Atrações na Cidade do Porto
Portugal, Cidade do Porto
Portugal, Cidade do Porto

Atrações turísticas

Do ponto de vista turístico, Porto é uma cidade no mínimo tão interessante quanto Lisboa. As regiões cortadas pelo rio Douro produzem alguns dos melhores vinhos de Portugal, além, é claro, dos famosos vinhos do Porto, que podem ser degustados nas caves de Vila Nova de Gaia, abertas à visitação.

Mapa da Cidade do Porto

O Porto, cidade de forte vocação cultural, é a segunda maior cidade do país. Teve fundamental importância na formação de Portugal e desempenha ao longo dos séculos o papel de centro econômico-financeiro lusitano. É, portanto, parada obrigatória para todos que desejam conhecer ao menos o essencial da Terrinha.

Dentre os diversos produtos tradicionalmente comercializados no Porto destacam-se o azeite e o famoso vinho do Porto, produzido nas quintas espalhadas no Vale do Douro e exportado para o mundo inteiro. A bebida é motivo de orgulho dos tripeiros e um trunfo invariavelmente utilizado para acentuar a enorme rivalidade que existe entre Porto e Lisboa, similar à verificada entre paulistas e cariocas aqui no Brasil. Não é à toa que existe em Portugal o seguinte ditado: Braga reza, Coimbra estuda, Lisboa se diverte e Porto trabalha.

Embora a cidade do Porto seja grande, é possível conhecer praticamente todo o centro histórico a pé, incluindo o bairro da Ribeira, que margeia o Douro, declarado patrimônio mundial pela Unesco. Já para visitar as demais atrações é melhor tomar um táxi ou usar transporte público, que é bastante eficiente (há uma moderna rede de metrô e inúmeras linhas de ônibus que servem toda a cidade). Mesmo para quem gosta de andar, o relevo acidentado da cidade não é nada convidativo para caminhadas muito longas.

Vídeo sobre a Cidade do Porto

A maior referência para quem visita a região central do Porto é a belíssima Avenida dos Aliados, ou somente Aliados. Ela une o bairro da Ribeira, ao sul, à Câmara Municipal, ao norte. A leste encontra-se uma tradicional região comercial, com diversas lojas e mercados espalhados por ruas e praças. A oeste dos Aliados fica a região mais moderna da cidade, com hotéis de luxo, lojas de grife, edifícios comerciais e shoppings, sobretudo no bairro da Boavista. Margeando o Atlântico estão dois bairros mais badalados atualmente, a Foz do Douro e Matosinhos, ocupados por condomínios de luxo.

Cais da Ribeira

Entre a Ponte D. Luís I e a rua de São João Novo, é uma das maiores atrações do Porto, com diversas lojas, cafés e restaurantes de frente para o Douro, com vistas para Vila Nova de Gaia. Há um serviço de barco para quem deseja cruzar o rio ou fazer um passeio por ele. À noite, o Cais da Ribeira é um dos pontos de maior agito da cidade. Cheio de ruelas e ladeiras íngremes, a Ribeira é ligada à parte alta da cidade por um antigo elevador. O casario desce em terraços até o calçadão à beira do Douro, um dos lugares mais agradáveis para passear, almoçar ou beber no Porto. Visita indispensável. Nossa sugestão: desça a pé até a margem do rio e tome o elevador na volta.

End.Terreiro da Sé. A catedral do Porto, uma das mais antigas do país, erguida em granito, no século XII, pelo pai de Afonso Henriques, o primeiro rei de Portugal, tem mais cara de fortaleza do que de igreja. Sofreu diversas reformas ao longo dos séculos, especialmente no século XVIII, quando elementos da arquitetura barroca foram introduzidos em sua decoração interna e externa, contrastando com o estilo românico original.

Destacam-se a rosácea na fachada principal; o navio esculpido em relevo na torre esquerda é uma alusão à vocação marítima portuguesa. Vale dar uma olhada no claustro: seu estilo é gótico, mas é decorado com azulejos barrocos. Do claustro uma escada conduz à capela no andar superior, de onde se pode avistar o centro histórico. O belo altar de prata, à esquerda da capela-mor, construído na segunda metade do século XVII, foi salvo por pouco das tropas napoleônicas durante a invasão de 1809. Antes que os soldados franceses invadissem a cidade, os portugueses ergueram rapidamente uma parede de gesso para encobri-la e evitar que fosse saqueada. Que gajos espertos!

Casa-Museu Guerra Junqueiro

End. R. Dom Hugo, 32. Abílio Manuel Guerra Junqueiro (1850-1923), além de grande poeta, teve ativa participação na luta pela derrubada da monarquia. Junqueiro habitou a casa quase em frente à Sé, onde hoje funciona um museu no qual se podem ver peças da coleção pessoal do poeta: obras de arte islâmica, cerâmicas, arte sacra, pinturas, esculturas e móveis. Aliás, o imóvel em que morava já é uma atração que justifica a visita.

Casa do Infante

End. R. da Alfândega, 10. O edifício tem esse nome por ter sido supostamente lá que nasceu Henrique, o Navegador, filho de Dom João I. Abrigou a alfândega real durante séculos e nele hoje funciona um arquivo com documentos históricos, como a certidão de batismo do próprio infante, e um museu municipal. Site: Casa do Infante

Mercado Bolhão

End. R. Formosa. Mais do que uma atração, é uma curiosidade, em razão de sua arquitetura e por ser um dos lugares mais típicos do Porto.

Palácio da Bolsa

End.  R. Ferreira Borges. O belo edifício com fachada em estilo neoclássico erguido no século XIX em frente à praça Infante Dom Henrique é a sede da Associação Comercial do Porto. Negócios eram celebrados diariamente em seu interior, onde funcionava uma bolsa de valores. Hoje o palácio é palco de recepções a autoridades e eventos de toda sorte, além de ser aberto à visitação. Há quadros e peças de arte expostas, mas os maiores atrativos são o Pátio das Nações, onde a bolsa operava, e o Salão Árabe, um luxuosíssimo e colorido salão de festas inspirado no Palácio de Alhambra, na Espanha.  Palácio da Bolsa

Igreja de São Francisco

End. R. Infante Dom Henrique. A construção do século XIV sobreviveu ao incêndio que destruiu o mosteiro homônimo em 1842. Após reformas sucessivas foi alterado seu estilo originalmente românico, depois gótico e por fim barroco. Seu interior sofreu uma enorme reformulação durante o século XVII, recebendo altares, imagens e adornos em estilo rococó, quase todos folheados a ouro. Há controvérsias a respeito de quanto ouro exatamente foi utilizado na decoração da igreja: alguns falam em 600 kg, mas parece ser uma estimativa exagerada. De qualquer modo, o cobiçado metal, proveniente do Brasil, está espalhado por toda a nave em quantidades espantosas. E pensar que a mensagem de São Francisco foi de simplicidade e pobreza! Além de conhecer a igreja em si também é possível visitar as catacumbas e uma exposição de relíquias que pertenciam ao Mosteiro de São Francisco.

Igreja e Torre dos Clérigos

End. R. dos Clérigos. A igreja e a torre em estilo barroco projetadas pelo arquiteto italiano Nicolau Nasoni são dois dos principais cartões postais da cidade. A igreja foi construída entre 1732 e 1773, pela Irmandade dos Clérigos. A torre, com 76 metros de altura, é a mais alta de Portugal. Quem aguentar subir até o topo terá uma vista única do centro histórico, do Douro e de Vila Nova de Gaia.

Igreja do Carmo

End.  R. do Carmo. Essa igreja barroca erguida na segunda metade do século XVIII chama a atenção pelo seu revestimento externo todo em azulejo. Seu interior é em estilo rococó, uma derivação do barroco.

Museu Nacional de Soares dos Reis

End. Palácio dos Carrancas, R. D. Manuel II, 56 Localizado a oeste da Cordoaria, logo no início da R. D. Manuel II, instalado no Palácio das Carrancas. Foi o primeiro museu de arte de Portugal, destinado a acolher as peças oriundas dos conventos e monastérios após a dissolução das ordens religiosas em Portugal. Seu acervo reúne uma quantidade notável de joias, objetos de decoração, cerâmicas, pratarias, arte sacra, quadros e móveis antigos. Destaque para a escultura O Desterrado, de António Soares dos Reis, que empresta o nome ao museu.
Museu Nacional de Soares dos Reis 

Jardins do Palácio de Cristal

End. R. Dom Manuel II. A estrutura original de vidro e ferro foi erguida no ano de 1865, inspirada no Crystal Palace londrino que abrigou a Grande Exposição de 1851. O Palácio de Cristal lusitano também foi concebido para sediar a Exibição Internacional do Porto. Em 1951 a estrutura foi demolida para dar lugar a um ginásio poliesportivo de gosto duvidoso, o Pavilhão dos Desportos Rosa Mota, onde ocorrem também concertos e outros espetáculos. O verdadeiro interesse da visita é o parque bem cuidado com uma vista linda do Douro.

Fundação de Serralves

End. R. D. João de Castro, 210 Cercado pelos lindos jardins estilo francês do Parque de Serralves funciona um dos mais importantes museus de arte contemporânea de Portugal. Nele está exposto o melhor da produção dos principais pintores, designers e escultores portugueses. Como as exposições são bem diversificadas e temporárias, convém checar a programação no site. No mesmo parque você pode visitar igualmente a Casa de Serralves, um solar em estilo Art-Déco construído na década de 1930. Nele são realizadas exposições e eventos culturais. Fundação de Serralves  –

Museu do Carro Eléctrico

End.  Alameda Basílio Teles, 51 Museu bem interessante que agradará às crianças de todas as idades: num hangar são expostos cerca de vinte bondes antigos muito bem conservados. O primeiro, de 1832, era ainda puxado a cavalo. O mais antigo entre os movidos a eletricidade data de 1895. Museu do Carro Eléctrico

Museu Romântico da Quinta da Macieirinha

End. R. de Entrequintas, 220. Funciona em um solar do século XIX rodeado de jardins e um bosque. A casa mantém sua decoração de época com lindos móveis, obras de arte e utensílios variados. Da sala de bilhar tem-se uma bela vista do Douro. O solar abrigou Carlos Alberto, o deposto Rei do Piemonte e da Sardenha, até sua morte em 28 de julho de 1849. No andar térreo fica o Instituto do Vinho do Porto. No seu bar aberto à degustação, podem-se provar cerca de 150 variedades das mais diferentes casas vinícolas.

Estação de São Bento

End. Pça. Almeida Garret. Essa estação de trens é uma surpresa. É quase um museu do azulejo. Seus painéis azulejados, que cobrem uma superfície de 550 m2, abordam os mais diferentes temas, como a entrada de Dom João I na cidade do Porto e a história dos transportes em Portugal.

Livraria Lello e Irmão

End. R. das Carmelitas, 144. Talvez você se surpreenda ao ver uma livraria entre as atrações turísticas de uma cidade. Mas visite a Livraria Lello, fundada em 1930, e vai entender. Na realidade ela já existia desde 1869 com o nome de Livraria Internacional Chardron, fundada pelo francês Ernesto Chardron, na Rua dos Clérigos. Instalada em um imóvel estilo neogótico, ela possui uma fachada que chama a atenção. O interior charmoso da Lello é todo decorado com bustos de escritores, um lindo vitral e uma escadaria em madeira esculpida que é uma verdadeira obra de arte. Na livraria existe um café com mesinhas muito simpático. O edifício é tão bonito que foi classificado como patrimônio nacional. Se você é daqueles que gostam de ler vai se deliciar: 60 mil títulos o esperam.

Passeios de barco pelo Douro

Há uma enorme variedade de passeios e excursões que você pode escolher de acordo com a sua disponibilidade de tempo e dinheiro, desde o Cruzeiro das Seis Pontes, de apenas uma hora, até viagens de barco que duram alguns dias, com visitas às vinícolas. Recomendamos que você pesquise as opções (ainda no Brasil!) nos sites das empresas e escolha o que considerar mais adequado.

Atrações nos arredores do Porto

Arredores da cidade do Porto

Onde dormir na cidade do Porto

Empresas que realizam cruzeiros pelo Douro

Douro Acima–  R. dos Canastreiros, 40-42

Rota do Douro  – Av. Diogo Leite, 438 (Vila Nova de Gaia) 

Via Douro –  Pça. da Ribeira, 5

Rotas de Água  – R. Santa Catarina, 618

Douro  – R. do Passeio Alegre, 20

Douro Azul – R. de São Francisco, 4

Portotours -Torre Medieval, Calçada Dom Pedro Pitões, 15

Sociedade de Turismo Fluvial e Terrestre – Av. Ramos Pinto, loja 240, Cais de Gaia, Vila Nova de Gaia

Maquina fotograficaÁlbum fotográfico com dezenas de fotos de Portugal separadas em slide-shows  sobre a as regiões mais interessantes do país.