Honshu, Japão
Honshu - Japão - Foto Simon Desmarais CCBY SA
Honshu, Japão, foto de Simon Desmarais CCBY SA

Sobre Honshu

Honshu é principal ilha japonesa, onde fica a capital Tóquio.

Mapa de Honshu

Como ir

Tóquio é o principal aeroporto internacional japonês

Compare preços de passagens aéreas e faça sua reserva

Hotéis no Japão

Escolha e reserve seu hotel em Kyoto

Escolha e reserve seu hotel em Nikko

Escolha e reserve seu hotel em Okayama

Escolha e reserve seu hotel em Osaka

Escolha e reserve seu hotel em Tókio

Escolha e reserve seu hotel em Takayama

Vídeo sobre Honshu

Principais destinos turísticos em Honshu

• Nikko • Kamamura • Hakone • Takayama • Shirakawa • Matsumoto, • Magome • Tsumago • Osaka • Okayama • Kyoto

O Japão não é apenas feito de metrópoles modernas e gente apressada: na própria ilha de Honshu existem lugares tranqüilos, paisagens de montanha, recantos simpáticos, parques nacionais e, na época certa, até cerejeiras floridas como nos pôsteres de propaganda turística.

Como conhecer Honshu

São bastante pitorescas as cidadezinhas de Nikko, onde fica o santuário xintoísta de Toshogu, construído na metade do século XVII, e Kamakura, com diversos templos e santuários antigos, um deles com um gigantesco Buda de bronze do século XIII.

Em Hakone fica o parque nacional de Fiji-Hakone-Izu, com belas paisagens de montanhas, um museu de esculturas a céu aberto, fontes termais, um templo xintoísta do século VII e o lindo lago Kawaguchi. É também perto de Hakone, perto do lago Ashi, que fica o famoso Monte Fuji (3,8 mil metros), o pico mais alto e o principal cartão-postal do Japão.

Durante o verão é possível escalar o Monte Fuji, programa aliás muito popular; se resolver fazê-lo, esteja certo de que terá muita companhia! Para fotografar o Monte Fuji, o ideal é ter como pano de fundo o céu claro do outono. Na costa oeste da ilha de Honshu está Kanazawa, cujo bairro antigo guarda ainda a arquitetura do período medieval dos samurais.

Já nos Alpes Japoneses, bem perto, há lugares deliciosos, aldeias e cidadezinhas nas montanhas com construções antigas muito charmosas, como Takayama, Shirakawa, Matsumoto, Magome e Tsumago. É o Japão que todo mundo sonha em encontrar, e não tão longe assim de Tóquio.

Das grandes cidades japonesas, Kyoto é a mais agradável e, por ter sido preservada dos bombardeios americanos na Segunda Guerra, conserva inúmeras atrações históricas e arquitetônicas. É uma cidade de ruelas pitorescas, canais, encantadores jardins, casas que pertenceram a xoguns (como o Pavilhão de Ouro Kinkakuji), santuários xintoístas (como o Heian), templos famosos, como o Higashi, o Nishi Honganji, o Sanju-sangendo e o Kiyomizudera (este com excelente vista panorâmica da cidade), um antigo palácio imperial e o famoso castelo Nijo
É fácil circular por Kyoto a pé, de táxi ou utilizando transportes coletivos.

Em Himeji, a oeste, está um dos mais interessantes exemplos da arquitetura japonesa da época do xogunato: o Castelo da Garça Branca, do século XVI.
Ao sul de Kyoto, em Nara, antiga capital imperial japonesa, fica o Templo Horyuji, uma das estruturas de madeira mais velhas do mundo, construída provavelmente no século VIII e inspirada na arquitetura chinesa. A cidade tem ainda um imenso parque cheio de templos e santuários, dentre os quais se destaca o Templo Todaiji, onde está a maior representação de Buda em bronze do país.

É outra das grandes cidades japonesas, vale a pena ser visitada por seu castelo e seus templos. Um deles, o Tennoji, é do século VI! De Osaka, pode-se visitar a bela região do sagrado Monte Koya, com mais de uma centena de templos espalhados nas florestas de suas encostas.

Mais a oeste fica Okayama, famosa pelas cerâmicas bizenyaki, pelo castelo do século XVI, pelo lindo jardim Korakuen e pelo bairro antigo. Bem ao lado de Okayama, está a graciosa Kurashiki, antigo porto na época feudal, cortada por um canal rodeado de chorões, com um centro histórico cheio de velhas construções e muitos museus, inclusive um de arte impressionista e moderna.