Câmbio

CAMBIO

Câmbio em viagens

• Via de regra, chegando a um país estrangeiro, você precisa de imediato de dinheiro em moeda local para pagar um táxi, tomar um lanche ou para alguma outra despesa, embora em certos países você possa pagar tudo em dólares.

• O ideal é já sair do Brasil com pelo menos um pouco da moeda local, mas nem sempre isso é viável, o que vai obrigar você a trocar dólares pela moeda local no aeroporto ou sacar dinheiro de um caixa eletrônico (ATM) se estiver com um cartão de débito Travel Money ou similar.

• O câmbio nos aeroportos não costuma ser bom: troque o mínimo necessário para as despesas iniciais e deixe para trocar mais depois que você, com calma, tiver se informado sobre os locais que oferecem as melhores taxas.

• Normalmente, é melhor trocar seu dinheiro em um banco. Se você chegou ao país no final de semana, troque o suficiente só para as despesas que terá até segunda-feira, porque nas poucas casas de câmbio abertas a taxa provavelmente será desfavorável: os espertalhões aproveitam o aperto dos turistas.

• Evite trocar grandes somas de uma só vez: você pode virar a esquina e encontrar uma taxa melhor. Nos países de inflação alta, você sempre perderá, pois no dia seguinte seus dólares já estarão valendo mais.

• Não troque dinheiro com cambistas nas ruas! Muitos deles são golpistas ou simplesmente ladrões. Caso tenha dúvida de onde pode trocar seu dinheiro com segurança, pergunte no escritório de turismo oficial da cidade ou na recepção de seu hotel, se estiver hospedaddo em um estabelecimento de padrão razoável.

• Tome cuidado com a propaganda enganosa de certas casas de câmbio, que alardeiam taxas muito boas, mas cobram comissões elevadas. Existem também anúncios que levam o turista a crer que a taxa proposta é a de compra (o valor que eles pagam pelo seu dólar), quando na verdade é a de venda (o valor pelo qual eles vendem o dólar). “Abra os olhos” e pergunte sempre, antes de efetuar qualquer troca, qual a taxa e qual a comissão. Pode haver diferença entre a troca de dinheiro vivo e a de cheques de viagem.

• Enquanto as divisas fortes são facilmente aceitas e trocadas em qualquer parte do mundo, as moedas latino-americanas, asiáticas e africanas não gozam das mesmas facilidades. Elas devem, portanto, ser esgotadas até o último centavo antes de você deixar esses países. Procure levar algumas notas de um, cinco e dez dólares e, no finalzinho da viagem, troque apenas o mínimo necessário. Isso evitará que você fique com uma bolada de micos “introcáveis”.

• Em muitos países da América Latina, da Ásia e da África, principalmente, não é fácil trocar moeda estrangeira fora dos grandes centros turísticos. Por isso, se for visitar pequenas localidades, leve moeda local em quantidade suficiente e, se possível, ao menos uma parte em notas miúdas.

• Em alguns países, notas com alguma mancha insignificante ou que não estejam em perfeito estado não são aceitas. Ao comprar dólares ou outra moeda no Brasil, fique atento ao estado de conservação das notas que recebe.