por europeus para passar férias; no verão, os principais pólos turísticos ficam cheios e torna-se recomendável reservar hotel.

Mapa do Lago Maggiore

Como ir (para a cidade de (Stresa)

Veja pacotes e passagens aéreas para a Itália

Carro

Milão (75 km), pegue a A8 e em seguida a A26. Se preferir a estrada que acompanha o lago, pegue a S33 em Sesto Calende. Há ótimas estradas de Milão para o Laggo Maggiore

Trem

Estação ferroviária.  (Stresa). À Para fazer apenas um passeio rápido de barco pelo lago, basta um dia ou até meio. Para curtir um pouco as cidades e, sobretudo, as Ilhas Borromeias, reserve pelo menos dois ou três dias. Da estação central de Milão a viagem de trem toma aproximadamente uma hora. Há trens também do aeroporto de Malpensa, em Milão.

Hotéis no Lago Maggiore

Escolha e reserve seu hotel no Laggo Maggiore (Stresa)

Melhor época

A primavera é a época mais bonita. O outono também é bonito, mas não tem aquela explosão de flores da primavera. Evite o auge do inverno por causa do frio e da umidade.

Vídeo sobre o Mago Maggioere

Atrações turísticas

Às margens dos lagos italianos há muitas – e encantadoras – pequenas cidades mas, na região, Brescia e Bergamo, centros urbanos maiores, se destacam pela riqueza histórica e arquitetônica. Elas podem todas ser visitadas de barco.

O lago Maggiore tem 66 km de comprimento e sua parte norte já fica em território suíço, sendo possível ir de barco até Locarno, passar o dia por lá e voltar para a Itália. Apesar de ter também palacetes nas suas encostas, menos íngremes que as do lago de Como, é meio “selvagem”. Tem como maior atrativo as lindas ilhas.

Stresa

Pode ser uma base para visitar o lago Maggiore. É uma cidade agradável e bonita, relativamente grande em comparação com as demais e tem ótima infra-estrutura turística. Para aqueles que querem algo um pouco diferente, é possível, tomando um teleférico ou percorrendo 20 km pela estrada Borromea, chegar à pista de esqui nas encostas do Mottarone, de onde se tem uma visão panorâmica do conjunto formado pelo lago e pelos Alpes. Lembre-se, mesmo no verão, de levar um casaco. Stresa

Ilhas Borromeias

O nome é uma referência à rica família Borromeo, que durante muito tempo foi uma das mais influentes do norte da Itália. Não se pode deixar de conhecer a Isola Bella (em português, “Ilha Bela”), ocupada por um surpreendente palácio barroco construído por Vitaliano Borromeo no século XVII. No seu interior há lindas salas, como a dos espelhos, o salão de baile e a sala Napoleão, com quadros, esculturas, móveis e objetos de época.  A ilha é famosa por seu jardim barroco. Ainda no barco, quando você está se aproximando da ilha, olha de longe e não entende o que é aquilo que parece ser uma pirâmide asteca em meio à vegetação… O lugar é inusitado e muito florido, sobretudo na primavera, quando ocorre uma explosão de cores. Já no outono os tons tendem para o amarelo, o avermelhado e o marrom, menos alegres, é verdade, mas com outro tipo de beleza. A

Angera

Na margem leste, Angera é a melhor base para visitar o lago Maggiore para quem viaja de carro a partir de Milão ou de Como. A cidadezinha em si se assemelha às demais que margeiam o lago, mas tem como atração especial o Castello Borromeo (ou Rocca Borromea), com uma super vista do lago Maggiore, afrescos medievais e um original museu de bonecas. Lembre-se apenas de que não há muito o que ver lá de cima quando o tempo está encoberto.

Laveno Mombello – O lugar foi palco de combates entre o corpo de caçadores alpinos de Garibaldi e as tropas austríacas. Para quem ainda não saciou a fome de vistas panorâmicas, de Mombello um bondinho leva ao Sasso del Ferro, de onde se vê toda a região, os lagos e os picos alpinos.

Além desses lugares existem diversos outros, em toda a beira do lago, onde você pode parar para um passeio ou almoçar, como Pallanza, com lindas vilas floridas, onde fica a cachoeira Orido di Sant’Ana; Cannero Riviera, com casas em terraço nas encostas; e Cerro, onde funciona o Museu da Cerâmica.

Dicas

Circulando pelo Lago Maggiore

Carro

Use-o apenas para passeios pelas estradas panorâmicas. Para visitar as cidades à beira do lago, a melhor opção é o barco mesmo.

Barco

Várias linhas ligam as ilhas e as cidades do lago. A maioria delas parte de Stresa. De Angera e de outras cidadezinhas há menos opções. Organize-se e anote os horários das partidas dos barcos. Veja mais dicas sobre as cidadezinhas do Lago Maggiore.

A Itália em imagens

Uma verdadeira viagem fotográfica por cada região da Itália, com dezenas de imagens separadas por destinos

Maquina fotografica

Centro da Itália em Imagens

Sul da Itália em imagens

                                      Norte da Itália em imagens