Éfeso e Pamukale

Sobre Éfeso

Éfeso, a antiga Jônia, foi uma das grandes cidades romanas da antiguidade,  na região de Izmir, na costa oeste da Ásia Menor, é o mais bem preservado sítio arqueológico em território turco, onde estão o templo de Diana (ou Ártemis), uma das sete maravilhas do mundo antigo, o templo de Adriano, a Biblioteca de Celso, a Acrópole de Pérgamo, e toda uma diversidade de outras ruínas.

Mapa de Éfeso

Éfeso: como ir

Qualquer agência de viagens em Instambul oferece excursões para Éfeso. Quem quiser ir por conta própria deve tomar um ônibus em Istambul para Selçuk, província de Esmirna, situada a apenas 3 km do sítio arqueológico. Selçuk fica a 80 km de Izmir e 690 de Istambul. Uma opção é tomar um avião de Istambul até Izmir, um voo de aproximadamente uma hora de duração. Quando comprar sua passagem aérea para Istambul já reserve o trecho até Izmir.

Veja passagens aéreas e pacotes

Onde se hospedar

Escolha e reserve seu hotel em Selçuk

Melhor época

Primavera e outrono, começo e fim do verão. Evite o auge do verão, principalmente junho e agosto pois o sítio arqueológico fica lotado de turistas do mundo todo. Os serviços turísticos perdem qualidade, os hotéis estão mais caros e lotados.

Vídeo sobre Éfeso

Atrações turísticas em Éfeso

Éfeso, a antiga Jônia, na região de Izmir, na costa oeste da Ásia Menor, é o mais bem preservado sítio arqueológico em território turco, onde estão o templo de Diana (ou Ártemis), uma das sete maravilhas do mundo antigo, o templo de Adriano, a Biblioteca de Celso, a Acrópole de Pérgamo, e toda uma diversidade de outras ruínas.

Templo de Artemis

Erguido por volta de 550 a.C, era considerado uma das Sete Maravilhas do mundo antigo, foi destruído pelos cristãos no começo do século V d.C. como aconteceu com outros maravilhosos templos politeístas greco-romanos da antiquidade clássica.

Éfeso foi importante na antiguidade e fez parte da Liga Jônia durante a antiguidade clássica grega. Conquistada pelos romanos, foi durante muito tempo a segunda maior cidade do Império quando era habitada por cerca de 250 mil pessoas.

A cidade, ao que parece, não teve muita sorte. Apesar das reconstruções promovidas pelo imperador Constantino foi em 614 destruída por um poderoso terremoto que botou abaixo seus belos edifícios.  As ruínas que sobram nos permitem imaginar o que foi essa cidade durante seu apogeu.

Cemitério de gladiadores

Uma curiosidade: em Éfeso encontra-se um  cemitério de gladiadores, talvez o único no mundo, destinado a recolher os restos mortais dos que morriam nas arenas para divertir uma multidão sedenta de sangue.

Dicas

Sobretudo nos meses quentes o sol não dá trégua, é forte e queima pesado. Portanto, passe protetor solar, leve chapéu ou boné, e uma garrafinha de água potável.