Barcelona
 Barcelona, foto de Jorge Franganillo CCBY
Barcelona, foto de Jorge Franganillo CCBY

Sobre Barcelona, a capital da Catalunha

Por Cynthia Feliciano

Ensolarada, colorida, bonita, ousada, assim é a fotografia imediata que se tem de Barcelona. Cidade portuária, voltada para o Mediterrâneo. A capital da Catalunha se situa a leste da Espanha, ao redor do Monte Táber e a 150 Km da cordilheira dos Pirineus. Economicamente é a cidade mais ativa da Espanha e depois de Madrid é a maior em densidade demográfica.

Barcelona, cidade romana

A Ibéria, como era referida a Espanha em tempos antigos, já era desde 45 a.C. integrada ao império romano, mas foi por volta do ano 15 a.C. que Barcino, como era chamada Barcelona, foi fundada pelo imperador romano Augusto. Ainda hoje pode-se conferir no subsolo do museu de Historia da Cidade a existência daquela, então, antiga colonia romana.

Como ir

A capital catalã é ligada a Madri e outras cidades espanholas por avião, trem e ônibus.

Compare preços de passagens aéreas e faça sua reserva

Hotéis em Barcelona

Escolha e reserve seu hotel em Barcelona

Melhor época para visitar Barcelona

A cidade pode ser visitada em qualquer época do ano, mas a primavera e o outono são as estações mais simpáticas. Veja dias sobre a melhor época em Barcelona.

Catalão, a língua de Barcelona

Barcelona é capital da Catalunya e a língua que se fala por lá não é o espanhol, mas o catalão, diferente do castelhano, mas ainda compreensível para os ouvidos dos brasileiros, afinal, o catalão também se origina do latim. Muitos dos out-doors espalhados pela cidade, quando não estão escritos apenas em catalão estão escritos em ambas as línguas.

Existe uma rivalidade notória entre Barcelona e Madri. Por razões históricas e principalmente políticas, a Cataluña (em castelhano), ou Catalunya (em catalão) desenvolveu uma identidade própria, diferenciada do resto da Espanha. Portanto, não ouse chamar um barcelonês de espanhol se não quiser arrumar briga.

Vídeo sobre Barcelona

Dicas para se visitar Barcelona

A melhor maneira de se ter uma visão rápida e geral da cidade é tomando um dos famosos ônibus turísticos. No entanto, não se iluda pensando que vai conhecer bem Barcelona em dois dias. Há tanto em Barcelona para se ver, fazer e explorar caso seu tempo seja curto é melhor fazer uma pré-programação do que você mais gostaria de visitar.

Um bom começo são as “Las Ramblas” ou a “La Rambla”, uma via de pedestres que se estende entre praça da Catalunya e o porto, e é acompanhada em suas laterais por uma sequência de ruas estreitas cujos prédios parecem fazer parte do cenário de um filme de Almodovar. As “Las Ramblas” são certamente o passeio mais popular da cidade e, sem dúvida, um passeio obrigatório. É ai que se percebe o número de turistas que a cidade atrae, principalmente ‘a noite. “Rambla” vem da palavra árabe “Ramla” e quer dizer “leito de rio” e o que agora são ruas foi antigamente o leito de um rio.

Que tal uns tapas no final da tarde ?

Ao longo do passeio público de Barcelona vêem-se incontáveis bares e restaurantes e muitos performistas tentando ganhar a vida fazendo shows de rua. Nestes bares o turista pode dar uma paradinha para uma cerveja, ou cava (como é chamado o vinho branco frizante na Espanha) e belisca “tapas”, que são nada mais do que petiscos, uma comida rápida para acompanhar a bebida. Os tapas podem ser constituídos de tortilha de batata com queijo e cebola, chourizo bem temperado, lulas fritas “a dorê”, mariscos, croquetes de batata, polvos a vinagrete, etc. Os tapas, uma delícia, substituem qualquer refeição e são uma ótima opção para o turista apressado.

Barcelona by night

O espanhol é um povo muito boêmio, e o programa noturno começa geralmente as 22:00 horas e vai até pelo menos 4:00 horas da manhã. Sendo assim, se você achar que já nao tem energia para acompanhar este rítmo e, mesmo assim, quiser participar da loucura notívaga de Barcelona, melhor fazer o que eles fazem: tire uma siesta após o almoço.

Barcelona é talvez uma das cidades mais baratas para se comer na Europa. Leve em consideração no entanto, que a comparação foi feita com a Europa e não com o Brasil. E já que estamos falando em comida, o Mercado de La Boquería, o Grande Mercado Central de Barcelona, vale a pena ser visitado. Frutas, verduras, vegetais, carnes em geral, peixes e frutos do mar, tudo fresco, colorem um enorme espaço e deixam qualquer transeunte com água na boca. Se você gosta de frutos do mar, você está na cidade certa. Aproveite sua estada em Barcelona para degustar grandes e deliciosos mariscos, lagostas ou lagostins, polvos, ostras, variedade e fartura não faltam.

Região do porto em Barcelona

O marco do porto de Barcelona é uma grande torre, monumento a Cristóvão Colombo. Do alto desta torre, o turista tem uma visão panorâmica da cidade. A zona portuária divide-se em Porto Velho (Port Vell) onde se encontra o Maremágnum e o áquario, e Porto Novo (Port Nou), once se vêem marinas e inúmeros barcos luxuosos. No Port Vell, uma longa passarela de pedestres adentra o mar e nos leva ao Maremágnum, um grande centro comercial em um local privilegiadíssimo com lojas, cafés, restaurantes e até discoteca. Aí também se encontra o sensacional aquário de Barcelona, um dos maiores da Europa. Se você estiver passeando com crianças, eis aí um programa que certamente todos vão curtir.

 O Bairro Gótico em Barcelona

O Museu de Historia da Cidade fica no bairro mais antigo de Barcelona, o Bairro Gótico, nos arredores da “Plaça de Sant Jaume”. O Bairro Gótico foi construído exatamente sobre o que um dia foi a antiga cidade romana. Alguns de seus prédios datam da idade média. O antigo fórum romano ficava onde hoje é a Plaça de Sant Jaume e, é nesta praça onde se celebra no dia 23 de abril, o dia de Sao Jorge, um militar romano cristão que, por volta do ano 303, foi considerado um mártir, por não abdicar de suas crenças. Esta é a festa mais comemorada pelos catalães. É também nesta famosa praça onde se localiza a sede do governo da Catalunya, a “Generalitat de Catalunya”. É ainda no Bairro Gótico que se encontra um dos museus mais visitados de Barcelona, o Museu Picasso, once se vê obras de várias fases do artista.

Parque Guell, a melhor vista de Barcelona

No alto de uma colina em uma extensão de cinco hectares encontra-se o Parque Guell, mais uma obra de Gaudí e também um tombado pela UNESCO. A área, previamente destinada a construção de casas de luxo, com vista panorâmica para Barcelona, pertencia ao conde Guell. Depois que este faleceu, seus herdeiros doaram essa grande área para o governo municipal, que a transformou em um parque. O emprego de muitos mosaicos, inclusive sobre a escultura de um lagarto e como revestimento de um gigantesco banco sinuoso que contorna um grande mirador de onde se descortina Barcelona, fazem do Parque Ghell um lugar único.

Saindo um pouco da arquitetura para a pintura, além de Picasso que apesar de não ter nascido em Barcelona, teve fortes ligações com esta cidade, outros dois pintores não podem ser esquecidos. Foi em Barcelona, em 1893, que nasceu Joan Miró, um dos maiores representantes do surrealismo. A Fundació Miró, criada pelo próprio artista reúne inúmeros de seus trabalhos. O segundo nome a ser lembrado é o mais conhecido entre todos ligados ao surrealismo: Salvador Dali. Dali  também é catalão, mas nasceu em Figueres, uma pequena cidade vizinha. Foi em Barcelona porém que, em 1925, na Galeria Dalmau, que Dali fez sua primeira exposição particular, que foi elogiada até mesmo por Pablo Picasso.

Barcelona na música e na literatura

A capital da Catalunha também dá sua contribuição na música e literatura. A soprano Montserrat Caballé (1933) e o tenor José Carreras (1946) são ambos desta cidade. E o famoso violoncelista Pablo Casals (1876 – 1973) também era catalão, de Vendrell, cidade a 60 Km de Barcelona. Joan Brossa poeta, dramaturgo e artista plastico também era catalão. (1919 – 1998). Joan Brossa era amigo do brasileiro João Cabral de Melo Neto, que ocupou em 1947 o primeiro posto consular em Barcelona. Cabral de Melo Neto viveu 40 anos fora do Brasil mas, entre todos os países que morou, a Espanha foi o mais marcante em sua vida.

Barcelona: onde assistir a um show de flamenco

Se você quiser mergulhar de verdade no espírito espanhol não deixe de assistir a um show de Flamenco. No El Tablao de Carmem, à noite, tem-se um ótimo show de flamenco além de boa comida típica da Catalunia e da Andaluzia. Recomendo as lentilhas com chouriço. Toda a decoração é em estilo andaluz e o nome da casa presta homenagem à dançarina de flamenco Carmem Amaya, que se apresentou pela primeira vez exatamente aí, em 1929, durante a inauguração do Pueblo Espanhol de Montjuic.

O El Tablao de Carmem e os estilos arquitetônicos espanhóis

O El Tablao de Carmem fica dentro do Pueblo Espanhol, um grande parque fechado com réplicas de construções espanholas, que tem por finalidade apresentar os diversos estilos arquitetônicos populares do país. Paga-se, e caro para entrar no Pueblo Espanhol, mas se você for ao El Tablao de Carmem, a entrada ao parque é gratuita.

Em suma, é assim, uma cidade viva, alegre, cheia de arte, autêntica e de forte personalidade. Lugar que não pode deixar de ser visitado para aqueles privilegiados que tem a possibilidade de viajar para a Espanha.