Dicas sobre hospedagem

Dicas sobre hospedagem

Reservar ou não reservar hotel?

Há pessoas que não conseguem viajar sem que tudo esteja reservado. Só de pensar em viajar sem reserva entram em pânico e já começam a se imaginar sentados sobre suas malas, no meio da rua, à noite. São os reservadores radicais. Do outro lado estão os não-reservadores, que odeiam reservar hotel ou qualquer coisa, só o fazendo em situações extremas e com evidente má vontade. Sua excessiva auto-confiança, acreditando sempre que no final tudo dará certo, faz com que às vezes acabem tendo que dormir no banco duro de uma estação.

Mas, afinal, vale a pena reservar hotel? Depende. Ao menos para a primeira noite sim, sobretudo em finais de semana, por ocasião de grandes eventos, feriados prolongados e alta temporada, ou quando você chega à noite numa cidade de grande interesse turístico. Se você não tem reserva, evite chegar sexta-feira à noite, sábado, nos feriados e vésperas ou quando houver algum evento que possa superlotar a cidade (em Munique durante a Oktoberfest, em Cannes durante o Festival de Cinema etc.). Com o incremento do turismo está ficando cada vez mais difícil encontrar hospedagem sem fazer reserva.

Há casos em que a reserva torna-se absolutamente recomendável para toda a sua estada, e não só para a primeira noite: se você está indo a um lugar notoriamente turístico durante a alta temporada; se o lugar, seja qual for, oferece poucas opções de hospedagem; e se você não quer passar pelo desconforto, insegurança e perda de tempo de sair à luta procurando hotel para os dias restantes. Por outro lado, ao deixar reservados de antemão todos os dias de sua estada em um hotel  totalmente desconhecido em um local igualmente desconhecido, há o risco da localização ser péssima – ou de você detestar o hotel por qualquer outra razão – e não poder mudar por já ter pago antecipadamente ou dado o número de seu cartão de crédito. Preste atenção nisso e evite reservar hotéis sobre os quais você não tenha nenhuma referência.

Cuidados a serem tomados

Quem vai para um lugar onde já esteve antes e pretende se hospedar em um hotel conhecido, ou sobre o qual tem boas referências, não tem motivo para deixar de fazer a reserva, o que é sempre mais confortável e seguro. Toda vez que você gostar de um hotel, peça um cartão. Será útil para sua próxima viagem ou a de um amigo. Se não gostar, peça também, para se lembrar e nunca mais cair na mesma roubada (ou indicar para algum chato!).

Nem toda agência de viagens estará muito preocupada – ou bem informada – com relação à localização e as eventuais desvantagens do hotel reservado;  algumas restringem-se a achar e reservar algo na cidade e na faixa de preço ou na categoria que você solicitou. É aconselhável que você converse com pessoas que já estiveram no lugar, consulte um guia de viagem específico sobre a cidade ou dê uma fuçada na Internet, procurando no mapa a localização do hotel de acordo com sua conveniência. Na grande maioria dos centros urbanos, uma localização central é mais indicada pela facilidade de transporte, embora essa regra, como todas, tenha suas exceções. De qualquer forma, evite hotéis muito longe do centro. Tendo uma ideia geral da cidade, você poderá pelo menos solicitar ao seu agente de viagens que providencie reserva em um hotel num determinado bairro.

Os escritórios oficiais de turismo

Os sites oficiais de turismo de cidades nos quatro cantos do mundo (linkados no GUIA ON-LINE de cada país em nosso site) têm informações sobre hotéis, mas,  por algum motivo inimaginável, raramente fornecem os sites dos estabelecimentos. Enfim, depois de descobrir o nome do hotel, fica mais fácil encontrá-los utilizando mecanismos de busca tipo Google. Digite o nome do hotel entre aspas e a cidade na língua do país. Exemplo: “Hotel Monte Bianco” Milano.

Para os que não gostam de sair do Brasil com hotel reservado

Finalmente, se você é daqueles que preferem ir “na raça” e tentar conseguir hotel ao chegar, anote as dicas para não cair em roubadas. Se tiver um bom guia de viagem (como um GTB!), utilize-o. Selecione os hotéis nos quais gostaria de ficar, veja se têm site e em caso afirmativo dê uma boa olhada no estabelecimento, veja se tem a ver com você e confira os preços. Uma outra  solução é utilizar os serviços dos escritórios de turismo nos próprios aeroportos ou estações: muitos cuidam de reservas e poderão ajudá-lo (se a cidade não estiver lotada).

Você até pode não sair do Brasil com tudo reservado mas, digamos que esteja em Florença e queira tomar um trem para Roma no dia seguinte: por que não pedir na recepção para reservarem a primeira noite para você na capital italiana? É uma solução não-radical (social-democrata, digamos…).

O que é bom deixar claro

Ao reservar antecipadamente ou ao escolher um quarto já estando no hotel, deixe muito claro o que você quer: se faz questão de frigobar, ar condicionado, televisão, cama de casal ou camas separadas, quarto com banheiro privativo etc. Lembre-se de que nos hotéis mais simples, adaptados em antigos prédios, muitas vezes os quartos não têm banheiro. Informe-se ao reservar e, estando no local, peça para ver o quarto antes. Pergunte também se o café da manhã está incluído na diária.

Check-in e check-out

Existem horários para check-in (ocupação do quarto) e check-out (desocupação) nos hotéis no mundo todo. A regra geral é o check-in após o meio-dia e o check-out até o meio-dia,  mas isso depende do lugar. Se você chegar mais cedo  e precisar fazer um early check-in ou precisar ficar mais tempo e fazer um late check-out, informe-se junto ao hotel. Geralmente isso é possível pagando-se meia diária ou eventualmente como uma cortesia, se o hotel não estiver lotado.

Hospedagem de charme

Em diversos países, inclusive no Brasil, existe uma opção de hospedagem quase sempre luxuosa, de charme insuperável: são castelos, sedes de fazendas, mosteiros e outros edifícios antigos, por vezes de grande valor histórico, transformados em hotéis ou “hospedarias”. Muitas vezes esses lugares ficam fora da zona urbana, mas há hospedarias históricas em localizações hiper centrais, como o Hostal de los Reyes Catolicos, antigo palácio de Fernando de Aragão e Isabel de Castela em plena praça principal de Santiago de Compostela.

Nesses lugares, que de modo geral se situam em belos cenários naturais ou urbanos, encontra-se uma arquitetura de época bem conservada, decoração esmerada e culinária local de primeira linha. Em diversos deles há opções de lazer que os transformam em “resorts de charme” intimistas e muito especiais.

Grande parte desses estabelecimentos, sejam particulares ou de propriedade dos governos, são filiados a entidades que garantem seu padrão de qualidade e oferecem serviço de reserva.

Roteiros de Charme. Sedes de fazendas, edifícios coloniais e imperiais e mesmo construções recentes de grande charme em diversos pontos do Brasil.

Relais & Châteaux: castelos, palacetes, mansões históricas e belos edifícios de construção recente. Quase sempre, um luxo. Existem em vários países do mundo (até no Brasil), mas sobretudo na França e no restante da Europa. FR, IN, AL, ES

Paradores espanhóis. São edifícios históricos luxuosos a estabelecimentos um pouco mais simples, sempre situados em cidades turísticas. ES, IN, FR, AL

Pousadas de Portugal. Funcionam em castelos, mosteiros e conventos. A entidade opera também com uma pousada brasileira, em Salvador (BA), no Convento do Carmo.

Dimore Storiche: Residências históricas em toda a Itália. IT, IN

Historich Hotels Hospedagem em estabelecimentos históricos nos EUA. IN

Locação de imóvel

Uma boa opção de hospedagem, principalmente para quem está viajando acompanhado, com a família ou em pequenos grupos, é alugar um imóvel mobiliado. Existem sempre as vantagens de ter mais privacidade, liberdade e muitas vezes mais espaço do que em um hotel, e de poder cozinhar, pois os apar-tamentos são equipados. Há várias agências especializadas no Brasil que atuam nessa área. Se não quiser reservar antes, saiba que nas cidades mais turísticas, nos escritórios oficiais de turismo ou em agências particulares que às vezes ficam nos próprios aeroportos, pode-se alugar um imóvel.

Porém tome cuidado: todas as recomendações que demos a respeito de hotéis valem para as locações, inclusive sobre fazer ou não reservas. Evite reservar ou alugar um imóvel sem, no mínimo, ver fotos das acomodações. Caso alugue antes de conhecer pessoalmente o imóvel, exija que constem do contrato sua descrição e os equipamentos que contém (roupa de cama, material de cozinha, fogão, microondas, frigobar, etc.). Informe-se antes sobre os serviços de limpeza para não ter surpresas.

Os preços variam de acordo com a localização, o tamanho e o grau de conforto do imóvel. Leve isso em conta ao compará-los com os preços dos hotéis.

Opções econômicas

Os jovens e outros viajantes que querem gastar pouco poderão optar pelos hostels particulares ou pelosAlbergues da Juventude (Youth Hostel – Y.H. – em inglês, Auberges de Jeunesse – em francês), espalhados por diversos países, praticamente no mundo inteiro.

Links afins