Holanda
A arquitetura inconfundível de Amsterdã
A arquitetura inconfundível de Amsterdã

Sobre a Holanda

O nome do país em holandês é Nederlanden, que significa exatamente “terras baixas”. De fato, parte da Holanda fica abaixo do nível do mar. Os holandeses ampliaram o país “roubando” terras do mar pouco profundo do litoral, com a construção de diques. E até hoje continuam a fazê-lo, sendo talvez o único país do mundo capaz de aumentar seu território sem avançar no do vizinho…

 

A cidade mais interessante do país é Amsterdã, sua capital, toda cortada por canais, destino obrigatório de todos que visitam a Holanda.

A Holanda, ao contrário da maior parte da Europa, nunca teve uma estrutura feudal forte e floresceu com o comércio marítimo, criando, em 1602, a primeira “multinacional” de que se tem notícia na história: a Companhia Holandesa das Índias Orientais. A partir daí, o intenso intercâmbio comercial e cultural da Holanda com povos de todos os continentes favoreceu influências recíprocas. Talvez por causa disso, os holandeses são hoje considerados os mais ecléticos, inovadores, liberais e tolerantes dentre os povos europeus: na Holanda, cada um pode fazer o que quiser, desde que respeite os limites de convivência social.

Mapa da Holanda

Como ir para a Holanda

Avião

Há um voo por dia da KLM para Amsterdã, partindo de São Paulo.

Compare preços de passagens aéreas e faça sua reserva

Onde se hospedar na Holanda

Escolha e reserve seu hotel em Amsterdã

Amsterdã

Amsterdã, a capital da Holanda, é uma cidade fundada no começo do século XII e que já foi, em seus tempos de glória, capital do império colonial administrado pela Companhia das Indias. Cortada por canais margeados por antigos imóveis tradicionais, animadíssima e com intensa vida cultural, Amsterdã ocupa o primeiro lugar entre as atrações turísticas da Holanda. Saiba mais sobre Amsterdã.

Melhor época

Prefira o verão. Evite o inverno, gelado e úmido.

Video sobre a Holanda

Marken

Marken é uma pequena aldeia de pescadores com somente 2.000 habitantes, situada a mais ou menos 30 km ao sul de Amsterdã e protegida por diques. O povoado fica numa ilha que virou península, já que hoje é ligada ao continente por uma estrada sobre o dique construído em 1957. No final da estrada há um lugar onde você deve obrigatoriamente estacionar, já que apenas quem mora em Marken pode circular de carro pelo povoado. A maior curiosidade em Marken é o fato de muitos de seus seus habitantes usarem trajes tradicionais e tamancos de madeira. Também são especialmente graciosas suas casinhas de madeira colorida.

Volendam

Maior do que Marken, Volendam, com aproximadamente 20 mil habitantes, fica no continente, em frente à Península de Marken. Seus habitantes utilizam trajes típicos e são fiéis às tradições do país. Aliás, a principal atividade econômica em Volendam, além do turismo, é fabricar queijos e tamancos. A cidade tem casinhas super charmosas do século XVII e um pitoresco pequeno porto. Flanar por suas ruas já é um bom programa. Em Voledan funciona um pequeno museu folclórico. A cidade é a ligada a Marken por barcos da Marken Express. As duas cidades, Volendam e Marken, são consideradas as mais típicas da Holanda.

Palácio Het Loo

Não é por nada que o Palácio Het Loo, é conhecido como a Versallhes da Holanda. O castelo que existia no mesmo local foi comprado por Stadhouder Willem III, rei da Holanda em 1684 e passou desde então por muitas transformações. O palácio atual, uma das principais atrações turísticas da Holanda, no meio de um lindo jardim, foi transformado em museu é composto de um edifício principal ladeado por dois outros menores. Seu interior é luxuosamente decorado com obras de arte e objetos de época. O Palácio Het Loo é também usado para exposições temporárias.

Utrecht

Utrecht, no centro da Holanda, é uma das cidades mais antigas da Holanda, tendo sido fundada pelos romanos na primeira metade do século I d.C. Durante a Idade Média a cidade tornou-se um importante centro religioso administrado até 1527 pelo bispado de Utrecht, quando a região passou a ser governada pelo Sacro Império Romano-Germânico. A cidade conserva ainda edifícios, mosteiros e igrejas do período medieval.

A maior atração turística é a sua torre gótica (Domtoren), terminada de construir em 1382. Do alto tem-se uma vista privilegiada do centro histórico. Utrecht tem imuseus interessantes como o Museum Catharijneconvent (Lange Nieuwstraat, 38 Utretch), com uma boa coleção de peças medievais e o Nederlands Spoorwegmuseum (Agnietenstraat, 1 – Utretch) , um museu ferroviário que funciona na antiga estação de trens de Utrecht, construída no século XIX.

Alkmaar

Alkmaar, ao norte de Amsterdã, é famosa por seu mercado de queijos, que existe desde a Idade Média e funciona na sexta-feira pela manhã entre o começo de abril e o começo do mês de setembro. Você poderá assistir o transporte dos queijos até a casa de pesagem, realizado por carregadores com vestimentas e chapéus tradicionais coloridos.

Em Alkmaar existe até mesmo um Museu do Queijo onde os visitantes podem ver como cada tipo é fabricado. A cidade de Alkmaar é também conhecida por sua catedral gótica, a Grote Kerk, que data de 1520. A cidade é também cortada por canais rodeados por casinhas de arquitetura típica, muito graciosas. Flanar por Almaar pode ser um dos melhros programas a se fazer na cidade.

Haarlem

Haarlem a 20 km de Amsterdã, situada às margens do rio Spaarne, próxima às duas da costa, é conhecida como Cidades das Flores (em holandês, Bloemenstad), pois tem sido, por séculos, um grande centro produtor de tulipas, uma atração turística que atrai milhares de visitantes. O centro histórico em volta da animada praça central de Haarlem, a Grote Markt, antiga praça do mercado é bem interessante. Nessa parte da cidade ficam alguns dos mais belos edifícios históricos de Haarlem, entre eles a Grote Kerk, sua catedral gótica construída a partir do século XV e a Prefeitura (Stadhuis).

O que muita gente não sabe é que o nome dessa cidade – Haarlem – deu origem a um bairro muito conhecido de Nova York: o Harlem, curiosidade explicada no GTB Nova York.

A melhor época

Junho, julho e setembro são os meses ideais para uma viagem pela Holanda. Em agosto, as temperaturas são agradáveis, mas os preços sobem bastante. O inverno apresenta temperaturas bem baixas e, mesmo na primavera e no outono, quem não gosta de frio pode se sentir incomodado.

Amsterdã – temperaturas médias

Primavera (abril): mínima 4ºC / máxima 13º
Verão (julho): mínima 13ºC / máxima 22ºC
Outono (outubro): mínima 7ºC / máxima 14ºC
Inverno (janeiro): mínima – 1ºC / máxima 4ºC

Agora que você já sabe o clima que o espera, veja em “Bagagem” a roupa adequada para colocar em sua mala.

Transportes internos

Avião

  Esqueça essa opção, totalmente inútil num país tão pequeno!

Trem

A rede ferroviária holandesa liga as principais cidades. Para alguns destinos principais existem trens de alta velocidade. Os passes ferroviários europeus Eurail são válidos também na Holanda. Eles devem ser adquiridos no Brasil, o que pode ser feito em qualquer boa agência de viagens. Para informar-se sobre os diferentes tipos de passes, períodos de validade e preços, consulte o site da CIT Brasil, representante da Eurail no Brasil.

Carro

O país tem auto-estradas de alta velocidade, além de pequenas estradas locais boas e pitorescas. Dentro das cidades, porém, saiba que o automóvel não tem a menor utilidade e a dificuldade para estacioná-lo é a mesma que se encontra nos demais países europeus (salvo em Amsterdã, onde a dificuldade é muito maior!).