Israel
Tel Aviv, Israel
Tel Aviv, Israel – Foto Miguel Faber, CCBY NC

Sobre Israel

Israel é um lindo país, mas infelizmente é preciso ser prudente ao fazer viagens turísticas por lá. De qualquer modo, muita gente tem parentes em Israel e pode querer aproveitar uma viagem para conhecer alguns lugares. Nesse caso, por favor não deixe de ler, em Dicas, algumas regras de segurança a serem adotadas.

Em Israel estão as raízes da civilização judaico-cristã. O ponto mais alto da viagem é conhecer Jerusalém, onde fatos históricos se confundem com lendas e religião. Afinal, durante séculos, a cidade foi (e é!) objeto de cobiça e palco de inúmeras guerras, desde a época dos cruzados até os tempos modernos.

Mapa de Israel

Como ir

Não há voos diretos do Brasil. Você teerá que ir a Roma, Paris ou Londres e tomar uma conexão.

Veja passagens aéreas e pacotes

Hotéis em Israel

Os voos que chegam de outros países aterrizam em Tel-Aviv, a capital israelense.

Escolha e reserve seu hotel em TelAviv

A melhor época

Israel pode ser visitado – no que se refere ao clima – em praticamente qualquer época do ano. O inverno é chuvoso. O verão é muito quente.

JERUSALEM – temperaturas médias
Primavera (abril): mínima 10ºC / máxima 23º
Verão (julho): mínima 17ºC / máxima 31ºC
Outono (outubro): mínima 15ºC / máxima 27ºC
Inverno (janeiro): mínima 5ºC / máxima 13ºC

Vídeo sobre Israel

Atrações turísticas em Israel

Jerusalém

Visitar a Cidade Velha é mergulhar na história. Jerusalém é uma cidade para se descobrir a pé, caminhando pelos mercados (se possível nas horas de menor fluxo de pessoas), pela Via Dolorosa (caminho que teria sido percorrido por Cristo antes de ser crucificado), pelos bairros judeu, armênio, cristão e muçulmano. Cercada de muralhas com quase 3 quilômetros de comprimento, a Cidade Velha tem diversos portões antigos, do quais o mais interessante é o de Damasco, em sua parte setentrional.

Caminhar sobre as muralhas permite uma visão panorâmica dessa linda cidade. Há, por toda Jerusalém, achados arqueológicos, velhas muralhas, construções com centenas de anos e lugares santos de todas as religiões, como o Muro das Lamentações, sagrado para os judeus, o Santo Sepulcro, que se acredita ter sido o túmulo de Cristo, e um dos lugares mais sagrados do islamismo, o Santuário do Domo da Rocha, onde fica a Mesquita El Aksa. Uma oração feita por um muçulmano nesse lugar vale 500 vezes mais…

No bairro dos judeus ortodoxos, Mea Shearin, na Jerusalém Ocidental, um comportamento discreto é recomendado, pois os moradores nem sempre gostam de turistas curiosos.

Massada

No meio do deserto da Judéia, um dos sítios arqueológicos mais interessantes a serem visitados é o de Massada, fortaleza e antiga residência real de Herodes, no alto de um rochedo descoberto na década de sessenta.

Mar morto

Bem ao lado, na fronteira com a Jordânia, há um mar muito diferente: sem ondas, sem peixes, sem vida: o Mar Morto, um lago de água salgada tão densa que nele ninguém afunda.
Quem resolver ir até a fronteira com a Jordânia não pode perder a oportunidade de conhecer Petra, sítio arqueológico da época dos romanos, com templos escavados em rochedos no meio do deserto. Essa atração ficou conhecida por ser cenário do filme “Indiana Jones e o Templo da Perdição”.

Haifa

Sem muito interesse turístico, é o principal porto israelense. Bem próximo, entretanto, fica Akko (ou Acre), cuja Cidade Velha, ainda rodeada por muralhas da época dos cruzados, é cheia de belas construções, inclusive um soukh e a Mesquita El Jazzar. Em Akko fica uma atração muito curiosa: a Cidade Subterrânea dos Cruzados.

Galiléia

Na fronteira com o Líbano, é uma região de arvoredos e campos floridos na qual se concentram os principais kibutzim de Israel. O Mar da Galiléia – que, mais uma vez, não é um mar e sim um lago – tem praias de água turquesa e é cercado de eucaliptos perfumados, o que torna essa região ainda mais bela.

Perto da fronteira com o Líbano, fica a Sinagoga de Bar Am, do século IV, uma das mais bonitas do país. Na mesma região está o mais notável castelo da época dos cruzados: Monfort, construído em 1226.

Tel-Aviv

É uma cidade moderna e tem mais importância em razão de seus museus – que são vários – e pelo velho centro histórico de Jaffa.

Mar Vermelho

No extremo sul de Israel, no Mar Vermelho, fica um litoral particularmente bonito, na região de Eilat, perfeito para quem gosta de mergulhar, pois é um dos fundos marinhos mais belos do mundo, com formações de corais, peixes multicoloridos e águas de grande transparência.

Gan Hashelosha

(Israel tem também alguns pequenos e belos parques nacionais. Um dos mais interessantes é o de Gan Hashelosha (Sachne), no sul da Galiléia, com jardins e piscinas de fontes naturais em diferentes níveis, com cachoeiras e águas quase mornas.

Dicas

– Ao chegar, no aeroporto você será inspecionado, provavelmente revistado. As autoridades de segurança lhe farão perguntas, suas malas passarão por uma rigorosa inspeção. Procure colaborar com o serviço de segurança. Não ande com nada que possa lhe causar aborrecimentos, seja claro nas suas respostas.

– Em razão dos atentados, evite na medida do possível tomar transportes públicos. Os táxis podem ser uma boa pedida. São baratos e você corre menos riscos.

– Evite restaurantes lotados e aglomerações, alvos potenciais de terroristas.

– Ande sempre com seu passaporte bem protegido no bolso da frente ou interno do seu blusão e com um cartão do hotel onde está hospedado.

– Não aceite nenhuma encomenda de estranhos sob nenhum pretexto, nem concorde em vigiar a mala de alguém.

– Alguns lugares turísticos longe de Tel-Aviv e Jerusalém são bem mais seguros, mas antes de visitá-los informe-se acerca das condições de segurança no momento.

– Em Israel, desde o pôr-do-sol de sexta-feira até o anoitecer de sábado, quase todo o comércio fecha (inclusive os restaurantes), e a maior parte da rede de transportes públicos não funciona, em razão do Shabat, dia do descanso judaico, quando qualquer esforço é proibido. Dependendo do tempo que você for ficar em Israel, tente evitar esses dias.

Como circular: transportes internos em Israel

Carro

Alugar um carro lhe dá muita liberdade.

Ônibus

São em geral confortáveis, mas não muito rápidos. Mas como o país é pequeno dá para encarar. A principal companhia é a Egged.

Trens

Os trens israelenses são relativamente confortáveis e baratos. Porém são lentos e a rede é pouco extensa, ligando Dinoma a Haifa e passando por Jerusalém e Tel-Aviv. O trecho entre Jerusalém e Tel-Aviv, na subida do litoral para o planalto, é particularmente bonito.

Tel Aviv é o grande entroncamento ferroviário do paísl. A linha que acompanha o litoral vai de Tel Aviv a Haifa. ao Uma segunda linha vai de Tel Aviv a Beersheva. Os trens em Israel não funcionam aos sábados por motivos religiosos. Para saber mais sobre preços e passagens, consulte Israel Railways.