Chapada Diamantina

Chapada Diamantina

Mapa da Chapada Diamantina

Como ir

Avião

O aeroporto Coronel Horácio de Mattos, em Tanquinho, a 20 km de Lençóis, 50 km de Palmeiras e 10 km de Andaraí, recebe voos fretados.

Compare preços de passagens aéreas e faça sua reserva

Ônibus

A partir do Terminal Rodoviário de Salvador (<tel/> 71/3460-8300), a empresa Real Expresso tem ônibus para Lençóis e Palmeiras. A Viação Águia Branca tem linha direta para Mucugê, Morro do Chapéu e Andaraí, com conexão em Itaberaba; a empresa Novo Horizonte tem linha para Rio de Contas. Há dois ônibus por semana de Feira de Santana para Iraquara pela empresa Real Expresso.

Carro

De Salvador, siga pela BR-324 até Feira de Santana, depois pela BR-116 na direção sul por aproximadamente 78 km até Argoim. Continue pela BR-242 (Salvador/Brasília) por uns 95 km e tome a BA-142 para Andaraí e Mucugê. A saída para Lençóis fica 35 km depois da saída para Andaraí. O centro de Lençóis está a 12 km da BR-242. Para Rio de Contas, depois de Feira de Santana pegue a BR-116 rumo ao sul até Manuel Vitorino e, dali, siga pela BA-262 até Brumado, de onde se pega a BA-148 até Rio de Contas. Outro caminho é tomar a BR-242 até Seabra e a BA-148 até Rio de Contas. Para Morro do Chapéu, depois de Feira de Santana pegue a BA-052 (Rodovia do Feijão). A Chapada Diamantina fica a 420 km de Salvador.

Hospedagem

Escolha e reserve seu hotel na Chapada Diamantina

Melhor época

A Chapada Diamatina pode ser visitada em qualquer época do ano, mas o período mais seco é entre de abril e outubro, quando chove pouco.

Atrações turísticas

Vídeo sobre a Chapada Diamantina

Lençóis

Lençóis é a porta de entrada para a Chapada Diamantina. Possui numerosas atrações. Saiba mais

 Palmeiras

Palmeiras foi no passado um grande cento de mineração de diamantes. Possui diversas atrações nas redondezas. Saiba mais.

Iraquara, Chapada Diamantina

A cidade nasceu e cresceu durante o Ciclo do Diamante. É famosa por suas grutas e cavernas que atraem muitos visitantes. Saiba mais

Andaraí

Andaraí é a segunda principal cidade da Chapada Diamantina. Seu nome, que significa “rio dos morcegos”, foi dado pelos índios cariris que habitavam o local quando os primeiros aventureiros chegaram à procura de metais e pedras preciosas. Saiba mais.

Mucugê

Foi em Mucugê, a 48 km de Andaraí, que o primeiro diamante foi encontrado. Conta-se que, em 25 de junho de 1844, Cristiano Pereira do Nascimento, afilhado do Coronel Cazuza do Prado, pecuarista da região, foi lavar as mãos no riacho Cumbuca e achou um diamante. Saiba mais.

Rio de Contas

A cidade, a 56 km de Palmeiras, originou-se de um ponto de pouso onde os viajantes pernoitavam, e que deu origem, no final do século XVII, a um povoado denominado Creoulos na nova rota entre Goiás e Salvador. Saiba mais.

Morro do Chapéu

Antes da chegada dos europeus, o local era habitado pelos índios paiaiás. O solo era bom para plantio e muitos dos que ali chegaram à procura de ouro e prata acabaram se estabelecendo. Saiba mais.

Dicas para conhecer a Chapada

Para conhecê-la, é necessário ter espírito de aventura e estar em boa forma física. A maioria dos visitantes fixa sua base em Lençóis, onde contrata passeios para outras localidades e atrações. Em muitos sítios, visitantes só podem entrar acompanhados por um guia habilitado pela Secretaria do Turismo e pelo IBAMA.

Trilhas na Chapada Diamantina

Muita gente vai à Chapada Diamantina para fazer trilhas. Aliás, quase todos os passeios exigem caminhadas. É para quem curte esse tipo de programas, preguiçosos se abstenham… Veja as trilhas da Chapada Diamantina

Preparação

Leve capa de chuva, repelente de insetos, calçado adequado, havaianas para as horas de descanso, protetor solar, chapéu ou boné e roupas adequadas (calça de tactel, camisetas leves). Use meias grossas para evitar bolhas nos pés. No caminho há rios e cachoeiras: leve máscara de mergulho, toalha e calção ou maiô. Quem gosta de fotografar, não esqueça da bateria sobressalente. Escolha uma mochila impermeável e confortável e não a sobrecarregue.

Preços

A Associação de Condutores de Visitantes de Lençóis (ACVL) tem tabelas com tarifas dos serviços oferecidos pelos guias. Os preços praticados variam segundo os níveis de dificuldade das trilhas, a duração dos passeios, a necessidade de traslados e o fornecimento de refeições e/ou equipamentos. A hospedagem em casas de moradores costuma ter preços um pouco inferiores aos das pousadas mais simples.

Como ir

Confira preços de pacotes e passagens