Florença e a Renascença Italiana

Acessar o sumário •  Acessar o índice remissivo

 Florença, berço da Renascença Italiana

Mapa de Florença

O que foi a Renascença?

Renascença é o nome do período que se seguiu  ao final da Idade Média em toda a Europa, principalmente na Itália, entre os últimos anos do século XIV e o fim do século XVII, na opinião da maioria dos historiadores (mas não de todos…).  A Renascença não floresceu por acaso. É um erro considerar a Idade Média, com a fragmentação da Europa após o fim do Império Romano, como um período “perdido” e estagnado da História. Foi mais exatamente um período de lentos e discretos avanços que culminou na Renascença.

Renascença, período de grandes mudanças

Na Renascença, sobretudo em Florença, na Toscana, tomaram impulso importantes transformações sociais, políticas e econômicas. Foi igualmente recuperado boa parte do acervo cultural greco-romano, esquecido no limbo durante o período medieval. Essas transformações são expressivas sobretudo nas artes, nas ciências, no sistema financeiro e na arquitetura, com a redescoberta de avançadas técnicas de construção da antiguidade. O desenvolvimento urbano, com o aparecimento de cidades-estado, favoreceu o surgimento do capitalismo e o gradual enfraquecimento do feudalismo.

Onde se iniciou a Renascença?

Na Itália, é óbvio, por ser ela o berço do Império Romano, com um modelo de vida sofisticado para a época e muito mais avançado do que no resto da Europa, ocupada por tribos bárbaras. Na antiguidade, enquanto os demais povos europeus viviam principalmente em aldeias ou em pequenos burgos atrasados, a Itália romana já tinha importantes centros com vida urbana organizada, palácios, anfiteatros, termas. Aliás, boa parte das cidades em outros países da Europa, como França, Espanha, Portugal, foram fundadas por colonos romanos e obedeciam o plano urbanístico romano com ruas divididas em quadras retangulares.

O surgimento de prósperas cidades-estado, como Florença, Siena, Lucca e outras.

Com a queda do Império Romano as principais cidades italianas – frequentemente rivais, –prosperavam. Emitiam suas próprias moedas, e algumas tornaram-se repúblicas marítimas, como Pisa, Gênova, Veneza ou Amalfi, que disputavam o domínio do comércio no mar Mediterrâneo. A riqueza gerada pela atividade mercantilista permitiu que governantes esclarecidos atuassem como mecenas e incentivassem a cultura e as artes, como foi o caso dos Medici em Florença, na Toscana.

A Renascença Italiana desperta seu interesse? Então vá para a Toscana e concentre-se em Florença

É necessário mencionar que a Renascença surgiu na Itália, mas mais exatamente na Toscana, onde ficam cidades que são atualmente alguns dos destinos turísticos mais procurados na Itália de hoje, como Lucca, San Gimignano, Pisa, Siena e Florença, com invejável patrimônio cultural e arquitetônico.

Florença, o epicentro da Renascença Italiana

Se a Renascença surgiu na Toscana, seu epicentro foi Florença, sob o impulso dos Medici. Em nenhum outro lugar deste planeta azul existe tão grande concentração de obras de arte medievais como na Toscana. Além de magníficas esculturas e pinturas, quem visita Florença fica deslumbrado com suas praças, pontes, igrejas, palácios.

O dialeto fiorentino, o idioma italiano de hoje

Florença se sobressaiu também na literatura, com “A Divina Comédia”, de Dante, os contos de Bocaccio, os versos de Petrarca. Com o desenvolvimento do comércio, foi também em Florença que tomou impulso a atividade bancária. No fim do século XIII, surgiu a letra de câmbio, destinada a evitar o transporte de ouro ou prata por caminhos infestados de assaltantes, ou por mares onde a pirataria imperava. Também os contratos de empréstimos eram redigidos em linguagem fiorentina. Com uma língua escrita padronizada, e uma gramática elaborada, o dialeto fiorentino tornou-se o idioma oficial da Itália reunificada séculos mais tarde.

Renascença italiana em Florença: museus e monumentos que você não pode perder. Tudo visita obrigatória!

Duomo (Santa Maria del Fiore) 

Piazza del Duomo. O Duomo di Santa Maria del Fiore é o edifício mais alto da cidade e um dos maiores templos católicos existentes.

Campanile

Piazza del Duomo. O campanário de Florença, que fica ao lado da catedral, começou a ser construído em 1334, com base em um projeto de Giotto, de inspiração gótica.

Battistero 

O batistério de Florença, localizado bem em frente ao Duomo, é um dos edifícios mais interessantes da Europa.

Museo dell’Opera del Duomo 

Na Piazza del Duomo, atrás da catedral. Além de obras de arte como a famosa Pietà inacabada de Michelângelo, você poderá ver projetos de Brunelles­chi, maquetes e ferramentas empregadas durante a construção do Duomo.

Museo di San Marco

Conserva lindos afrescos de Fra Angelico, o artista que melhor retrata a transição da  pintura medieval para a renascentista.

Piazza della Signoria

É o centro histórico de Florença. A Piazza della Signoria é repleta de peças de arte, uma pérola renascentista.  Nela fica o gigantesco palácio gótico do século XII, sede do governo florentino.  Na Piazza de la Signoria, uma das mais belas praças renascentistas de toda a Europa, fica também a Loggia dei Lanzi, do século XIV, destinada a assembleias e cerimônias durante o período renascentista.

Galleria degli Uffizi

Data do século XVI. A monumental galeria dos uffizi, que alojava escritórios da administração Médici, é uma obra-prima do arquiteto Giorgio Vasari, iniciada em 1560. A Gallerie degli Uffizi abriga hoje o principal museu de Florença,  um dos mais importantes da Europa. Local perfeito para quem quer conhecer a obra dos principais artistas da Renascença.

Museo Nazionale del Bargello

O Bargello, o mais importante museu de escultura renascentista da Itália, está instalado em um palácio medieval de meados do século XIII e abriga um rico patrimônio de belíssimas esculturas de Michelangelo e outros mestres.

San Lorenzo (basilica) 

Sua construção, iniciada em 1419, foi interrompida. Posteriormente, a obra, entregue a  Brunelleschi, foi alterada por reformas e modificações introduzidas por Michelangelo e outros arquitetos.

Cappelle Medicee 

As Cappelle Medicee (Capelas dos Médici) fazem parte da igreja de San Lorenzo. O conjunto é composto de diversas capelas.  Nos túmulos dos Médici, você verá esculturas de Michelangelo, um dos principais mestres renascentistas.

Galleria dell’Accademia 

Na mais antiga escola de arte do mundo estão diversas esculturas de Michelangelo, dentre as quais o famosíssimo David.

Palazzo Pitti 

Esse palácio, talvez o mais lindo de Florença, obra de  Brunelleschi, foi construído para servir de habitação à família Pitti em 1457. No Palazzo Pitti funciona a Galleria Palatina, considerada uma das importantes pinacotecas da Itália.

Ponte Vecchio

Foi construída em 1345, no começo da Renascença (para alguns no final da Idade Média). Essa ponte, a mais antiga de Florença, é um ícone da cidade. Na época era comum a construção de lojas, ou mesmo de habitações, sobre as pontes.

 Cappella Brancacci

Sua construção foi iniciada em 1386. A capela abriga os belíssimos afrescos de Tommaso Masaccio, considerado por muitos o primeiro pintor renascentista de Florença.

Importante: Veja localização e mais detalhes sobre cada uma das atrações que mencionamos:  Atrações Turísticas em Florença.

Veja informações práticas sobre a Toscana e Florença, sua capital: Sua história, como ir, melhor época, onde se hospedar, transportes etc.

Saiba mais sobre Florença

Saiba mais sobre a Toscana

Confira as atrações em outras cidades da Toscana: Pisa, Siena, San Gimignano, Lucca

 

Links afins